Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Expulso do PDT, Amauri Soares critica o partido em nota

29 de setembro de 2013 7

O deputado estadual Amauri Soares assina nota pública em que informa a conclusão de seu processo de expulsão do PDT. O destino do parlamentar deve ser o PSOL.

Veja o texto de Soares.

Expulsão libertadora para quem luta com coerência
  
Neste sábado, 28 de setembro de 2013, um grupo de pessoas que por ironia da história responde pela direção estadual do PDT se reuniu para deliberar pela expulsão deste deputado do partido que já foi de Leonel Brizola, de Darcy Ribeiro e de tantos outros abnegados. Eu, praça, fundador e primeiro presidente da APRASC, militante comunista eleito por duas vezes deputado estadual, recebo esta expulsão como uma agressão política, covarde e traiçoeira. 
 
Por outro lado, paradoxalmente, nas circunstâncias em que ocorre, tal ato que só pode cobrir de vergonha os que o perpetraram, pois é um ataque vil à minha coerência e, assim, para mim uma honra. É também uma libertação.
 
Devo explicar porque, de certo modo, é para mim uma honra ser vítima deste ato covarde de expulsão. Em primeiro lugar, porque ele é um ataque extremado dos que, apesar de traficar com seu próprio ideário herdado, sabem que nunca iriam nos desviar de nossas convicções político-ideológicas e de uma prática coerente com a sólida identidade socialista.
 
Em segundo lugar, porque as pessoas que decidiram me expulsar abandonaram há muito tempo o melhor da tradição trabalhista: o legado brizolista, a batalha pelos interesses do povo brasileiro, a luta contra o imperialismo e qualquer verniz de luta pelo socialismo. É coerente que os que traem o melhor do seu passado também reneguem as suas alianças e amizades mais saudáveis. 
 
Estas pessoas não têm nada a ver com a legião de valentes que em 1961 com Brizola enfrentou de metralhadoras nas mãos a tentativa de golpe contra a posse de Jango; não honram os patriotas do trabalhismo brasileiro que estiveram em Caparaó lutando contra a ditadura; não aprenderam nada da altivez política de líderes como e Leonel Brizola e de aliados como Luiz Carlos Prestes (homenageado com o título simbólico de presidente de honra do PDT).
 
Agora, consumada a decisão de expulsão, devo dizer que não deixa de ser um alívio desvincular totalmente meu nome de uma legenda que proporciona mais manchetes por episódios de suspeita de corrupção envolvendo dirigentes do que pela defesa de qualquer posição respeitável. Sempre nos demarcamos destas práticas, nítida e publicamente; mas conviver na mesma legenda e com certas pessoas já vinha causando confusão. Estamos nos libertando de um pesado e desnecessário fardo.
 
Mas já não vale a pena gastar tempo falando deles, pois o futuro nos convoca a tomadas de posições. É evidente que manteremos nossa coerência de defesa das lutas das classes trabalhadoras. Recompor o bloco histórico das forças sociais comprometidas com a transformação socialista da sociedade brasileira é a necessidade mais urgente, e dedicaremos todos os esforços nesta direção, em todas as trincheiras onde pudermos vir a atuar, na luta cotidiana das classes trabalhadoras e do povo oprimido, e também nos espaços institucionais. 
 
Queremos agradecer aos pedetistas coerentes com a linha histórica de luta, com os quais tivemos o privilégio de conviver nestes anos. Seguiremos juntos na luta com os que sofrem e se revoltam contra as injustiças sociais. Contudo, vale lembrar que o mandato não é da direção do PDT e de ninguém em particular. O mandato é uma ferramenta política popular, conquistado com milhares de votos dos trabalhadores catarinenses. O mandato é de todos trabalhadores e, em especial, dos praças catarinenses. 
 
O mandato é dos lutadores do povo, é dos que lutam por justiça social, por direitos e garantias sociais para os trabalhadores, por transporte público e direito à cidade, por moradia, por emprego, por terra, pela saúde e educação pública, por segurança e dignidade. Temos certeza que estas pessoas lutarão para garantir este mandato, para que ele continue cumprindo de modo destemido a sua função. O povo e a classe trabalhadora de Santa Catarina não permitirão que esse mandato seja usurpado, não admitirá que ele seja transformado em peça venal de um “balcão de negócios”, tal como parece ser a pretensão de alguns.
 
A sociedade e os meios de comunicação serão permanentemente informados de nosso passos e de nossa atuação, de forma transparente e democrática, como sempre tem sido nos últimos anos. 
 
Florianópolis, 29 de setembro de 2013.
Deputado Sargento Amauri Soares

Comentários

comments

Comentários (7)

  • Luis diz: 29 de setembro de 2013

    Em boa hora ele se vai. O PDT é o espectro do que já foi. Agora é apenas mais um a mamar nas tetas do governo federal e cheio de denúncias. Que ele , o prefeito de Curitiba, o senador Buarque e uns tantos outros consigam abrigo em alguma outra agremiação mais digna. Deixem o resto do PDT p/ Dias e aquele outro que também foi ministro do trabalho saindo pela porta dos fundos. O atual PDT desonra o Brizola.

  • MIRO AVAIANO diz: 29 de setembro de 2013

    TA BOM…VAI ENTRAR NUM BELO PARTIDO… “DECADÊNCIA”, PALAVRA APROPRIADA!!!

  • JOAO PAULO SOUZA diz: 29 de setembro de 2013

    PREZADO DEPUTADO!

    QUER DIZER QUE SE V.SA. NAO TIVESSE SIDO EXPULSO POR ESTES “COVARDES” ,O SENHOR SABENDO DAS SACANAGENS DENTRO DESSE PARTIDO CONTINUARIA?
    QUE VERGONHA…PORRISSO QUE NAO DARIA MEU VOTO PARA NENHUM DE VOCES QUE ESTAO AI NA ASSEMBLEIA A NOSSAS CUSTAS…SUJOS!!!

  • Fábio diz: 29 de setembro de 2013

    Uma das mais notáveis e idoneas figuras da nossa Assembleia Legislativa. Um dos poucos que se salvam. O PSOL ganha mais um grande nome. Boa sorte ao Sargento Soares em sua caminhada.

  • Waldemar diz: 29 de setembro de 2013

    Soares é a maior referência dos lutadores do povo na ALESC. O Maneca (dono do PDT) desrespeitou o acordo que fez com a CCLCP (organização comunista de que o Soares é membro) de respeitar sua autonomia política e tentou lhe impor políticas oportunistas. Soares é incorruptível e sairia para o PSOL de qualquer forma: a expulsão o liberta de más companhias. Brizola sempre honrou os acordos com Prestes; Maneca não tem o mesmo estofo.

  • nivalda diz: 30 de setembro de 2013

    os partidos são podres,vai em frente deputado SOARES o sr:tem luz própria,vamos separar o joio do trigo!!

  • Belmiro diz: 30 de setembro de 2013

    Sargento Soares, você fala em ato covarde? como assim? Os jornais há tempo vinham anunciando a insatisfação do partido e a sua também em relação ao partido, e penso que covarde foi você em não largar o barco, mas ficar navegando nesse barco a deriva. Você quem esperou, covardemente, ser expulso do partido para poder se tornar vítima. Lembre que você não tem lugar em partido algum, pois és um rebelde, pensas que és o bom, não és nada democrático, não participas de teus partidos. Afinal, és uma voz que coa no deserto, se vitimizando sempre nessas idéias revolucionárias retrógradas. Tua sorte é ter um batalhão de praças alienados, por quem não tens feito nada a favor, por quem não tens trabalhado, mas tão somente se utilizado deles para tuas elocubrações.