Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Ministro dos Transportes: "Obras ao parar"

30 de abril de 2015 3

O ministro dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues, anunciou em audiência no Senado que “várias obras vão parar”. O governo federal está sem recursos. Mais um lamentável calote da presidente Dilma que, na campanha, prometeu o céu. Após a posse, colocou os brasileiros no purgatório e agora os mantém penando na beira do precipício.
O contingenciamento vai atingir obras federais relevantes para melhoria da infraestrutura catarinense. É outro efeito desastroso do instituto da reeleição.
Presente na audiência pública, o senador Paulo Bauer(PSDB) aconselhou o ministro a não visitar Santa Catarina. As principais rodovias continuam na promessa. Lula prometeu a BR-101 sul no primeiro mandato. Zero! Reiterou no segundo. Nada! Dilma renovou o compromisso e enfatizou que a 470 era “questão de honra pessoal”. Piada!
E como fica o governador Raimundo Colombo, que batalhou pela reeleição de Dilma em Santa Catarina? O que fará o Fórum Parlamentar Catarinense diante de cenário federal tão cruel para o Estado?
Cartas para a Casa da Agronômica e o Palácio do Planalto.

Comentários

comments

Comentários (3)

  • Saulo Rodrigues diz: 30 de abril de 2015

    Caro Moacir,esta sua nota a respeito do governo federal,mostra como o povo brasileiro foi enganado,pela Pres.Dilma com as promessas de campanha de 2014.Quero fazer referencia ao nosso grande Senador Paulo Bauer,que não tem medo de cobrar,fiscalizar e criticar ,as obras inacabadas em nosso estado de SC.Pergunto!!! onde estão nossos politicos do PMDB,PSD,PR,PT,PPS,para fazerem as mesmas cobranças que Paulo Bauer vem fazendo.

  • Raul do Sertão diz: 30 de abril de 2015

    Como diria o velho e bom poeta/cantor Zé Geraldo:
    “QUANTO MAIS CONHEÇO OS DITADORES MAIS EU AMO MEU CACHORRO”

    É isso aí Moacir, dedo na ferida mesmo!!!

    Raul

  • rony nascimento diz: 30 de abril de 2015

    So palavras ao vento da presidenta para emganar o povo brasileiro na sua reeleicao.