Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Acif faz nova campanha do Impostômetro

30 de setembro de 2014 11

A Associaçao Comercial e Industrial de Florianópolis está retomando esta semana a campanha do “Impostômetro”. Informa à população que cerca de um bilhão de reais foram pagos em impostos federais até agora somente pelos contribuintes da Capital. A Acif quer criar consciência sobre o tamanho da carga tributária e exigir retorno em obras e serviços federais.

Comentários

comments

Comentários (11)

  • Gualberto Cesar dos Santos FLNSC diz: 30 de setembro de 2014

    http://www.facebook.com/OntoPsiquico

    “Impostômetro”?

    Penso que seria de se questionar a ACIF – se há algum Imposto que está sendo cobrado que seja ilegal (Inconstitucional)?
    Essa pressão em época de eleição – parece ser – uma certa pressão a quem de Direito que cobra os Impostos – com motivos políticos?
    Os empresários da ACIF tem filiação partidária – no questionamento pergunta-se – os associados que ocupam a Diretoria Executiva – Conselho Consultivo – Conselho Fiscal?
    Existe algum braço social – Ação e Promoção Social da ACIF em favor dos pobres que pudesse merecer o uso de isenção de impostos em favor de parte do tecido social?
    E o que a ACIF está fazendo em favor de medidas concretas para acabar com o “inferno” da imobilidade urbana na Grande Florianópolis.
    A ACIF como se encontra tem afinidade com partidos e políticos tentando um postulado como candidato nesta eleição majoritária e proporcional?
    Não entendi a nota porque ela vem “curta e sem aprofundamento – ou justificativa plausível.
    Pois na realidade quem paga os impostos são os consumidores – cliente das empresas comerciais e de serviços?
    Em tempo – já existe organizada e em funcionamento a Associação das Prestadoras de Serviços na Capital do Estado?
    Idem para a Associação dos Transportes da Capital do Estado?
    Até pela natureza específica do que a Legislação permite.

  • Só o Impostômetro não basta! diz: 30 de setembro de 2014

    Porque a “casta” do funcionalismo público contra-atacou criando o tal do “sonegômetro”.

    Criaram o “sonegômetro” para dizer que a culpa da falência do Estado é NOSSA, do contribuinte.

    A ACIF tem que criar o “DESPERDICIÔMETRO” para apontar quanto dinheiro a Administração Pública desperdiça com obras inacabadas, malfeitas, sem necessidade ou/e planejamento.

    Também é bom criar um “CORRUPTÔMETRO” para divulgar as estimativas de quanto é roubado pelos corruptos neste país e também em SC.

  • Jorge diz: 30 de setembro de 2014

    ELEIÇÕES 2014.
    NOVOS TEMPOS, NOVOS DESAFIOS.
    Fortalecer o ensino básico e implantar mais escolas técnicas.
    Valorizar os professores e os profissionais da saúde e segurança.
    Construir novos hospitais e aparelhar as unidades de saúde.
    Simplificar e automatizar o sistema tributário.
    Desenvolver e supervisionar os programas sociais.
    Reduzir as alíquotas dos impostos para os que ganham menos.
    Estimular o trabalho formal e remunerar melhor o fundo de garantia.
    Estender o adicional de 25% aos aposentados por idade e/ou tempo de contribuição que necessitam de cuidados permanentes.
    Oferecer as diaristas e as trabalhadoras autônomas o benefício da nova licença-maternidade.
    Encontrar um substitutivo ao fator previdenciário que atenda as necessidades da previdência sem ferir as expectativas dos segurados.
    Conceder aumento real aos aposentados.
    Investir para melhorar a mobilidade urbana.
    Cuidar do meio ambiente e realizar as obras necessárias de saneamento.
    Providenciar a infraestrutura necessária para o desenvolvimento sustentável.
    Fazer um governo eficiente, participativo e transparente.

  • Giffoni diz: 30 de setembro de 2014

    Tem de ser esta semana, véspera das eleições. Depois, por favor, avise-nos sobre quando ocorrerá a desativação…

  • Irineu diz: 30 de setembro de 2014

    Porque esta campanha é refeita somente em véspera de eleição?. Não lhe parece ser uma campanha eleitoreira?. Com a palavra a ACIF.

  • Almir Wagner diz: 30 de setembro de 2014

    Porque ninguém até agora pensou em criar o JURÔMETRO? O empresário não paga imposto. Somente repassa. Porém, ao tomar crédito paga juros absurdos e parece que isso não os incomoda. Logo, tem algo de errado com este discurso.

  • Pedro diz: 1 de outubro de 2014

    Sempre com o mesmo discurso este “paladino” dos empresários. Que tal sugerirmos a criação do “Sonegômetro” já que a cada real pago de imposto outro real é sonegado!

  • Contribuinte revoltado. diz: 2 de outubro de 2014

    Vim ver se a notícia tinha gerado algum debate.

    Para variar, apenas os comentários rasos dos paus-mandados de sempre, pertencentes a “casta” do funcionalismo público, onde também orbitam os sindicalistas, membros de cooperativas, etc.

    Gente que acha que trabalha, mas que NUNCA produziu nada de útil para SC ou o país e que vive usando os antrolhos de uma ideologia burra e ultrapassada.

    E me vem falar de “sonegômetro”, instrumento útil apenas para esconder a incompetência dos membros da máquina pública e a falência do Estado e da União.

    Enquanto isto, o resto de nós tem que carregar esta turma nas costas, através do pagamentos de tributos escorchantes.

    Realmente? Dá desânimo ler os comentários ceguetas que colocam aqui.

  • Telemaco diz: 3 de outubro de 2014

    É justa a campanha da AFIF. A reforma tributária é essencial e inadiável. Agora, qualquer pessoa que se interessa pelo assunto, mesmo os adeptos do “tucanismo”, os reis da decência e da honestidade no Brasil, sabe que o combate à sonegação fiscal faz parte do pacote da reforma tributária. Ser contra ou achar que a sonegação é piadinha, é muita burrice ou má intenção mesmo.

  • Pedro diz: 3 de outubro de 2014

    Sr. “contribunte revoltado” parece ter dificuldades com as ironias dos comentaristas. Já que somos todos “ceguetas’, por favor, brinde-nos com seus comentários brilhantes, apresente-nos suas alternativas ao que aí está, por favor! Nós precisamos tanto ouvir pessoas como o Sr!

  • Péricles diz: 3 de outubro de 2014

    “Vim ver se a notícia tinha gerado algum debate”… e resolvi atacar os funcionários públicos, sindicalistas, membros de cooperativas… Devo culpá-los afinal são eles que criam os impostos, mas sonegam, são os maiores corruptos, eles que fazem mau uso dos recursos públicos! Faliram o estado! Não seria melhor o ilustre e revoltado “contribuinte” resumir a sua frase dizendo: É culpa do PT! É pra rir ou pra chorar?