Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Educação em Blumenau: novo desabafo

28 de fevereiro de 2013 28

“Bom dia Moacir!!
Venho expressar minha indignação sobre as propagandas veiculadas pelo governo do estado de SC sobre o “suposto” pacto pela educação. Sou professora concursada há 9 anos na rede estadual de educação, no município de Blumenau.
Como faço parte da educação, posso afirmar que este pacto é uma ilusão, é uma enganação para a população que pouco sabe o que se passa no sistema educacional de Sc e do Brasil. Dizer que os professores de ensino médio receberão Tablets e as escolas lousas digitais e que estão sendo reformadas para receber os alunos neste ano é pura enganação. Afinal quantas escolas estão sendo reformadas? Isso o governo não fala. Qual a verdadeira necessidade de termos Tablets e Lousas digitais se nossas escolas estão caindo aos pedaços, há goteiras, janelas e banheiros danificados por vandalismo ou mau uso dos alunos.
A maioria das escolas não estão adaptadas para receber alunos com deficiência física, digo isso, pois na escola que trabalho há uma aluna no sexto ano que tem paralisia e anda em cadeira de rodas e não há fraldário. Além disso, ela precisa de uma professora que a acompanhe e faça as trocas de fraldas e até agora não foi contratado ninguém para fazer esta assistência. É a mãe da aluna que por enquanto vem à escola e faz a troca.
O governo estadual mandou no ano passado 8 aparelhos de ar condicionado, foi providenciado a instalação elétrica necessária e até agora nenhum ar condicionado pode ser ligado pois é preciso que a Celesc instale um transformador no poste para suprir toda a energia. A escola tem 25 salas de aula, sendo que na maioria o Sol bate diretamente dentro das salas, com esse calor que faz nessa época do ano. Imagina o que os alunos e professores passam para poder dar aula e conseguir a atenção dos alunos? E o governo querendo fornecer Tablets para os professores? Sendo que esses equipamentos serão do patrimônio da escola e somente emprestados aos professores, se quebrarem cada um é responsável e deverá arcar com as despesas.
Por que faltam tantos professores na rede estadual? Provavelmente devido aos baixos salários e a falta de reconhecimento desses profissionais. Quem hj em dia vai querer se submeter a essas condições? Como o próprio governador falou “professor que trabalhe por amor”.
O reajuste que o governo está prometendo desde o ano passado não passará de R$90 para a maioria, sem contar que não pagará retroativo ao ano anterior nem a janeiro deste ano.
Enquanto isso o governo paga as contas de viagens aéreas dos deputados e os diversos auxílios.
Este é o Pacto pelo Educação que o governo está veiculando na midia.
Obrigada, Emanuelle Maas.”

Comentários

comments

Comentários (28)

  • Emir Agostini diz: 28 de fevereiro de 2013

    Li na internet esta semana,temos alunos que ainda não entraram em sala.Viva o pacto pela enganação.

  • João diz: 28 de fevereiro de 2013

    Concordo com a professora esses tablets são uma enganação, existem coisas infinitamente mais urgentes de que as escolas precisam.

  • Edinan Dourado diz: 28 de fevereiro de 2013

    É pura verdade o que você disse Emanuelle. Eu falo porque trabalhei no Estado por 8 anos. há muita contradição e incoerência na política educacional. Eu não sei em que mundo vive os funcionários do governo que “gerenciam” a educação. Onde prioridades são deixadas de lado. A educação estadual está em crise. Qualquer pessoa sensata sabe disso. Infelizmente as coisas são resolvidas de cima pra baixo. Há muita coisa a ser feita. O discurso “pacto” é bonito, quero ver é resultados de verdade. Precisa debater, discutir muito e propor soluções reais para melhorar a educação de verdade.

  • angela diz: 28 de fevereiro de 2013

    EMANUELLE.

