Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

O pacotaço salarial da segurança e dos servidores

31 de outubro de 2013 32

Durante reunião com os deputados da base aliada, o governador  Raimundo Colombo apresentou o pacote de reajuste salarial dos policiais civis e militares e dos peritos.  Pretende remetê-lo a Assembleia Legislativa em uma semana,  antes de viajar para a Rússia.

O pacote deve incluir também o aumento da gratificação especial dos servidores de 12 secretarias e várias fundações estaduais de 60% para 100%, uniformizando a concessão deste benefício.

Vários secretários participaram do encontro na Casa da Agronômica. A principal exposição coube ao secretário  Antônio Gavazzoni, que vem negociando com os policiais civis e militares desde o início do ano.

Entre as mudanças  na legislação consta o fim das horas extras de todos os servidores da segurança pública e o pagamento em forma de subsídio, eliminando com os chamados penduricalhos.  O subsídio consta da pauta de reivindicações dos Delegados e Policiais Civis há vários anos.    Nos casos de adversidades ou emergências na área da segurança, seria acionado um fundo especial para pagamento dos policiais.

Colombo queria ouvir os parlamentares.  A maior preocupação está na Polícia Civil, cujo sindicato – o Sinpol – está dividido nas negociações e não aprovou a proposta governamental.

Um dos deputados presentes informou que o pagamento dos benefícios salariais será feito de forma parcelada.  Agentes de policia teriam direito a inicial de R$ 4.500,00, em agosto de 2014. Poderiam se aposentar com R$ 12.000,00.

Outro parlamentar presente fez os cálculos e realizou comparativos para afirmar que, se aprovado o projeto, a Policia Militar de Santa Catarina terá um dos melhores salários do Brasil.

Comentários

comments

Comentários (32)

  • Felipe diz: 31 de outubro de 2013

    Quanto a gratificação, unificação só nos sonhos do Gov. Na SJC, por exemplo, recebe-se 20%, sendo que 80% dos 20% são pagos como abono (Não incide sobre quase nada)

  • Carlos A.da Silva diz: 31 de outubro de 2013

    Caro Jornalista Moacir Pereira, abaixo algumas explicações muitas lamentações no que se refere à Polícia Civil.

    O PLC tem em seu bojo tantas maldades que fica difícil digerir e ficar calado.

    Não é somente a questão salarial que está em jogo, mas a ida para o sistema escravagista, quando não define escalas de plantão, sobreavisos, cria um banco de horas, que tendo as chefias que temos é levar os Agentes e Escrivães a terem de se submeter ao assédio, agora oficializado, além de falar lhufas sobre as promoções.

    Escreve sandices, como a revogação de mandados judiciais, com transito em julgado, é ou não é uma beleza???

    Um projeto que não passou pela redação legislativa, tenho certeza disso, por todas as incongruências que apresenta.

    Aos Deputados Estaduais, mesmo que tenha de ser de afogadilho, ou já que tem de ser afogadilho, este projeto, é a pior coisa que já inventaram para os Policiais Civis, um governo tem de estar acima da magoa provocada em seu umbigo, não pode agir como uma criança que, por terem quebrado seu brinquedo, vinga-se botando fogo no do outros, indistintamente, sem sopesar suas decisões.

    Lamentável estarmos vivendo isso, lamentável termos de ir para a Alesc e gritar nossa insatisfação, que bem sabemos, não passará de jogo de cena, para um governo que esta perdido em suas indecisões, mas possui uma bancada que é a maioria e totalmente submissa aos seus caprichos.

    Este PL é uma aberração, escrito às pressas e talvez tenham esquecido de mais algo que ainda queriam botar, algo como, uma explicação, como dizer por que para os Agentes, Escrivães e Psicólogos, o impacto na folha é zero, em alguns casos até vai dar economia ao governo, mas na contrapartida, a base da Polícia Militar, os Oficiais daquela Corporação e os nossos Delegados, estes sim onerarão em muito a folha.

