Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

PMDB tem estudo para enxugar governo estadual

02 de setembro de 2015 6

O projeto do governador Raimundo Colombo (PSD), que prevê a transformação das Secretarias de Desenvolvimento Regional em Agências de Desenvolvimento Regional foi contestado pela bancada do PMDB na Assembleia Legislativa. O presidente da Comissão de Constituição e Justiça, deputado Mauro de Nadal (PMDB), também relator da matéria, emitiu voto favorável, mas com alterações e mudanças. Em primeiro lugar, o parlamentar sugeriu que as Secretarias Regionais deveriam ser fortalecidas, com as atividades mais efetivas e maior funcionalidade. Posicionou-se também contra a extinção de cargos de confiança ou redução de benefícios, alegando que estes servidores estão trabalhando e seria uma injustiça aprovar o projeto como está. Nadal abriu vista coletiva com prazo de 60 dias para manifestação dos deputados sobre seu voto. E já antecipou que a bancada do PMDB tem um estudo sobre reforma administrativa do governo estadual, que resultaria numa economia mensal de 6 milhões de reais. Esta proposta representaria a extinção de uma secretaria central e mais seis órgãos públicos estaduais. Ele não mencionou quais seriam os extinguíveis. O estudo do PMDB prevê, também, a eliminação de 126 cargos comissionados. Entre parlamentares de oposição e até alguns governistas da base aliada aumentou o termômetro favorável à extinção das Secretarias de Desenvolvimento Regional. O agravamento da crise econômica, o esvaziamento das secretarias, a falta de recursos para investimentos e as críticas que recebem, seriam as razões principais. O PMDB, contudo, deixou clara sua posição contra a extinção.

Colombo anuncia extinção de 217 cargos não-preenchidos nas SDRs

Luciane Carminatti: “Secretarias Regionais devem ser extintas”

Gelson Merísio defende o fim das Secretarias Regionais

Comentários

comments

Comentários (6)

  • neto diz: 2 de setembro de 2015

    É claro, vão perder as tetas governamentais e deixar sem emprego os aspones…

  • naldo diz: 2 de setembro de 2015

    Se o PMDB já tem um estudo da redução administrativa do governo estadual, porque não coloca em consulta publica para ver o que a população que paga os salarios, mordomias e privilegios das SDRs e de todo o quadro inchado do Estado para manifestações?? Se é tão bom assim, passará sem problemas pelo crivo dos que mais contribuem com recursos para esta estrutura “cabide de empregos dos amigos do Rei”!!

  • Beto diz: 2 de setembro de 2015

    Muito interessante esta declaração Moacir.

    Pensei e proponho uma visão do contexto, então vejamos:

    O PSD também tem estudos.

    Neste governo, composto pelos dois partidos (PMDB e PSD) essencialmente, foram elaborados dois ou três estudos que abordavam este tema: diminuição do tamanho do Estado.

    O Colombo estava disposto a fazer uma intervenção mais profunda do que esta leve maquiada na estrutura organizacional.

    Por que não prosperou esta intenção?

    Por falta de apoio político (por causa da tal governabilidade), que sempre teve no PMDB o maior foco de resistência na diminuição da estrutura, no enxugamento dos cargos comissionados.

    Foi também no período do PMDB no comando do governo que esta estrutura gigantesca tomou forma e solidificou.

    Outra pergunta que fica sem resposta: não faz, o PMDB, parte do governo?
    Não participaram das discussões, não tiveram acesso aos estudos?
    Por que não propuseram este estudo que dizem ter em mãos como alternativa aos estudos do grupo gestor do governo?

    Recordem do projeto de fusão das agências reguladoras que teve tramitação demorada por causa da disputa pelos cargos.

    Aliás caro Moacir, de uma disputa que contínua em evidência, pois muitos dos gestores das duas agências continuam presentes nas agências, mesmo exonerados, aguardando pela suprema benção da nova nomeação do Governador.

    Comenta-se Moacir, que alguns destes exonerados estão mais presentes após a exoneração do que quando estavam ocupando os cargos.

    Você está rindo?
    Mas é de chorar, uma lástima o governador referendar a condução dos mesmos para os cargos.

    É preciso bem mais do que boas intenções.

    É preciso trocar “algumas” destas almas penadas que estão vagando pelos corredores das agências, é preciso lhes conceder o descanso eterno.

    Por favor governador, contribua com estas nobres almas e lhes conceda um período de férias, longe do serviço público do Estado.

    Fará um bem danado para eles e lhe asseguro, muito maior para a ARESC e para o Estado.

  • Paulo Couto Singer diz: 2 de setembro de 2015

    Como acreditar num Governo que contrata uma Empresa,para sanar um problema elétrico seríssimo aqui em Capinzal,na Escola Matter Dulorum,e não pagou um centavo á Empresa…Como confiar num Governo que só fala em economia,e permite que o agente regional lá de Joaçaba,fique desfilando com um Corolla zerado,ás nossas custas,ou seja ALUGADO. ninguém consegue por um freio nisso…ACABEM COM ESSAS AGENCIAS FALIDAS…segundo quem atrapalha lá,diz não ter nem papel higienico.

  • Luiz antonio rufino diz: 2 de setembro de 2015

    E umá vergonha todo este lobby .para que não feche .estas secretarias que são os maiores cabos eleitorais e refúgio para apadrinhados .acabem de vez com este monstrengo que só faz mal ao povo realmente catarinense.h

  • Luciano diz: 3 de setembro de 2015

    Pois é, é praticamente consenso que a extinção das SDR’s é uma necessidade. O Governador sabe disso, os políticos sabem disso. Os únicos que defendem essa paquidérmica estrutura são os que dela se beneficiam, e que certamente não é a população.
    Com esse consenso contrário porque não se extingue isso de uma vez? Para se manter a governabilidade do estado nas mãos do Colombo, mas sob a batuta do pmdb.
    Mas os eleitores não podem reclamar não!
    Afinal, se quando há eleição e opção de mudança, o eleitor já no primeiro turno reelege esse desgoverno, então tem mais é que calar a boca nas próximas eleições mostrar nas urnas seu descontentamento, votando contra essa estrutura, quem a apoia e quem quer que ela continue, ou seja tem que votar contra o pmdb, a coligação que o pmdb participe e votar contra quem dá sustentação a ela como o partido do Coilombo.