    VOCÊ ESTÁ COM TODA RAÇÃO!!!!!!!!
    ESSES PACTOS CRIADOS PELO PT, NADA MAIS É QUE DESVIAR DINHEIRO PÚBLICO!!!!!!!!!!!
    FAZEM PROPAGANDA DE UMA NINHARIA E O RESTO SOME!!!!!!!!!!!
    TABLET E LOUSAS ELETRÔNICAS, NADA MAIS SÃO QUE COMPRAS SUPERFATURADAS!!!!!!!!!!!!
    CUSTAM SEMPRE MILHÕE$$$$$$$$$$$$$$$.
    ELES AINDA ACHAM QUE ENGANAM!!!!!!!!!!!!!!
    O PIOR DE TUDO É QUE NÃO HÁ MAIS QUEM NOS PROTEJA . ESTÃO TODOS UNIDOS NA QUADRILHA E A JUSTIÇA ESTÁ SENDO BEM PAGA PARA NÃO FAZER NADA!!!!!!!!!!!!
    SÓ CONDENAM!!!!!!!NINGUÉM VAI PRESO NEM DEVOLVE!!!!!!!!!!!

  • nina diz: 28 de fevereiro de 2013

    Sou da saúde e venho acompanhando os acontecimentos! Hoje mesmo, a mídia mostrou o pacto por Sc na Educação. Quem vê, acredita!
    É mentira atrás de mentiras para a população.
    No hospital que trabalho, nada melhorou!
    E o Governador em Joinville inaugurando uma mega indústria da GM. Gostaria de saber quem financiou aquela obra, que se diga, do melhor para os funcionários. Só tem elogios, pois ficou maravilhosa…
    Não estou criticando a GM ser em SC, mas deve-se saber em que circunstâncias ela vem para SC e qual o ganho real para SC…
    Pois o Governador da BMW e das pistas de corridas não está nem aí para a população. Educação é primordial ser de primeira para acabar com a criminalidade. Saúde é imprenscindível para a população e veja como está: De mal a pior…
    Faz tempo que a maioria das pessoas aqui se manifestam sobre este mesmo assunto. E enquanto o Governador e sua turma preocupados com suas pompas e com seus ganhos…
    Mas, vamos insistir, algumas coisas estão mudando…

    Nina

  • Rosane melz diz: 28 de fevereiro de 2013

    Sem falar que ao mesmo tempo que anuncia este IMPACTO NA EDUCAÇÂO, retira os vigilantes da maioria da escolas em nome da economia, sendo assim. há grandes chances dos novos e salvadores equipamentos serão furtados.

  • Ilha da baderna diz: 28 de fevereiro de 2013

    Esse “governo” fez um pacto, acho eu, foi com o diabo e não por Santa catarina. Por que ele não “governa” por amor ganhando o que ganha um professor, policial e um enfermeiro ? A política é a arte de enganar o povo, estão todos no mesmo saco. Ela ( a política ) age assim, colocam um farmaceutico para cuidar de um açougue, um peixeiro para cuidar de frutas e verduras e um agricultor para cuidar de peixes. Assim fica complicado, faz propaganda enganosa para cobrir a incompetencia. É lastimavel !!

  • Ines diz: 28 de fevereiro de 2013

    Sra.Emanuelle Maas,Parabéns!! Todos deveriam fazer o que a senhora esta fazendo.Denunciar!!!
    Devemos aguardar o que sera feito.Tudo isto é uma falta de respeito aos nossos filhos,familias e professores.

  • Rute Miriam Albuquerque diz: 28 de fevereiro de 2013

    Minha querida companheira de labuta, infelizmente a realidade que você descreve já está quase desbotando de tanto que é mencionada POR TODA A SANTA CATARINA.
    Aqui na capital, então…é de doer!
    Penso que o Moacir, com sua desenvoltura política e acesso privilegiado devido a sua profissionalidade poderia nos auxiliar na busca por algumas respostas:
    1. quanto custou esta campanha na mídia, para enrolar os votantes catarinenses?
    2. qual a empresa responsável pela campanha?
    3. nas vinhetas que vi, pela televisão, em horário nobre, há o registro de que sertão distribuídos 500 mil kits. Para quem e quando, pois se ninguém avisou ao Governador, as aulas já começaram!
    4. Em minha escola NÃO TEMOS sinal de internet, desde o ano passado. Sala há, com professor recebendo, ar-condficionado ligado, mas SINAL, nada. Desde o ano passado! Alguém sabe fazer mágica para que a internet possa ser usada sem que se tenha sinal?
    Pois é!
    Agradeço a Deus por termos este espaço aqui, de terapia de grupo. Poupamos ansiolíticos. Porque chegar em casa e ter que pensar sobre nossa situação, é de chorar! Ou melhor: de continuar o choro porque hoje saiu o pagto. SAIU é mesmo muito apropriado. Se alguém souber quando ele volta, avise, por favor. Vinte e cinco anos de dedicação e meu vencimento não soma três salários mínimos. Governador, tenha a mínima vergonha antes de propor pactos.