    Mata-se o pagão pra arrumar um santo, estamos fuzilados pela lógica perversa deste governo e ainda tem gente que acredita e vende que o projeto é bom.

  • Everaldo Pereira da Silva diz: 31 de outubro de 2013

    Sou funcionario da sdr18 os analista tecnico de desenvolvimento regional das SDR estão indignados com esse plano de passar as gratificações de 60% para 100%, e nós que ganhamos somente 30% como ficamos? que quadro pertencemos afinal que somos do quadro civil e além disso de todos os funcionarios que pertence as sdr somos somente 6% que recebem 30% porque essa injustiça? Cade nosso representantes do legislativo e os sindicatos.

  • Indignado diz: 31 de outubro de 2013

    Certamente o deputado que elogiou este projeto é o Sr. Maurício Skudlark, que vem brincando com a inteligência e a paciência dos policiais. Este projeto é bom apenas aos oficiais da PM e Delegados de Polícia, que terão um inicial de 16 mil reais. O que os policiais da base querem é apenas que o governo aplique a lei 254/03 que prevê que a diferença entre o maior e o menor salário não seja maior que quatro vezes. O governo não quer aplicar essa relação e é por isso que Aprasc e Sinpol não estão aceitando este projeto Falasciano.
    Se for “enfiado goela abaixo”, este projeto será um tiro no pé, pois esperem para ver a diminuição dos índices de resolutividade dos crimes.
    Mas o deputado tá certo, tem que elogiar, é líder do governo e como sempre dá as costas aos policiais civis, de quem sempre diz que é o representante na AL. De fato representa apenas os Delegados e a ADEPOL.
    2014 tem eleição sr. Suplente/Deputado. Faremos campanha, contra o senhor, é claro!

  • Rodrigo diz: 31 de outubro de 2013

    Caro Moacir, gostaria de saber pq em todos os seus posts acerca das negociações salariais com a PC vc comenta somente o lado do governo, somente publica oq eles falam. Falta de informação não é, vc ja foi devidamente informado sobre os argumentos da PC contra esse projeto criminoso que o governo quer aprovar. Por favor, publique e responda esse comentário.

  • LOURIVAL AFONSO diz: 31 de outubro de 2013

    Realmente, para as cúpulas das duas policiais não é um pacotaço é simplesmente um presentaço principalmente para aquela cúpula que ganhou a carreira jurídica e em 2015 alcançará o teto de R$ 28.000,00 ( Vinte e oito mil reais).

  • Jeferson diz: 31 de outubro de 2013

    Temos a PM (aquela que surra manifestantes e menores infratores) melhor remunerada do páis; e temos a Polícia Civil (aquela que investiga políticos corruptos) pior remunerada do país.
    Isso quer dizer alguma coisa??
    Aliás, sou bancário, mas conheço a realidade destas instituições.

  • SIRIA SILVEIRA diz: 31 de outubro de 2013

    O governo esqueceu dos servidores das 36 SDR’s??? Afinal não são também Secretarias de Estado??? Com cargos de Secretários, gabinetes e tudo mais, como as outras 12 secretarias??? A impressão que se tem é que para o governo as SDR’s não existem, bem como para toda a população catarinenese. O governo só não pode esquecer que quando as criou (SDR’s)lotou obrigatoriamente os servidores sem opção de escolha.

  • Adriano Silva diz: 31 de outubro de 2013

    OOOOOOOOO Vergonha….. gratificação especial dos servidores de 12 secretarias e várias fundações estaduais de 60% para 100%.
    E a tabela achatada do PROFESSORES NADA ???
    2014 temos que dar um basta… NÃO venham com promessas…valorização…blá..blá..blá.
    Queremos Valorização SIM… mas sem enrolação.
    Estamos indo para 4 anos de ENROLAÇÃO.ENGANADOS,PROMESSAS FALSAS…CHEGA. Sejam HOMENS DE PALAVRAS E AÇÕES.

