Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Com dinheiro de zagueiro da seleção, casarão de Hercílio Luz será restaurado

29 de abril de 2014 18

O palacete onde viveu e morreu o governador Hercílio Luz, hoje em ruínas no Centro de Florianópolis, está próximo de ser salvo. O secretário Dalmo Vieira Filho, do Desenvolvimento Urbano, está entusiasmado com o projeto apresentado pelos novos donos do imóvel para restaurar o local e transformá-lo em um espaço público.

O empreendimento inclui terrenos vizinhos, também adquiridos – inclusive o imóvel onde ficava o Colégio Vivência, na Avenida Mauro Ramos. Os imóveis tombados serão preservados e na área que sobra serão construídos prédios comerciais. O projeto inclui acesso direto da avenida até o palacete, que deve receber um museu, espaço para pequenas apresentações e um café.

— A casa está há praticamente 20 anos sem uso, em estado de arruinamento. Essa operação resgata a casa onde morreu Hercílio Luz, um local com peso histórico e arquitetônico que está se perdendo — afirma Dalmo Vieira Filho. O secretário confirma que o investidor é o zagueiro Thiago Silva, da Seleção Brasileira.

— Em todas as conversas sempre ficou claro que ele queria um empreendimento que desse um ganho para a cidade — diz o secretário.

A casa onde Hercílio Luz morou até 1924, em frente à Praça Etelvina Luz, mais conhecida como Praça do Banco Redondo, em foto de 2009. O cenário não mudou.

A casa onde Hercílio Luz morou até 2004, em frente à Praça Etelvina Luz, mais conhecida como Praça do Banco Redondo, em foto de 2009. O cenário não mudou. Foto: Suzi Padilha, Banco de Dados.

Comentários

comments

Comentários (18)

  • Marcos diz: 29 de abril de 2014

    Hercílio Luz morreu em 1924. Não pode ter morado lá até 2004.

  • Giffoni diz: 29 de abril de 2014

    Casarão tombado? Essa “estória” está mal contada. Tanto entusiasmo por parte do secretário? Obviamente que o município pagará “o pato” de outros espigões sem controle através do dito plano diretor. Não existe investidor financeiro que não vise, apenas e tão somente, a rentabilidade do capital empregado. O resto, ora, apenas “conversa de engana tolos”. Pobre Floripa.

  • CURTO&GROSSO diz: 29 de abril de 2014

    Sem comentários !!!

  • Eduardo Alves diz: 29 de abril de 2014

    Quanta gente chata… nunca nada tá bom, nunca. Eita! Se morderem a língua morrem envenenados, não?

  • Renato Fuhrmann diz: 29 de abril de 2014

    Entendo que temos os problemas($$) de uma grande cidade, Floripa não é diferente.
    Observo que salvamento deste, e de outros patrimonios arquitetonicos da cidade, é importante hoje e para o futuro.

  • Catarina diz: 29 de abril de 2014

    Dá-lhe Tiago Silva!!!!!!
    Muito bom reformar aquele belo casarão, tornar aquele espaço aprazível, que traga benefícios a população e porque não, benefícios a ele mesmo?
    Como escreveu outro comentarista: “Quanta gente chata que nunca está feliz com nada”.
    São os “intelectualóides” de plantão….

  • João Carlos diz: 29 de abril de 2014

    Pelo menos dos males o menor, porque se esperarmos que o governo preserve o casarão, não será nesta encarnação…..

  • Denise Back. diz: 29 de abril de 2014

    Parabéns ao Thiago Silva. Quantos empreendimentos são feitos sem envolvimento com melhorias para a cidade e para a Cultura? Melhor do que criticar é fazer. Ou será que assistir a deterioração é melhor do que assistir a recuperação? Afinal, existem leis. Cabe a nós, cidadãos, exigir seu cumprimento.

  • Shasça diz: 30 de abril de 2014

    Vamos acompanhar a proposta torcendo para que seja a melhor para a cidade. Torcer contra não contribui.

