Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Colombo e a reforma previdenciária

21 de setembro de 2015 13

O governador Raimundo Colombo voltou a enfatizar que se não houver reforma previdenciária não adianta criar ou aumentar impostos, porque a tendência é de agravamento da crise econômica.
Em entrevista à Veja, relatou as medidas adotadas em Santa Catarina que permitiram um relativo equilíbrio financeiro, colocando o Estado em posição privilegiada em relação as demais unidades da federação.
Voltou a criticar a proposta de recriação da CPMF, dizendo que ela “é rejeitada pela sociedade”, que “no passado não cumpriu seu papel” e que “trazê-la de volta é tapar o sol com a peneira”.

Raimundo Colombo diz que não vai apoiar recriação da CPMF

O governador trata de uma questão vital da atual conjuntura e das fortes críticas ao aumento de impostos pelo governo federal. O problema brasileiro não se resume à pesada carga tributária, hoje acima de 36% do PIB. Há países europeus que exigem contribuição maior. O problema é que os brasileiros pagam impostos elevados demais, o sistema tributário é injusto e, sobretudo, os serviços públicos são péssimos. E ficaram piores nos últimos anos porque a máquina pública foi inchada, aparelhada pelo lulopetismo e tornou-se ineficiente.
Raimundo Colombo defende, mais uma vez, a reforma da previdência pública na esfera federal e também em Santa Catarina. Citou dados. O déficit mensal da previdência no Estado é de 250 milhões de reais mensais, para pagamento de 49 mil aposentados e 11 mil pensionistas. Acusa que “servidores se aposentam com 46, 47 anos de idade com salário cheio e não há fundo suficiente”.
Um problema que exige há muito tempo reforma na estrutura da previdência no Brasil e em Santa Catarina.

Se aprovada, nova CPMF vai financiar a Previdência Social

Comentários

comments

Comentários (13)

  • Juliano de Quadros Espindola diz: 21 de setembro de 2015

    Colombo, não passa de um demagogo. Tem um estado com quase 60 secretarias, aposentadoria para governadores (que pouco fazem em quatro anos) e, ideologicamente, põem a culpa no servidor que trabalha e contribui para sua aposentadoria.

    Vamos arrumar a casa Governador ao invés de criar discurso para plateia.

  • Marcelo diz: 21 de setembro de 2015

    Que tal o governador começar acabando com aposentadoria de ex governadores, deputados etc. Mal contribui e já se aposentam… Ah sim, aí vai dizer que esse corte não vai significar nada. No dos outros é refresco

  • Joaquim de Jose diz: 21 de setembro de 2015

    Caro Moacir;

    Números não mentem, veremos simulações de previdência:

    Começou a trabalhar aos 15 anos
    Salário: R$ 1.800,00
    Contribuição Colaborador: R$ 200,00
    Contribuição Empresa: R$ 360,00
    Prazo: 30 anos
    Taxa: 0,50% (Abaixo da poupança)
    Valor final para a pessoa: R$ 562.528,42

    Aposentou-se aos 45 e com a expectativa de vida até os 75 anos:
    Prazo: 30 anos
    Taxa: 0,5%
    Valor da Aposentadoria: R$ 3372,64

    É bem fácil simular….o problema não é a previdência ela se paga….

    Temos ralos muito maiores Sr. Governador: SDR….muitas secretárias….

  • henrique diz: 21 de setembro de 2015

    Não é um problema tão complicado assim. Só limitar os novos servidores ao teto do INSS com previdência complementar como já fez a União e a agora o RS. Em vez de falar, tem que agir.