  • Marcelo da SIlva diz: 31 de outubro de 2013

    Gostaria de saber se este soldado aí sabe fazer matemática básica. Com o perdão da palavra, este ignorante não deve conhecer os salários das outras polícias para dizer que aÍ EM SC os Policiais receberão um dos melhores salários do País… POr gente deste tipo que os coitados dos policiais sofrem ha anos com salarios defasados… Aqui sonhamos em receber 3.000, 3.500…

    Mas o sobrenome dele já diz tudo!

  • Ingo diz: 31 de outubro de 2013

    Quando o senhor Governador, se assim deveria chama-lo fala em ” divisão do Simpol ” deve estar equivocado, porque o sindicato não esta divido, dividido esta o Governo que quer enfiar garganta abaixo um projeto unilateral, onde fala em negociação, mas na verdade não negocia, quer impor uma tabela injusta para uma classe que esta a frente da segurança do estado, garantindo ao povo , ou tentando, porque com a falta de policiais e sua estrutura não esta conseguindo, principalmente quando fala das nomeações, esquece também de comunicar ao povo catarinense que mais da metade dos policiais nomeados em seu governo já pediram exoneração pelos baixos salários e migraram para outros órgãos em busca de valorização, coisa que não acontece na Polícia Civil, com suas promoções atrasadas desde 2011, sem a menor explicação, com a falta de cumprimento da 254, imposta como sempre pelo governo e não cumprida; Que governo é esse que aprova leis na assembleia e viola estas mesmas leis; Querem uma segurança de primeiro mundo e oferecem um salário ridículo para que o Policial deixe em casa sua família e se arrisque a morrer nas ruas vítima dos marginais tão protegidos pelas leis atuais, vamos deixar de demagogia eleitoreira , parem de pensar apenas no próprio umbigo, porque um dia precisaram dessa mesma Polícia que hoje estão destruindo, vamos fazer uma comparação, perguntem par o povo quem é mais importante para eles, se os políticos que hoje temos no comando ou dos policiais trabalhadores da saúde e professores que veem todos os anos seu salário minguando, enquanto para os senhores deputados, secretários e demais políticos, são sempre agraciados com polpudos aumentos e gratificações anuais e quase sempre retroativos, como foi o caso do auxilio moradia dado aos magistrados e deputados do estado, isso eles não divulgam não é?, porque será?, me desculpem a palavra, mas são HIPOCRITAS…….

  • PRESTES A SAIR DA PC diz: 31 de outubro de 2013

    EU SOU AGENTE DE POLÍCIA CIVIL E SOU CONTRA ESSE PROJETO, PELO AMOR DE DEUS, DEIXEM COMO ESTÁ QUE ASSIM SERÁ MUITO PIOR. EU IMPLORO, DEIXEM COMO ESTÁ….

  • policiial civil diz: 31 de outubro de 2013

    Engraçado, pois ninguém fala dos R$ 26.000,00 que vai ganhar um delegado de polícia ao se aposentar. Salário de ministro do STF. Para o resto, migalhas!

    Engraçado, pois ninguém fala do descumprimento escancarado do art. 27 da lei 254/03. Este artigo prevê que a diferença entre o maior e menor salário deve ser de 1/4, ou seja, se o delegado vai ganhar R$ 26.000,00, o salário do agente de polícia deve ser de R$ 6.5000,00.
    O GOVERNADOR COLOMBO NÃO CUMPRE A LEI!

    CASO OS DEPUTADOS APROVEM ESTE PROJETO, QUE SÓ BENEFICIA DELEGADOS E OFICIAIS, ESTÃO RASGANDO UMA LEI QUE ELES MESMOS APROVARAM.

    PERGUNTO,UMA LEI APROVADA NA ALESC E PROMULGADA NÃO SERVE PRA NADA?
    ISSO INCLUSIVE É CASO DE INTERVENÇÃO FEDERAL!

    Como acreditar em um projeto para 2014 e 2015 se o governador não cumpre nem a data base, uma lei que ele próprio criou?