  • Giffoni diz: 28 de fevereiro de 2013

    Certo dia, caro Colunista, alguém teria perguntado ao banqueiro Joseph Safra se ele concordava com o ditado popular que diz que um negócio só é bom se for bom para os dois. Respondeu de pronto: sim, claro, o negócio só é bom quando é bom para mim e para o meu irmão Edmund. Portanto, de onde os raimundianos “impingiram” a palavra “pacto” nessa história da educação? Pacto, sabem as ostras e os dicionários, significa o de acordo por parte de todos os lados envolvidos, no caso: governo, professores, servidores, alunos e pais dos alunos, ou seja, toda a comunidade. Então, como chamar de “pacto” algo imposto de cima para baixo, sem qualquer participação dos demais envolvidos? No caso, o “pacto” serve apenas para, mais uma vez – e como sempre, evidenciar o totalitarismo com que os demarenistas raimundianos de carteirinha entendem tratar a população em geral. Zero vezes zero. Lastimável.

  • Professor diz: 28 de fevereiro de 2013

    Emanuelle,

    Todos nós professores sabemos isso, o governo não cumpre a lei e mascara as informações para que o povo fique contra nós. Pena que a imprensa não faz uma investigação bem a fundo para ver o que é verdade e o que é mentira e divulgue isto em grande escala para que todos saibam. Nos sentimos como atolando na areia movediça, sozinhos, ninguém nos socorre, e o governo diz que estamos muito bem e felizes!
    Abraço.

  • Pedro Alves de Oliveira diz: 28 de fevereiro de 2013

    O pior de tudo é que ela está certa. Isto é vero!!!É um abandono da Educação Pública “Por toda a Santa Catarina” Com esse salario os profissionais estão anestesiados.

  • marcelos becker diz: 28 de fevereiro de 2013

    boa noite!
    Este “pacto pela educação” vai surtir o mesmo efeito que uma gota de água jogada no oceano, não muda nada, a realidade vai ser a mesma e o buraco que estão enfiado a Educação e cada vez mais fundo. E ainda falam em educação de primeiro mundo. É piada de mal gosto.

  • Antônio Carlos S. Souza diz: 28 de fevereiro de 2013

    Depois de ver o nível das várias manifestações dos professores e seus sindicatos, depois de ler e entender as notas e respostas de notas sobre a educação e os servidores, tenho muito claro que o radicalismo dos professores e seus sindicatos não permite quaisquer diálogo ou negociação voltados pro entendimento e soluções.

  • marcelocardosodasilva diz: 1 de março de 2013

    …ÔÔ que “represente” à decisão do STF sobre ÔÔ “TEMA” (Piso Salarial Nacional e ÔÔ 1/3 de Hora-Atividade do Magistério Público Catarinense) para os “senhores” do DESgoverno columbiforme na “ERA” da tripa de porco(Digo “TRIPA-ALI”ança)???………….Dia 05 de março de 2013; Assembleia Geral do Magistério Público Catarinense!!!

  • Ines diz: 1 de março de 2013

    Sr.(a),Ilha da baderna,concordo plenamente com suas afirmações.Em relação ao PT ter feito pacto com o diabo,pois documentando-me,sabe-se que o “guru” do PT é o fugitivo lider da iurd.Disse tudo!!
    Quanto a educaçao?Todos os brasileiros sabem que o lula frequentou muito pouco a escola e trabalhou muito pouco na sua vida.A Dilma não sei.Mas seria interessante verificar o Curriculum Vitae e biografia destas tres pessoas,acima mencionadas.Não sei os ministros,mas sei que estas pessoas deveriam ter um salario como qualquer outro trabalhador.Quanto dinheiro esbanjado para nada e se o PT faz o que faz sem saber é que deve respeitar um pacto pois ja foi chamada a sua atenção.Espero do fundo do meu coração que os brasileiros,todos independente da classe social,consigam acabar com o PT.E para que isto aconteça deverão elaborar uma lei ou normativa para acabar com os falsos profétas,pois estes ja foram denunciados por obrigar os fiéis a votarem no PT.Desde quando a igreja se envolve com a politica?Isto somente acontece no Brasil?Este tipo de coisas os brasileiros devem combater com força.

