Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

PP unido quer ser opção em SC

23 de agosto de 2015 7
PP

Convenção Estadual PP. Foto: Divulgação

A presença de presidentes, parlamentares e lideres do PSD, do PSDB e do PSB, entre outras legendas, na Convenção Estadual, foi o principal sinal de que o PP renova esperanças de ser um dos protagonistas nas eleições municipais de 2016. Se tiver o sucesso que desejam seus líderes, também poderá ter participação decisiva no pleito estadual de 2016.
A eleição do deputado federal Esperidião Amin foi tranquila. Seu histórico partidário, começando pela condição de ex-presidente do Diretório Nacional e larga experiência, constituiu-se em credencial para comandar o partido. Serão muitas as confabulações, articulações e reuniões para montar um esquema alternativo de poder.
Quem testemunhou o clima de alto astral, com mais de mil líderes assinando a ata, fez a projeção. O PP entra em nova fase. Com a morte do senador Luiz Henrique da Silveira(PMDB), Amin desponta com a principal liderança estadual e o político com maior número de mandatos populares. Terá, portanto, atuação relevante em 2016. Tem credenciais para disputar o governo em 2018 se o PP conseguir selar uma ampla coligação que conte com fortes aliados, no caso os que prestigiaram a Convenção. Se as negociações concluirem que o candidato ao governo deva ser o tucano Paulo Bauer ou o pessedista Gelsom Merísio, Amin tem cadeira cativa na chapa como candidato ao senado.
As costuras entre PP, PSD, PSDB e PSB estão adiantadas.

Comentários

comments

Comentários (7)

  • observador diz: 24 de agosto de 2015

    Algumas observações comentadas na festa:
    - A cidade escolhida não foi a mais apropriada , São Francisco do Sul deveria ter sido á escolhida pra festa.
    - Com a volta de Gilson e Vieirão faltou o Marcos Rovaris.
    - Grande pergunta foi saber quem da família (Dão , Angela e João) será candidado e pra que ?
    - O mote da volta é POR TODA FAMÍLIA CATARINENSE !

  • wagner diz: 24 de agosto de 2015

    Aquele? …envolvido no petrolão junto ao pmdb e pt.

  • Flavio Roberto Dalmagro diz: 24 de agosto de 2015

    Bom dia amigo Moacir Pereira, vou arriscar a chapa para 2018, Paulo Bauer Governador, Gelson Merisio Vice Governador, Esperidião Amim Senado, e Paulinho Bornhausen outra vaga senado! Restando duas forças que nao acredito em uma conjuntura PT e PMDB.

  • Lucas diz: 24 de agosto de 2015

    Luiz Henrique costumava dizer: ”o único animal da natureza capaz de ressuscitar é o político”. Parece que estava certo!
    Chance pro Amin dar o troco no Dário?

  • naldo diz: 25 de agosto de 2015

    A reportagem cita “um esquema alternativo de poder”. Em se tratando de politica e politicos, todo o cuidado é pouco, ainda mais que o que se produz neste meio cheira mal, muito mal!! OLHOS ABERTOS ELEITORES PARA NÃO PASSAREM O QUE ESTAMOS PASSANDO AGORA, COM TARIFAÇOS, ROUBALHEIRAS, CORRUPÇÃO, INFLAÇÃO, DESEMPREGOS, ETC,…. e ainda restam mais 3 anos de caos pela frente se não renunciar logo!!

  • Luciano diz: 25 de agosto de 2015

    Opção?
    O PP seria opção, eu disse s e r i a, se não topasse se aliar a partidos que esnobam a história do partido no estado. Aliar-se ao Colombo e ao partido do dele e também ficar sob os pés do pmdb não é opção é masoquismo.
    Esse partido ou então parte diretiva dele caiu no conto do vigário ao acreditar que teriam o candidato ao senado pela aliança do Colombo.
    No instante em que aliou-se ao psdb e aos Bornhausen, parecia que tinham acordado, tomado vergonha na cara e seguiram naquele momento um real caminho de opção, como ALTERNATIVA ao poder institucionalizado. Claro que optar por isso tem seus riscos mas que mesmo com a derrota mostrou-se que há viabilidade.
    Opção agora querendo novamente chamego com o Colombo vai ser o que? Apoiar o Dário Berger como candidato do pmdb a sucessão do Colombo?
    Estratégia para ser uma real opção atualmente é conquistar prefeituras com candidatura própria -eu não falei em chapa pura, mas ser cabeça de chapa- aonde há possibilidades reais, e claro NÃO compor chapa com o César Jr na prefeitura de Florianópolis. Sim, afinal ele elegeu-se graças ao pp ter o vice na chapa. Mas de que isso de fato adiantou para o partido? O que o João Amin de fato fez pelo partido dentro da prefeitura? O pp na pmf parece um partido de oposição que aliou-se ao prefeito e conseguiu um ou dois carguinhos com nenhuma representatividade e visibilidade perante a população e ao eleitorado. Enquanto isso, o pmdb, partido derrotado na eleição para a pmf, mais parece um partido que fazia parte da chapa, e que tem amplo mandonismo em cargos e funções na prefeitura. Uma real inversão de valores.
    E então, o pp quer continuar nesse mesmo tipo de esquema? Se quer, é porque alguém está se beneficiando as custas de prejudicar seus militantes e filiados.
    Se continuar desse jeito, a real opção será procurar outra agremiação política que pelo menos não tenha dirigentes com vocação para masoquismo.

  • Sergio diz: 25 de agosto de 2015

    Caro Moacir..
    A que ponto chegamos do Sr. Amin ser a opção no estado para o Governo…
    Até concordo de certa maneira com o partido PP ser opção… mas com uma nominata diferente da que se apresenta até o presente momento… Olha só é o inicio da volta ao passado….
    Acredito que precisamos é ir em frente.. mudar os ares.. e nomes da politica catarinense em todas as vagas a serem disputadas… Governo, Senado, Deputados Federais e Estaduais…. CHEGA DOS MESMOS…