    Caro Moacir, sugiro que leia o projeto, pois a hora extra vai ser trocada por um adicional de exclusividade, que na prática vai ser a mesma coisa, pois se ficar doente perde, se pegar licença perde, se não cumprir determinada carga horária perde, ou seja, é igual ou até pior que as horas extras.

    A PM com maior salário do Brasil? Piada!! Só se for o salário dos oficiais, que vai se tornar o melhor cargo do serviço público estadual, em relação ao binômio remuneração/retorno para o Estado. Vai melhor que trabalhar no Senado!

    “Colombo queria ouvir os parlamentares”. Essa foi demais para minha inteligência. Quer dizer então que Raimundo Colombo, o pior governador que Santa Catarina já teve, está agora de joelhos para a Assembléia Legislativa de SC?
    Inverteu-se a politicagem, ou voltaram a respeitar o regime democrático? Pois é sabido que a base do governador vai aprovar o que ele quiser, e foi para isso que o Colombo chamou seus deputados subordinados. Subordinados sim, pois vivemos uma democracia de fachada e é por essas e outras razões que o povo está nas ruas!!
    Sinto nojo em relação a forma como os policiais civis foram tratados nesta negociação. Sinto nojo desse governo que se instalou em SC, que está destruindo nosso querido estado, com escola caindo, hospitais sucateados, greves, bandidos mandando no ir e vir do cidadão, etc..

    2014 lhe espera Raimundo Colombo!!!

  • Arilson Carlos Nazario – Agente de Polícia Civil – Diretor SINPOL-SC diz: 31 de outubro de 2013

    Diante do impasse entre os policiais civis o governo estadual o Sindicato dos Policiais Civis de Santa Catarina – SINPOL-SC, mobilizou a categoria para vigília na Assembléia Legislativa de Santa Catarina que iniciou nesta 4ª feira (30/10), com a finalidade de externar a população e aos parlamentares estaduais a rejeição à proposta salarial do governo estadual.

    Intervenção

    Os policiais civis aguardam o envio do referido projeto à ALESC, para intervir e impedir sua aprovação, haja vista o governo não ter disponibilizado a redação do projeto ao SINPOL, somente apresentou tabelas salariais distorcidas que não contemplam as reivindicações da categoria.

    Foram várias reuniões e encontros do SINPOL-SC com os Secretários da Fazenda a da Administração, mas em todos a imposição governamental foi preponderante. Os valores apresentados, considerando extinção das gratificações pessoais, não contemplam as perdas salariais dos últimos anos e às projetadas para os anos vindouros. Sim! Pois o governo propõe a aplicação da proposta salarial em três etapas: agosto/14, agosto/15 e dezembro/15. Não esquecendo que sequer a data-base de 2013 foi cumprida.

    Anomalia

    Segundo informes, no “pacote subsídio do governo estadual” é criada a mal explicada “Indenização por regime especial de trabalho Policial Civil”, que suprirá o pagamento de horas-extras. Tal indenização causa temor quanto a possível “escravização da jornada de trabalho” e interferência indireta na aposentadoria especial dos Policiais Civis.

    Vícios e inseguranças

    Todas as tabelas apresentadas pelo governo apresentam vícios e inseguranças. Não respeitam a proporcionalidade com os salários dos delegados de polícia e não atendem a reivindicação da compactação das classes nas carreiras dos Agentes da Autoridade Policial. Lembramos também das promoções atrasadas e a necessidade da reestruturação do respectivo processo mediante promoções automáticas por tempo de serviço, para garantir de fato uma carreira aos policiais civis de base.

    O SINPOL-SC ainda questiona o porquê da não divulgação da redação integral do projeto salarial pelo governo, entendendo que o texto pode conter mudanças em legislações conquistadas nas últimas décadas, que podem prejudicar a base da Polícia Civil.

    Reivindicações dos policiais civis de base

    - Subsídio fixado em parcela única;
    - Compactação das classes nas carreiras de base, de oito para quatro;
    - Promoções automáticas por tempo de serviço;
    - Cumprimento da proporcionalidade salarial entre os policiais civis de base e os delegados de polícia.

