Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

O que dizem os políticos

18 de junho de 2013 15

Poucos políticos catarinenses abordaram as manifestações em suas contas no Twitter entre hoje e amanhã. Veja alguns dos que comentaram os protestos.


Altair Guidi (PPS), deputado estadual licenciado


Derly de Anunciação, secretário de Administração (respondendo comentário do jornalista Paulo Alceu)


Beto Martins (PSDB), secretário estadual de Turismo, Cultura e Esporte


Sandro Silva (PPS), deputado estadual


Angela Albino (PC do B), deputada estadual


Ana Paula Lima (PT), deputada estadual


Darci de Matos (PSD), deputado estadual

Comentários

comments

Comentários (15)

  • Daniel – Laguna diz: 18 de junho de 2013

    O duro é vc ler as mensagens de figurinhas carimbadas e de sustentação do desgoverno columbiforme, e que nada fizeram em dois anos e meio, talvez o farão nas vésperas das eleições, puro interesse eleitoreiro.

  • Roberto Silva diz: 18 de junho de 2013

    Moacir,

    por favor, fala sério! Postar os comentários desses políticos é não entender o recado das ruas. Nós estamos cansados da cara de pau deles. Por favor, não faz isso não.

  • Morgana diz: 18 de junho de 2013

    As manifestações sao legitimas e importantes para que a democracia impere acima de todos os argumentos. Mas, nao haverá efetividade sem que se ataque as verdadeiras causas dos problemas sociais. A começar pelo inchaço da maquina publica promovida no passado, em nome da criação de castas, que hoje usufruem de vencimentos e gratificações totalmente fora da realidade da grande maioria dos trabalhadores. Um sistema previdenciário do servidor publico que oferece regalias por gerações, em detrimento do bem estar da população, dos empresários – que geram riquezas e emprego – e dos trabalhadores que dependem de serviços públicos, para ter acesso a saúde, educação, transporte, segurança publica, etc. De nada adianta contratar mais médicos, policias, professores, juízes, promotores e asseverar a ineficiência do setor publico. Primeiro porque a grande maioria se joga nas cordas após a nomeação, segundo a falta de compromisso e regalias que o servidor adquire. Terceiro a falta de modelo que puna pelas falhas, omissões  e desídia com a coisa publica. Pois quem apura e julga é parte integrante do sistema, então o corporativismo toma conta. 
    O poder executivo nao é culpado pelas falhas no sistema, ele é que tentar gerir os interesses das castas e implantar e corresponder aos interesses daqueles que os elegeram. O compromisso financeiro do Estado com a manutenção das regalias impõe duras penas a população, pois os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal com gastos de pessoal (no limite) e os constitucionais nao permitem o atendimento e geração de oportunidades, motivo das manifestações. A efetividade passa pela mudança radical no serviço publico, ou seja, reduzi-lo ao ponto de nao mais se criarem semi-deuses que se auto intitulam guardiões da moralidade, enquanto suas atitudes e ações refletem a imoralidade e abuso.
    Nao culpem os políticos, pois a maioria se elege por conta das benesses que o serviço publico oferece, licenças remuneradas, licença prêmio, gratificação, abono, etc. e com isso tempo e dinheiro para fazer política que a grande maioria, na legislatura, favorece os próprios pares, com aumentos e vantagens. A consequência é o engessamento na máquina publica,  a redução da capacidade e investimento e atendimento as demandas da população.
    Os tempos mudaram e a constituição carece de reparos, antes que seja tarde, ou já é……

    Enviado via iPad

  • Francisco diz: 18 de junho de 2013

    Upiara

    Tá na hora de todos esses políticos ,que estão querendo fazer media em cima dessas manifestação, fazer uma anunciação(inclusive) de abandonar a politica,com urgência.

  • Roberto Silva diz: 18 de junho de 2013

    Cara Morgana,
    em que mundo você vive? Dizer não culpar os políticos e colocar todas as mazelas nas costas do servidores públicos concursados que com todas as dificuldades tentam fazer o seu papel, é brincadeira, neh?! Por favor, fala sério! Se a máquina está inchada, não é por causa do servidor público, é por causa do governador, dos deputados e dos seus grupos políticos. Quem decide são os políticos. Eles que mandam e criam embaraços, não é o funcionalismos. Eles que fazem demagogia. Agora mesmo, estão pagando 4 milhões por uma consultoria na SAÜDE. Não precisa pagar isso, pois cada funcionário público sabe qual é o problema da saúde e cada cidadão também. Mas, quem decide são os políticos. O Diretor e os gerentes são nomeados pelos políticos, não pelos servidores. Outra coisa, não adianta nivelar por baixo a questão salarial, pois quem deveria ganhar melhor é a iniciativa privada, mas o lucro não deixa. Este discurso é inócuo e vazio. Quanto vale o trabalho de um policial militar que neste momento está tentando garanti o direito de ir e vir de cada cidadão catarinense? Quanto vale o trabalho de um bombeiro que neste momento está salvando vidas? Quanto vale o trabalho de um professor que neste momento está contribuindo para a lapidação intelectual do seu filho, dos nossos filhos? Nenhum servidor que atua na finalidade fim, atua sozinho, é necessário um servidor na finalidade meio. Neste exato momento há servidores nas divisas do estado SC cumprindo com suas obrigações para que você durma tranquila. Há servidor tomando conta dos presos, dos doentes, das instalações públicas (que é nossa, da sociedade), para que você tenha um bom sono. Por fim, o poder executivo é culpado sim, pois ele faz parte, e faz a muito tempo, de um grupo político que domina o estado. Ele faz parte do mesmo grupo que em 1982 fechou a ponte Hercílio Luz e a deixou em manutenção/reforma sangrando os cofres públicos. Do mesmo grupo que quebrou este estado e o deixou por três meses com as contas atrasadas, do mesmo grupo que faz da justiça um poder judiciário elitista, uma fonte de injustiças e incompetência proposital, do mesmo grupo que enxerga o povo com desprezo, que trata servidor como vagabundo (lembra das greves da saúde, da educação e estado de greve da polícia civil) e que alicia os deputados com subvenções, SEITEC, cabides de empregos, e agora, com três milhões de reais sob a desculpa de gastar nos seus currais eleitorais.
    Por fim, Morgana, servidor público trabalha sim, o que não é possível é fazer milagre.

