Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

A defesa da merenda terceirizada

31 de março de 2013 6

O Sindicato das Empresas de Refeições Coletivas de SC contesta a proposta do PT de eliminar a terceirização da merenda escolar na rede pública. Tem pesquisa que indica 90% de aprovação do método entre diretores da escolas estaduais.

Comentários

comments

Comentários (6)

  • Emir Agostini diz: 31 de março de 2013

    Diretores atualmente não decidem nada.Não possuem personalidade própria.Uns lambe botas do Governo.Não aprovam nada,a ordem vem de cima.Só batem palmas,mesmo a contra gosto,muitas vezes.Do contrário demissão sumária.Os cordeiros do sistema vigente.

  • José Germano Cardoso diz: 31 de março de 2013

    Muito pelo contrário !!! Quem prometeu acabar com a merenda terceirizada foi o Govermador !!! E que também até agora não cumpriu a palavra !!!

  • César diz: 31 de março de 2013

    É lógico que os diretores aprovam, afinal a comissão vai para quem?

  • wagner gonçalves diz: 31 de março de 2013

    Os diretores aprovam???? E não aprovem, para ver……

    90% é baixo o índice.

  • Luciano diz: 1 de abril de 2013

    É compreensível que os diretores de escola sejam favoráveis a terceirização da merenda escolar. É um problema a menos para eles terem que lidar e se algo não funciona direito, é só telefonar para alguém e reclamar. Fora isto, vamos ver o que temos: O preparo das refeições e lanches são feitos no local onde são servidos, o que de certa forma tanto pode evitar desperdício quanto ajudar a encher a bolsa ou mochila de alguém após o expediente, e além disso, as licitações ´públicas são sempre uma incógnita quanto a lisura dos processos e honestidade dos concorrentes, dos vencedores e que quem abre as propostas.

  • Daniel – Laguna diz: 1 de abril de 2013

    E diretores representam o que?
    É lógico que querem, pois o columbiforme quer.
    Terceirização, significa ganhos para alguns.
    Um partido liberal adora terceirizar.
    Primeiro instala o caos e depois terceiriza.