Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Conselho Universitário aprova moção sobre "violenta e exacerbada intervenção policial" no campus da UFSC

29 de abril de 2014 21

O Conselho Universitário (CUn) da UFSC aprovou, em sessão ordinária realizada na manhã de hoje, uma moção referente a ação policial ocorrida no campus de Florianópolis no final do mês de março.

Confira o texto:

Tendo em vista os acontecimentos do dia 25 de março de 2014, quando houve uma violenta e exacerbada intervenção policial, o Conselho Universitário da UFSC vem a público manifestar-se contra qualquer forma de violência, ainda mais em um espaço público e vocacionado para a formação humana como é o Campus Universitário. Declaramos a mais firme defesa da Autonomia Universitária, condição essencial para o pleno desenvolvimento e socialização do conhecimento filosófico, científico, tecnológico e artístico.

A leitora Sandra Regina fez um complemento sobre a reunião do CUn:

Acompanhei a sessão do Conselho e quero registrar meus parabéns ao Diretor do CCJ, prof. Cancellier, que demonstrou lucidez, conhecimento jurídico e visão política. A votação não foi unânime (24×13) e Cancellier lembrou que não se pode fazer justiça com as próprias mãos, que o Estado democrático possui mecanismos para combater o excesso e a ilegalidade e que qualquer violência deve ser combatida. Na sua proposta não constava a referência à polícia. Pelo menos há alguém que ainda pensa nesta Universidade. Parabéns professor, pela coragem de dizer algumas verdades.

Comentários

comments

Comentários (21)

  • MIRO AVAIANO diz: 29 de abril de 2014

    TENHO PLENA CONVICÇÃO DE QUE MEMBROS DO MESMO CONSELHO UNIVERSITÁRIO, DEVERIAM FUMAR MENOS!!!

  • CURTO&GROSSO diz: 29 de abril de 2014

    Estudantes no mínimo devem ter noções básicas de moral, cidadania e de ética,valores estes que devem trazer de casa.
    Estamos chegando ao ponto onde o povo prefere apoiar a bandidagem e repudiar a policia ou quem quer que seja que tente fazer valer a ordem e os bons costumes.
    E dizer que o suado dinheiro que me é explorado através desta carga tributária injusta é direcionado para esse tipo de gente/enganação !!!

  • ml madruga diz: 29 de abril de 2014

    Não sabia que o conselho é especialista em técnicas de procedimentos policial, ficou mais tranquilo, pois pelos exemplos que a UFSC esta dando a sociedade logo teremos que instalar as unidades pacificadoras na região e não vamos precisar solicitar consultoria para o Rio de Janeiro.
    Pessoal, vamos falar sério, chega de blá-blá-blá, a UFSC precisa urgentemente resolver os inúmeros problemas internos, greve, liberação da área para duplicação da Edu Vieira (bem que esse assunto hoje é do Prefeito Cesar Souza ou seja desapropriação) e muitos outros. Com a volta com todo o vapor a sua missão de formar os melhores alunos nas diversas área para colaborar com o crescimento do Brasil.
    Se esse conselho é necessário, deveria estar preocupado em verificar as ações da reitora, pois uma auditoria cabe muito bem e quem sabe uma intervenção.
    Pessoal o custo desta brincadeira esta ficando insuportável para a sociedade.

  • gualter diz: 29 de abril de 2014

    E qtos as drogas apreendidas no mesmo campus??????????? inversão de valores é pouco!

  • Rosi diz: 29 de abril de 2014

    Deve-se dizer que a aprovação foi por maioria e não por unanimidade. Foi voto vencido a proposição daqueles que queriam repudiar a violência de um modo geral, tanto de um lado quanto de outro. Alguns membros do CUn não mediram suas palavras e, certamente, foram escutadas bem longe. É tanta teoria da conspiração que não duvido nada que cheguem a dizer que foi tudo articulado pela NSA.

  • FUDÊNCIO diz: 29 de abril de 2014

    Dá-lhe Upiara!

    Fizeram foi média.
    Dizer que a Turma da “ESQUADRILHA DA FUMAÇA” utiliza o “…espaço público … vocacionado para a formação humana…” ai é de PHODÊ!

  • MAIS UM MANIFESTO DA REPÚBLICA DOS MACONHEIROS! diz: 29 de abril de 2014

    Ao invés de trabalhar, este bando de vadios fica excretando estas bobagens.

    Deviam é resolver a duplicação da Edu Vieira, que está empatando a cidade toda.

    Só faltam declarar a independência da “Maconhalândia”, fundando um novo país. Tudo para proibir a entrada da polícia.

    Imagino até a bandeira: fundo vermelho com uma folha da maconha beeem grande na frente.

    Só periga alguém roubar a bandeira para tentar fumar.

  • Manuela diz: 29 de abril de 2014

    Como dizia meu Avozinho:
    Ah! Uma Vara de Marmelo nesse Conselho.

  • Maria Sweiter da Silva diz: 29 de abril de 2014

    Um bando de aproveitadores e esquerdistas loucos isso sim. A PF tem que voltar e aproveitar e prender os membros do conselho. Vergonha, trabalhar e ensinar o que é correta nada!

