Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Soa alarme: folha assusta governo de SC

31 de janeiro de 2013 85

O governador Raimundo Colombo acionou o alarme, assustado com a situação financeira do Estado que ameaça entrar em colapso, na hipótese de serem frustradas as previsões de aumento da arrecadação. A receita cresceu em janeiro apenas 4,4%, para uma expectativa de 7,5%. E a folha, que atingiu quase 8 bilhões de reais em 2012, terá um aumento de mais 778 milhões de reais este ano, por conta de novos benefícios já concedidos.
Decidiu, por isso, não conceder o reajuste anual de salários ao funcionalismo e decretou bloqueio de 28,2% nas despesas de custeio e investimentos. Reterá 1,5 bilhão de reais.
As duras medidas, anunciadas pelos secretários Antônio Gavazzoni e Derly Anunciação, revelam que a atual gestão está numa encruzilhada. A folha está no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (46,46%) e que qualquer nova vantagem colocará o governo na ilegalidade. O Estado, no caso, sofrerá restrições financeiras e legais.
Pela análise dos secretários conclui-se: 1. O governador não quer correr o risco de atrasar os salários dos servidores, hipótese que poderá ocorrer se a receita não subir em função da crise financeira; 2. O esforço de poupança será destinado à descompactação da tabela salarial dos professores, o maior problema neste inicio de ano.
O reajuste do piso salarial dos professores agravou uma situação grave vivida pelo magistério. Os professores com pós-graduação e anos de atividade estão recebendo salários pouco acima do piso.
Um gráfico distribuído na entrevista mostrou que no período entre 2003 e 2012, a despesa com pessoal teve aumento de 238%. Já o crescimento da receita líquida foi de 183%, para uma inflação de 77%.
Neste ritmo, o Estado entra em falência.

Comentários

comments

Comentários (85)

  • Observador diz: 31 de janeiro de 2013

    Uma questāo a ser debatida:
    Quem foram os causadores desses aumentos absurdos ?
    Como pode ocorrer tais falhas ?
    CPI pra saber os verdadeiros culpados já !

  • Luiz diz: 31 de janeiro de 2013

    A medida é justa, a lei de responsabilidade fiscal tem que ser respeitada. Porém o estado inciste em economizar com os professores, funcionários da saúde e segurança pública, enquanto isso mantem cargos comissionados no executivo, secretarias regionais, assembléia legislativa, etc. Enfim um cabide sem fim de empregos com altos salários e adendos, como o pagamento de diárias, vale alimentação, vale moradia, que muitas das vezes são maiores que os salários dos servidores das áreas essenciais. Espero ainda estar vivo para poder ver um governo que realmente faça oque promete e priorize as áreas que a população precisa, saúde, educação e segurança e economize no administrativo. Na Suiça o professor ganha dez vezes mais que no Brasil e o senadores não têm salário. Seria coincidência este pais ter sido escolhido como o melhor país do mundo para se nascer….

  • Igor Luiz de Paula diz: 31 de janeiro de 2013

    Então para o governo a culpa é do magistério estadual?
    Por que o governo não solicitou auxílio do governo federal, previsto na Lei do Piso aos estados que não possuem recursos suficientes?
    Por que não acabar com os cabides de emprego espalhados pelo Estado?

  • Fernando diz: 31 de janeiro de 2013

    Começar a reduzir a fatia do Ministério Público, Judiciário e Legislativo (que pagam salários fora da realidade enquanto os servidores do Executivo comem o pão que o diabo amassou) e exterminar de uma vez por todas as SDRs.

    Os servidores tem que parar o Estado e tomar a ALESC até que seja apresentado o projeto de lei reajustando nossos salários. Chega de hipocrisia. Para conceder reajuste RETROATIVO (R$ 60.000,00) para Deputados, Juízes e Promotores o dinheiro está sobrando. Mas para reconhecer QUEM REALMENTE MANTÉM O ESTADO, só desculpas.

    Para a rua, rumo à ALESC!!!

  • Marina Schiarevon diz: 31 de janeiro de 2013

    Caro jornalista, esta notícia foi plantada ou reflete a realidade econômico-financeira do estado? Nota-se que no apagar das luzes de 2012, determinadas castas de agentes públicos entre judiciário, MP, ALESC, TC, tiveram aumento considerável do auxílio-moradia, enquanto os servidores plebeus nada tiveram, apenas promessas e promessas…

  • Luciano diz: 31 de janeiro de 2013

    Moacir, o governador Colombo sabe muito bem que tem que botar os fiscais da fazenda para vistorias as empresas, isto por si só aumenta a arrecadação.
    Ele também sabe que tem que extinguir os cabidários de desenvolvimento regional, mas não o fará porque endossou os compromisso dos seus mentores Jorge Bornhausen e LHS.
    A coisa está ficando ‘boa’! Categorias profissionais do estado encaminhando-se para a greve e o governo do estado dizendo que não reajustará salarios. É um cenário desolador, e deste jeito, como é que o governdor pensa em reeleger-se

  • SOLDADO CRAMAO diz: 31 de janeiro de 2013

    Bom dia, não sou um matemático, mas como um cidadão que procura pagar as conta do mes em dia da para entender o que aconteceu com o estado nestes dez anos “terriveis” para o funcionalismo, alguem me corrija se eu estiver errado o governo alega que “Um gráfico distribuído na entrevista mostrou que no período entre 2003 e 2012, a despesa com pessoal teve aumento de 238%. Já o crescimento da receita líquida foi de 183%, para uma inflação de 77%.
    Neste ritmo, o Estado entra em falência.
    Gostaria que o mesmo grafico mostrasse o quantos cargos comissionádos foram criadonestes dez anos com a criação das SDRs?

    Nosso governador chamou as SDRs de “REDE ELEITOREIRA” numa campanha a algum tempo atras não me recordo exatamente quando.
    Gostaria que o governo me responda até quando mantera estes CABIDES aberto inviablizando nosso estado?

    SD CRAMAO

  • Diogo Gustavo diz: 31 de janeiro de 2013

    Moacir. Já que o Estado está a ‘beira da falência’, porque o governador nunca (nunca mesmo) cogitou a hipótese de pelo menos diminuir as secretarias regionais? O que falta ao Estado de Santa Catarina não é dinheiro, é CORAGEM. E essa história de responsabilidade fiscal é conversa pra boi dormir, porque em ano de eleições os gastos são SEMPRE acima dos anos anteriores, ou não?

  • ALVICIO KOPHAL diz: 31 de janeiro de 2013

    Moacir,gostaria de entender a matemática do governo;se em janeiro o incremento da receita foi de 4,4% e a folha terá um acrescimo de 10% no ano, então não tem nada de errado.Outra coisa,o salário do magistério(especialistas),no período de 2003 á 2012 teve apenas 113% de incremento e não os 238% anunciados pelo governo.Se o governo concedeu reajuste salarial tão elevado á algumas categorias,deveria citar categoria por categoria e não generalizar como está fazendo.

  • aderbal diz: 31 de janeiro de 2013

    mais uma vez esse DESGRAÇADO colocando a culpa na folha dos professores. mas na hora de aumentar o salário deles mesmos, não cuasa impacto financeiro, tomara que caia o avião desse corno.

  • NEY ARAUJO SANTOS diz: 31 de janeiro de 2013

    E o pai de parte deste aumento na folha de pagamento dos servidores publicos, foi o Senador Luiz Henrique da Silveira, as secretárias, fundo social, só despesas para o Governo pagar, e o governador não deu nenhum passo na direção de contenção.

  • srmarcelino diz: 31 de janeiro de 2013

    Engraçado Moacir, que o período em que as despesas com pessoal teve aumento de 238%, foi justamente o período em que mais se criaram cargos comissionados e também o período que foi criado o maior cabide de empregos de Santa Cataria, leia-se Secretarias de Desenvolvimentos Regionais, conhecidas simplesmente por SDR’s, estas que foram duramente criticadas na campanha de Raimundo Colombo e que agora são acobertadas de forma política.

