Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Funcionários da Petrobrás em Itajaí condenam transferência e apelam aos governadores do sul

30 de abril de 2015 1

Funcionários da Petrobrás, Unidade Sul em Itajaí, divulgaram uma Carta Aberta aos governadores de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, apelando para que impeçam o fechamento do escritório no litoral catarinense. Eles estão apavorados, porque a Petrobrás já comunicou que parte do corpo funcional vai logo para Santos e outra “que se prepare para transferência futura”. Leiam a integra:

“Excelentíssimos representantes,
No último dia 16 de abril recebemos com pesar a notícia do encerramento das atividades da Unidade de Exploração e Produção Sul, da Petrobras – a UO-Sul, a partir de 1º de Maio. Essa notícia nos foi repassada verbalmente em uma reunião que contou com toda a força de trabalho da UO-Sul no auditório da nossa sede, em Itajaí. Fomos informados que ao invés da Unidade de Operações, seríamos rebaixados ao status de um Ativo de Produção ligado a Unidade de Santos, a UO-BS. Questionamos sobre transferências de pessoal, parte do processo que diretamente nos afeta, e fomos surpreendidos quando nos informaram que a grande maioria de nós será transferida imediatamente para Santos. Sem ter dimensão exata da mudança, perguntamos sobre os que ficarão, e a resposta foi clara e objetiva: “Os que ficarem que se preparem para ir embora em um futuro próximo”. Sem nenhum comunicado à imprensa, ao sindicato, às forças políticas e empresariais da região, estão fechando nossa Unidade, a única operação de Exploração e Produção do Sul do Brasil, em uma decisão precipitada e apressada que nos causou surpresa, afinal a própria Petrobras anunciou que haverá mudanças estruturais em toda a companhia em breve. Qual o porquê de antecipar essas mudanças justamente na UO-Sul?
Nós funcionários assumimos o papel da empresa de comunicar a imprensa, aos políticos e sindicatos. Se não o tivéssemos feito por nossa conta, até hoje ninguém saberia do encerramento da UO-Sul. Felizmente houve uma rápida mobilização política, e no dia 27/4 foi realizada uma audiência pública, convocada pelo deputado estadual de Santa Catarina Leonel Pavan, justamente para esclarecer à comunidade os motivos dessa decisão tão rápida, truculenta e unilateral por parte da empresa. Comparecemos em peso na audiência, já que não recebemos esclarecimentos e justificativas da empresa para a decisão tomada. Para nossa surpresa a posição da Petrobras é de que essa mudança seria apenas administrativa, e que tudo continuaria como está, mas com outro nome… Como assim?? Estão transferindo imediatamente 2/3 dos funcionários que compõem a UO-Sul!!! Estão sendo desmobilizados os funcionários que trabalham com exploração, engenharia, contratação, planejamento, recursos humanos e licenciamento ambiental, deixando claro que o futuro da operação de Itajaí é sucumbir junto com a queda natural da produção dos campos operados pelo tal Ativo Sul. Sem esses profissionais, que são responsáveis por encontrar petróleo, desenvolver novos projetos de produção, e mobilizar pessoas, não há futuro para a Petrobras no sul. Restará a região aguardar o fim da operação dos campos de Baúna e Piracaba, e ver o escritório de Itajaí ser fechado de vez, já enfraquecido, com número reduzido de pessoas e sem nenhuma visão de futuro.
No mesmo dia que a Petrobras anuncia que as mudanças são apenas administrativas, vários funcionários terceirizados tiveram sua demissão anunciada. Funcionários próprios foram convocados para se apresentar em Santos na próxima semana sem nenhuma negociação. Estamos recebendo pressão do corpo gerencial da empresa, para que a transição seja rápida. Não querem barulho. Tentam nos desmobilizar, e nos forçam a encerrar o trabalho que desenvolvemos em Itajaí com tanta dedicação nos últimos anos. Sem opções, decretamos greve na tarde de hoje, dia 29/4. Não porque não queremos trabalhar, mas sim porque não vimos outra alternativa frente a posição da empresa de nos forçar uma transferência para Santos sem o mínimo de diálogo.
Cabe no mínimo perguntarmos a empresa o porquê disso tudo, já que a UO-Sul apresenta ótimos indicadores operacionais. É uma unidade enxuta, com poucos funcionários, e não há excesso de pessoal ou sobreposição de funções, como sugere a empresa. Há várias unidades na Petrobras com rentabilidade e produção inferiores, e custos muito maiores que os da UO-Sul. A unidade é a que tem o maior volume de óleo produzido por funcionário dentre as unidades da Petrobras, e na última semana recebemos um documento emitido pela área corporativa da empresa que classifica o desempenho da unidade no ano de 2014 como ótimo. A UO-Sul é eficaz, traz lucro e agrega positivamente ao resultado da empresa.
O fato é que sem explicar os motivos, e com um discurso evasivo de que nada muda, a área de Exploração e Produção Petrobras está deixando o Sul do Brasil. Nós, funcionários, não queremos perder a chance de desenvolver a bacia do Paraná, campos em terra no norte do estado do Paraná, sob nossa responsabilidade. Queremos poder atuar na bacia de Pelotas, que demonstra grande potencial de exploração de gás no mar do Rio Grande do Sul. Queremos explorar mais campos em mar no sul da Bacia de Santos, que se estende até Florianópolis. Queremos crescer no sul do Brasil.
Nossa região merece e tem potencial para que a Petrobras fique, e para que isso aconteça o escritório aqui em Itajaí precisa se manter como uma Unidade, com o seu corpo técnico integralmente preservado. A UO-Sul precisa de autonomia para poder elaborar seus próprios programas sociais, fazer convênios com universidades e se manter atuante, já que conhecemos a realidade da região. Subordinar nossa operação à Santos nos reduz a um mero corpo operacional, presente de forma temporária no sul do Brasil.
Tendo em vista o exposto, viemos através desta solicitar apoio a esta causa. Esperamos que a decisão tomada pela Petrobras de encerrar as atividades da UO-Sul seja revista, afinal a manutenção da unidade em Santa Catarina só traz ganhos a nossa região, e também a companhia.
Contamos com a máxima colaboração dos senhores!
Funcionários da UO-Sul.”

Comentários

comments

Comentários (1)

  • josé saturnino da costa diz: 30 de abril de 2015

    Porque não fazem abaixo assinado via internet para obter milhares de assinatura com o objetivo de impedir o que estão divulgando? Isto é um meio eficiente quem tem dado resultado, já que outros que fizeram este procedimento tiveram sucesso nas suas prerrogativas.