Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

No BNDES, Colombo discute cronograma de liberação de recursos

30 de julho de 2013 3

O governador Raimundo Colombo se reuniu, nesta terça-feira, com o diretor de Infraestrutura do Banco Nacional do Desenvolvimento, Guilherme Lacerda, na sede da instituição, no Rio de Janeiro. No encontro, que contou com a participação dos secretários do Planejamento, Murilo Flores, e da Infraestrutura, Valdir Cobalchini, e de dirigentes do BNDES, foram discutidos os cronogramas de liberação dos financiamentos de obras que fazem parte do Pacto por SC.

Colombo agradeceu a parceria com o BNDES e disse que a preocupação é manter todas as obras que estão em andamento dentro do prazo.

O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, chegou no final da reunião para cumprimentar o governador Colombo.

Comentários

comments

Comentários (3)

  • Daniel – Laguna diz: 30 de julho de 2013

    Taí um raro momento onde nosso desgovernador e sua equipe foram rápidos.
    Chegou na hora certa, baita dinheirama para iniciar obras eleitoreiras.
    Outro detalhe que me chamou a atenção foi a ousadia deste senhor em dizer que quer dar continuidade as obras, que obras? Na grande maioria com pedras fundamentais e equipes de mensuração, e só.
    Mais uma coisa, lembrar que se trata de empréstimo, o maior já efetuado por SC e que impedirá novos repasses, ou seja, as futuras gestões estarão engessadas. Seria mais um golaço?

  • NEY ARAUJO SANTOS diz: 30 de julho de 2013

    O GOVERNO DO ESTADO TEM REALMENTE BUSCADO RECURSOS PÚBLICOS PARA IMPLEMENTAR OBRAS, MAS TEM PREFEITO SABOTANDO, POIS TEM RECURSO NÃO ONEROSO PARA O MUNICÍPIO E NÃO QUER, COMO É O CASO DE IMBITUBA, PREFEITO JAISON CARDOSO (PSDB)TEM 52 MILHÕES PARA ESGOTAMENTO SANITÁRIO ATRAVÉS DA CASAN, MAS VAI LICITAR O SISTEMA PARA A INICIATIVA PRIVADA.

  • Luis diz: 31 de julho de 2013

    Anotem, o desgovernador vai surfar a onda do dinheirinho do BNDES do governo federal e, na ultima hora, vai pular na carreta do candidato a presidencia com mais chances na pesquisa. Os Bornhausen, sempre eles, já sinalizaram a estratégia. Resta saber se toda esta grana vai suplantar o que os catarinenses vêem hoje, o completo desgoverno em saúde, segurança e educação.