    Informamos ainda, que atualmente a Polícia Civil de Santa Catarina possui um efetivo de pouco mais de 3.400 policiais, dentro de uma previsão legal de 5.997, ou seja, atualmente a PCSC possuí pouco mais de 50% do efetivo previsto. Mesmo com os concursos públicos realizados nos últimos anos a PCSC não consegue ampliar seu efetivo, haja vista o alto índice de evasão em virtude da sobrecarga de trabalho e dos baixos salários. Não obstante o atraso nas promoções.

  • SDR = CURRAL ELEITORAL diz: 1 de novembro de 2013

    Sr. Everaldo.
    Segundo o portal da transparencia, sua renda é:

    Nome: EVERALDO PEREIRA DA SILVA

    Imprimir
    Mês de Referência 9/2013
    Descrição Valor (R$)
    Remuneração Básica (1) 2.766,32
    Gratificações Eventuais (2) 0,00
    Verbas Indenizatórias (3) 252,00
    Férias (4) 0,00
    13º Salário (5) 0,00
    Deduções Obrigatórias (6) 360,63
    Remuneração após deduções obrigatórias: (7) 2.657,69

    Considerando que a gratificação de 30% gira em torno de R$ 500,00. Então devemos assumir, descontando vale alimentação e triênio, caso tenha, que seu vencimento base gira em torno de R$ 1800,00, correto?

    Nada mal, afinal sou do quadro civil desde 2006 e somente agora meu vencimento base chega perto de R$ 990,00.
    Não vou dizer que os servidores nas SDRs não faze nada, seria hipocrisia. Sei que existem muitos que trabalham arduamente e ganham relativamente mal, mas isso não muda o fato de que as SDR’s são apenas currais eleitorais, sendo que a grande parte dos recursos e gestão ainda estão centralizados na capital.
    O objetivo aqui é demonstrar como é fácil achar-se injustiçado, como o sr. Everaldo, quando também existem outros servidores em condições piores, como devem haver servidores em situação mais desumanas que as minhas.
    Só teremos um funcionalismo público de qualidade e bem remunerado quando todos forem tratados igualmente. Planos de carreira decentes, vale alimentação igual para todos, gratificações também. E o mais importante, acabar com o sistema atual de estabilidade. Estabilidade que só gera servidores lesos, mal preparados, acomodados e inúteis.

  • Davi diz: 1 de novembro de 2013

    O quê esperar de um Governo que não cumpre a Lei que ele mesmo aprova. Não concedeu o reajuste de janeiro em uma Lei por ele mesmo aprovada. Cada povo tem o governante que merece, e, o serviço público vem a reboque.

  • luiz antonio rufino diz: 1 de novembro de 2013

    por teudo o que dizem alguns policiais , neste espaço e de se respeitar , agora fica uma pergunta , sera que serao eleitores para reeleiçao do governador , o governador nao se elegeu de graça .

  • Luiz Fernando diz: 1 de novembro de 2013

    O pior de tudo é ver o pessoal das SDR (maior cabide de emprego do Brasil, um dos entraves para o desenvolvimento de SC e um desperdício de dinheiro descomunal) reclamando que não receberão aumento! POR FAVOR! Agradeçam pelo empreguinho teta que vocês tem. Deixem os servidores que realmente trabalham receber o aumento (a saber: segurança, educação, saúde, assistência social, etc.).

  • SIRIA SILVEIRA diz: 1 de novembro de 2013

    Luiz Fernando, concordo com você que as SDR’s são Gabides de Empregos, o ex-prefeito de Lages, e atual governador do estado já dizia isso, lembra??? em meados de 2002!!! Só que, nós servidores/concursados da EDUCAÇÃO, que atuávamos nas extintas CRE’s, fomos relotados em 2003, qdo da criação das SDR’s, sem opção de escolha…Continuamos exercendo o nosso trabalho com: folha de pgto, recursos federais/PDDE, transporte escolar, APP’s, questões pedagógicas, e tudo mais que diz respeito as estruturas físicas e humanas das unidades escolares do estado, ou seja,
    professores/alunos….Os que possuem “empreguinhos teta”, segundo o seu comentário, não são os servidores das Gerências de Educação, que infelizmente ficaram “presas” às SDR’s, pois os servidores das regionais de saúde, por exemplo, puderam optar por não lotar na SDR’s, para sorte deles….Peço cuidado e respeito aos servidores, pois sabemos do nosso valor e relevância em relação ao nosso trabalho e importância na Educação de Santa Catarina. A falta de conhecimento nos faz errar com mais frequência.