  • Maria Sweiter da Silva diz: 29 de abril de 2014

    Perdão pelos erros e digitação. É revoltante! Uma boa dose de vergonha na cara e moral já ajudava muito, nada que inviabilize a vara de marmelo comendo no lombo deles.

  • Sandra Regina diz: 29 de abril de 2014

    Acompanhei a sessão do Conselho e quero registrar meus parabéns ao Diretor do CCJ, prof. Cancellier, que demonstrou lucidez, conhecimento jurídico e visão política. A votação não foi unânime (24×13) e Cancellier lembrou que não se pode fazer justiça com as próprias mãos, que o Estado democrático possui mecanismos para combater o excesso e a ilegalidade e que qualquer violência deve ser combatida. Na sua proposta não constava a referência à polícia. Pelo menos há alguém que ainda pensa nesta Universidade. Parabéns professor, pela coragem de dizer algumas verdades.

  • Max diz: 29 de abril de 2014

    Autonomia Universitária não significa liberdade para delinquir e infringir a moral e os bons costumes.

  • Zuca diz: 29 de abril de 2014

    Grandes coisas essa moção. Desordeiros e bandidos tem que ser tratados com o rigor da lei. Parabéns mais uma vez às policias e aos estudantes contrários à essa baderna (des)organizada. O choro é livre!

  • Décio diz: 29 de abril de 2014

    A cada dia em que pipocam nas redes sociais moções de desagrado a intervenção da Policia Federal e Policia de Choque no Campus da UFSC, fica evidenciado que Reitoria, Conselho Universitário se confundem e comprovam que a nossa UFSC foi tomada pelos vermelhos xiitas querendo transformar aquela instituição numa Republica de Maconheiros. Os verdadeiros Estudantes, Professores junto com a população tem que voltar as ruas para expurgar este diminuto grupo de vermelhos que não tem comprometimento algum com o desenvolvimento da nossa Universidade. São teleguiados por ideologias fascistas e revolucionárias sem espaço no mundo que vivemos a não ser em Cuba, Venezuela e Correia. Porque estes xiitas não vão para Cuba idolatrar o Governo Democrático de Fidel Castro ?

  • Jorge diz: 29 de abril de 2014

    Vindo de onde vem a tal “moção”, a polícia deve estar se borrando de medo do tal Konselho e não vai mais dormir de tanta preocupação.
    Me poupem, pitocos e patéticos esquerdopatas. Usem seu tempo para algo mais produtivo e útil para a sociedade que paga seus salários.

  • qes diz: 29 de abril de 2014

    Sou estudante da UFSC.

    Não sei mesmo de onde tiram os tais “conselheiros”, mas vale salientar que no maior centro da universidade, o CTC, bem como na grande maioria dos estudantes 0 repúdio a esses maconheiros é enorme, todos pedem por mais segurança. Essa esquerda que está no comando da UFSC só faz envergonhar os trabalhadores e alunos sérios da universidade, estragando a imagem da instituição, que deveria ser um refúgio do conhecimento e desenvolvimento científico e tecnológico.

    A autonomia universitária que tanto prega a esquerda não é sinônimo de anarquia, ela é garantida para decisões referentes ao ensino e elaboração de currículo.

    A universidade continua sendo parte do território federal, as leis lá dentro são as mesmas de fora, crimes cometidos dentro da universidade devem ser punidos da mesma forma que os cometidos fora dela. Não é por alguém se dizer um “intelectual” que as leis são alteradas, quer leis diferentes, busque as alterações pelos meios legais.

  • Fuma fuma fuma folha de bananeira…. diz: 29 de abril de 2014

    Oioioioió…

    Esses brous andaram fumando erva estragada!
    Envenenaram a maconha dos filósofos, foi a PF, não!
    Foi a tropa de choque! Não!
    Vamos fumar mais uma e depois a gente descobre quem foi…

  • Eugênio Luiz Gonçalves diz: 30 de abril de 2014

    A DECISÃO DO CUn DESSA TERÇA-FEIRA FOI AUTISTA – PREOCUPOU-SE APENAS COM SEU UMBIGO. Ousaria até dizer que respondeu com violência a própria violência praticada pela Polícia, sem diálogo como vamos melhorar o nosso País??

