Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Hospitais: o desabafo de Piriquito (abertura da coluna de 29 de abril)

29 de abril de 2013 11

O prefeito de Balneário Camboriú, Edson Piriquito (PMDB), divulgou uma “carta aberta à população catarinense”, em que critica o governador Raimundo Colombo (PSD) por não dar resposta à crise do Hospital Ruth Cardoso.

Mantido pela prefeitura, o hospital exige uma despesa mensal de R$ 2,4 milhões e está ameaçado de fechamento. O prefeito diz ter enviado ofício ao governador no dia 29 de janeiro, anunciando que o unidade encerraria o atendimento a pacientes de outras cidades por falta de ajuda do governo estadual. Deu prazo de 90 dias, alertando que o hospital atende mais de 9 mil pacientes por mês, metade vinda de Bombinhas, Porto Belo, Itapema, Camboriú, Itajaí, Navegantes, Penha, Piçarras, Barra Velha, Tijucas e outras cidades catarinenses.

– Triste é dizer que hoje – desabafa Piriquito – 90 dias após o protocolo do ofício, prazo este anunciado para o término dos atendimentos à pessoas de outros municípios, não recebemos qualquer comunicação por parte do senhor governador – diz Piriquito.

O prefeito alerta que a situação dos hospitais na região é grave. O Hospital Infantil Pequeno Anjo anuncia fechamento por falta de recursos, o Hospital de Camboriú pode fechar as portas hoje, o Hospital de Tijucas pediu descredenciamento do SUS, o Hospital de Itapema enfrenta dificuldades e o Hospital Marieta Konder Bornhausen, de Itajaí, está superlotado. Anuncia que o Hospital vai estar aberto a todos os pacientes mais 60 dias. Mas pede um “pacto pelos seres humanos”:
– Se as pessoas não estiverem verdadeiramente em primeiro lugar, não terão saúde e não poderão usufruir de suas vidas – diz o prefeito.

O prefeito Edson Piriquito deveria enviar também uma cópia da carta ao Palácio do Planalto. Afinal, o seu PMDB é o maior aliado de Dilma. E a culpa dessa situação é de Brasília, que há 13 anos não reajusta as tabelas do SUS

Comentários

comments

Comentários (11)

  • João Vianei diz: 29 de abril de 2013

    Prezado Moacir, Upiara e leitores. Realmente o quadro é desanimador. Também sou da opinião de que a culpa por todo o drama pelos quais passam os doentes de norte a sul desse Brasil têm sua origem em Brasília por conta dessa desfaçatez do Governo Federal que não se cansa de criar bolsas pra tudo que é demanda. Se esse é o caminho então que se crie imediatamente o bolsa enfermos, e como primeira medida pragmatica que seja feita a revisão dos valores pagos pelo SUS para as intituições credenciadas. Também vamos por os bois no devido lugar: Por onde andam os nossos deputados federais e senadores que não se manifestam veementemente contra essa indiferença do governo federal em relação aos nossos doentes. Aparentemente estão mais preocupados em garantirem suas reeleições. O Prefeito Piriquito além de mandar uma cópia para o Palácio do Planalto deveria mandar uma tambem para o Congresso Nacional e uma muito pessoal a seu correligionário o “nobre” presidente do senado Renan Calheiros, que tem uma longa ficha crim… (ops!!!), folha corrida de serviços prestados à nacão brasileira. Assim caminha Banânia!

  • Celso diz: 29 de abril de 2013

    Ele deveria mandar o PAVAN buscar dinheiro foi ele quem construiu um hospital sem ter a Prefeitura condição de mante-lo. Pura demagogia daquele que o povo já mandou embora faz tempo.

  • A VERDADE diz: 29 de abril de 2013

    Não seria o caso de uma CPI nacional da saúde ? Muito estranha essa situação insustentável que está muito longe de um esclarecimento da opinião pública. Os catarinenses merecem uma explicação do ministro da saúde. Para quem não é afoito nem dado aos afogadilhos fica evidente que algo está muito errado e não dá para tomar partido assim tão facilmente. Claro que todos ” querem ” resolver o problema da saúde que afeta toda a população e especialmente a de baixa renda. Mas também se ouve falar com muita frequência nos casos do uso da estrutura pública para atendimentos ” particulares “… como é que fica ? Com a palavra especialistas e técnicos entendidos… porque o tema se presta à manipulações eleitoreiras venham de onde vierem. Olho mais vivo! Queremos mais evidências neste céu nublado para obscuro… pois… se ” nem tudo que reluz é ouro ” tampouco nem tudo que é brasília é lama.

  • rogeria costa diz: 29 de abril de 2013

    Piriquito quer ser Governador… não sabe nem construir uma simples travessa elevada nas ruas de Balneário, pois já são 03 as reformas no mesmo local.