  • Rodrigo diz: 1 de novembro de 2013

    Então Sr. Moacir, vc tem mais informações do que eu ou está muito mal informado, pq essa notícia que vc deu agora nunca me foi foi passada. Será que todos os policiais civis estão sendo enganados pelo próprio Sindicato? a informação foi de que as tais propostas sempre foram repudiadas, por todas as assembleias regionais, por unanimidade, inclusiva a de Chapecó sempre foi umas das mais participativa e irredutível com nossas aspirações. Com a palavra o Sinpol e o pessoal da região de Chapecó…

  • Giovano diz: 1 de novembro de 2013

    Caro Moacir,

    de onde o senhor tirou esta divisão aí que falaste que em Chapecó os agentes votaram a favor deste “projeto” (porcaria) apresentado pelo governo? Tenho participado destas assembleias e nunca vi, a não ser uma ESMAGADORA minoria ser favorável por isso aí que estão apelidando de “8ª maravilha do mundo”. Quer saber a realidade de fato? Vá em uma delegacia e pergunte quem está contente com esta aberração. Mas desde já te adianto que obterá respostas positivas somente dos delegados, pois estes sim estão tendo uma proposta justa.

    O governo está usando novamente daquele jogo sujo de vender uma informação distorcida para a população e jogá-la contra os servidores.

    DEIXEM COMO ESTÁ QUE AO MENOS PIOR NÃO FICA.

  • Carlos Gonçalves de Abreu diz: 2 de novembro de 2013

    A base da polícia civil terá somente uma escolha: fingir que investiga, enquanto o governo faz de conta que paga. Viaturas novas não enchem estômago. Muitos policiais estão estudando para cair fora deste barco que está afundando e os responsáveis pela segurança pública nada fazem. Exigem graduação para oferecer salário de ensino fundamental incompleto?

  • Carlos A. da Silva diz: 2 de novembro de 2013

    Caríssimo Moacir,

    A informação prestada pelo Delegado Renato procede, mas foram assembléias realizadas de forma a que uma tivesse conhecimento da outra, por este viés, a de Florianópolis em maior número, acabou sendo ao final a que definiu quais passos o SINPOL através de sua direção deveria seguir, qual seja, dizer ao governo que não concordamos com a proposta que sequer foi oficialmente apresentada.
    Isto por que, somente as tabelas, com os valores, que Caro Jornalista, também não lhe foram apresentadas na forma em que o governo quer fazer a sua implantação, se assim fosse, verias as armadilhas que nos preparam.

    Além do que, agora com o minimo conhecimento do que esta sendo publicizado, já que o PLC que apareceu, não parece ter uma redação que tenha passado por mãos da técnica legislativa, tamanha são as aberrações jurídicas nela insertas.

    Veja Moacir, o governo que ao mesmo tempo desrespeita toda a Classe Policial Civil em sua base, desrespeita o Jornalista também, quando repassa uma informação que não condiz com aquilo que realmente quer.
    Sei que leu meu comentário anterior, e é isto mesmo, aceitarmos isto que propõem sem que nada façamos, é coisa pra piorar cada vez mais, o que já não funciona a contento.

    E pra todos os comentaristas, não é só do salário que temos que ter de medo ou asco pela discriminação absurda que nos impõem, mas da pretensa intenção do governo (e tomara que seja só dele), de nos remeter, Policiais Civis e militares e servidores do IGP, a uma relação trabalhista de escravidão.

