Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Judiciário pós-graduado

31 de março de 2013 3

Tribunal de Justiça está investindo 0,8% de seu orçamento na formação e aperfeiçoamento dos magistrados. Atualmente, 20% deles têm mestrado: 88 entre os 460. O diretor do Centro de Estudos Jurídicos, desembargador Pedro Abreu, programou para até 2017 mais cinco pós-doutores, 20 doutores e cem com mestrado.

Comentários

comments

Comentários (3)

  • Nicolau diz: 31 de março de 2013

    Interessante… mas em miúdos esses 0,8% do orçamento do Judiciário dá quanto mesmo?

  • Giovan Nardelli diz: 31 de março de 2013

    Considerando o orçamento do próprio judiciário, com 0.8 % poderiam abrir uma faculdade ou quiçá uma universidade, sendo que os magistrados beneficiados com essa benesse poderiam lecionar gratuitamente para a população, especialmente servidores do próprio judiciário, promotores e advogados, vez que o orçamento do judiciário deve ser gasto para benefício da coletividade. Grato pelo espaço.

  • Giffoni diz: 1 de abril de 2013

    Sabem as ostras, inclusive as contaminadas (em que pé (?) estão?), que mestrado é educação estrito senso, ou seja, do todo de que necessita o magistrado para bem atender à sua jurisdição, extrai-se menos de 0,8% do conhecimento para dissertação específica e restritiva: ou seja, não serve para nada, nem auxilia o magistrado em sua formação. Mera pirotecnia acadêmica difundida em “mundinhos” de faz de conta. Melhor seria gastar dinheiro obrigando os magistrados a se manterem – sempre e sempre – devidamente atualizados quer com os avanços jurídicos, quer em relação à suas educações gerais e globalizadas. Pobres dependentes de tais jurisdições…