Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Multidões invadem SC e problemas se agravam

31 de dezembro de 2013 5

Os turistas invadiram Florianópolis neste fim de ano em quantidade sem precedentes em anos anteriores.  Vieram de todas as cidades e Estados, como denunciam as placas dos veículos que tomaram conta  da cidade nos últimos dias.

Durante o dia e noite de ontem a Ilha ficou travada em vários pontos,  registrando os maiores índices de imobilidade urbana de sua história.   As praias do norte estavam intransitáveis.    Deslocamentos entre Canasvieiras e Praia Brava ou Jurerê e Ingleses, por exemplo, exigiam muita paciência no penúltimo dia do ano.  Percursos de 10 a 15 km feitos em mais de uma hora.

Os restaurantes mais populares na região de Ingleses, Cachoeira e Canasvieiras  tiveram longas filas no período noturno.   As lojas nestes balneários atravessaram a madrugada.

Com esta multidão presente no litoral catarinense vieram também os problemas.   Faltou água em várias praias da capital.  O sinal do celular, que já era ruim, simplesmente  desapareceu em várias regiões da cidade.

A falta d’água foi tem sido o maior problema em Itapema, Bombinhas, Balneário Camboriu e Navegantes.   Caminhões pipa voltaram a circular intensamente nestas cidades balneárias.

Conclusão:  o turismo é importante para a economia do Estado. Mas com esta infraestrutura acaba trazendo só problemas para a população local e para os próprios visitantes.

Comentários

comments

Comentários (5)

  • Nelson diz: 31 de dezembro de 2013

    Tem, também, intenso movimento de caminhões nas praias de madrugada, carregados de água para os condomínios dispostos a pagar R$ 2.000 por alguns mil litros despejados em reservatórios. De onde vem essa “água potável” só quem entrega sabe. Enquanto isso, pergunta-se para que termos uma estatal de águas ineficiente e envolvida em escândalos, que foi quebrada pela má gestão de políticos? Tem que privatizar, pelo menos para podermos cobrar, pois o atual atendimento da empresa ao consumidor é vergonhosa. Orienta os atendentes a mentirem que a culpa é falta de energia da Celesc… por 3 dias seguidos!

  • Luis diz: 31 de dezembro de 2013

    Turismo é que nem remédio, pouco é homeopatia, muito é veneno. Passamos do ponto, chupamos a fruta além do caroço. Turismo e construção civil precisam de LIMITES, controle, sustentabilidade. São duas atividades importantes mas que vem passando dos limites e movimentando a indústria da propina de agentes públicos. Extrapolamos, vivemos em plena “fartura”. “Fartura” de água, de energia, de segurança, de mobilidade, de saneamento e de muita, muita, vergonha na cara. Viva a indústria limpa da TI, a que mais arrecada em Fpolis, que se dane a monocultura despudorada do turismo!

  • Joe Picanso diz: 31 de dezembro de 2013

    Fila em lojas, mercados, isto ê normal nesta êpoca, ate porque o poder aquisitivo do Brasileiro subiu. Mas o que não dâ para admitir ê chegar na temporada forte e ter probleme de âgua, luz, pois estes são problemas que dâ para prevenir fora da temporada. Sabemos que todos os anos acontecem as mesmas coisas. Isto se chama incompetencia das chefias dos orgãos.

  • Giffoni diz: 31 de dezembro de 2013

    Público em precedente, não? Deve ser gente sem dinheiro, atolado em dívidas, com seus salários corroídos pela inflação, repletos de desconfianças para com 2014; afinal, como disse o tal diretor da associação comercial, teria sido o pior natal de SC. Seria interessante a AC interrogar (mais do que entrevistar) esse pessoal para saber de onde saiu a “grana” para as viagens e as festas. Pois é, parece que as políticas públicas implementadas pelo governo federal estão aí à vista de todos: multidões viajando e se divertindo.

  • balthar marques diz: 1 de janeiro de 2014

    o comentário do giffoni pegou na veia! os ‘ esclarecidos”, os que tem “informações” – mas não sabem onde fica o mar adriático e qual é a capital da belgica – não entendem os números das pesquisas eleitorais. mas as coisas são como são. vai dar dilma outra vez.