  • aderbal diz: 1 de março de 2013

    Do que adianta se lamentar e não lutar, professor é cada um por si, ninguém por todos, parem de chorar e levantem suas bundas da cadeira e vão as ruas, mobilizem-se, revolucionem-se !!

  • Helena Rubenstain diz: 1 de março de 2013

    Sou oxigenada. Ok. Chamam-me de loira burra. E daí, o que vou fazer. Mas para designorar a Angela tenho a explicar o seginte, que ela misturou a propósito: PAC = programa de aceleração do crescimento, da Dilma… Pacto é coisa do Colombo e sua equipe especializada. De pacto em pacto a galinha pega os ovos de ouro dos marrecos. Mas essa confusão também é induzida por eles que recebem os recursos federais e colocam na televisão a nossa bandeirinha tremulante sem citar a fonte de recursos, como coisa que estivessem fazendo algo extraordinário. Sou burra mas não tanto.

  • Ines diz: 1 de março de 2013

    Sr.aderbal,tens toda a razão,mas desta vez a manifestação deveria ser feita por professores,alunos e seus genitores.Todos juntos para reinvindicar o que é necessario para uma escola funcionar com segurança.
    Segurança em todos os sentidos e para todos aqueles que devem frequentar uma escola.(não entendo os salarios),mas a segurança em si.A união faz a força!!!

  • Francamente diz: 1 de março de 2013

    Antônio Carlos e Aderbal vocês dois com certeza não são professores! Se fossem não estariam zurrando nos comentários!

  • Rosemery Mts diz: 1 de março de 2013

    Na verdade, este descaso é com todos os funcionários da saúde, segurança e educação.

    Estamos vivendo um engodo político, com falsas promessas, a fim de se manter no poder até abril de 2014 o atual governador, quando provavelmente ele sairá para disputar a reeleição. E a bomba vai ficar com Vice do PMDB.

    Tenho uma opinião bem clara em relação estas classes que formam o tripe do Estado, ou seja, não somos importantes, alias, somos, como os demais cidadãos do Estado, em época eleitoral.

    Investimento são importantes e necessários, mas, tem coisas que são ridículas em termos de aquisição, tendo outras necessidades, uma delas e resgatar a dignidade salarial desses profissionais.

    Tá na hora do Estado dar prioridade para o que efetivamente é prioridade.

    Alias, o que é prioridade para o Governo?

  • Dirceu Edmilson Theiss diz: 2 de março de 2013

    “As escolas que têm um plano pedagógico ruim usarão a tecnologia (qualquer que seja ela) para fazerem o seu trabalho de forma ainda pior, pois a tecnologia não conserta nada, não inventa consistência para um programa de baixa qualidade educacional. Ela apenas potencializa o que existe. Se o plano pedagógico da escola é fraco e desconexo, o uso da tecnologia avançada o tornará ainda mais desconexo e inconsistente. Só que agora com uma aparência de modernidade.” (DE ALMEIDA, Fernando José; FONSECA JÚNIOR, Fernando Moraes. Proinfo: Projetos e Ambientes inovadores/Secretaria de Educação a Distância. Brasília: Ministério da Educação, Seed, 2000. p. 11).

  • Ines diz: 3 de março de 2013

    Mas a coisa mais estranha e egoista é que todos os funcionarios publicos fazem sua greves para si.Nunca vi ou ouvi que tenham feito greves para pedir que melhorassem o ambiente de trabalho com manutenção,segurança e coisas varias.Nas escolas,nos postos de saude,hospitais,presidios,delegacias e por ai a fora.Lembram apenas de seus salarios e de suas carreiras.Mas se filmasses,fotografassem e enviassem tudo e mais aos orgãos competentes ou a um jornal ou diretamente ao ministro da educação?Mas com certeza isto não diz respeito a eles(funcionarios publicos).