  • alexandre diz: 31 de janeiro de 2013

    Caro Moacir,
    Qua tal colocarmos um desafio ao governo
    1 – Apresentar em comparativo o que ele gasta com os funcionários efetivos e o que ele gasta com os comicionados. E quanto ele economizaria se alocasse os efetivos no lugar destes comicionados.
    2 – Apresentar o que tem de comicionados no governo atual com o governo anterior.

    O governo precisa dar uma resposta o população!

  • Colega DGOV diz: 31 de janeiro de 2013

    Caros colegas servidores públicos de SC

    Será que nossos colegas da SEF, fizerma as contas direitinho, ou fizeram a conta para favorecer o discurso?

    Então o governo não postergou 30% do ICMS para fevereiro? quanto dá isso me ajudem – 300 milhões?
    Por acaso o IPVA de janeiro não vence no dia 31? quem paga adinatado os imposos neste país?
    Então quais são as projeções para fevereiro, crescimento de 12~15%?
    O que se ouve nos corredores é que dinheiro não falta para o governo, que temos mais de 1,3 bi em caixa.

    Ajudem-nos colegas da SEF, 4% para nós são R$120,00, mas para vocês são R$ 960,00.

    Agora se não lotarmos para que as informações sejam concretas, e sem tendencionismo, nunca seremos respeitados e nunca poderemos pedir respeito.

    Colegas da SEF, vocês tem os detalhes nas mãos mostrem a sociedade, detalhem os valores e ai sim poderemos ajudar SC.

    Att.
    Um servidor que não acredita só no discurso.

  • Abati Valência diz: 31 de janeiro de 2013

    Moacir venho aqui pedir a ajuda de um advogado para interpretar a LEI Nº 11.494, DE 20 DE JUNHO DE 2007. que Regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – FUNDEB, de que trata o art. 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias; altera a Lei no 10.195, de 14 de fevereiro de 2001; revoga dispositivos das Leis nos 9.424, de 24 de dezembro de 1996, 10.880, de 9 de junho de 2004, e 10.845, de 5 de março de 2004. Pois no meu entendimento, se o governo de Santa Catarina não tem condições financeiras para arcar com o reajuste anual dos professores, deverá solicitar a união um complemento, para tanto deverá provar, através de documentações oficiais que não tem condições de arcar com essa despesa. Pois bem o governo de Santa Catarina alega impossibilidade de cumprir a lei por falta de orçamento, então porque não pede esse complemento que tem direito segundo a LEI Nº 11.494, DE 20 DE JUNHO DE 2007. Será pelo fato de não poder provar essa “dificuldade” financeira? Outra pergunta em que peço a ajuda de um advogado, com esse documento que o governo publicou ontem e está nesse blog será que qualquer cidadão, principalmente um advogado conhecedor das leis não poderia solicitar ao governo federal essa complementação e principalmente exigir através de um processo que o governo prove que realmente não tem condições de arcar com essa despesa. Por favor, senhores advogados do Estado de Santa Catarina, nos ajudem, afinal vocês só têm esse diploma e que devem honrar graças a um professor que lhes ensinaram o caminho das palavras, que tal agora nos presentear, não com uma maçã mas com o seu conhecimento jurídico. Aqui quem pede é uma professora desesperada que não sabe mais o que fazer para entrar em uma sala de aula e olhar nos olhos de seus alunos, pois nesse momento eu tenho vergonha de ser um professor catarinense, que se deixa ser desrespeitado por esse governo hipócrita, mentiroso e torturador.

  • Indignação!!!! diz: 31 de janeiro de 2013

    Que reajuste é este para os professores…se não recebi nada, nem o flamigerado vale alimentação…o aumento foi para quem tem só magistério…os graduados e pós-graduados, estão a ver navios…eita governinho…

  • Julio diz: 31 de janeiro de 2013

    O Estado nao surgiu para dar lucro.
    A população quer um serviço publico de qualidade. Se nao for para isso, de NADA serve o Estado.
    Profissionais bem remunerados para dar segurança ao povo, educa-lo e mante-lo saudável. O resto se vai atras.
    Quando atingir o limite financeiro devem ser cortados os cargos comissionados conforme o mandamento constitucional.

  • lazaro diz: 31 de janeiro de 2013

    Meu caro Moacir Pereira, “UM GOVERNADOR QUE DEIXA PROFESSORES ENTRAREM EM GREVE, UM GOVERNADOR QUE DEIXA FUNCIONÁRIOS DA SAÚDE ENTRAREM EM GREVE, UM GOVERNADOR QUE DEIXA POLICIAIS ENTRAREM EM GREVE, UM GOVERNADOR QUE NÃO CUMPRE LEI QUE ELE PRÓPRIO AS CIRA, JÁ ESTÁ NA ILEGALIDADE, NÃO PASSA DE UM ESTELIONATÁRIO POLÍTICO, TERIA DE ESTAR NA PRISÃO, É ASSIM QUE NO NESTE PAIS AS COISAS FUNCIONAM, OU MELHOR NÃO FUNCIONAM. ENTÃO CADEIRA NELE”.

  • Fernando Pereira diz: 31 de janeiro de 2013

    Caro Moacir, não sei se foi questionado, se não foi deveria, pelo menos não encontrei nada nos meios de comunicação, sobre o custo das polemicas secretarias de desenvolvimento regionais e o impacto das mesmas na folha de pagamento dos servidores, bem como o a diferença entre o que e gasto com servidores efetivos e comissionados e o número de cada um por secretaria. Acredito que essas informações são importantes para a sociedade intender e debater esse problema. obrigado

  • Adriano diz: 31 de janeiro de 2013

    Item 2 só confirma que poucos foram os que tiveram reajustes. Minoria dos professores.Nesse ritmo pos graduados irão ganhar igual quem tem só ensino médio.

  • Analista Tecnico em Gestão Educacional diz: 31 de janeiro de 2013

    A folha salarial esta no limite porque em 2006 meu vencimento era de R$ 900,00 e hoje esta em R$ 1073,00. Variação de 19,22%. Enquanto isso a inflação no periodo foi em torno de 40%.

  • Paulo Cesar Padrão diz: 31 de janeiro de 2013

    Por que o Governador não se posiciona impacialmente e com vigor necessário de quem comanda um Estado como SC e começa a cortar as Gratificações do Pessoal da Fazenda, vai diminuir em muito a despesa com pessoal, no mínimo são três gratificações inconstitucionais:

    * Gratificação de Arrecadação Fazendária (GAF): R$ 3.200,00 – arrecadar é o dever da SEF, por que pagar algo por aquilo que é sua obrigação?

    * Gratificação de Controle Interno: R$ 4.000,00 – a SEF é o órgão sistêmico de controle interno, pois esta é uma de suas missões, como outras Secretarias tem suas missões, por que pagar para fazer a obrigação?

    * Gratificação de Esforço/Resultado: R$ 4.000,00 – esforço/resultado é obrigação de todo servidor público, em outras Secretaria existe o esforço e resultado dos servidores, só que não há a tal recompensa, por quê?

  • Jonas Ricardo diz: 31 de janeiro de 2013

    basta acabar com as SDRs verdadeiros cabides de emprego….

  • Klayton Robert diz: 31 de janeiro de 2013

    Bom dia, caro Moacir e amigos internautas!

