Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

A valorização do Centro Histórico de Florianópolis

30 de maio de 2015 2

O sucesso do projeto “Viva a Cidade”, todos os sábados, na rua João Pinto e Praça XV, com arte, antiguidades e artesanato, agora reforçado pelos “foods trucks”, colocou gás no projeto do prefeito Cesar Souza Júnior(PSD) de revitalização do centro histórico de Florianópolis.
As obras do Mercado Público, principal ponto de convergência popular da Ilha – terminam em junho. Em julho, deve acontercer a abertura com os novos boxes. Ali foram investidos 12 milhões de reais.
A boa notícia: a empresa contratada para executar o projeto de cobertura do vão central inicia os serviços em dez dias. Vai usar tecnologia alemã. A cobertura será retrátil. Previsão de 5 milhões de reais.
A recuperação da Casa de Câmara e Cadeia -o mais antigo prédio do Centro Histórico – tem prazo de conclusão em março de 2016. A Concrejato, a mais experiente no gênero, toca a obra. Investimentos de 6 milhões de reais. A Federação do Comércio vai manter e explorar o Museu da Cidade, através do Sesc-Senac.
A rua Victor Meirelles também será recuperada. O Ipuf já concluiu o novo projeto urbanístico. Ali fica o Museu Victor Meirelles, mundialmente famoso por obras clássicas, em especial, “A Primeira Missa no Brasil”. A iluminação pública será subterrânea ali e em outras vias ao sul da Praça XV, obra a ser contratada pela Celesc por 10 milhões de reais.
Fixado na valorização do Centro Histórico, o prefeito Cesar Souza Junior pretende lançar no segundo semestre o projeto de humanização da Praça da Alfândega, fechando todo o circuito do espaço onde a cidade surgiu e se desenvolveu em 285 anos de história.

Comentários

comments

Comentários (2)

  • Fernando vidal da rocha diz: 31 de maio de 2015

    E a noite como fica??? Um território sem lei, ou a lei de craqueiros e horda de malfeitores que por la habitam, cometendo todo tipo de atos que espanta turista e famílias nativas. Se faz urgente, programas sociais para tratar dessa realidade.

    Grato

  • Marcos Heise diz: 31 de maio de 2015

    Olá Moacir, vale destacar que o projeto Viva a Cidade é uma iniciativa da CDL de Florianópolis, que inclusive se responsabiliza pelos investimentos. E o movimento dos Food Trucks ao projeto, após duas sucessivas oportunidades, rendeu um novo desdobramento. Os trukeiros se organizaram e criaram o Núcleo de Food Trucks junto à CDL de Florianópolis, onde terão toda a cobertura institucional da entidade bem como acesso direto a cursos de capacitação, orientação fiscal, contábil, jurídica e de recursos humanos. Eles irão esstruturar um calendário itinerante de eventos vale levar as delícias produzidas pelos trucks para todas as regiões da cidade. (Marcos Heise – pela equipe de Assessoria de Comunicação da CDL de Florianópolis).