Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Afrânio Boppré diz que houve promessa de mensalão e quer anular sessão que reajustou IPTU

21 de outubro de 2014 13

Vereador Afrânio Boppré, que foi candidato ao governo estadual pelo PSOL, está enviando a várias instituições públicas e particulares cópia de denúncia do vereador Marco Aurélio Espíndola, o Badeko (PSD). Badeko afirmou que vereadores da Câmara de Florianópolis receberam garantia do prefeito Cesar Souza Junior (PSD) de recebimento de R$ 1 milhão em emendas individuais para aprovação do projeto de lei que reajustou o IPTU da Capital.

Afrânio está enviando a denúncia ao Ministério Público Estadual, OAB-SC, Sinduscon, CDL e Acif, entre outros. Também defende a tese que a partir desta denúncia será possível impetrar ação para anular a sessão que reajustou o IPTU, no momento sendo julgado pelo Tribunal de Justiça do Estado.

Comentários

comments

Comentários (13)

  • Secretaria Municipal de Comunicação de Florianópolis diz: 21 de outubro de 2014

    Prezado Moacir Pereira.
    Por favor, apenas a título de esclarecimento.
    Em momento algum o prefeito Cesar Souza Junior garantiu ou prometeu algo em troca de votos para aprovação de qualquer projeto. O prefeito Cesar Souza Junior repudia de forma veemente esse tipo de prática. O que o prefeito disse à época da tramitação do projeto de lei que atualiza a Planta Genérica de Valores foi que, com a sua aprovação, a administração poderia atender as demandas de vereadores, através de emendas. Emendas de vereadores da situação e também da oposição. Um dos motivos pelos quais a Prefeitura não atende plenamente as solicitações dos parlamentares é justamente a dificuldade financeira enfrentada atualmente. Cabe ressaltar que o vereador Marcos Aurélio Espíndola foi à tribuna nesta segunda-feira fazer uma retratação, já que, como ele mesmo reconheceu, se expressou mal ao falar sobre o assunto.

    Atenciosamente,
    Secretaria Municipal de Comunicação
    Prefeitura de Florianópolis

  • claudia diz: 21 de outubro de 2014

    Moacir parabens pela materia. Vereador Afranio, parabens pela coragem… mas vou deixar uma sugestão… para que você tenha mais argumentos para acabar com a vergonha que assola a Camara de Vereadores e a atual administração.

    Esta situação é muito facil de ser verificada e comprovada… basta buscar no diário oficial do municipio de Florianópolis as pessoas que formam exoneradas pelo Sr. Prefeito logo após a votação do projeto do IPTU, os vereadores que eram da base do governo e que não voltaram em favor deste projeto… perderam todos os cargos que possuiam na atual administração e não foi um vereador foram mais de 3 vereadores…
    Estas pessoas foram indicadas por estes vereadores para ocuparem cargos dentro da admnistração direta e indireta… e como o seu protetor (vereador) não seguiu a cartilha do Prefeito… todos foram exonerados.. e isto vem acontecendo de forma frequente na Prefeitura…
    Basta acompanhar o diario oficial da PMF e todos verão … a rotatividade de indicação (nomeação) e exoneração de pessoas….
    Como uma administração dar conta de tantos problemas da cidade… com pessoas… que sequer ficam 3 meses em um cargo… a rotatividade é pior do que os carros na Zona Azul…

  • gualter diz: 21 de outubro de 2014

    Quanta MORAL tem o Afranio, apoiador e que declarou voto em Dilma e no PT para falar em mensalao….piada

  • Felipe Cardoso diz: 21 de outubro de 2014

    Olá Moacir,
    É claro que isso não foi proposital, mas da maneira como está escrita, a manchete pode dar a entender que o vereador Afrânio tem ligação com o caso do escândalo. Quando na verdade ele apenas está denunciando o ocorrido.
    Não seria mais informativo avisar: “Cesar Souza Junior recebe denúncia de mensalão em Florianópolis”?
    Essa é a minha sugestão.
    Continue com o ótimo trabalho!

  • Roberto diz: 21 de outubro de 2014

    Moacir, meu caro.

    Ao líbelo acusatório do Ver. Afrânio, poderá ser anexado a nota do Prefeito Cesar Souza Jr., citada logo no início do seu Blog e já por mim comentada.

  • Alexandre Lino diz: 21 de outubro de 2014

    A sujeira tão perto da gente, muito triste.

  • Joel H Nunes diz: 21 de outubro de 2014

    O povo de Florianópolis merece os vereadores que legitima para administrar a cidade.

    Espero que, pelo menos agora, reconheça a bobagem que pratica, historicamente.

  • Manoel diz: 22 de outubro de 2014

    Não da pra confia mas em ninguem, o povo ta ferrado ficando a merce nas mão deste mafiosos.

  • Hortenila diz: 22 de outubro de 2014

    Todos que foram contra o aumento do IPTU é porque MUITO possuem e NADA querem PAGAR! Nao há MENSALAO nenhum! Estão é querendo imitar o PT e inventar mentiras! O Prefeito está certo! Os ricos cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres! Depois colocam cerca elétrica para proteger suas mansões!!

  • henry fred diz: 22 de outubro de 2014

    FORA O AUMENTO DO IPTU, VAMOS TODOS SER ARROCHADOS PELA UNIÃO COM O PROJETO DE INCLUIR AS RESIDÊNCIAS DE FLORIANÓPOLIS COMO TERRENO DE MARINHA GERANDO UM NOVO IMPOSTO, BASEADOS SABEM EM QUÊ?????
    TABELA DE MARÉ DE 1930…..

  • Amaro Juvenal Neto diz: 22 de outubro de 2014

    O vereador Badeko (PSD) é figura habitue quando o assunto é a picaretagem na política. E não é de estranhar que tenha denunciado este que se configura em um grave escândalo envolvendo o prefeito. Um verdadeiro mar de lama! Dias atrás, o próprio DC publicou que o referido vereador foi convidado a se retirar da casa do pai do prefeito. Parabéns ao vereador Afrânio pela coragem em não deixar engavetar mais essa denúncia.

  • Maus Ventura diz: 3 de novembro de 2014

    Prezada Secretaria Municipal de Comunicação de Florianópolis, há uma contradição no discurso: “Em momento algum o prefeito Cesar Souza Junior garantiu ou prometeu algo em troca de votos para aprovação de qualquer projeto…” “O que o prefeito disse…que, com a sua aprovação, a administração poderia atender as demandas de vereadores, através de emendas.”

    Não há a indução do pensamento que tais demandas só caminharão se o IPTU for reajustado conforme deseja a instituição?