    (Uma semana antes do episódio do bosque os policiais federais, os mesmos, prenderam dois consumidores de drogas, e nada ocorreu – tem Boletim de Ocorrência no DESEG, sobre este fato. Está publicado no Jornal Zero, que teve alunos passando pelas salas de aula chamando outros – aulas foram suspensas, o vidro quebrado não o mesmo relatado no CUn, tem perícia comprovando, dito pelo DESEG. )

    Nesta reunião a teoria da conspiração prevaleceu, teve membro do CUn que chegou a afirmar que quem depredou o patrimônio público foi a própria polícia. Assim fica fácil se isentar de nossas responsabilidades rodando apenas o final feliz do filme. Nesta hora o contexto histórico ou psicológico dos fatos não contam, prevalecem os interesses individuais, apesar de todas teorias e experiências envolvidas nestas áreas do conhecimento.
    Ao aprovar a moção contra a violência no campus de Florianópolis ficou latente apenas a violência provocada pela Polícia. Mas, em relação ao vandalismo provocado por membros irresponsáveis da comunidade universitário não há moção de repúdio?? Agir dessa forma não seria uma decisão autista, preocupados apenas em se defender dos processos que serão movidos pela própria sociedade que as mantém com seus impostos? Como fica o prejuízo de R$ 30.000,00 (trinta mil reais) provocado ao carro da DESEG pelos vândalos? A UFSC deveria dar o exemplo para a sociedade catarinense não deu, se isolou na sua soberania ilegal. O CUn adotou o caminho mais curto, repudiar a polícia em detrimento do diálogo. Por exemplo, como instituição de ensino, educadora, se isolou, não procurou dialogar com a DESEG, com a policia militar ou Federal, não esclareceu os fatos. O Boletim de Ocorrência do DESEG contextualiza um determinado roteiro neste filme, e o CUn, adotou outro roteiro. Não cumpriu com um dos seus princípios que é de ser educadora. Pena.

    Mas nem tudo está perdido, o professor Fábio Lopes, Diretor da Editora, foi muito feliz ao reportar sobre o isolamento da UFSC perante a sociedade:
    “Parece que UFSC e Florianópolis só lembram que vivem na mesma cidade quando acontece alguma polêmica que as relacione. O divórcio entre a UFSC e a cidade é um dilema real, que exige medidas urgentes. A rigor, não é só com a cidade que a Universidade não conversa. O rompimento do diálogo vigora entre os próprios professores, cada qual encerrado na bolha de seus interesses intelectuais particulares, de seu próprio vocabulário técnico. A ideia é, enfim, tentar modificar, por pouco que seja, a curvatura do discurso acadêmico, tirando-o do autismo a que ele está hoje preso. professor Fábio Lopes, diretor da editora.”

    Sim, a UFSC com esta moção se isolou da sociedade, além de banalizar um dos entes do estado democrático que é a nossa polícia militar (fazem parte desta valiosa corporação pais de família convivendo direto com pressão diária , péssima remuneração e falta de contingente), desvalorizados pelos movimentos sociais, agora pelo CUn da UFSC. Tem equívocos nas ações na Polícia claro, como vamos ajudá-los?? Com essas moções autistas?Não sei se esta moção é arrogante, juvenil ou o ambos. O que vão pensar aqueles agentes públicos quando adentraram a UFSC para alguma ação? Com certeza, se já existe preconceitos em relação ao trabalho da Policia Militar, a UFSC e o seu CUn contribuíram para acirrar mais ainda este preconceito, ao não negociar, ao não dialogar. Pois bem, questiono com esta moção, que lideranças estamos formando a partir destes exemplos, em que prevalece apenas o interesse individual? O correto não seria a UFSC adotar a postura para coibir qualquer tipo de violência no CAMPUS da Trindade ou na sociedade , e contribuir com propostas para melhorar esta relação injusta para com a nossa valorosa política militar? Mas foi bem o contrário.
    Pois bem, para finalizar neste final de semana ocorreram tiroteios em festa na UFSC, vida aqui está em segundo plano, pelas atitudes até aqui adotadas.

    Vamos ver os próximos capítulos, vem aí o parecer da comissão. Esta é uma pequena contribuição para reflexões.

  • Maria Sweiter da Silva diz: 30 de abril de 2014

    A “autonomia universitária” é no sentido de fazer tudo de acordo com a lei, e não de qualquer forma. Os ignorantes confundem autonomia com liberdade plena, é uma pena que numa universidade não se consiga dar a interpretação correta aos vocábulos, quem sabe esses professores, reitores e etc, não precisam voltar novamente para a escola? Autonomia não se confunde com libertinagem, ausência de respeito as pessoas e as leis e nem com liberdade de fazer o que “der na telha”, antes de fumarem, olhem o que estão fumando, rsrsrsr, fumaram a folha errada. A PF deve voltar lá e baixar o porrete.

  • marcelocardosodasilva diz: 1 de maio de 2014

    …Esta “tal” Maria SWeriter;;;…………. …e de “baixar o porrete!”?…………. …”antes de fumarem, olhem o que estão fumando, rsrsrsr, fumaram a folha errada.” ………….Vai estudar Sua Retardada!!! …………..”Polícia prá QUEM precisa de Polícia!!!”

  • Estudante Engenharia UFSC diz: 1 de maio de 2014

    Atenção foi apreendido GRANDE QUANTIDADE DE DROGAS – 5 cigarros, PQP, ineficiente é um adjetivo injusto pra essa PF.

    Sou estudante do CTC, e sim, acho a ação da polícia extremamente errada, principalmente naquele lugar perto das creches. Aliás vale salientar que não foi pego NINGUÉM fumando naquele local e que dos 5 presos 2 eram estudantes do CTC.