    Problema de fácil solução, PROMOVAM A EXTINÇÃO DAS SDR’s, não achas Moacir? Não acha sr colombo? Justo o sr que foi ENFATICAMENTE contra esses órgãos, num passado não muito distante, por defini-los como:” CABIDAÇO DE EMPREGOS.” (mesma fala do Amim)
    Mas…..e a tríplice aliança como fica???
    E as maracutaias políticas como ficam???
    E os prefeitos que não se reelegeram ou os que não se elegeram como ficam ???
    AHHHH caro DESgovernador, pare de agir como desentendido e faça aquilo para o qual foi votado para fazer: GOVERNE.
    Um abraço
    Prof Klayton Robert
    PS.:Mais um ano em que o magistério vai levar o calote,…… aguardem
    Desde a implementação da lei 11.738/08 aumento referente ao magistério Catarinense 94% em 2011 (acumulado de 2009/10/11) 22% em 2012, 7,96% em 2013.
    Disso só pagaram para quem não se dedica na formação ( pra quê né??? segundo colombo só merece Aumento que NÃO ESTUDA.
    “…E A VIDA SEGUE…”

  • daniel diz: 31 de janeiro de 2013

    Estão no poder há mais de 10 anos e só agora notaram isso? E os comissionados?Tem como fazer uma análise disso?E as terceirizadas? Em colégios agrícolas acontece uma festa de cargos denominados professor residente mais cargos de professores na área técnica,supervisor técnico e sei lá mais o que,é uma feeeeeeestttttaaaaa.

  • Diogo diz: 31 de janeiro de 2013

    SANTA CATARINA FALÊNCIA? meu deus em Colombo

  • Izabel diz: 31 de janeiro de 2013

    FORA COLOMBO!

  • Celso diz: 31 de janeiro de 2013

    Só existe um caminho, o fim da estabilidade no emprego. Para se fazer um ajuste na máquina pública…

  • Dirceu diz: 31 de janeiro de 2013

    Com os problemas, surgem oportunidades de solução. Por exemplo: nosso Governador pode dar fim nos Elefantes Brancos da atual administração, à saber, as Secretarias Regionais de Desenvolvimento, herança maldita de seu antecessor. Se faltava uma oportunidade, com embasamento legal, para dar fim a tais Secretarias, eis uma ótima oportunidade. Mesmo porque, como afirma a Lei da Escassez, “os recursos são escassos, mas as necessidades são ilimitadas”. Em face dos recursos escassos, há de se determinar as prioridades nas decisões que farão gerar mais recursos para fazer frente as necessidades sempre crescentes.

  • Como poupar …. diz: 31 de janeiro de 2013

    Pela Lógica do sistema….
    - Vocês sabem quanto ganha o pessoal das SDRs?
    - Quantos estão mamando nestas tetas?
    - O que realmente fazem?
    - Tenho um amigo lotado numa dessas gerencias de educação… investiguem, quanto esse pessoal ganha de gratificação. É alarmante!!!
    Elimina essas estruturas que aliviará o orçamento…. O poder de investimento realmente parece estar indo a pique!
    Não estou afirmando que as SDRs salvarão o estado da falência, mas contribuirá na redução de despesas, em muito. Ops: não sou economista e nem politico!
    Uma auditoria nesse governo, JÁ!!!

  • Roger diz: 31 de janeiro de 2013

    O jeito é os servidores se filiarem ao PGC…. quero ver o Governo dar aumento… do conntrário continuarão CO-LOMBO ardido de tantos cortes…

  • Alexandre S. diz: 31 de janeiro de 2013

    Fico pensando que (des) governo é esse. Que mundo vive este senhor…? Imaginar um crescimento de 7,5 % em janeiro.

    Trabalhei 12 anos em uma das maiores transportadoras do país, e 2 anos em uma das maiores do planeta. E o que uma coisa tem com a outra?

    No Brasil, o escoamento da produção é EMINENTEMENTE terrestre. Alguém discorda?

    Nas transportadoras o faturamento do mês de janeiro é sempre o menor do ano, salvo algum problema comercial que possa levar a empresa perder clientes durante o ano. E qual é a causa? OBVIO… É a queda na produção industrial devido as férias, em grandes empresas inclusive férias coletivas.

    O turismo até pode dar um gás na economia, mas não cobre a queda da produção industrial que se observa no mês de janeiro.

    Durante esses quatorze anos trabalhando no setor logístico do país, janeiro nunca pode ser superestimado, pois ocorre essa retração na produção industrial – consequentemente na arrecadação – é normal, não se deve há uma crise financeira extraterrestre.

    Em última análise revela mais uma vez que SC está nas mão de gente “perdida”, especialmente seu “mestre” maior.

    Se alguém tem outra explicação plausível para a queda de faturamento das transportadoras sempre no mês janeiro – setor que escoa a produção nacional – fiquem a vontade. Cai a produção, cai a arrecadação. Deveriam saber disso.

  • ricardo oliveira diz: 31 de janeiro de 2013

    CAPACIDADE DE GESTÃO…
    Caro Moacir se o governador Raimundo fosse um empreendedor mesmo, saberia que a primeira medida a ser tomada é reduzir o número de cargos de confiança. Há pessoas demais empilhadas nas SDRs, nas secretarias. Todos nós sabemos que as secretarias regionais é um mecanismo de absorver partidários da base. Com essa estrutura gigantesca criada em nosso estado é evidente que o gasto de pessoal só aumenta. Sugiro algumas medidas austeras a serem tomadas pelo governador:
    1) Reduz o número de SDRs de acordo com o número de Associação dos municipios.
    2) Reduz o número de pessoas que atuam nas secretarias, se voce for fazer uma auditoria dos recursos humanos saberá que tem pessoas demais em locais não necessários.
    3) Faça uma fiscalização rigorosa das diárias pagas para os secretários, assessores, e demais órgãos do governo.
    4) Ajuste fiscal não é realizar cortes, mas é verificar as prioridades, é estabelecer metas de gastos. Mas isso se resolve não passando a mão nesse ou naquele funcionário cargo de confiança. Se for necessário entrar em atrito com a base de sustentação, corte o mal pela raiz.
    5) Acabe com o fundo social. Até agora não sei pra que serviu. Este fundo não teve o impacto esperado, além de estimular empresas a não pagar os impostos devidos por um tempo e depois realizar o pagamento com inúmeras vantagens.
    6) Aplique o percentual necessário em cada pasta, pelo visto isso não é realizado já faz muito tempo.
    7) Estabeleça um teto salarial. Ora, se o salário pago ao governador deve ser referencia para todos os demais salários, então cumpra-se a lei.
    8) Acabe com as vantagens de auxílio moradia aos poderes legislativo, judiciario e executivo. Todos nós catarinenses pagamos as despesas de moradia, quer seja própria ou alugada.
    9) Faça uma auditoria salarial em todos os poderes e cumpra-se a lei. Pague somente o teto dos fiscais da fazenda, sem incentivos. Isso é corrupção.
    10) Reduzir o número de contratados nos fóruns, tribunais e assembléia. Existe gente demais circulando pra nada. Atualmente tudo é automatizado. Razão pela qual podemos enxugar o número de secretarias.
    11) 90% dos prefeitos buscam convênios diretamente na capital. Com conversas com os secretários das pastas, com auxilio dos deputados e diretamente com o governador. Então, otimiza a máquina pública e reduz o número de SDRs.
    12) Fiscalize melhor os órgãos de arrecadação de impostos. Sabemos que existem muitos funcionários que se corrompem.
    13) Não é o numero de pessoas que estão trabalhando em cargos de confiança, mas a qualidade deles. Uma pessoa bem qualificada poderá gerar um resultado de mais de 100. Pense bem governador.

  • Luiz Guesser diz: 31 de janeiro de 2013

    Caro Moacir,

    Vejo isso como um problema de gestão e vontade política. Analisem a folha e vejam todos os salários acima de R$ 5.000,00 do estado, que certamente algumas soluções podem ser encontradas como corte de comissionados (todos este ganham acima disto). Temos uma estrutura deficitária na ponta, onde quem atende diretamente o cidadão ganha abaixo disso, a estrutura e extremamente inchada e lenta nas funções administrativas do estado, com muitos comissionados e secretarias e orgão que se sobrepõem na mesma função (Ex. Agesc e Gesan, etc…), ao qual servem basicamente para cabides de emprego de filiados políticos além de uma grande fonte para atos ilegais e corrupção. O Gov. Colombo veio com um discurso voltado para eficiencia de gestão, mas na pratica não é o que se ve. Portanto, não é no salário de quem está na ponta que se situa o problema, mas sim falta coragem para realmente atacar o problema e se aplicar uma reforma administrativa eficiente.

