Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Provedor despede-se de colunista

21 de agosto de 2014 Comentários desativados

O Provedor em exercício da Irmandade do Senhor dos Passos, Luiz Mário Machado, fez a saudação de despedida nos funerais do colunista social Zury Machado. Lembrou sua generosa atuação na instituição. Leia:
“A única coisa tão inevitavel quanto a morte é a vida.”
Charles Chaplin
(ninguem pediu pra nascer e a morte é inveitavel)

Poderia me dispor a falar do Cidadão Zury Machado, personagem de grande valor cultural e social. Poderiamos falar de tristeza, mas não era essa a personalidade do nosso querido Zury. Então vamos relembrar um pouco dele. Pois, sei que cada um dos presentes teria algo a dizzer desta longa convivencia dele conosco.

Vou me ater a falar daquelas qualidades do Zury que todos nós conheciamos e tinhamos sempre uma referência elogiosa a seu respeito.

Nascido em 7 nde setembro de 1922, registrado no Cartorio de Tijucas, filho de familia simples, seu pai era sapateiro em Tijucas. Zury Estava prestes a completar 92 anos.

Iniciou a vida como engraxate, trabalhou na MODELAR MOVEIS, SUL AMERICA SEGUROS, nos nas fabricas do Hoepeck, em 1961 passou a ser o Chefe do Cerimonial da ALESC onde se aposentou, e mesmo assim continuou a trabalhar, até o ano de 2008.

Amigo de toda a comunidade desta Capital dos mais simples aos mais abastados e privava de relaçoes com as mais diversos autoridade: politicos, militares, eclesiasticas e judiciarias, locais estadual e nacional.

Colunista de singular escrita e apresentação dos fatos sociais e pitorescos da vida cotidiana, era um incansavel promotor e organizador de eventos que prestigiavam a boa convivencia e o filantropismo, por mais de 65 anos e enquanto a sua energia lhe permitia.

Zury era conhecido como um homem vaidoso, fino e de alta educação, incapaz de se indispor ou de gerar situações de confronto, mas era determinado, discreto, atencioso e mais um fiel devoto do Senhor do Passos e desta magnifica Obra que é o Hospital de Caridade.

Somos testemunhas de que em dezenas de vezes renunciou ao lazer e a sua privacidade para, aqui, trazer uma palavra de consolo, de contribuição, de despojamento humano e espiritual.

Tal fé, despojamento e crença no Senhor dos Passos e esta magnifica obra do IHC motivou que Zury, em vida, doasse todo seu acervo artistico e patrimonial para a manutenção e continudidade do Hospital.

Gesto esse que jamais esqueceremos e da qual nos faz refletir sobre os reais valores da vida e da fé.

De vida discreta e regrada, foi um ativista social e da fé cristã catolica, ensinamentos deixados ja por seus pais.

A Irmandade SJP e o IHC estão muito mais triste com o desaparecimento deste Irmão, mas o vigor da sua idade nos dá energia para continuar, a exemplo dos seus passos, nesta caminhada de Caridade, Filantropismo e Fé.

Fique em paz Zury.
Voce fez a sua parte.
Nos continuaremos marchando juntos na busca da felicidade humana.”

Comentários

comments

Não é possível comentar.