Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Governo aumenta expediente dos servidores estaduais de 6 para 8 horas diárias

31 de julho de 2015 26

O governo do Estado decidiu ampliar de 6 para 8 horas diárias de trabalho o expediente a ser cumprido por todos os servidores públicos. O anúncio da medida foi feito pelo próprio governador Raimundo Colombo hoje no Teatro do CIC, durante reunião com todos os Secretários Regionais e alguns setoriais.
Ele se declarou “envergonhado”ao saber que os agricultores trabalham mais de 12 horas por dia e quando procuram algum direito ou documento pela manhã em Florianópolis não encontram as repartições abertas para atendê-los. Ou os trabalhadores na atividade privada que são obrigados a cumprir oito horas por dia de expediente.
Raimundo Colombo assinou tres medidas provisórias que tratam do pagamento da segunda parcela do acordo com todos os servidores militares e civis da estrutura da Segurança Pública. Estas medidas asseguram o pagamento de aumento salarial médio de 10%, mas com nova regulamentação sobre o pagamento da chamada “indenização”, paga junto com os subsídios.
As novas regras foram baixadas, segundo o governo, porque ocorreram abusos nos pagamentos até agora.

Comentários

comments

Comentários (26)

  • Amilton diz: 31 de julho de 2015

    Governador,

    Eu é que me sinto envergonhado em saber que no Estado existem 36 famigeradas Secretarias de Estado de Desenvolvimento Regional, que não proporcionam desenvolvimento algum, onde os servidores lá lotados são verdadeiros sanguessugas do povo catarinense, não realizam nenhum tipo de trabalho, não cumprem compromissos e nem horários (seja de seis horas e ou de oito horas). Apenas ocupam carguinhos políticos e mamam na teta do Estado durante anos.

    Eu sinto-me envergonhado em ver um Governo que negociou com os servidores da Segurança a troca de direitos, aprovou em lei esses benefícios, e agora quer retirá-los de forma arbitrária, utilizando-se do subterfúgio da MP.

    EU É QUE ME SINTO ENVERGONHADO!

  • Julio diz: 31 de julho de 2015

    Tá certo. Mas aproveitem pra perguntar para o Sr. Governador se também se envergonha em saber que aquele agricultor deverá trabalhar várias décadas, por 12 horas diárias para se aposentar, recebendo apenas uma pequena fração do que o envergonhado governador receberá por 4 anos de mandato.

  • valéria diz: 31 de julho de 2015

    Gostaria de saber qual é essa nova regulamentação sobre a indenização já que se trata dos abusos dos pagamentos.
    Nós, no IML, trabalhamos em escala de plantão, mais horas do que deveríamos, não recebemos insalubridade muito menos a tão prometida INDENIZAÇÃO POR ATIVIDADE PERICIAL.

  • Maria das gracas diz: 31 de julho de 2015

    Sabe de nada inocente.

  • Elisa diz: 31 de julho de 2015

    E o vencimento dos servidores da Saúde vai ser proporcional? E o plano de cargos e carreiras dos servidores do Estado vai ser unificado? Esse discurso de envergonhado não cola, se conhecesse o governo sabria que há muito tempo se trabalha 30 horas inclusive os últimos concursos eram para cargos de 30 horas… Esse anúncio vai gerar muitas greves e movimentação dos servidores Preparem-se!

  • Alexandre diz: 31 de julho de 2015

    Tenho vergonha de saber que um governador que se diz em prol da agricultura não saber que os agricultores trabalham mais que doze horas por dia.
    Tambem tenho vergonha de hoje descobrir que o governador não sabe quanto tempo seus funcionarios trabalham, isto leva a crer que ele tambem nao sabe o seu horario de trabalho!
    Mas agora me pergunto sera que nosso governador trabalha!
    Sei que passeia bastante, sem trazer nada de resultado para o estado porque vemos como estao as condicoes de nossas rodovias.
    Quem sabe um dia teremos paz e estradas boas, quando essa corja de sanguessugas mentirosos deixarem de existir!

  • Irineu diz: 31 de julho de 2015

    Eu não entendo porque não volta o expediente antigo para as repartições públicas do estado, ou seja das 08 às 12hs e das 14 às 18hs. Seria o expediente que mais atenderia os interesses dos contribuintes. Afinal o povo paga impostos e quer atendimento de manhã e de tarde.