  • Marco diz: 31 de janeiro de 2013

    Caro Moacir, não faz sentido, quando você diz: “(…)qualquer nova vantagem colocará o governo na ilegalidade”. Pagar um direito do piso nacional é um dever! Não pagá-lo é estar na ilegalidade!Afinal, nem pagou o valor do piso de 2012. Isso não é ilegal? Até então, não consigo entender o conceito de “ilegalidade”. Não precisa ser profeta: Possivelmente haverá um caos no Estado nos próximos meses. É ver pra crer!!!!

  • Colombo diz que agora controla o governo – 17 de julho de 2012 diz: 31 de janeiro de 2013

    Será que as coisas mudam tanto em 5 meses????
    Para refrescar a memória: http://wp.clicrbs.com.br/moacirpereira/2012/07/17/colombo-diz-que-agora-controla-o-governo/?topo=67,2,18,,,67

  • VITOR diz: 31 de janeiro de 2013

    Engracado, acionou o alarme, não se vê notícias de corte nos cargos comissionados, não se vê corte em diárias pagas desnecessariamente, não se vê falar em diminuição das SDRs, ou seja, a folha esta alta em face do cabide que é o Executivo, onde qualquer apadrinhado político tem garantido seu lugar. É facil jogar a culpa no piso dos professores, ou alegar que as incorporações de abonos são aumentos reais na folha dos servidores. O pior é recordar que no ano de 2011 este mesmo administrador criticou os abonos e falou que estipularia uma data base, seria melhor ter ficado quieto e não criar esperança nos servidores, pois, para ele que tem todas as regalias é facil falar, é facil criticar, mas porque ele, não tenta viver com um salário de fome dos professores ou policiais. Outro ponto entritecedor é que, pelo que parece a imprensa não é muito contrarias a estas políticas, pois, sempre se viu as criticas a nós servidores, como se fossemos cheios de privilégios e pessoas que não desempenham a contento suas funções, porém, só que nos acompanha diariamente é que sabe o que cada servidor faz. Não podemos, nós, os trabalhadores e a maioria, pagar e levar a fama por alguns poucos que não tem vocação parta quilo que fazem, assim, a imprensa também deveria dar um voto de confiança e nos apoiar, não ficar silente e apenas noticiar sem se manifestar. As vezes a omissão da imprensa (silencio) é um ato de manitfestação clara de qual lado eles estão.

  • Carlos diz: 31 de janeiro de 2013

    Essa prática todos sabem: é própria do PMDB que manda em Colombo e seu governo. Lembram de Paulo Afonso? Deixou o funcionalismo sem receber por seis meses. É muito simples: onde cortar gastos? No elo mais fraco. Dizem que não há crise nenhuma, há sim, o início da campanha pra reeleição e para isso, haja dinheiro. O funcionalismo que se dane, porque, vive apanhando e votando nessa gente.

  • waldir diz: 31 de janeiro de 2013

    POR QUE SERÁ QUE ELE QUIZ SER GOVENADOR? SÓ PARA NÃO TER MAIS SOSSEGO?NÃO ACREDITO!AGORA QUE A BATATA DELE JÁ ESTA QUASE MEIA ASSADA NÃO PODE MAIS DESISTIR VOLTAR PARA O SENADO É MEIO TARDE E SALARIO DOS SERVIDORES É MAIS DO QUE OBRIGACÃO NINGUÉM TEM CULPA QUE QUEM MANDA NO DINHEIRO DO PAIS É UM MANTEGA DERRETIDA,TODO MUNDO SÓ FALA EM CRISE E ELE VIVE COM UMA BANDEIRINHA DE OBA OBA NAS MÃOS.

  • Odorico diz: 31 de janeiro de 2013

    UFA!! Quando falou em alarme, pensei que iam gritar: pega ladrão! Mas parece que os cabides continuam todos em seus devidos lugares, aguardando a reeleição em 2014…

  • Pedro Paulo de Miranda diz: 31 de janeiro de 2013

    Bom dia!

    Há uma luz no fundo do poço, o Japão está logo abaixo.
    Não há falência pior do que a de perspectivas.
    O ano letivo inicia no dia 07/02, quinta-feira.

    Obrigado!

  • Paulo Roberto diz: 31 de janeiro de 2013

    E as “SDRs” não preocupam o governador???…Sem falar nos altos salários e vantagens, especificamente na Secretaria da Fazenda e Assembléia Legislativa

  • fernando diz: 31 de janeiro de 2013

    O que deveria assustar esses caras do governo é o desperdício de dinheiro publico, com cargos fantasmas, com obras começadas e inacabadas, com as secretarias regionais inchando a folha de pagamento, com os cabide de empregos, com o super faturamento e com a caixa 2 e com as comissões em obras, se os funcionários públicos não soubessem dessa bandalheira toda, talvez numa situação dessas em que o governo vem passando , os mesmos até poderiam deixar passar batido porem o pedido de aumento, porem ao saber que o governo trabalha na forma narrada nesse texto a vontade de todos e entrar em greve mesmo, pois querem economizar do lado em que não deveria …

  • leda diz: 31 de janeiro de 2013

    QUE GOVERNO PODRE!
    Vem fazer terrorismo amedrontando com a possibilidade de não pagar o funcionalismo. Não sabia desta “situação caótica” antes de conceder auxílio moradia para os abastados servidores e presentear AL com mais regalias?
    Consulte a população para saber o que se faz necessário: SAÚDE, EDUCAÇÃO E SEGURANÇA OU cargos comissionados e desperdício de dinheiro público nas incontáveis SDRs, vulgo currais eleitorais para governos incompetentes.

  • José Pedro diz: 31 de janeiro de 2013

    Caro amigo Moacir na qualidade de cidadão depois de encaminhar vários mail como sugestões para o governo e nenhuma resposta desde o início desta gestão para redução de despesas para não se chegar a esta situação Financeira, onde vamos ter greve em todos os setores. vamos as sugestões:1) Na gestão do governador na casan em 1996 foi implantado um projeto de abolir as diárias e criaram convênios com todos os Hotéis de sc, onde com esta posição se renovou toda frota de veículos que estava uma sucata. 2) Excluir todas as secretárias regionais.3) Excluir os cargos de secretários adjuntos e diretorias das secretárias centrais, pois funciona muito bem só com as gerências 4) Carros oficiais exclusivamente à serviço 5) E outras funções gratificadas não necessárias em todas as secretárias. Obrigado pela atenção.

  • Rodrigo Jorge diz: 31 de janeiro de 2013

    Prezado Moacir,

    No apagar das luzes do ano de 2012, mais precisamente em 20 de dezembro, foi aprovada a lei que aumentou o valor do auxílio moradia de cerca de R$2.400,00 para R$4.300,00 (aumento de 79%). Foram beneficiados parlamentares, membros do MP Estadual, magistrados do TJ e conselheiros do TCE. E tal aumento é retroativo a setembro de 2011! O projeto de lei foi apresentado e votado em menos de 24 horas! Diversos projetos de interesse da população costumam ficar meses, quiçá anos, aguardando votação!

    E agora, início de 2013, o governo divulga a notícia de uma crise nas finanças estaduais, afirmando que não poderá cumprir a lei que ele mesmo (governo estadual) sancionou e divulgou amplamente, que fixa o mês de janeiro como data base para o reajuste do funcionalismo estadual, e ainda que vai cortar R$1,5 bilhão nas verbas para custeio e investimentos para 2013.