  • Rute Miriam Albuquerque diz: 3 de março de 2013

    Querida Inês, com certeza você não tem visto muita televisão aberta ultimamente, não é?
    Denúncias, denúncias, de pais, mães e outros…a todo momento. Muitos deles são, inclusive, professores. Ou você é daquelas que pensa que professor é outro ser, de outro planeta, que não casa, não administra casa, não tem conta para pagar?
    Se você se desse ao trabalho de acompanhar os acontecimentos da cidade, ou ler o livro do MOACIR PEREIRA que conta a histórica greve dos professores no ano de 2011, com certeza você não teria se exposto da maneira que fez. Quando lutamos por educação, mesmo que isto signifique ir às ruas e PARAR de atender alunos, temporariamente, mas continuar ENSINANDO toda a sociedade, sempre elencamos todos os elos da grande corrente chamada educação. É verdade que um dos elos, de responsabilidade do GOVERNO, está partido faz tempo. Mesmo assim, tentamos remendar. Se pensássemos só em nós mesmos e nos nossos salários, a primeira coisa que faríamos seria partir para a iniciativa privada. Muitos de nós somos professores excelentes. Ah! isto também está registrado no livro do Moacir, que, além de relato jornalístico, contém pesquisa. Estamos acostumados a repetir lições, a isto chamamos recuperação paralela. E sempre apostamos que há jeito!

  • Ines diz: 3 de março de 2013

    Sra.Rute Miriam Albuquerque,minha intenção não é de forma alguma ofender qualquer pessoa que seja.Disse apenas que nas greves feitas deveriam,também expor o péssimo ambiente de trabalho,como por exemplo a falta de manutençao etc.Somente isto!!Quanto as noticias do Brasil,eu leio nos jornais brasileiros online e o livro do sr.Moacir Pereira.Poderias me dizer onde posso encontra-lo no exterior?Apenas pelo fato de não morar mais no Brasil a mais de vinte anos.E a todos os funcionarios publicos brasileiros,que lutam por um Brasil melhor,mais justo,mais honesto e menos egoita.Parabéns!!!

  • Ines diz: 3 de março de 2013

    Desculpem,mas meu comentario acima foi por este motivo abaixo:

    Com a desastrosa volta à escola na rede pública estadual de Santa Catarina, com crianças tendo de voltar para casa, porque as escolas estavam caindo aos pedaços, foi um tanto irônico que ao mesmo tempo fosse assinado pelo nosso governador o “Pacto pela Educação”. Espero, claro, que o pacto seja cumprido, pelo bem da educação falida em nosso Estado. Nesse documento, entre outras coisas, consta a entrega de mais de 11 mil tablets para os professores, e não posso deixar de lembrar a promessa de investimento de mais de cento e oitenta milhões de reais,pelo governo federal, em tablets para as escolas públicas brasileiras. Coisa que não foi cumprida, como prometida, no ano passado. Os tablets deste ano, que entraram no pacto aqui em Santa Catarina, são a distribuição do que o MEC tinha comprado, como foi divulgado? O Estado está se apoderando de promessas do governo federal?

    É até promissora a possibilidade de se colocar computadores nas nossas escolas de primeiro grau, pois as novas tecnologias, aliadas à internet facilitam o acesso à informação e, consequentemente, ao aprendizado, à aquisição de conhecimento.

    Mas além da incerteza de que esses aparelhos apareçam, realmente, nas escolas, – os notebooks, de outro programa, bem mais antigo, até hoje foram entregues apenas a pouquíssimas escolas brasileiras – há o fato de que a educação pública está falida. Algumas escolas estão desabando, sem manutenção há anos, em muitas delas não há equipamentos indispensáveis para os alunos assistirem às aulas e para o professor ministrar as aulas e os professores recebem salário aquém do que merecem para a nobre missão que eles têm, de educar nossos filhos e prepará-los para a universidade e para a vida.
    O início do ano letivo, aqui em Santa Catarina, está sendo um caos, pois o Estado não vinha fazendo manutenção em várias escolas e muitas delas foram interditadas, por absoluta falta de segurança para alunos e professores. E o mesmo Estado não usou os meses de férias escolares para fazer reformas,recuperar as escolas em estado precaríssimo. De maneira que as aulas começaram e muitos alunos tiveram que voltar para casa, pois não havia escola para eles estudarem.

