Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Coordenador do Sinte: "O governo não quer negociar conosco"

30 de abril de 2015 4

- O governo não quer negociar conosco. Condiciona a retomada das negociações ao fim da greve. Isto é inegociável. Os professores não tem confiança no governo. Estão escaldados com greves anteriores e promessas não cumpridas – afirmou o Coordenador do Sinte, Luiz Carlos Vieira, sobre o documento do secretário Eduardo Deschamps e do Negociador Estadual Décio Vargas, propondo, em resposta ao Sinte, a retomada das negociações.
A resposta será avaliada pelo Comando de Greve na segunda-feira. As assembleias regionais devem decidir na segunda e na terça. Na quarta, haverá no Centrosul outra assembleia estadual.
Enquanto isso, o Comando de Greve decidiu desocupar o hall de entrada da Assembleia Legislativa. Mas as regionais de Florianópolis e São José resolveram pernoitar no legislativo durante o feriadão de 1º. De maio.

Comentários

comments

Comentários (4)

  • Pedro Paulo de Miranda diz: 1 de maio de 2015

    Foram os tempos em que o contraventor tinha medo da polícia e, político temia paralisações legítimas. A comparação é fruto do acaso.

  • PALHAÇO diz: 1 de maio de 2015

    O GOVERNO DE COLOMBO SERÁ LEMBRADO PELOS EDUCADORES COMO O PIOR GOVERNO PARA A EDUCAÇÃO DOS ÚLTIMOS TEMPOS.COLOMBO É TÃO DEVANEIO PARA COM A EDUCAÇÃO QUE NUNCA SENTOU COM OS EDUCADORES PARA DISCUTIR ALGO RELACIONADO.É A ESCOLA DO BAUER,TRATA OS PROFESSORES COMO BOIAS FRIAS.

  • Rosangela Barreiros diz: 2 de maio de 2015

    Prezado Moacir Pereira:

    Convido o nobre jornalista,a visitar os professores que ocupam o hall da ALESC.Tem professores de várias regionais acampando e não foi decisão de duas regionais continuarem a ocupação e sim de uma grande maioria que ocupavam no momento.Tem os comandos regionais ali representandos e bem organizados.E vimos que só assim resistindo tivemos visibilidade nacional para essa greve,a qual o governo não tem muito interesse em resolver.Vários sindicatos sendo solidários com a luta,estão contribuindo com doações na estrutura desse acampamento.Tem professores responsáveis,acreditando nessa luta e nessa greve.Só aconteceu depois de intensos dialogos sem nenhuma resposta positiva apenas,reuniões de grupos que não levavam a nada.Convido o Senhor Aurélio,conhecido a décadas,por nos questionar tanto ,mesmo sabendo os ataques dos governantes a nossa categoria,a conhecer nossa história de perto.É bom parar de falar o que não conhece,pois vou chegar a uma conclusão:deve ser recalque por não ter sido um professor.Quem quer acabar com a educação não são os profissionais dela,porque escolheram essa profissão.Queremos respeito,reconhecimento e valorização pela profissão é utopia isso?Várias profissões fazem greve nesse País,e não são desrespeitados como a nossa.Olhem o que fizeram no Paraná,com balas de borracha,cassetes,gás e cães,contra uma multidão que apenas lutam por dieitos e carregavam suas faixas,megafones e palavras de ordem.É justo sempre agredir os professores e depois ir na mídia falar que é um confronto,que os professores avançam na PM,muito bem armada?Vamos valorizar essa profissão que todos passaram um dia,inclusive esse senhor,que escreve hj,graças aos que ele teve.Chega de tanto desrespeito a nossa categoria que sempre que tem que resolver na pressão.Obrigado pela atenção.Rosângela Barreiros

  • João Paulo diz: 5 de maio de 2015

    Seus trouxas!
    A Celesc aumentou a gratificação dos seus amigos para mais de R$8.000,00 por mês.
    E com os professores não têm dialogo.