    Mais uma vez, prevalece o velho ditado: “farinha pouca, meu pirão primeiro”. E todos sabemos porque a farinha é pouca: tem muita gente metendo a mão no saco!

    Terminaria afirmando que, mais uma vez, é o povo que sai perdendo. Mas em um momento de lucidez, lembrei que fomos nós, povo, que elegemos estes senhores! Sendo assim, a responsabilidade é nossa!

    Cordial abraço.

  • valter diz: 31 de janeiro de 2013

    Ola bom dia a todos, tem uma solução facíl. acaba com as regionais cabides de empregos, como nosso governador falava quando era senador, regionais são cabídes de emprego. ete mais um tanto cosando sem fazer nada bota pra fora. que sobra dinheiro suficiente pra segurança, saude, e educação.

  • Diogo diz: 31 de janeiro de 2013

    Péssimo governo….Não sabe fazer contas e ainda coloca a culpa nos funcionários….FIM DAS SDRs JÁ.

  • liaseal diz: 31 de janeiro de 2013

    E todo mundo vai acreditar nas informações dadas porque NINGUÉM tem como checar os dados e o quanto foram manipulados.

    A perversidade chegou ao requinte bem engendrado, mas sem surpresa, de transformar professores nos vilões da história e passando ao populacho que chamam ‘sociedade’ o seguinte recado: culpa dos professores que querem mais do que os outros, então os outros não vão ganhar para poder satisfazer os professores (roubados desde 2008/9, só para ficar da novela do piso). A mesma coisa que fez antes dentro da categoria, tirando ou não dando o devido a uma parcela majoritária para dar a tal ‘minoria’ que não chegava ao piso. A perfeita transferência de renda tirando de uns para ‘dar’ aos outros, a ‘justiça’ social feita com chapéu alheio, desde que não tire dos bolsos deles, políticos.

    Os efeitos imediatos serão dois:
    a) estimular o ódio contra os professores, como se já não houvesse o bastante. Se o ‘povo’ odiasse políticos como odeia, menospreza e inferniza professores talvez não estivéssemos na situação a que chegamos como nação.
    b) estimular o ódio das demais categorias contra os professores com a ajuda da mídia como um todo, sempre muito eficiente nesse tipo de empreitada, não só por reproduzir as informações recebidas como também pela falta de instrumentos e vontade de checar se são verdadeiras.

    A notícia dos cortes não trazem a informação de que o corte não alcança Alesc, TJ, TCE, a PGE, MPs e quejandos porque os privilégios são garantidos por gratificações e benefícios que burlam qualquer tipo de controle. Mesmo que alguns sejam alcançados pelo CONGELAMENTO do aumento, o que já recebem forma um bom e fofo colchão para amortecer a rasteira…

    A informação dada pelas fontes não diz e nem a imprensa pergunta, por que não corta os altos salários, por que não congela a parte de quem ganha mais de 10 mil. Com os marajás ninguém mexe nem para efeitos psicológicos nas massas, no estilo ‘ah, mas o governo pegou os tubarões também’. A desculpa é que os marajás e maranis recebem muito mais do que valem, tem direitos adquiridos ‘imexíveis’ e são poucos, enquanto os demais formam legiões.

    A manobra inviabiliza qualquer esperança de uma greve unindo todos os atingidos, a não ser que seja de todos contra os professores, estas babás de luxo que estão ‘tirando dos outros’ e não servem nem para ‘preparar’ mão de obra ‘qualificada’ para o ‘mercado de trabalho’.

    Parece até que estou vendo e ouvindo a cara de deboche e risinhos mal contidos dos que estão tendo orgasmos com a sinuca em que o governo meteu os professores x demais servidores. Gustavinhos devem estar entrando e estado de nirvana agora, junto com 90% dos ‘jornalistas’ que têm um piso salarial merreca e não veem como sair da ‘merrecagem’ que ganham, a não ser que descolem uma boca de assessoria de comunicação em algum órgão público ou gabinete de políticos. Como jornalistas não fazem greve para não perderem o ganha pão, se consolam dando ‘bem feito’ aos perdedores, ainda mais se os perdedores foram professores… Freud explica.

    Se não fosse pela idade, pior ainda pela doenças crônicas, estaria procurando curso de qualquer coisa na construção civil. Os que são jovens, menos de 40 anos, que tratem de abandonar o magistério e virar coisa mais útil a si mesmos. Que mais não seja, não precisarão pagar para construir uma barraco para morar. Parem de usar a desculpa de amor a profissão, às criancinhas, à grandeza do valor da Educação. A nossa primeira obrigação de amor é a do amor próprio.

  • CARLOS JOSE KOCH diz: 31 de janeiro de 2013

    Falta Sáude, Educação, Segurança, e sobra incompetencia administrativa por parte deste Governo. Somente nos servidores que acompanhamos o dia a dia
    sabemos que falta tudo e sobra incompetencia em todas as áreas..

  • Marina Schiarevon diz: 31 de janeiro de 2013

    dá a impressão de notícia plantada para ver a reação. Por que determinados castas de agentes políticos já bem remunerados tem todo tipo de vantagens e os servidores do executivo sempre são esquecidos? será que membro do judiciario, MP, ALESC, TC, procuradoria do estado realmente necessitariam do malfadado auxílio-moradia concedido no apagar das luzes de 2012?

  • Roberto Lustosa diz: 31 de janeiro de 2013

    É muito revoltante esta desculpa dos 46,46% do limite prudencial e das condições financeiras do tesouro estadual.
    Tais justificativas somente são válidas para os “barnabés”, aqueles abnegados servidores de carreira do poder executivo.
    Já quando nossas autoridades negociam com o TJ, TCE, MPE, ALESC e funcionários da Fazenda, simplesmente esquecem tais limites.
    Chega, Senhor Governador.
    Sempre o mesmo “papo furado”.
    Por que não levam em consideração estes limitantes quando decidem construir obras suntuosas para o TCE, ou comprar prédios para a Justiça e Ministério Público?
    Comparem remunerações daqueles poderes com os do executivo ( exceto fazenda).
    Isto tudo, sem fazer referencia as vergonhosas e indecentes SDR ( Secretaria dos Diretórios Regionais).
    É muita INJUSTIÇA.

  • José diz: 31 de janeiro de 2013

    Quero ver é ele ter coragem de cortar o auxílio moradia de 4300 reais (serão pagos retroativos), devolver auxílio alimentação pago reatroativo (MP), cortar gratificações do judiciário, mp, assembléia e tc…

  • Jorge Rodrigo diz: 31 de janeiro de 2013

    Povo! que chegue 2014 rapido para expulsarmos essa marionete do governo. Sempre acreditei que governo do estado era somente 1, aqui em santa catarina é deferente, o governador é uma marionete e quem se diz governar, é um tal de grupo gestor, formado por pessoas que nem funcionarios publicos são. Como podem entender da maquina publica se nem estudaram para um concurso publico, não se dedicaram para saber ate a respeito de que é ser servidor publico.
    Quanto ao corte, aconselho o senhor marionete colombo a consultar as publicações do diario oficial, de nomeações de cargos comissionados, que se diga a despesa nao é só de salario,mas com a própria publicação, e comparar esses nomes com os salarios que recebem, através do portal da transparencia. Faça essa análise. Fazia muitos anos que não se via uma adm estadual tao fraca e imunda como esta.

  • Elizabeth dos Santos diz: 31 de janeiro de 2013

    Tic, tac, tic, tac está quase na hora de o governo mostrar a proposta bomba ao SINTE, na mão de quem vai estourar? a resposta é obvia, na mão dos professores.

