Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Marina: a negociação e o diálogo

05 de setembro de 2014 10

marina

Da coluna de hoje do Moacir Pereira

A candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, defendeu em Porto Alegre, ao participar do Painel RBS – Eleições 2014, mais agilidade dos órgãos ambientais na liberação e licenças para obras federais de infraestrutura, como a duplicação catarinense da BR-101.

Questionada, também, sobre atrasos por questões indígenas, na construção de estradas ou por conflitos com os colonos, voltou a falar em negociação e ação preventiva do poder público. Defendeu respeito aos direitos de colonos e indígenas.

Diálogo e negociação foram as palavras mais usadas pela socialista quando foram colocados temas controvertidos. Mas foi clara em relação a várias questões de interesse nacional. Por exemplo: a defesa de efetiva parcerias entre o poder público e a iniciativa privada para viabilizar investimentos e proporcionar maior crescimento do país.

Marina revela densidade política e consistência ideológica sobre todos os assuntos. Mas não chega a avançar como vai, objetiva e concretamente, equacionar os principais dilemas. Articulada e firme, demonstra mais conteúdo teórico do que soluções práticas.

O conhecimento, o conteúdo e as qualidades retóricas mostradas no Painel RBS contrastam com seu tipo físico frágil. Ressalta, sobretudo, sua autoridade política para se posicionar sobre questões complexas e graves da vida brasileira.

É exatamente esse discurso da nova política, de reunir os melhores, de parcerias, de diálogo e negociação é que oxigena sua candidatura.

Comentários

comments

Comentários (10)

  • Jonas diz: 5 de setembro de 2014

    Entre ela e a Dilma, prefiro a Dilma. ( nunca votei no PT mas essa Marina é um engodo

  • mano diz: 5 de setembro de 2014

    Muito bem Moacir, foste imparcial e correto.Torço p/que ela ganhe e que esta corrupção, que mata milhões, diminua ou acabe c/ saída de certos políticos.Mudemos para melhor.
    Já dizia um certo político em campanha: Quer que o Brasil cresça, é só não roubarem dele.

  • Antuerf diz: 5 de setembro de 2014

    Infraestrutura na região oeste a muito deixou de existir. Uma vergonha os descaso com as BR282-BR153-BR116 E BR158….fora a 470 que a Dilma disse que ficava pronta em 2010…Hoje parece que só a BR101 existe, quando os candidatos vão se comprometer com as outras!!!

  • Carlos Henrique diz: 5 de setembro de 2014

    Governar com os melhores, passando por cima dos partidos?
    Isso não existe. Ou ela está se iludindo ou, o que é pior, iludindo os outros.

    Nesse caso cabe sim a comparação com outros políticos que tentaram governar desse modo, como Jânio e Collor.
    Nenhum desses aí completou seu mandato.

    Até o PT tentou governar assim, e o resultado foi o mensalão.
    Teve que correr para os braços do PMDB para salvar seu governo.

    O potencial de crise é grande, se eleita.
    Se persistir nessa ideia, não conseguirá governar.
    E quando abandonar esse projeto, o que fatalmente acontecerá, terá cometido estelionato eleitoral.

  • Giffoni diz: 5 de setembro de 2014

    Não misturemos as coisas, caro Colunista, o fato de a Maria Osmarina ser articulada em seu discurso, nada acrescenta à sua pseuda “densidade política e consistência ideológica”, tanto que dela nada se aproveita objetivamente. Muita demagogia, isto sim. Melhor avaliar com cuidado suas frases (vazias) de efeito politicóide, bem como a ideologia (hoje assim, amanhã talvez, antes, nem pensar) dançante com que se apresenta. Se conseguir espelhar apenas uma ideia consistente do ponto de vista legal, já estaria de bom tamanho. Nem isto. E, desde sempre, devia – como candidata à presidência da república – explicar com consistência a “estória” que cerca o jatinho…

  • gualberto cesar dos santos diz: 5 de setembro de 2014

    Quanta fantasia como se fosse magia – e como se de posse de uma varinha de mágica de feitiço – tudo o que ela diz fosse realizável.
    E porque não perguntaram a ela as fontes de recursos para a realização das promessas sem nexo … premissas falacias sem poderem ser exequíveis.

  • gualberto cesar dos santos diz: 5 de setembro de 2014

    Moreira Salles por sua sabedoria e integridade nunca se envolveu em política e aconselhava aos seus genros e filhos a passarem pelos caminhos dela – mas não permanecerem nela – (?)
    Já O Itau – diferentemente era titulado por um cidadão respeitado pela sua simplicidade – mas que fez fileira com a ditadura de 1964 – que marcou a história da Nação com tantas e tamanhas ações questionáveis até os nossos dias.

  • ROQUE diz: 5 de setembro de 2014

    Como dizia meu velho e saudoso pai: “conversa pra boi dormir”

  • Irineu diz: 5 de setembro de 2014

    Nos últimos dias, estão pipocando nas redes sociais críticas à Marina Silva. Uma das principais, é o “amadorismo” que está demostrando no plano de governo (copiou), se deixando levar pela interferência de pessoas fora da sua coordenação (Silas Marafaia), onde se obrigou, alegando errata, a trocar o apoio pelo não apoio aos homossexuais, entre outras.

  • Rosana Valéria diz: 6 de setembro de 2014

    Segundo Aristóteles:”O ignorante afirma, o sábio duvida, o sensato reflete.”
    Já foi constatado que o acidente com Eduardo Campos foi proposital.
    Somente para as pessoas que não tem dificuldade em refletir e relacionar os fatos, fica claro que Eduardo Campos estava conduzindo a eleição para o segundo turno entre Aécio e Dilma.
    Curiosamente o tiro saiu pela culatra, ou seja, quem subiu nas pesquisas foi Marina Silva através do voto de comoção.
    Temos um povo acéfalo que por comoção vota em Marina, e comoção não põe pão na mesa de ninguém!
    Além dos acéfalos, temos as pessoas com memória fraca, que esqueceram que Marina era do PT, e quando veio a tona o mensalão saiu de fininho. Tanto os acéfalos como os desmemoriados esqueceram que Tancredo Neves teve um fim questionável.Tão questionável quanto o futuro de seu neto. Parece que a única coisa que o povo não quer é mudança, ou seja tá na merda mais tá quentinho.
    E há quem diga, que o povo brasileiro esta ficando politicamente esclarecido!