  • NEY ARAUJO SANTOS diz: 18 de junho de 2013

    OS EMPRESÁRIOS VIRARAM POLITICOS, E OS POLÍTICOS VIRARAM REFÉNS DOS EMPRESÁRIOS, ENTÃO EMPRESAS DE TRANSPORTES AJUDAM A ELEGER PREFEITOS, VEREADORES, E DE GORJETA LEVAM GRANDES CONTRATOS PARA EXPLORAREM POR TEMPO INDETERMINADO O SETOR, CRIANDO VERDADEIROS MONOPÓLIOS PRIVADOS REGADOS COM DINHEIRO PUBLICO, SAIMOS DE UMA ELEIÇÃO MUNICIPAL RECHEADA DE CORRUPÇÃO E A MAIORIA FOI ABSOLVIDA DAS DENUNCIAS, POR QUE SERÁ????

  • Arlindo Martins diz: 18 de junho de 2013

    Cambada de sem vergonhas.
    Só aparecem na boa.
    O recado é…. Acabou a corrupção em Santa Catarina.
    vamos ver nem será o primeiro político a ir em cana.
    Abertas as apostas!

  • Humberto Campos diz: 18 de junho de 2013

    Dr. Derly,
    Esse modelo esta acabado e enterrado.
    Na Celesc acontece a mesma coisa. Bando de incompetentes, meninos mimados.
    Agora indiciados pela Policia Federal em crime ambiental.
    O que diz o Conselho de Administração que o senhor faz parte? É cúmplice?

  • Sandro diz: 19 de junho de 2013

    Faz muito tempo que nossos governantes vivem em outro mundo, muito bem representados pela suas equipes de marketing e publicidade é uma realidade virtual é só vermos as propagandas do governo os Pactos pela Saúde hospitais maravilhosos pessoas felizes e sorridentes, Pacto pela Segurança o cidadão sentindo-se seguro e policiais bem vestidos, equipados e sorridentes, Pacto pela Educação as crianças em escolas com seus professores e ambiente saudável, mas na realidade do povão, cidadões que e vivemos na cidade sabemos que a realidade é bem outra.

    O povo já está de saco cheio de ser representado nas desições de sua vida diária por políticos que não conhecem a realidade de um hospital público, de qto tempo leva para uma ambulância do SAMU atender, as escolas depedradas, falta de professores, ambiente escolar com os professores com medo e os alunos acuados, falta de segurança nas ruas quer dizer policia na rua (só se ve qdo tem manifestação ou greve de ônibus) e principalmente a falta de vergonha na cara dos responsáveis qdo existe uma denúncia pela tv e com a cara lavada dissem que vão resolver e todos sabem que não vai acontecer nada.

  • Claudio diz: 19 de junho de 2013

    O recado esta dado, necessitamos de mudança, e a mudança começa não elegendo mais estes caras de pau que infelizmente recebem os holofotes deste estimado colunista.

  • Daniel – Laguna diz: 19 de junho de 2013

    O que dizer depois de ler o relato do Sr. Roberto, apenas aplaudir.
    Quanto a Srª Morgana, totalmente superficial, utilizando alguns exemplos do executivo e responsabilizando a grande massa de servidores, que estão realizando o possível dentro da estrutura desorganizacional e desvalorizativa imposta por seu desgovernador columbino. Só mais uma coisinha vc esqueceu da Alesc, MPSC, PGE, TCE, Judiciário estadual, fiscais da fazenda, estes sim, com salários motivacionais.

  • ZENON diz: 20 de junho de 2013

    OS POLÍTICOS QUE AI ESTÃO QUASE EM SUA MAIORIA DEVERIAM ERA PEDIR PARA SAIR POIS É ISSO QUE O POVO PEDE.

  • marcelocardosodasilva diz: 23 de junho de 2013

    …Caro Roberto Silva;;; falou “MUITO BEM” meu irmão!!! “Falou tudo e mais alguma cÔÔsa”!!!………….Acorda Povo Catarinense!!!

  • Juliano diz: 27 de junho de 2013

    Eles são os responsáveis por tudo isso que está acontecendo e respondem como se não soubessem de nada!! Não é mesmo Dilma? Que vergonha…
    Vcs deviam é pedir desculpas ao nosso povo e mudar essa porcaria de situação!!!!