    É claro que tecnologia é importante e ela pode ajudar na eficiência da educação, se for bem usada. Mas não seria mais racional se o dinheiro que seria usado para a compra dos tablets (e mais tantas outras coisas que se compram a preço de ouro pelo poder público) fosse usado para pagar melhor os professores e para reformar as escolas que estão desabando, por absoluta falta de manutenção de quem tem que garantir a educação para a população? Precisamos de lugares decentes para ensinar nossas crianças, precisamos de ambientes seguros para transmitir-lhes conhecimento, sem o que é inútil colocar em suas mãos ferramentas tecnológicas de última geração. E para isso precisamos de boas escolas, equipadas e com professores capacitados”, remunerados com salários justos e em número suficiente. O “pacto”, assinado para apaziguar os ânimos em meio à crise da segurança e da educação, promete recuperar as escolas sucateadas. Esperemos que isso se cumpra em curto espaço de tempo.
    Por Luiz Carlos Amorim – Escritor

  • Rute Miriam Albuquerque diz: 3 de março de 2013

    Querida Inês, muito interessante saber que mora fora do País há mais de vinte anos e não perdeu o interesse. Não me senti ofendida, apenas IMPELIDA a responder. Agora dá para entender porque sua manifestação. Mas acredite: tudo o que foi televisionado no início da volta às aulas deste ano de 2013 vem sendo DENUNCIADO, por favor, veja bem a palavra que utilizei: denunciado há pelo menos três anos. No caso específico da escola onde atuei, isto é ainda mais antigo. Quase dez anos! E nestas denúncias incluímos: fotografias, dossiês, laudos de profissionais, presença de comitivas de pais, mães, alunado e professores nas secretarias regionais de desenvolvimento…Ufa! Só de lembrar de toda nossa via crucis cansa. E ouvir estes engravatadinhos dizerem em rede nacional (e pelo visto: internacional, pelo seu depoimento!) que não sabiam de nada é INACREDITÁVEL, chegamos a ter náuseas por tanta nojeira.
    É, Inês. Por aqui não está muito fácil. E ainda sofremos com a manipulação das informações. Os canais de tv aberta só noticiam o que é permitido. Claro que ninguém vai assumir isto, não é mesmo?
    Mas quem circula pela cidade sabe qual é a realidade e qual é a camada da realidade que é possível ser mostrada. Infelizmente, temos vácuo em nossa cultura. Fomos, ao longo do tempo, sendo treinados a acreditar que o que vinha da tv era A verdade. Ainda bem que sou professora – apesar dos governantes – e ainda posso construir com meus alunos uma visão menos entorpecedora dos acontecimentos. E para isto não há salário ou piso nacional que pague. Minha consciência não tem preço. Graças a Deus que meu instrumento de trabalho é a minha voz.
    Ah! Já ia me esquecendo: se você entrar em contato comigo por e-mail, faço questão de te mandar um exemplar do livro do Moacir. É uma história linda, linda e merece ser contada até no exterior. Já te adianto que o final NÃO É FELIZ. Porque nossa luta por educação pública de qualidade ainda não terminou. Meu e-mail é: jurematurmadarute@yahoo.com.br

  • Ines diz: 3 de março de 2013

    Sra.Miriam Albuquerque,como expliquei todos os meus comentarios são baseados nos artigos e reportagens que leio.Mesmo não morando mais no Brasil,me interesso em saber o que ali se passa e fico apavorada!!Apavorada principalmente pela falta de segurança geral!!Apavorada por não terem informado a classe mais modesta do nosso pais de que o voto não deve ser vendido,negociado etc.E malditamente o PT transformou nosso pais em um campo de guerras na politica e na fé das pessoas.Apavorada!!Pois matam as pessoas como formigas!Apavorada!!Porque,parece que a vida não tem mais valor!!Apavorada!!Porque bandidos,corruptos,falsos profétas etc,etc,tem mais valor e são protegidas por um sistema podre.Mas amo o meu pais e todas as pessoas honestas,independentemente da classe social.
    Quanto ao livro.Agradeço infinitamente pela sua disponibilidade,mas pedirei a um familiar meu compra-lo e envio-lo.Desculpe se a ofendi com alguma palavra e muito obrigada!!