  • fernando diz: 29 de abril de 2013

    E assim a historia se repete, dinheiro para manter os hospitais, comprar equipamentos necessários para os mesmos não tem, dinheiro para pagar um salario digno aos professores não tem, agora dinheiro para manter as 36 SDR, pra isso tem, o maior cabide de emprego da história de Santa Catarina, legalizado é claro. Enquanto o povo continuar só olhando as noticias do descaço do desgoverno, pelo jornal, pela televisão sem tomar uma atitude que reverta está situação tudo vai continuar do jeito que está, ao contento dos políticos, o povo brasileiro perde até para os idosos da nossa vizinha ARGENTINA que vão à rua com panelas e porretes exigindo respeito e tratamento digno para com o povo, mas a copa do mundo vem ai é a velha politica do PÃO E CIRCO, a taça do mundo é nossa, e a taça da omissão, do comodismo, da corrupção, da palhaçada, do caixa 2, dos hospitais fechando, das escolas precárias, das estradas esburacadas, e muitas outras coisas que não caberiam em uma folha inteira do DC, essa TAÇA TAMBEM É NOSSA E VIVA COPA DO MUNDO!!!!!!

  • Luis diz: 29 de abril de 2013

    Ele está esperando o exmo.sr.deputado ir pedir para transformar em ong. O MP não trabalha…não percebe o que este governo está fazendo a saúde. Querem sucatear para entregar as ong´s….que nada mais são os próprios funcionários da secretaria que irão comandar. Isto é uma vergonha!

  • Luiz diz: 29 de abril de 2013

    O desafio de consolidar um Sistema Unico de Saúde não passa somente pelo aumento na tabela SUS. Um SUS para 200.000.000 de pessoas exige a estruturação da rede publica em todos os niveis, primario, secundario e terciario com dedicação exclusiva do Estado e dos colaboradores. O governo faz de conta que faz Saúde Publica, e as desculpas vão ser sempre as mesmas. Sem antes não esquecer que os políticos que controlam a saúde foram eleitos de forma democrática. Então reclamar de que?

  • Leonardo Martins Vieira diz: 29 de abril de 2013

    É uma falta de respeito o prefeito de cidade ficar fazendo um papel desse, Balneário Camboriú tem uma das maiores arrecadações do estado, 550 milhões ano, e o prefeito tem a capacidade de choramingar no governo do estado! sendo que o hospital Santa Inês funcionava com 800 mil e o Ruth Cardoso atualmente com 1 milhão e 700 mil reais e ainda quer fazer centro de eventos… se não temos estrutura como sistema viário eficiente, transporte publico de qualidade, hospital de qualidade e profissionais qualificados, para que aja possibilidades para construir um centro de eventos, sem falar em PASSARELA de 30 milhões, que ao menos vai passar carro!

  • Rafael Paixão diz: 29 de abril de 2013

    A mesma indignação como (prefeito e cidadão) do Sr Edson Piriquito eu também já senti isso na pele (Leia DESESPERADOS E OMISSOS nesta mesma coluna) , a gente querer um atendimento e não conseguir, se falta vontade politica ai é outros quinhentos. O que não pode acontecer é a população ficar a merce de quem está lá para nos defender e garantir o serviços que são públicos, mas que poucos estão tendo acesso.

  • Herival Weise diz: 29 de abril de 2013

    Desabafo insensato. Esse sujeito, antes de ser eleito prefeito, ainda como candidato, vivia trombeteando aos quatro ventos, que, uma cidade que arrecada um milhão de reais em impostos por dia, tem obrigação de oferecer saúde de qualidade a toda sua gente gratuitamente. Hoje, do outro lado do balcão, já no início do segundo mandato, agora com um milhão e meio de reais arrecadados todo santo dia, a dura realidade: Secretaria municipal de saúde sem comando, entregue a Deus dará, hospital municipal com recursos desviados por quadrilha declarado sob intervenção, e em estado de emergência, transformado num saco sem fundo que pode sair por ai comprando a torto e direito sem obrigação de licitações, enquanto a população que necessita de consulta médica especializada é submetida a intermináveis e angustiantes filas de espera, rezando para não morrer antes de se ver atendida. Insensato, porque num caso de tamanha complexidade, que é problema por todos os cantos desse país, aqui, por conveniência pessoal, para mascarar o despreparo, deseja particularizar uma questão num governo do qual o seu partido é parte integrante de destaque, dono dos melhores nacos do poder, tanto estadual quanto federal, visto que o secretário estadual e o ministro da pasta da saúde são do seu próprio partido, ao qual também pertencem o vice-governador, presidente estadual do partido, bem como os deputados estaduais, federais e os senadores do partido, alem do governo federal de quem também é aliado, aos quais, por coerência, deveria desabafar e cobrar primeiro.

  • angela diz: 29 de abril de 2013

    ACHAM AINDA QUE ENGANAM??????????
    SÃO TODOS IGUAIS!!!!!!!!
    TODOS RECLAMAM DA PREFEITURA QUE PEGARAM, MAS NINGUÉM DENUNCIA ONDE O DINHEIRO FOI PARAR!!!!!!!
    AQUI EM FPOLIS, FOI A MESMA COISA . CESAR DISSE QUE NÃO HAVIA DINHEIRO E QUE AINDA HAVIA DÍVIDAS!!!!!!!
    DÁRIO NEGOU, E SIMPLESMENTE FICOU POR ISSO.
    SÓ PESSOAS QUE NÃO PENSAM, PARA AGUENTAR TANTOS POLÍTICOS SEM VERGONHAS!!!!!!!