  • GILSON CARVALHO diz: 2 de novembro de 2013

    O Del. Renato fala apenas em nome dos Delegados, visto ser presidente de uma associação deles. O SINPOL (sindicato) representa a todos os policiais civis, inclusive delegados, e a decisão dos policiais civis de santa catarina foi esmagadora em NÃO aceitar a proposta do governo….. A divisão que você cita existe, mas sim na associação dos delegados… inclusive ficou bem clara no pleito pela presidência desta associação dos delegados.

  • Carlos diz: 2 de novembro de 2013

    E que o Governo diz quanto a Ilegalidade da Estrutura do IGP? Quanto ao julgamento da ADI 3.464 que vem sendo descumprida pelo Estado desde setembro de 2010? Os ordenadores de despesa (DGPC e Secretário da SSP) irão arcar com o imenso ônus nas suas contas particulares? Quem sabe seja por aí que os Policiais Civis consigam derrubar este plano de cargos e salários do Governo Colombiano.

  • MArcelo diz: 2 de novembro de 2013

    Aí o pessoal da PC tem mais é que ficar quieto mesmo…

    “Finalmente, a divisão entre policiais civis é flagrante. Um só dado: a Assembleia dos Agentes em Chapecó votou a favor da proposta salarial do governo de forma esmagadora; já a de Florianópolis, ficou contra, também de forma majoritária.
    Abraços, Moacir”

    Nem entre eles se entendem e querem atrapalhar os outros…

    minoria não dá pitaco

  • José Paulo Quintino diz: 3 de novembro de 2013

    Prezado Moacir Pereira, um grande bom dia.

    Tomo a liberdade de tecer breve comentário a respeito da matéria em voga, por sua respeitabilidade, credibilidade a nível nacional e internacional em suas matérias jornalisticas:

    No meu caso em particular sou Escrivão de Polícia com 29 anos de serviço em cartório e linha de frente, somando-se mais de trinta anos de Estado (+ de 12 anos de Serviço Público Federal), desta forma, de contribuição prestado para nação brasileira, totalizam mais de 43 anos de serviço público. Não posso entrar em seara alheia, uma vez que não conheço a proposta do governo na íntegra, à ser remetida para Assembléia Legislativa para a devida apreciação. Mas, pelas reuniões em que participei junto ao SINPOL-SC, na condição de filiado, tenho informação de que para chegar no nível final da carreira, tenho que ficar no cargo pelo menos 05(cinco) anos, para não perder estas vantagens; Caso contrário terei perda de vencimentos; Veja o absurdo que será imposto à nós, pois, quando da reforma anterior Lei nº 2543 e 4533 estava já com o tempo completo para aposentadoria e a reforma me impediu de conquistar o último nível da carreira (VIII), já que atualmente sou Escrivão Nível VII. Se esta reforma do projeto de lei que se apresenta retrata a realidade em seu conteúdo, terei que continuar a trabalhar de graça para o Estado, estando impossibilitado de ter a minha tão sonhada aposentadoria. Seremos novamente prejudicados eu como meus colegas que se encontram na mesma situação; Acho a reforma de bom alvitre e salutar, desde que seja para beneficiar, jamais retroagir para prejudicar, assim reza os princípios constitucionais previsto na CF\88, nossa lei maior que norteiam os destinos de seu povo e da administração pública; Para que no futuro não possa gerar ação de inconstitucionalidade; Acho estranho que na Segurança Pública existe dois seguimentos a PC e PM., e pelo que conheço a PM., ao completarem 30 anos de serviços, não existe nenhum obstáculo para que eles sejam promovidos ao topo da carreira, pois, suas promoções são automáticas (oficialato), sem perda de nenhum direito, enquanto que na PC., temos que trabalhar em regime de escravidão face ao número reduzido de policiais que por força da lei 1373 precisam cumprir com sua carga horária, mais 40 horas extras e as que ultrapassam este limite, atualmente não é paga pelo Estado; A situação na PC é grave, por falta de policiais, eles trabalham doentes, muitos deles morrem trabalhando sem desfrutar da tão sonhada e merecida aposentadoria; Veja minha situação, com mais de 62 anos de idade, mas de 43 anos de serviço, pretendo me aposentar o mais rápido possível, porém, estou engessado na promoção para o nível VIII, por falta de vaga na classe, absurdo, o que o senhor acha…; Na reforma anterior na já mencionadas leis, estava na eminência de ser promovido para o último nível da carreira, não obtive êxito face as referidas reformas que deveria ser para beneficiar a Polícia pelo contrário prejudica, indiretamente impedindo sua aposentadoria, quando estes já atingiram o interestício aposentatório; Se este projeto de lei, for aproado da forma como está, o Policial Civil terá que ficar mais de 05(cinco) anos na classe, para não ter redução de salário; Conheço o nosso Excelentíssimo Senhor Governador do Estado de Santa Catarina e tenho certeza que ele homem justo que é, sensível a causa de todos os servidores públicos, pedirá aos nobres deputados para melhor debater esta questão junto da Policia Civil que se aprovada da forma como está muito irá nos prejudicar a PC tanto em salário como em direitos; O Excelentíssimo Senhor Governador Doutor João Raimundo Colombo, quando o conheci em campanha política para ajudá-lo em sua eleição para Governador me passou grande credibilidade e quero continuar tendo esta grande impressão e credibilidade com ele (Governador); Doutor Moacir neste ato também peço a colaboração do Senhor na divulgação desta matéria, pois, se este projeta de lei se aprovado da forma como está prejudica sensivelmente grande parte dos componentes da Segurança Pública em detrimento de uma pequena classe da SSP-SC. Lembrando ao senhor que mais ou menos 30% dos Policiais Civil encontram-se envelhecidos na classe e trabalhando doentes, não suportando mais uma pretensa injustiça que se descortina, portanto, seria de bom alvitre seja dado conhecimento como forma de informação para um bom combate junto aos nobres Deputados da ALESC. Afinal estamos num Estado Democrático de Direitos. Este é o meu desabafo. Peço à Deus Paz e Solidariedade ao Povo.