  • Carlos Nascimento diz: 31 de janeiro de 2013

    Raimundo Colombo TOTALMENTE DESPREPARADO!!!
    PIOR GOVERNO…

  • pedro diz: 31 de janeiro de 2013

    O QUE MAIS ME DA RAIVA É DE SABER QUE TUDO ISSO , ESSAS DESCULPAS, ESSAS JUSTIFICATIVAS PARECEM ENTRAR NOS OUVIDOS DOS MUITOS COLEGAS SERVIDORES E SOAR COMO VERDADE. ACORDEM, ESSE DESGOVERNO ESTA COMEÇANDO A PREPARAR O BOTE PARA ROUBAR DE NÓS O DIREITO QUE TEMOS. SENHOR DESGOVERNADOR, PAGUE NOSSO SALARIO, NÃO CONTINUE ALIMENTANDO OS PORCOS JÁ GORDOS PELO NOSSO SUOR ( DEPUTADOS, SDRS, VEREADORES, CABIDEIROS DE EMPREGO, GENTINHA PODRE).
    PAGUE QUEM REALMENTE MERECE QUE DAMOS NOSSO SUOR PELO ESTADO.
    SENHOR DESGOVERNADOR SEU LEMA DEVERIA SER: DESTRUIR POR TODA SANTA CATARINA. ME DÁ NOJO.

  • Paulo Roberto diz: 31 de janeiro de 2013

    Corte imediato das SDR, CABIDES DE EMPREGOS!!!!!!!!! O judiciário também está com o orçamento inflado, todo final do ano está distribuindo dinheiro aos servidores de lá. Este ano cada técnico ganhou 4.000,00 de bonificação por ter sobrado dinheiro do orçamento deles!

  • arnoldo dias diz: 31 de janeiro de 2013

    SDR,SDR,SDR,SDR,SDR, “FAZENDA,FAZENDA,FAZENDA,FAZENDA,FAZENA,” COMISSIONADOS,COMISSIONADOS,COMISSIONADOS, TERCERIZADOS, TERCERIZADOS,TERCERIZADOS, É REALMENTE ESTAMOS FALIDOS NÃO EXISTE GESTOR PUBLICO NESSE PAIS SÓ CORRUPTOS.

  • da ilha diz: 31 de janeiro de 2013

    Isso é palhaçada só pra não dar uns 6% de aumento pros servidores, O PMDB ta acabando com o governo, a secretaria da administração virou um cabide de emprego para fracassados nas eleições, tem um gerente ali que já vai pra 11 anos, foi candidato a vereador 5 vezes e nunca se elegeu, é funcionario de carreira da PMF e fica tirando vagas que poderiam ser dos funcionarios de carreira da SEA , vamos dar o troco nesses malas, que decepção eu tenho do governador atual, uma pena estamos desanimados

  • Rodrigo diz: 31 de janeiro de 2013

    Acorda Colombo, essa é a chance de virares o jogo a teu favor, porque até agora és odiado pelas três maiores Secretarias do Estado, inviabilizando tua reeleição, e estou certo de que se nada fizeres a respeito das SDR’s tua batata vai assar.
    Tenha CORAGEM seja RESPONSÁVEL tome uma ATITUDE DE GOVERNADOR, porque até agora seu desempenho é uma verdadeira FRAUDE.

  • pedro costa diz: 31 de janeiro de 2013

    Caro senhor executivo pegue seu pelego juntamente com sua triplice bagunça e VÁ PRA LA DE LAGES TCHE ACENTAR BACIO NO CARÁ

  • Márcio Onides diz: 31 de janeiro de 2013

    Se o argumento é o limite da lei de responsabilidade fiscal, as medidas que deveriam ser tomadas, segundo o art. 169, §3º, da Constituição Federal, são:
    I – redução em pelo menos vinte por cento das despesas com cargos em comissão e funções de confiança;
    II – exoneração dos servidores não estáveis.
    Ou seja: o Governo, ao invés de não cumprir a data base estabelecida em lei, deveria, para atender a Lei de Responsabilidade fiscal, exonerar os comissionados (pelo menos 20%). Essa medida com certeza já seria suficiente. É o que a Constituição MANDA.

  • Simone diz: 31 de janeiro de 2013

    Acho questionável o governo divulgar um valor percentual de aumento com o gasto do funcionalismo público, como se todos o tivessem ganho. Entrei no Estado em 2006 e apenas em 2012 fui receber o primeiro, e único, reajuste. Agora, parece que vamos entrar naqueles 6 anos sem aumento novamente.

    Gostaria que fossem divulgados pela imprensa os dados de quantitativos de funcionários efetivos ao longo dos anos, que estão diminuindo, enquanto alegam que que há aumento na folha… A conta só fecha por causa do aumento de comissionados e pelo valor que recebem, porque, afinal, nenhum comissionado ganha o que um servidor entrante ganha. Esses dados, como aumento de comissionados e a relação entre o salário de servidores entrantes e comissionados deveriam ser publicados sem maquiagem. Deveria haver uma proposta, também, de uma proporção máxima entre efetivos e comissionados nos órgãos, já que os comissionados nas SDRs estão em número muito maior.

    E a hipocrisia maior acontece porque se trata se um governo que se vangloria por utilizar conceitos de administração, como foco resultados e excência em gestão; até substituiu os nomes dos setores de RH para gestão de pessoas, para estar de acordo com a modernidade técnica. Porém, é tudo papo. Hoje em dia, a administração deve se valer da valorização do seu pessoal, pois ele é o seu bem maior, e o governo cada vez mais denigre seu corpo de funcionários, humilhando-o por aumentos irrisórios que acabam por nem acontecer. TODAS as classes estão descontentes, pelo que parece, só que, na verdade, ninguém está é ligando mesmo.

  • nina diz: 31 de janeiro de 2013

    Mas é claro que a folha vai estourar!
    Os sobre-avisos continua rolando à solta nos hospitais.
    Os funcionários que nada fazem, só ganham altos salários continuam desfilando pelos hospitais.
    Médicos que nunca aparecem nos hospitais continuam recebendo altos salários. Batendo ponto…
    O auxílio-moradia retroativo à 2011 foi aprovado na Alesc, para quem não precisa. Para os Deputados, MP, judiciário etc.
    Os cargos comissionados, ganhando também salários altos aumenta em toda as secretarias. Pessoas incapacitadas. Que nunca fizeram concurso.
    As SDRs, os gastos com as eleições para prefeito…Ufa! passarei aqui a tarde toda e a lista não pára…
    … As regalias dos funcionários da Alesc, que trabalham só à tarde, e ganham 1.000 ou 1.200,00 de auxílio-alimentação.
    Fora os auxilios viagens…
    Ufa, a lista de gastos desnecessários continuam a crescer.
    Os auto-aumentos dos juízes…
    E cadê o dinheiro que vem para a saúde?????

  • Valeria diz: 31 de janeiro de 2013

    Prezado Moacir, este é o quadro dos cargos comissionados da SDR de Blumenau.

    ESTRUTURA ADMINISTRATIVA

    Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional de Blumenau

    Centro Administrativo Regional

    Rua Braz Wanka, 238 – Vila Nova.