  • Mario diz: 31 de julho de 2015

    Esta história VERGONHOSA de trabalhar apenas 6 horas por dia é coisa do falecido. Enquanto nos pagadores de impostos temos que trabalhar de 8 a 12 horas por dia a turma que passeia na beira mar pela manhã trabalha apenas 6 horas por dia. Isto quando trabalha porque tem uma turma que chega às 15:00 e sai as 16:00. Mas pelo menos o Colombo está tentando corrigir esta bagunça das repartições públicas abrirem apenas as 13:00. Parabéns Colombo.

  • Marcia diz: 31 de julho de 2015

    Tá, e o que adianta fazer turno único de 7 horas??? Pela manhã não terá nenhum funcionário nas Secretarias. Como os agricultores irão solicitar documentos pela manhã? Tem alguma incoerência nesta história.

  • Jose Amancio de Souza diz: 31 de julho de 2015

    Agora, não entendi, o governo não está passando por dificuldade financeira, com cortes de vantagens de servidores, enxugamento da maquina pública. Agora vem com esse de 2 turno – Conclusão então tem dinheiro em caixa, pois, vão gastar com mais cafezinho, aumento de energia elétrica, aumento de mais carros no transito, não é para economizar senhor governador?

  • EDUARDO diz: 31 de julho de 2015

    Quem vê pensa q vai mudar a procura pelos órgãos do Governo. Acho q sÓ vai aumentar gastos com energia e manutenção da estrutura material de expediente etc…

  • Sergio diz: 31 de julho de 2015

    Eu é que fico surpreso, em saber que uma pessoa que alugou uma casa por 04 anos, ao renovar o aluguel por mais 04, no quinto ano descobre que deixou e luz da varanda acesa 24 horas por dia. E agora fica indignada com o desperdicio, colocando a culpa na tomada.

  • Marcos Vieira diz: 31 de julho de 2015

    Será que o envergonhado governador vai encaminhar uma MP suspendendo as aposentadorias dos governadores ????
    E sobre a farra do duodécimo, morreu ???

  • Xavi diz: 31 de julho de 2015

    E a mobilidade urbana? Todos sabemos que o nosso transporte público esta péssimo, as empresas irão colocar mais ônibus para atender os funcionários? Só quem utiliza o transporte público pela manhã sabe o inferno que é andar nesses ônibus velhos e lotados, verdadeiras latas de sardinhas. Se as empresas colocarem mais ônibus, com certeza também irão aumentar os preços das passagens, sem contar o caos maior que ficará na nossa cidade. Aliás, falando em transporte público, nosso terminal de ônibus está uma vergonha! cada dia mais poluído, só se enxerga placas de publicidade! Pra onde vai todo esse dinheiro com essa poluição visual?

  • Laura diz: 31 de julho de 2015

    Adoro essa política de nivelar as pessoas por baixo, não são os agricultores coitados que ganham uma miséria e precisam ser melhor valorizados. O governo não pensa em igualar os salarios entre as secretarias, para todos ganharem pró eficiência, ninguém se envergonha dessa desigualdade??? Se for assim, até o século passado algumas pessoas trabalhavam sem receber, e até legalizado era…..bons tempos o da escravidão… só que não!!!!

  • Marcelo diz: 31 de julho de 2015

    Mário, não fale bobagem. Talvez décadas atrás algumas pessoas fossem contra as férias anuais, licença maternidade, 13o salário e outros benefícios arduamente conquistados pelos trabalhadores, sejam servidores públicos ou da iniciativa privada (lembrando que servidores públicos também pagam impostos). Deveríamos sim lutar para que todos tenham esses benefícios. Todos tenham uma jornada de trabalho de 6 horas e possam caminhar na beira-mar sim, e cuidar de si e família. O que precisamos é acabar com corrupção, como esses que trabalham das 15h às 16h, ganhando salários astronômicos, não gastando com nada (porque ganham tudo às nossas custas) e, pasmem, não satisfeitos ainda roubam!

  • Próspero Merimée diz: 1 de agosto de 2015

    Um estado perdulário que tem 1500 cargos comissionados e 37 SDR (Sinecuras Do Raimundo). Um governo que concede, a juros risíveis, R$ 1,1bilhão para uma indústria que utiliza madeira como matéria prima BERNECK S.A. PAINÉIS E SERRADOS, para a Votorantim R$408 milhões, a BMW R$240 milhões (que não se acha o contrato no DOE mencionado),…. Ah! The last but not the least, que não tem dinheiro para contratar novos funcionários: policiais, médicos e professores por falta de recursos. Vamos esperar atitudes sábias de um governador que não sabe nem o que seus subordinados estão fazendo. Ele quer é criar dificuldades para o funcionalismo e assim utilizar como moeda de troca num futuro próximo. Vem arrocho salarial por aí!
    Fonte:
    DOE – Prodec: http://www.doe.sea.sc.gov.br/Repositorio/20150331/Jornal/1150.pdf
    http://www.doe.sea.sc.gov.br/Repositorio/20130507/Jornal/687.pdf

