Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Desastre repercute na população

14 de agosto de 2014 3

É impressionante constatar nas ruas de Florianópolis e nas redes sociais a profunda consternação que tomou conta de lideranças politicas e corporativas, dirigentes sindicais. Surpreendente também os lamentos até de populares, alguns até que pouco conheciam a biografia de Eduardo Campos. Este impacto tende a provocar fatos novos na campanha também no Estado.

Comentários

comments

Comentários (3)

  • Joan Marcondes diz: 14 de agosto de 2014

    Sim, vai mudar tudo aqui…Vai mudar o santinho só… Vai chegar o dia da eleição e nem lembram mais o nome do cara, parece que não conhece Brasileiro Moacir. A imprensa tá começando a forçar a barra. Eleitor de Marina é Dilma e Marina não tem candidato no estado. Máximo é o Paulinho surfar um pouco, mas se Marina subir no palanque das oligarquias Bauer, Amin e compania, perigo afundar mais. No mais, não muda nada aqui,

  • Luis diz: 14 de agosto de 2014

    A tragédia, a imolação, trará de volta ao cenário político a coisa mais limpa que apareceu na podre política brasileira: Marina Silva. Para azar do playboy e da matrona. Voltamos a ter voto “limpinho”, uma possibilidade de poder sem a treva, o câncer, a bicheira, o tal PMDB.

  • Irineu diz: 14 de agosto de 2014

    Nas minha modesta opinião, acho que a morte do Eduardo Campos e entrada de Marina Silva, na cabeça de chapa, PSB, não vai causar nenhuma reviravolta na eleição de outubro. Até porque a maioria quase que absoluta do eleitor, na sua cabeça já tinha o candidato certo e se houver vai ser um incremento mínimo, quase não percebível, de alguma meia dúzia de votos daqueles que seguram o voto para negociar até última hora.