  • João Silva diz: 30 de abril de 2014

    O amigo ali em cima tem razão. Vcs são muito chatos. Nunca ta nada bom. O cara não eh poder público ele quer ganhar dinheiro também oras. Ta certíssimo. Bando de recalcados. Vamos trabalhar turma e parar de mimimi. Bj no ombro p vcs

  • Gisele diz: 30 de abril de 2014

    O bom mesmo é deixar o negocio cair e apodrecer e deixar essa área toda inutilizada pro pessoal poder fumar em paz

  • Ana diz: 30 de abril de 2014

    Podiam aproveitar e prestar atenção à casa onde funcionava a Escola Autonomia na rua Frei Caneca, na Agronômica, bem atrás do Mc Donald’s. Faz anos que está caindo aos pedaços. Dizem que é de político famoso que quer que a casa caia para poder ganhar depois com o terreno e a construção de mais um prédio em área nobre.

  • Carla Joaquina diz: 30 de abril de 2014

    Estou torcendo para que o casarao seja recuperado, o empreendedor fique podre de rico, tenha muito retorno financeiro, a area seja recuperada, a cidade ganhe um lindo espaço e preservacao de sua memória. E que outros facam o mesmo.
    Essa turma chata prefere certamente que tudo desabe, a casa desmorone, a cidade fique feia, o empresario que invista seu dinheiro sem retorno algum. Gente pobre de espirito.
    Pobres deles.

  • Guilherme diz: 1 de maio de 2014

    Se eu tivesse recursos, certamente compraria aquela casa e faria o mesmo…e como não sou burro, também iria querer ganhar dinheiro com isto.
    Claro que temos que nos preocupar com a mobilidade, fazendo a nossa parte, votando bem e exigindo nossos direitos, mas antes de tudo é urgente cumprirmos com nossas obrigações te para isto que existem leis.
    Mas não, o que mais fazemos é reclamar e não contribuir, quantas vezes apontamos os erros, mas somos os primeiros a colaborar para que o caos aconteça.
    Vai em frente, Thiago Silva!
    Que outros tenham a mesma visão.

  • katia silva diz: 1 de maio de 2014

    Antes de ser chamada de chata, digo que sou a favor de melhorias, so que desconfiar é preciso pois nesta avenida foi destruido o tiro alemão, para nascer um palacio da UNIVERSAL, felismente sem o dinheiro publico, mais neste caso aqui, o envolvimento do secretario Dalmo com o empresario do atleta Sr ANTONIETO, pode ter certeza que independente do feito, vai sobrar para os cofres da prefeitura, tendo o retorno financeiro o tal empresario e seu pupilo!

  • Para os recalcados de sempre: diz: 2 de maio de 2014

    Vocês estão cobertos de “razão”.

    Para começar, temos de deixar tudo como está agora: deixar o sobrado cair ao chão e, enquanto isto não acontece, devemos permitir o uso do lugar como ponto de venda e consumo de drogas.

    Afinal de contas, os viciados tem todo o direito de se drogar.

    Também temos como alternativa permitir a invasão do imóvel pelos sem-teto, para que ali nasça uma nova favela em pleno centro da cidade, na qual como certeza o casarão será transformado em cortiço.

    Será um belo cartão postal para os turistas.

    Ainda como alternativa, podemos usar os recursos públicos para reformar o casarão, que ficará fechado durante anos enquanto se acha algum uso para ele. Afinal de contas, o município já resolveu todas as outras prioridades nas áreas de transporte e segurança pública. E nem vamos falar de saúde e educação.

    Como não temos mais nada para resolver, o negócio é usar o recurso público para impedir que a iniciativa privada ganhe dinheiro, crie empregos e pague impostos.

    Isto sim é que é bom para a cidade.

    Vocês são uns GÊNIOS.

  • Valter Jobim diz: 2 de maio de 2014

    Hercilio Luz morou até 2004?
    Há 20 anos sem uso?
    Então a conta não fecha!

  • Irma Heerdt diz: 5 de maio de 2014

    Povo que não preserva sua história não é povo, não tem raízes.
    Durante muitos anos passei pela Mauro Ramos observando lindas casas desaparecendo e com elas o rastro da história. Tudo bem, não dá prá preservar todos os imóveis antigos, mas fico muito feliz em saber que vão tomar providências antes que tudo vire um amontoado de tijolos.
    Já estão vários anos atrasados nesse trabalho.