Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Calamidade no oeste de SC

28 de fevereiro de 2015 1

A reunião mensal do sistema Fiesc foi marcada por depoimentos contundentes e até alarmantes sobre as consequências da greve dos caminhoneiros sobre todo o ciclo produtivo da região oeste. O presidente da Aurora, maior cooperativa de Santa Catarina, Mário Lanznaster, revelou que hoje há 30 milhões de aves em situação de risco. Estão espalhadas por milhares de agricultores, esperando por milho e ração e, portanto, sob grave ameaça. A previsão era de abate de 800 mil aves por dia. Todos os frigoríficos do oeste estão parados. Faltam também embalagens e outros subprodutos.
A mesma e inédita situação atinge mais de um milhão de suínos só no grupo Aurora. Criadores que fazem parte do sistema integrados e não tem outra fonte de renda. A Aurora possui mais de 600 caminhões no sistema produtivo e de distribuição. E tudo está bloqueado pela greve.
Dos 23 mil colaboradores, mais de 22 mil já foram dispensados do trabalho. Imagine-se o que não deve estar ocorrendo com a BR Foods(Sadia e Perdigão) e unidades da JBS (Seara) no Estado.
O ex-secretário da Agricultura, Odacir Zonta, fez um diagnóstico ainda mais assustador, dizendo que os produtos começam a desaparecer nos supermercados, que está faltando combustíveis em aeroportos e que “Brasilia está sem comando, não sabe com quem dialogar para dar uma solução”. Zonta participou ativamente de várias reunões com autoridades federais.
No oeste, apesar das decisões judiciais, os caminhoneiros continuam com maior disposição para bloquear as estradas. Porque não tiveram decisões favoráveis do governo Dilma.

Comentários

comments

Comentários (1)

  • Irineu diz: 28 de fevereiro de 2015

    É incrível a neutralidade da grande mídia catarinense e do Brasil neste “manifesto” dos motoristas autônomos em todo o Brasil. Em momento algum você não viu a mídia nacional e catarinenses dizer quem tem razão ou não. Todas as pessoas do bem sabem que este é um movimento político com a única intenção de desestabilizar o governo da Dilma. Em outras oportunidades e em outros governos houveram aumentos de tributos, mas nunca teve tanta importância assim. Mas como agora a direita perversa quer tomar o poder a força, dão a maior importância a este mínimo 0,15 centavos ao diesel. Atenção eleitores da Dilma, vamos rechaçar de qualquer maneira esta gente do mal que querem anular seu voto dado por você legalmente em 26 de outubro de 2014.