Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

O discurso e a crise econômica

02 de setembro de 2014 10

Da coluna de hoje do Moacir Pereira

A inflação oficial está em 7%. Quem frequenta os supermercados, contudo, sabe que os produtos básicos tiveram aumentos muito maiores. O PIB, que o ministro Mantega prometera para 2,5%, começou a cair e está abaixo de zero. É recessão técnica.

O Brasil tem a 7a maior economia do mundo. E está na 29a posição na exportação de manufaturados. O saldo da balança comercial despencou em apenas um ano. Caiu de U$ 20 bilhões para U$ 2,5 bilhões. O número de empresas exportadores teve queda de 16%. A produção industrial desacelerou, o comércio reduziu as vendas, o crédito ficou mais escasso. O mercado interno está mais restrito.

Em termos de competitividade o Brasil ficou pior, sem perspectivas. A carga tributária no Brasil é de 37% do PIB, contra 24% dos Estados Unidos e 19% do México. Os juros estão aqui a 10,9%, enquanto no México em 3,8% e nos EUA 0,23% negativos.

Nos últimos dez anos, o custo da energia no Brasil teve aumento de 90%, contra 30% nos Estados Unidos e 55% no Médico. O gás teve preços menores em 25% no período, contra elevação de 60% no Brasil e também menos 37% no México.

O Brasil está em 116º lugar em termos de burocracia. Os americanos ocupam a quarta colocação e o México.  Aí, vem o vice-presidente Michel Temer (PMDB) proclamar em Santa Catarina que “a economia está absolutamente tranquila”.

Depois querem saber porque Marina Silva (PSB) sobe como foguete!

Comentários

comments

Comentários (10)

  • Carlos Henrique diz: 2 de setembro de 2014

    Socorro, a inflação está descontrolada. Marina, venha nos salvar.

    Veja por exemplo o IGPM, que costuma antecipar a tendência futura dos demais índices de inflação:

    maio: -0,13%
    junho: -0,74%
    julho: -0,61%
    agosto: -0,27%

    acumulado no ano: 1,54%

    Quanto às demais informações, o mundo inteiro está em recessão após a crise de 2008. Acho até que demorou demais para sentirmos os reflexos aqui no Brasil. Agradeçam ao Mantega.

    A narcocracia mexicana não é comparação para nada. Desabou junto com os EUA na crise e agora vem tentando se reerguer.

  • Ronaldo diz: 2 de setembro de 2014

    Pelo fato de 75% da população não terem o hábito da leitura, acabam acreditando no que escutam…”Que está tudo uma maravilha”.

  • Rodrigo Passoni diz: 2 de setembro de 2014

    E eu acrescentaria: ontem no debate do SBT, mais uma vez a Dilma na maior cara de pau MENTIU afirmando que a inflação está muito próxima de ZERO. Ela fala isso baseada na inflação no mês de julho em relação ao mês de junho do mesmo ano, ou seja, 2014. Nunca antes nesse país (e em nenhum lugar do mundo) a inflação ANUAl foi medida por um MÊS. É muita cara de pau, hipocrisia, mas principalmente, MÁ FÉ!

  • Carlos Alberto diz: 2 de setembro de 2014

    Já passou da hora de tirar essa corja do governo. Bando de quadrilheiros e mentirosos.
    Ainda pensam que todos acreditam neles.

  • José Germano Cardoso diz: 2 de setembro de 2014

    Mas ué!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Querem a economia de mercado ou nas mãos do Estado como na antiga União Soviética ?
    Tem tico não batendo com teco ultimamente…

  • Almir Wagner diz: 2 de setembro de 2014

    Só pra lembrar: a política econômica é controlada, a grosso modo, por três alavancas interligadas: emprego, inflação, crescimento e distribuição de renda. Governos neoliberais tendem a usar mais as alavancas do crescimento e do controle da inflação. Governos mais voltados para o social tendem a usar mais as alavancas do emprego e da distribuição de renda. Só para se ter uma ideia, o salário mínimo alto e o alto nível de emprego são impulsionadores da inflação. Um governo que se volte para o controle da inflação, fatalmente irá comprometer o emprego. É uma questão de escolha. O que a mídia em geral não mostra, inclusive este post, é a situação dos demais indicadores, ou seja, estamos sim com baixo crescimento e inflação preocupante. Mas estamos com alto nível de geração de empregos e com boa distrtibuição de renda.

  • Hanibal Silva diz: 2 de setembro de 2014

    Isso que o Moacir ontem fez questão de escrever que “não é contra nenhum candidato”.

  • Miguel José Teixeira diz: 2 de setembro de 2014

    “Roma pega fogo e nero toca lira. . .”

    Trocaria a última frase por:
    E nossos principais candidatos ficam à debater o sexo dos anjos. . .

  • André diz: 2 de setembro de 2014

    Olá Moacir,

    Que o senhor aderiu à “novidade” da campanha Marina Silva e seu socialismo à la Bornhausen, nós já compreendemos! Que a candidatura Marina é muito mais simpática aos olhos dos anti-petistas, está claro!!!

    O que ainda seria necessário, na minha modesta opinião, seria esse pessoal que acha a candidatura Marina a resposta para os males do país começar a explicar como seria (ou será) esse governo. Porque até agora, ninguém explica… Só o Reinaldo Azevedo (e olha que eu não gosto das posições dele) se dignou a perguntar.

    O que Marina fará com Belo Monte? O senhor que anda preocupado com o preço da energia, não está curioso???

    Como Marina manterá os planos sociais e ao mesmo tempo diminuirá a inflação e combaterá o desemprego? Quem será o mago da economia que fará essas 3 coisas simultaneamente?

    Como Marina aprovará suas ideias no Congresso? Com um partido nanico apoiando e sem contar com os caciques do PMDB (que ela e o morto disseram que irão para a oposição), sem contar com o PT (que deverá ter a maior bancada da Câmara), com que votos ela contará?

    Como Marina pretende “unir o Brasil”, se não consegue manter unida nem sequer sua equipe de campanha? Hoje mais uma baixa aconteceu… Já é a 3ª ou 4ª em aproximadamente 10 dias!!!

    Será que nada disso importa? Será que basta “tirar o PT” do poder a qualquer custo? Será que essas questões não irão fazer parte das preocupações de vocês da imprensa?

    http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/politica/eleicoes-2014/noticia/2014/09/dirigente-do-psb-para-politicas-lgbt-deixa-campanha-de-marina-4589035.html

    Por enquanto, só vi o senhor curtir a “onda” Marina, tentando aproximá-la do Paulinho… É isso? Vale a pena elegê-la para garantir meia dúzia de outras eleições???

    Fico perplexo ao ver esse movimento!!!
    André

  • Giffoni diz: 2 de setembro de 2014

    Caro Colunista, estou pasmo ao verificar que você não sabe como é calculado o índice oficial de inflação: obviamente – desde que o mundo é mundo e a economia é tratada como ciência – que de qualquer cálculo inflacionário é abstraído os preços sazonais, bem como aqueles que, por fatos fora da curva (boa, essa), não devam “envenenar” os índices. Portanto, lamentável a sua colocação sobre a inflação; aliás, já que cita os supermercados, devia, também, verificar aqueles produtos que caíram o suficiente para manter o índice no patamar afirmado (que, na verdade, é menor do que 7% e, mais, está dentro das metas estipuladas pelo governo federal e aprovada pelo Congresso). Por favor.