  • ivan luiz cunha diz: 1 de agosto de 2015

    É profundamente repugnante e lamentável ler esta matéria onde o senhor governador de SC, diz desconhecer fatos relevantes de sua competência e gerenciamento, isto é no mínimo negligência e/ou descaso com todos os catarinenses e os demais cidadâos que optaram por aqui residir…, por fim é inaceitável que após anos de desastrosas e equivocadas política de governo (seja na esféra federal, estadual ou municipal) nas áreas: sociais, financeira, segurança pública e outras; mais uma vez o governo do estado vem sugar dos trabalhadores mais suor e lágrimas, culpando-nos por sua má gerência e incompetência ; reforçando seus laços políticos com esta presidenta omissa e demagoga, preocupada apenas em livrar a própria pele e do seu partido corrupto que a elegeu. Me sinto envergonhado em viver num país/estado onde a esmagadora classe de políticos pensam no próprio umbigo em detrimento do povo sofrido, vale também lembrar que fomos nós quem elegemos tais criaturas; portanto também pelo voto podemos extirpar esses senhores de seus mandatos e de suas pretensões políticas.

  • Cleiton diz: 1 de agosto de 2015

    E o aumento dos professores? Cadê os 13,02 % que é lei, cadê?

  • Rachel Rieke diz: 1 de agosto de 2015

    Espero que implantem o novo horário depois da quarta ponte estar concluída. Pensa no trânsito de manhã com os servidores que entram às 13h entrando às 8h. E na saída, com todo mundo saindo às 18h. A cidade vai parar.

  • Fernanda diz: 1 de agosto de 2015

    Seria muito melhor para os cidadãos bem como para os servidores públicos se, ao contrário de aumentar a carga horária de trabalho, houvesse planejamento para que o serviço público funcionasse 12 horas ininterruptas.
    Dessa forma, parte dos servidores trabalharia das 7h às 13h e a outra parte das 13h às 19h.
    Assim, não fecharia em horário de almoço, todo cidadão seria atendido e o servidor continuaria a trabalhar 6 horas diárias.

  • Everaldo diz: 1 de agosto de 2015

    Sr. Mario, o problema não esta no horario, esta na eficiência na gestão publica,o que adianta fazer oito horas sem produção e o custo dos custeio como agua, luz, telefone, internet, papel, xerox, café, mas estagiarios e terceirizados, isso vai dobrar a despesas ,o melhor é fazer das 13:00 as 20:00 assim diminuiria o transito do centro para o continente.

  • Camila Magalhães Nélsis diz: 1 de agosto de 2015

    Alguém sabe porque os servidores do Estado trabalham 30 horas???
    Porque não recebem reajuste salarial há mais de 10 anos, como aqueles que são regidos pela CLT.
    Porque há anos invés de reajuste receberam a proposta de ter uma gratificação equivalente a 100% do salário e até hoje esta gratificação não foi integralizada. Ressalto que o salário base de um servidor com nível superior é aproximadamente R$1.200,00 e a tal gratificação não incide em férias, 13 salário, tampouco é garantida para aposentadoria. Além do mais a tábua da salvação que poderia ser um bom plano de cargos e salários para fugir da perda salarial é desvalorizante.
    Em 2013 o Governo se comprometeu a voltar a integralizar o restante das parcelas da gratificação para corrigir minimamente os ganhos dos servidores, porém para este ano, já anunciou que há queda na arrecadação e que talvez não possa pagar a segunda parcela que deverá ser paga agora em agosto…
    Sou servidora deste Estado com muito orgulho, trabalho em casa, à noite, finais de semana se preciso para dar conta do serviço, nunca recebi hora-extra, hora plantão, porque isto simplesmente não existe para setores como o meu. Ah, mas se você já trabalha tanto em casa, que diferença faz cumprir 8h/dia? Muita, especialmente porque trabalhar quando a gente gosta do trabalho não tem nada a ver com ser o bobo da corte para certos políticos aparecerem de bons moços para a sociedade.
    A diária para viagens para prestar assessoria aos municípios? R$110,00 e você que se vire em pagar hotel, almoçar e jantar com isto por dia! Sim, nos viramos com R$110,00, ficamos em albergues, e fazemos nosso trabalho com presteza e orgulho.
    Quer economia na política? Corte um pouco dos seus próprios salários exorbitantes, um pouco de cargos comissionados incompetentes e finalmente termine exterminando as SDRs. Nunca serviram para nada mesmo…
    Luiz Henrique reduziu para 30 horas semanais como uma forma de indenizar os servidores, já que não podia se comprometer com a data-base. Colombo fez sua campanha eleitoral entre os servidores, criando a lei da data-base, porém nunca a cumpriu…
    Concordo que o serviço público deveria funcionar em período integral, às vezes também preciso de um órgão estadual e não posso ser atendida por trabalho no mesmo horário. Mas também penso que deve haver concurso público, não é possível sacrificar ainda mais os poucos servidores comprometidos que ainda existem. Sim poucos, os órgãos que contam com muitas pessoas, pode ter certeza que são terceirizados e custam o triplo de um concursado.
    Medo de retaliação pelo depoimento? Sim, mas a indignação é ainda maior!

