Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

A audiência do Sinte com o Governo

30 de maio de 2015 Comentários desativados

O Sinte divulgou nota sobre a audiência com representantes do governo e da Assembleia Legislativa, intermediada pela professora Marta Vanelli, representante da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação. Leia:

“Representantes do Comando de Greve, CNTE, ALESC e Governo reuniram-se hoje, às 9h, na Fundação Escola de Governo – ENA, em Florianópolis. O encontro foi intermediado pelo CNTE numa tentativa de reabertura de negociações, uma posição também defendida pelo representante da Assembleia Legislativa Adelcio Machado, que reafirmou que a negociação não pode partir do zero como apontou o Governo, pois até então, desde as mesas de 2011, os debates não chegaram a lugar nenhum.
O Governo afirmou que a minuta do termo de acordo que foi rejeitada na assembleia do dia 15/05, zerou o processo, e que no momento não tem nada para apresentar, mas que deve iniciar uma nova fase de negociações.
O Comando reafirmou que o governo não pode ignorar o processo que foi construído até o momento isso é o extremo. A categoria rejeitou o termo de acordo por que não confia em uma mesa de negociação, vejamos os exemplos anteriores que não evoluíram e foi apenas enrolação, por culpa do próprio governo que não se acertou internamente para homologar as decisões da mesa de estudos após a greve de 2011.
Marta Vanelli, Secretária Geral da CNTE disse que a discussão da carreira não é simples e tem dúvidas se em 30 dias a mesa tem condições de discutir com profundidade, é um desafio. Além disso, temos que ter como horizonte a Meta 17 e 18 do PNE. Quanto à carreira/tabela existem várias questões que necessitam ser definidas tais como: prazo de implantação, dispersão da carreira, reenquadramento, percentual entre os níveis e referências.
O representante da ALESC, Adelcio Machado, afirmou que não devemos deixar que a mesa se perca, temos que aproveitar essa oportunidade e não existe outra forma de resolver a questão da carreira e da greve. A responsabilidade de resolver o problema é nosso, ninguém vai solucionar.
O Comando de Greve Estadual deve avaliar a audiência em reunião marcada para a próxima segunda-feira, 01/06, em Campos Novos, e divulgar nota política sobre o assunto.”

Comentários

comments

Não é possível comentar.