  • Nina diz: 21 de setembro de 2015

    Sobre o comentário da máquina inchada, concordo plenamente e até tenho uma boa proposta: acabar com os cargos comissionados e com as SDRs que nada mais são que cabide eleitoral.
    Gente a se esbarrar um no outro sem ter o que fazer, a começar pela ALESC – e que trabalham 6 hrs, folgam toda sexta feira e final do ano tem férias coletivas e recebendo 14 salários. A população vai adorar a reforma…

    Sobre o comentário da previdência também deve haver concordância da população e, mas com critérios especifícos, a começar pela aposentadoria dos Governadores e Deputados. Afinal de contas, ter como apoio às dignissímas palavras do governador, os atos devem contar como apoio às atuações .
    Primeiro: Acabar com a aposentadoria de Leonel Pavan, que ao ficar por 9 meses como Governador se aposentou.
    Segundo: Por que Governador “trabalha” por 4 anos e se aposenta?
    A população tão requisita em sua melhoria, vai com certeza apoiar as reformas previdenciárias.

    E esses funcionários que cita nosso dignissimo governador, que se aposenta aos 46 anos de idade, gostaria de saber onde estão. Provavelmente estarão na Alesc, nas SDR s… Ou ao lado do governador…

  • MARCELA diz: 21 de setembro de 2015

    Pq cortar benefício de servidor? Pq não enxugar a máquina, diminuir comissionados, rever contratos, licitações? Colombo não gosta de servidor efetivo…só pode…sequer cumpre a Lei da data base, que ele próprio criou! Ficamos ANOS sem reajuste sequer p cobrir a inflação…enquanto isso, comissionados com bens incompatíveis com seu salário desfilam na nossa cara! É revoltante!

  • Magda Claudio Ciprianio diz: 21 de setembro de 2015

    O colombo tem que dar mais exemplos,por exemplo fechar todas as SDRs,que até agora não mostraram porque foram criadas e estão mantidas até hoje,e nosso dinheiro indo para o ralo.Já que o criador o Senhor Luis Henrique da Silveira o pai das SDRs ,partiu desta para melhor, aproveita e fecha,ai sim sobrará dinheiro para investir em Educação,Escolas,Segurança e Saúde.

  • Rogerio Souza diz: 21 de setembro de 2015

    Acho que o problema se resolve em poucas linhas : 1- aposentadoria só aos 55anos . 2 – o aposentado continua contribuindo. 3 – auditoria para revisar aposentadorias fraudulentas . 4 – fim das aposentadorias especias (governador , deputados etcc )

  • Rita diz: 21 de setembro de 2015

    Por favor, governador, faça cortes onde tem gordura e não querer tirar da Educação a regência onde o professor suou muito em sala de aula para adquiri-la. Infelizmente SANTA CATARINA nem encontrou um professor para Secretário da Educação… Professor, daqui pra frente… raridade. Mas também, levamos pauladas dos deputados e do governador… Vcs já devem ter uma solução em mente… Importar professores também…

  • Luiz diz: 21 de setembro de 2015

    Tenho outra sugestão: devolver para a origem, inúmeros servidores lotados na PGE, IPREV e SEA, onde o aumento salarial chega a ser de até 500%. São servidores que irão se aposentar com as gratificações dos órgãos, sem a devida contribuição. Tem ADIN engavetada, inúmeras disposições, ou seja, a gestação é para os amigos do rei.

  • Luiz diz: 21 de setembro de 2015

    Tenho outra sugestão: devolver para a origem, inúmeros servidores lotados na PGE, IPREV e SEA, onde o aumento salarial chega a ser de até 500%. São servidores que irão se aposentar com as gratificações dos órgãos, sem a devida contribuição. Tem ADIN engavetada, inúmeras disposições, ou seja, a gestão do Colombo é para os amigos do rei.

  • Vinicius diz: 22 de setembro de 2015

    Na hora de ir à Brasilia apoiar essa incompetente, ele vai, né?

  • Paulo César da Rosa Romão diz: 22 de setembro de 2015

    Discurso de pura demagogia e proselitismo barato. Todos os catarinenses sabem o governo estadual anda torra a grana dos impostos suados pagos pela população.