  • felipe diz: 3 de novembro de 2013

    Caro Moacir,
    Sabemos que os delegados muito pouco ou quase nada participam ativamente das mobilizações do SINPOL e muito menos das assembléias do SINPOL. É uma sacanagem o RENATO HENDGES falar que a maioria é a favor do subsídio. É uma traição total esse movimento da ADEPOL contra o SINPOL. Eles querem calar a base a qualquer custo, mas não conseguirão. A proporção da base para os delegados é de pelo menos 1 para cada 20 ou seja, jamais conseguirão nos trair sem que sejam devidamente desmascarados. Caro MOACIR, as assembléias do SINPOL, consulte ao SINPOL quanto aos resultados e não para o RENATO HENDGES, o qual só pensa em aprovar o subsídio e nas eleições do ano que vem para DEPUTADO ESTADUAL, acreditem.

  • Andre diz: 4 de novembro de 2013

    Este plano é HORRÍVEL, e nossos policiais civis estão sendo obrigados a sair da instituição por não conseguirem pagar suas contas, com este plano a PCSC vai acabar, criaram um SUPER SALÁRIO para os Delegados que ganharão inicial de 18 mil e final 26 mil, além dos oficiais que também ganharão este salário de ministro do SUPREMO!!!! VERGONHA!!! Quem trabalha não é reconhecido!!!! A BASE DA PCSC, vai PARAR!!! Escrivães vcs são os que podem mudar isto exijam a presença dos Delegados sempre em seus depoimentos, parem de fazer flagrantes espíritas!!! Aqueles que o Delegado fica em casa e só vem no outro dia assinar!!! TC sem a presença do Delegado chega!!! Agentes, exijam a presença do Delegado no local de delito, nos homicídios, etc!!!

  • AGEPEN diz: 7 de novembro de 2013

    Esse pacotão fala alguma coisa dos Agentes penitenciários, pois estamos juntos para lutar por condições melhores para toda SEGURANÇA.