    89035-160 Blumenau – SC

    Fone/Fax: (47) 3378-8000/3378-8050

    E-mail: sdr-blumenau@bnu.sdr.sc.gov.br

    Secretário de Estado de Desenvolvimento Regional de Blumenau

    Lúcio César Dib Botelho

    cesarbotelho@bnu.sdr.sc.gov.br

    Diretor-geral

    Alexandre A. Matias

    alexandre@bnu.sdr.sc.gov.br

    Consultora Jurídica

    juridico@bnu.sdr.sc.gov.br

    Assessora de Comunicação

    Aline Soares

    alinesoares@bnu.sdr.sc.gov.br

    Gerente de Administração, Finanças e Contabilidade

    Elianir Marinho da Silva Caminha

    elianir_m@terra.com.br

    Gerente de Gestão de Pessoas

    Alexandra Batista

    alexandrab@bnu.sdr.sc.gov.br

    Gerente de Infraestrutura

    Cleverton João Batista

    cleverton@bnu.sdr.sc.gov.br

    Gerente de Saúde

    regblumenau@saude.sc.gov.br

    Gerente de Educação

    Maria Isabel Porto Paes Schulz

    gereiblumenaugab@sed.sc.gov.br

    Gerente de Assistência Social, Trabalho e Habitação

    Maria Esonita Schmitt

    esonita@bnu.sdr.sc.gov.br

    Gerente de Tecnologia da Informação

    Eduardo Pokrywiecki

    getin@bnu.sdr.sc.gov.br

    Gerente de Turismo, Cultura e Esporte

    Lúcia Detzel

    getce@bnu.sdr.sc.gov.br

    Gerente de Desenvolvimento Econômico Sustentável e Agricultura

    Adriane Bortoleto Vieira Velozo

    adrianevelozo@bnu.sdr.sc.gov.br

    Gerente de Planejamento e Avaliação

    sdr-blumenau@bnu.sdr.sc.gov.br

    Gerente de Projetos Especiais

    Norma t. Dickmann

    normatd@bnu.sdr.sc.gov.br

    Os demais cargos que nao sao poucos, todos com gratificacao de funcao, com salarios superior a 5.000,00.
    Dados tirados da site da SDR e Portal da transparencia.

  • mauricio diz: 31 de janeiro de 2013

    A SOLUÇAO É ACABAR COM OS CARGOS COMISSIONADOS OU SEJA CABIDE DE EMPREGOS, QUEREM COLOCAR A CULPA NO MAGISTÉRIO, RSRSR, INCOMPETENTES, NEM TERMINAMOS O MES DE JANEIRO E JA TENHO UMA LEVE SENSAÇÃO QUE ESSE ANO NÃO VAI SER NADA BOM PARA NOSSO ILUSTRISSIMO PALHAÇO GOVERNADOR E PRINCIPALMENTE PARA NOSSO ESTADO. NAS ELEIÇÕES ERA SÓ SORRISO, HOJE EM DIA EM CADA APARIÇÃO NA TV, ESTA COM FISIONOMIA DE EXTREMO CANSASO, NAO SEI SE TEM FOLEGO PARA IR ATÉ O FINAL.

  • Isabela. diz: 31 de janeiro de 2013

    MOACIR, na ilegalidade o Governo já está, pois não cumpri um aLei que ele mesmo criou.
    Ilegal, e Imoral são suas atitudes,antes de se eleger senador, veio a publico na TV, falar que as SDR era um cabide de emprego, dai num passe de magica teve aminezia, passou para outro lado, se elegeu. Agora ele viu que o cabide segura muita gente, principalmente nas eleições, então vamos criar mais cargos, mais cabides.OS SERVIDORES, QUE NÃO SÃO DA SED, SES, SSP, ESTÃO SENDO ESMAGADOS, ESQUECIDOS, ENROLADOS, SEM FALAR NOS SERVIDORES DA SEF, QUE TEM CONHECIMENTO REAL DO COFRE, DE QTO ARRECADAM, DAI PARA ELES TEM DINHEIRO E TUDO PODE.
    COLOMBO, O POVO, SERVIDORES NÃO SOFREM DE AMINEZIA, COMOVC FEZ EM RELAÇÃO AS SDR.

  • Curió ( de capacete, readmitido do Ibama, indumentária a rigor, camuflado, cantil abastecido com água boa de Santamaro ) diz: 31 de janeiro de 2013

    - Celso… ( naquele tom de acordar uma criança )
    - Celso…
    - Celso… anda, vai trabalhar. Cuidado para não perder o dedo na máquina. Ou a mão, ou o braço, ou a cabeça ou todinho para virar carne moída e fazer almôndegas tipo ” granada “.
    No mais Moacir, não se pode enganar a todos o tempo todo, concorda ? Gráficos ficam obsoletos da noite para o dia, não é verdade, entre natal e ano novo se produz um entrevista. Entre o carnaval e a páscoa parece que o governo dará outra.

  • André Ricardo diz: 31 de janeiro de 2013

    O Governador tem que fazer uma simples conta para colocar a casa em ordem. Pegue um pouco de coragem, e some com seu antigo discurso de que as SDRs eram cabides de emprego, e a conta estará feita. Governador acabe com os cabides de emprego que o senhor tanto alardeou antigamente. Santa Catarina está pior do que o Nordeste, nossa política é o verdadeiro fiasco, aqui só falta o PT no Governo…É a política do toma lá, da cá…. Nossa Santa Catarina não merece isso. Para mim o último Governador que Santa Catarina teve foi Esperidião Amin, depois tivemos negociadores, aproveitadores, pilantras e tudo o que mais podemos imaginar. SC parou no tempo, e o pior todos foram coptados, nem oposição temos mais. SALVE SANTA CATARINA!!!!

  • Cláudio diz: 31 de janeiro de 2013

    DIÁRIO CATARINENSE

    Governo corta recursos e suspende reajuste anual

    Executivo diz que folha está muito próxima do limite prudencial e argumenta que 83% dos servidores receberão aumento

    O governo do Estado vai cortar R$ 1,5 bilhão nas verbas de custeio e investimentos para 2013. O valor representa 28,2% do orçamento dessas duas áreas e 7,6% do orçamento global do ano, previsto em R$ 19,3 bilhões.

    A medida foi necessária, segundo o secretário da Fazenda, Antonio Gavazzoni, porque o orçamento deste ano foi feito com uma previsão de aumento de arrecadação de 7% e em janeiro esse crescimento só alcançou 4%. Segundo o secretário, o corte é uma ação de cautela e, dependendo do aumento da arrecadação ao longo do ano, mais recursos serão liberados.

    O governo catarinense está em alerta por conta dos gastos com a folha de pagamento dos servidores. No ano passado, o percentual gasto com salários alcançou 46,46%. Caso esse valor chegue ao limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), de 46,56%, o Estado perde transferências de recursos da União.

    Para este ano, a previsão da Fazenda é de que folha tenha 5,45% de crescimento vegetativo (aumento automático referente a direitos adquiridos dos servidores).

    Educação, Saúde e Segurança terão aumentos já negociados

    Pelas projeções do governo, a folha terá um acréscimo de R$ 800 milhões neste ano e mesmo com aumento da arrecadação de 7,5%, os gastos poderão ultrapassar os 46,56% da LRF.

    Para reverter esse quadro, Gavazzoni aposta em duas medidas: fiscalização contra a sonegação de impostos. e aquecimento da economia com investimentos financiados do Pacto por SC. A meta do secretário é chegar a 16% de aumento na arrecadação.

    Com esse cenário, o governo não fará o reajuste anual dos servidores com data base em janeiro. O secretário de Administração, Derly Anunciação, argumenta que 83% dos 133 mil servidores são das áreas de Educação, Saúde e Segurança Pública, que receberão aumentos já negociados. Na Educação, houve o aumento do piso nacional. Na Saúde, os servidores receberão o referente ao acordo da greve de 2012 e na Segurança Pública há uma negociação de incorporação de abonos, feita em 2011, que garante aumentos aos servidores até 2014.

    Derly diz ainda que, entre os servidores que não são destas áreas, parte terá aumentos pelo crescimento vegetativo e apenas cerca de 7,6 mil servidores não receberão nenhum reajuste.

  • Marina Schiarevon diz: 31 de janeiro de 2013

    Por que determinados castas de agentes políticos já bem remunerados tem todo tipo de vantagens e os servidores do executivo sempre são esquecidos? será que membro do judiciario, MP, ALESC, TC, procuradoria do estado realmente necessitariam do malfadado auxílio-moradia concedido no apagar das luzes de 2012?