  • jackeline diz: 2 de agosto de 2015

    Ele esqueceu de mencionar que no setor privado quem faz HE recebe, já, o nosso belo estado, não paga as HE dos servidores militares… escala de 24/48 horas, ele mencionou que tem servidor que trabalha 72 hrs por semana? Hipócritas. Bandidos.

  • Marcelo diz: 2 de agosto de 2015

    Muito bem dito Fernanda. Essa solução atenderia muito melhor às demandas da sociedade, na prestação de serviços, geração de empregos e diversos benefícios indiretos. Recursos pra isso com certeza existem, basta planejamento e, claro, diminuírem o desperdício, a “roubalheira”.

  • Arilson Carlos Nazario diz: 2 de agosto de 2015

    QUE FIQUE CLARO!

    Não há aumento de carga horária e sim adequação da carga horária legal, que na Polícia Civil irá PREJUDICAR a dinâmica da INVESTIGAÇÃO CRIMINAL, FORMALIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS POLICIAIS e FUNCIONAMENTO DAS UNIDADES POLICIAIS CIVIS.

    Explicamos! Com o advento do da LEI DO SUBSÍDIO a partir de Julho/2014 e consequente NÃO PAGAMENTO DE HORAS EXTRAS, somada a GRAVE DEFASAGEM DE EFETIVO na Policia Civil de Santa Catarina, bem como até então, NÃO REGULAMENTAÇÃO do famigerado “BANCO DE HORAS” e se regulamentado será INVIÁVEL, haja vista falta de efetivo, assim cumprimos nossa CARGA HORÁRIA LEGAL:

    - Conste que nossa carga horária semanal e de 40 horas, seja em regime de plantão ou expediente (com horários irregulares por conta de investigações).

    - Em uma tentativa de gerenciar a falta efetivo e a dinâmica da atividade de INVESTIGAÇÃO CRIMINAL, bem como os SERVIÇOS CARTORÁRIOS, o gestor local construiu o “expediente” das 13 às 19h.

    - Em Criciúma os policiais civis que cumprem “expediente” das 13 às 19h complementam com horas matutinas ou noturnas em um ou dois dias por semana ou em operações policiais de busca e apreensão. Sem contar (sigilo profissional) as dinâmicas da investigação criminal que não têm hora e dia para acontecer. Desta forma, com uma reserva de horas (em que pese melhor análise trabalhista), o gestor local pode aplicar os policiais civis em ações excepcionais de combate ao crime.

    - No caso dos Delegados e Escrivães, a crise é ainda maior! Há dupla jornada de expediente e “plantão” noturno, finais semana e feriados, inclusive com deslocamentos perigosos da sede Criciúma até as Comarcas de Içara, Urussanga, Orleans e Lauro Muller, durante as madrugadas.

    Toda esse precariedade prejudica em muito a qualidade dos serviços da POLICIA CIVIL DE SANTA CATARINA.

    Lembrando: Existem mais de 500 aprovados em concursos públicos da Polícia Civil, realizados em 2010 e 2014, aguardando nomeação para formação: Veja aqui! http://www.policiacivil.sc.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=9385:nota-oficial&catid=46:regiao-1&Itemid=107

    “Em muitos momentos trabalhamos muito mais que os valiosos agricultores, inclusive colocando nossa vida e de nossa família em risco.”

    O Governo estadual subestima a inteligência da população e dos sofridos Policiais. FALTA É EFETIVO E COMPROMETIMENTO COM A QUALIDADE DOS SERVIÇOS PÚBLICOS!

    Arilson Carlos Nazario
    Agente de Policia Civil
    Diretor Assuntos Profissionais e Divulgação
    Sinpol/SC