Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Criciúma, inédito: quatro prefeitos em dois anos

26 de fevereiro de 2015 6

Ao revogar liminar do presidente do Supremo, Ricardo Levandowski, o ministro Luiz Fux, do mesmo STF, provovou uma nova reviravolta na Prefeitura de Criciúma. Restabeleceu o mandato do prefeito Márcio Búrigo, do PP, afastou o prefeito Clésio Salvaro, do PSDB, e determinou que o TSE e o Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina executem a decisão com urgência.

Esta é a quarta tempestade jurídica a provocar mais instabilidade política e administrativa na Prefeitura e muita confusão na cabeça da população. Ninguém consegue entender como é possível que o mesmo Tribunal adote medidas rigorosamente antagônicas.

Há mais de dois anos que Criciúma vive esta tormenta. Neste período vai completar quatro posses de prefeito. Ao vereador Itamar Silva, interinamente, no início de 2013, depois ao prefeito eleito Márcio Búrigo. Com a decisão do ministro Ricardo Levandowski assumiu no dia 15 de janeiro de 2015 o tucano Clésio Salvaro. E agora, com a nova liminar, assumirá o ex-prefeito Márcio Búrigo.

Curiosa é a situação dos dois prefeitos que brigam pelo cargo. Búrigo foi eleito vice de Salvaro em 2012. Com a cassação de Clésio Salvaro, Márcio Búrigo disputou e venceu fácil. Assumiu e as relações com Salvaro ficaram estremecidas. O rompimento se agravou com a posse de Clésio Salvaro agora em janeiro. Tanto que Márcio Búrigo, enquanto aguardava o resultado de seus recursos no STF, articulava aliança com o PT para disputar contra Salvaro a Prefeiura de Criciúma em 2016.

Pergunta que não quer calar: o Supremo tomará outra decisão para beneficiar Clésio Salvaro? Só o tempo dirá.

Entenda o caso:
::: Decisão de STF para volta de Clésio Salvaro à prefeitura de Criciúma agita cenário político na cidade no Sul de SC

Comentários

comments

Comentários (6)

  • Luiz augusto diz: 26 de fevereiro de 2015

    O meritíssimo Juiz de Direito do caso Eike Batista vai morar em Criciúma. Cuidado que ele leva para casa os bens dos réus .
    Salvaro e Burigo devem se cuidar.

  • Marcelo diz: 26 de fevereiro de 2015

    O ministro FUX apenas corrigiu a atrocidade jurídica do ministro Levandowski, que em uma decisão monocrática foi contra decisão anterior do “pleno”.
    Tudo muito estranho, o pleno decide pela retroatividade, Salvaro recorre duas vezes e nos dois recursos a decisão do ministro Celso de melo é a mesma do Pleno. sabendo que se recorresse novamente o recurso iria para o mesmo ministro, ele esperou o período de recesso no tribunal, onde fica apenas um ministro de plantão ( Levandowski ), então entra com outro recurso e o mesmo é aceito.

    Oque lhe parece?????
    pois para mim é pura interferência politica na justiça.
    Com a volta do recesso e com o Marcio tendo recorrido, o processo voltaria ao ministro relator ( Celso de Mello) mas o mesmo alegou problemas de foro intimo para não mais julgar o recurso, por sorte, sorte mesmo pois os processos são sorteados, por sorte o processo caiu para o ministro Fux…
    e foi feita justiça, de fato e de direito…

  • Edison Correa da Silva diz: 26 de fevereiro de 2015

    Se o prefeito de Criciúma Clésio Salvaro não fosse do PSDB o presidente do Supremo, Ricardo Levandowski, cassaria o seu mandato?

  • Giovanni Brighente Silviera diz: 26 de fevereiro de 2015

    Vergonha esse Márcio Búrigo! Deveria agradecer ao Salvaro e não disputar com ele! Agora se juntar aos vermes do PT!

  • Ricardo diz: 26 de fevereiro de 2015

    Márcio deveria se envergonhar, pois foi eleito com os votos de Salvaro, ele não tem força política nenhuma, a cidade não o quer na prefeitura, pois em 2 anos não colocou um prego, e ainda se deixa enganar pelo governador e vice, que a tempos prometeram verbas para melhorar a mobilidade urbana de Criciúma, e o deixam em “banho maria” para garantir apoio político. Márcio é fraco e não tem pulso firme para estar a frente de uma das mais importantes cidades do estado.