  • luiz antonio rufino diz: 31 de janeiro de 2013

    a situaçao mostrada e que esta sendo debatida , em nosso estado vergonha e uma , que ando descumprem a lei que eles mesmos aprovaram que foi a data base dos servidores , toda esta situaçao nos repugna e aborrece apartir do mkomento que a lei so exista para classe minoritaria deste estado , o estado nao esta em situaçao calamitosa em funçao dos servidores mais sim devido as estruturas que criaram e hoje nao existe a menor hipotse em acabar devido aos acordos politicos , que o ministerio publico e tribunal de justiça façam alguem cumprir a lei .

  • Ana diz: 31 de janeiro de 2013

    Oh, coitado!!! Inventa cargos e mais cargos comissionados e depois se assusta com a folha!
    Em algumas escolas há assessores de direção se esbarrando pelos corredores, e haja incompetência!!!!!

  • Anderson Luis diz: 31 de janeiro de 2013

    Responsabilidade fiscal deve estar no vocabulário de qualquer GOVERNO SÉRIO.
    Contudo, um Estado que paga R$ 4.300 retroativos a mais de um ano (e livre de impostos) para o alto clero. Isso não pode ser, de maneira nenhuma, sério.
    Gostaria que algum deus magistrado (que também recebeu esses 4.300) declarasse também o quanto ganhou na fanfarronagem do judiciário ao final do ano!!!
    Pergunte também a um soldado da polícia ou do corpo de bombeiros o valor do seu auxílio alimentação: uma vergonha!!!
    O executivo que fique sem aumento, pois as benesses já foram distribuídas àqueles que o governo teme! Aliás, todos temem, pois têm a caneta na mão e determinam o que bem entendem. Viva a ditadura desse pessoal.

  • Jorge Eriberto diz: 31 de janeiro de 2013

    Prezado Jornalista Moacir, lendo todas as opiniões dos leitores, porque ninguém comentou enquanto aumentou os custos do Estado com o auxílio-moradoria de R$ 4.800,00 aos pobres funcionários públicos, com salários baixíssimo?
    De onde vem a receita para estas despesas?
    Quanto esta vergonha, poderia ajudar na folha de pagamentos dos funcionários públicos?
    Obrigado
    Jorge

  • Deni diz: 31 de janeiro de 2013

    Vim com tudo reclamar, mais já fizeram isso com muita sabedoria! Não tem mais nada a acrescentar.

  • Eliana diz: 31 de janeiro de 2013

    É só acabar com as secretarias regionais que sobra dinheiro!!!

  • Fernando diz: 31 de janeiro de 2013

    Raimundo Colombo conseguiu a façanha…

    PIOR QUE TÁ FICA!!!

  • Maria PROFESSORA diz: 1 de fevereiro de 2013

    Sr. Moacir! Nos funcionários, eleitores e “carregadores de piano”, que pagamos imposto, estaremos sempre aqui, servindo corretamente o Estado como legítimos servidores, o contrário dos “cabideiros e pelegos de plantão”. O SENHOR sabe, com certeza, o que é fazer “vaquinha” para comprar merenda para os alunos? Com certeza os que ocupam cargo comissionado e não são funcionários de carreira não sabem o que é isto, crianças com fome nas escolas. Parece “piada de mau gosto”, mas ocorre em SC. Gostaria que os nossos digníssimos representantes fossem, não no discurso, mas de “corpo presente” na cardiologia do Regional, na ortopedia do Celso, e ainda que “de olhos abertos” acompanhassem uma cirurgia para ver o tempo que estes profissionais ficam de pé para salvar vidas. Ou que acompanhassem em uma “ambulancioterapia” pais com uma criança com câncer vindo do interior do Estado ate a CAPITAL e retornando ao se local de moradia no mesmo dia e sem tratamento e/ou consulta e/ou medicação. Fato verídico divulgado na mídia. Pois bem, são estas pessoas que são obrigadas por lei a votar, caso contrário perdem direitos, alem dos que já não possuem, como: fazer concurso, fazer documentos entre outros direitos.
    Estes cidadãos de SC saírem de suas casas, no dia da eleição, para votar nestas pessoas que juraram que “sua prioridade” seriam :” primeira, segunda e terceira prioridades” as pessoas, que realmente precisam da presença do Estado. O resultado foi um verdadeiro estelionato eleitoral, pois as citadas prioridades eram na verdade “ajudar” as pessoas que iriam apropriar-se e servir-se do Estado: “cabideiros”, comissionados, “Aspones”, derrotados em eleições e beneficiários de gratificações, entre outros “parasitas de plantão”. Tudo em nome do próximo pleito, e o povo…

  • CleresvAlberto Steffens diz: 1 de fevereiro de 2013

    QUE O GOVERNO,AO INVÉS DE RECLAMAR DA BAIXA RECADAÇÃO,ALEGANDO NÃO PODER AUMENTAR SALÁRIOS DOS PROFISSIONAIS DA SEGURANÇA,EDUCAÇÃO E SAÚDE,BEM COMO MELHORAS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS,QUE REDUZA OS REPASSES PROS DEMAIS PODERES (LEGISLATIVO E JUDICIÁRIO) POIS TODO ANO É A MESMA HISTÓRIA,ESTES PODERES NÃO ESTORNAM PARA O EXECUTIVO,COMO FAZEM AS CÂMARAS DE VEREADORES,MAS DIVIDEM ENTRE ELES.VERGONHO,REDUZA O REPASSE COLOMBO,NÃO FAZ PARA NÃO HAVER ENTRAVE POLÍTICO.COLOMBO NÃO DECOLOU AINDA SEU GOVERNO.TÁ FEIO MESMO.RENOVAÇÃO PRÓXIMO ANO.

  • Lidiane diz: 1 de fevereiro de 2013

    O Sr Governador está na onda do NÃO.
    QUALQUER EMPRESA DE QUALQUER CIDADÃO têm que pagar na data base, e o governo faz o que bem entende?
    Sou empresária, e fico solidária com o funcionalismo estadual.
    QUE VERGONHA!!!!!!!!!!!
    E A LRF para quem não faz as contas direitinho, e não sabe os compromissos que têm para saldar?
    Esse é o exemplo!!!! Assim como têm prefeitos que terminaram os mandatos, foram reeleitos mas esqueceram de pagar os fornecedores do que deviam no mandato anterior, O MP QUE FAÇA UMA VARREDURA NAS PREFEITURAS DO MEIO OESTE.

  • Intelectus Ligadus diz: 1 de fevereiro de 2013

    Onde andará A N G E L A ?
    Dois: Nada como uma boa pergunta.
    As castas servem para a discricionalidade, a opressão de uns extratos sociais sobre os outros, numa linha vertical. No popular é dito assim: O comandante é mandado pelo regência parda; o Regência oprime o Comandante, que oprime os chefes, que oprimem os chefetes, que oprimem os chefes regionais, que chutam os dos setores, que chutam os diretores, que chutam os funcionários, que chutam as mulheres e filhos, que chutam os homo afetivos e os cachorros. Não leve ao pé da letra que a coisa é mais complexa e tem vários tipos de castilhas entrelaçadas para não dar na vista.

  • Dirce Salete Fritzen Rech diz: 3 de fevereiro de 2013

    Sei a receita para diminuir os gastos da folha de pagamento: Que tal começar fechando algumas SDRS, ou quem sabe, todas, já que até agora não pude perceber para que elas vieram .

  • Helio José Mendonça diz: 5 de fevereiro de 2013

    Feche as SDR, que de nada serve, esse modelo esta servindo só para eleger políticos da base e da base aliada é uma questão de respeito que o magistério publico estadual merece. Elimine as gorduras de pessoal , como acessores de direção em excesso, dentre outras situações, tais como a grande quantidades de acessores na ALESC. Obervação. Para oferecer um mínimo de respeito, não estou falando aqui do montante das percas do magistério. Porque o que esta na tabela oferecida pelo governo é com certeza falta de respeito.