Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

PMDB quer mudar presidência da Eletrosul

26 de maio de 2015 9

Lideranças do PMDB catarinense estão trabalhado em Brasilia para viabilizar a nomeação do ex-prefeito de São José, Djalma Berger (PMDB), para a presidência da Eletrosul. Djalma foi indicado pelo irmão, o senador Dário Berger(PMDB) e teve a recomendação chancelada pelas bancadas federais do PMDB e do PT de Santa Catarina.
Os contatos feitos com o vice-presidente Michel Temer, o ministro e Minas e Energia, Eduardo Braga, e outras lideranças nacionais tem por objetivo a substituição do engenheiro Márcio Zimmermann, atual presidentre da Eletrosul. A alegação é de que ele não teve o aval do PMDB, embora seja filiado ao partido.
O coordenador do Fórum Parlamentar Catarinense, deputado Mauro Mariani(PMDB), revelou ontem que a nomeação de Márcio Zimmermann foi atravessada. E relatou que os contatos mantidos pelos parlamentares do PMDB catarinense com o ministro Eduardo Braga e o próprio Márcio Zimmermann, então Secretário Geral do Ministério, ela pela nomeação de Djalma Berger. Indicação que foi desconsiderada com a manobra politica conduzida pela Eletrobrás, com a decisão do ministro.
Mariani reconhece que Zimmermann é um dos técnicos mais qualificados do sistema Eletrobrás para presidir a Eletrosul, mas contesta a forma como se deu sua escolha e posse na presidência da estatal federal.
Na Eletrosul, a posse de Márcio Zimmermann foi comemorada, por se tratar de um funcionário de carreira e técnico de alto nível. Poucos acreditam que a presidente Dilma Rousseff e o próprio ministro Eduardo Braga façam mudanças na presidência da Eletrosul. Seria mais uma desmoralização politica para o governo federal.

Comentários

comments

Comentários (9)

  • Izidoro diz: 26 de maio de 2015

    Pois, é, na hora de fazer média vão lá e levam ficha de filiação para agradar as pessoas. Depois, vem com essa conversa prá boi dormir…
    A mesma coisa foi feita com o QUIRIDU, que de PMDB não tem nada.

  • Márcio diz: 26 de maio de 2015

    Assim como nenhuma empresa financiaria uma campanha política sem interesses futuros, não é de se ficar indignado pela voracidade pela nomeação de um membro da família Berger para esse cargo. Não que defenda Márcio Zimmermann, porém, para quem defenda uma reforma política, essa ânsia pelo poder da Eletrosul virou uma Guerra. Trocar o atual Márcio Zimmermann que é blumenauense, formado na UFSC para o setor energético, já foi ministro de Minas e Energias por um Djalma Berger que sequer conseguiu administrar sua reeleição para a prefeitura de São José, parece ser uma trocar tão desproporcional.

  • nelson diz: 26 de maio de 2015

    O PMDB é câncer da politica no Brasil. Aliado ao PT, mantem no poder esta corja inspirada nas aberrações politicas praticadas em CUBA e VENEZUELA, o ultrapassado COMUNISMO. Que tipo de LIDERANÇA pode pensar em trocar o engenheiro MARCIO ZIMMERMANN pelo politico fracassado DJALMA BERGER?
    O que o DARIO BERGER e MAURO MARIANO querem é ter um COBRA MANDADA na Eletrosul, vide $$$$$$$$$$, para fins eleitoreiros. O que não esta ATRAVESSADO no Brasil com a politica do PMDB e do PT?

  • Aloisio Antoni diz: 26 de maio de 2015

    Este Djalma entende alguma coisa do ramo??? Não seria ocasião de procurar outro emprego?

  • Wilson Miranda diz: 26 de maio de 2015

    O bom se Djalma assumir que garante mais empregos, afinal necessitará de secretária até para apertar a tomada que liga a luz. Definitivamente de energia ele não entende nada.

  • Adelino Renuncio diz: 26 de maio de 2015

    Não é justo os catarinenses se queixarem da família Berger. Que não presta, que nada fez pelo estado senão trazer imoralidades, todos já sabiam… Por Que elegeram e reelegeram tantas vezes tamanha imoralidade???
    Que o PMDB é o incubatório da imoralidade, o povo também sabe, por que tem tantos votos em todo o Brasil, até em SC???? Só pode ser porque esse povo também é imoral.

  • Fabrício B. Aguirre diz: 26 de maio de 2015

    Já foi nomeado até o novo Diretor de Operação. Não teria sentido alterar tudo novamente. Mais sentido seriam as diretorias Financeira ou de Administração.

  • Walmor diz: 26 de maio de 2015

    Continua tudo como dantes no quartel de Abrantes, apesar dos escândalos pelas nomeações politicas para as empresas estatais, os partidos políticos não aprendem a lição, e continuam a praticar o mesmo tipo de loteamento da máquina pública, numa voracidade impressionante.Mandam às favas a qualificação técnica e o conhecimento da área, o que vale mesmo é o QI (quem indicou), as condições política são mais importantes para eles. Por essas e outras é que o país está as voltas com um grande ajuste fiscal para corrigir justamente essas distorções. Será que algum empresário nomearia o senhor Djalma Berger para presidir a sua empresa? Mas parece que na administração pública tudo vale, por isso o nosso país nunca sai do lugar, fica patinando e não entra no rol dos países desenvolvidos.

  • Luiz Fernando diz: 26 de maio de 2015

    Mais uma herança que nos deixou o Luiz Henrique. Ele, tido como mestre da$ negociaçoe$ politica$ deixou-nos com um “belo”representante no Senado.