Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Ponte Hercílio Luz: restaura ou derruba?

13 de outubro de 2015 33
Foto: Charles Guerra / Agência RBS

A empresa American Bridge desistiu da recuperação. Foto: Charles Guerra / Agência RBS

O secretário do Planejamento, Murilo Flores, confirmou à CBN Diário que serão necessários investimentos de mais R$ 300 milhões para a conclusão da restauração da Ponte Hercílio Luz. Somados aos R$ 180 milhões de reais já empregados nestes 33 anos de interdição, o poder público terá aplicado ao final cerca de R$ 500 milhões .
Esta soma milionária, acrescida das informações que se propagam com velocidade nas redes sociais de que parte do que foi gasto alimentou o caixa 2 de partidos, candidatos e campanhas políticas, vem gerando uma ampla reflexão na população sobre o que fazer com a Ponte Hercílio Luz.
Anos atrás, o engenheiro Anibal Borin, já advertia que o aço empregado na Ponte Hercílio Luz – o melhor da época – tem excesso de carbono. É fácil de trincar e, com pequena rachadura, rompe-se. Naquela época, chegava a sugerir o desmonte da Ponte Hercílio Luz e a construção de uma nova, com aço moderno e mais resistente para 100 anos, mantido o perfil do ícone principal do Estado.
Idêntico parecer tem a assinatura do engenheiro Berend Snoeijer, professor de Engenharia Mecânica do Centro Tecnológico da Ufsc, que subiu na torre da Ponte em 1982 e periciou o olhal trincado, causa da interdição determinada pelo IPT de São Paulo. Ele é especialista em resistência de materiais e realizou minuciosos exames de laboratório.
A American Bridge desistiu da recuperação. Que outra empresa detentor de alta tecnologia em ponte pênsil assumirá o risco de recuperar a ponte? E que garantias terão os catarinenses de, investindo mais de R$ 300 milhões, de que a restauração garantirá mais 50 anos de uso?

American Bridge não aceita recuperar a Ponte Hercílio Luz

Comentários

comments

Comentários (33)

  • Pedro Mariano diz: 13 de outubro de 2015

    Certo é que, seja desmontando a ponte ou a restaurando há necessidade de se apurar todo o dinheiro que foi investido ali e responsabilizar os agentes públicos que se beneficiaram às custas do erário. CPI no DEINFRA já!!!

  • Marcelo diz: 13 de outubro de 2015

    Só uma dúvida. a American Bridge desistiu ou pediu US$150 milhões de dolares para restaurar e o Governo do Estado quem desistiu?? bom esclarecer.

  • waltencir diz: 13 de outubro de 2015

    O jeito é derrubar e construir outra do mesmo estilo com 4 pistas, com certeza irá sair mais barato.

  • Professor Lourival diz: 13 de outubro de 2015

    Uma sugestão:Ao fazer a demolição se faça a venda de algumas peças em forma de leilão. Outras peças da ponte sejam encaminhadas para um museu. Não há um espaço ocioso na parte insular (parque da luz)? Que se faça ali um museu. Geraria recursos para a cidade. Uma parceria público privada é a decisão acertada. E quanto a nova ligação, uma ponte estaiada com oito faixas (quatro no sentido ilha – continente e outras quatro no sentindo continente – ilha) interligando as avenidas beira mar do estreito e norte e ainda com sistema de faixa reversível para ser utilizada em dias de muito fluxo de trânsito. Sem contar que poderia se fazer um mirante no alto de uma das torres da ponte estaiada e se cobrar ingressos por isso. Uma ponte com ciclofaixas e área para transeuntes. Outra ideia é associar a esta nova ligação áreas de trapiches de pesca e áreas náuticas. Seria um projeto muito mais prático e interessante. E o custo? Bem o custo seria como disse anteriormente feito por uma “PPP” que daria a empresa o direito a explorar a área por tempo determinado. Com isso ganharíamos uma ponte moderna e áreas melhor aproveitadas para toda a população da grande Florianópolis.

  • Marcelo diz: 13 de outubro de 2015

    Vocês ainda tem dúvida ?Derrube essa porcaria que até agora só consumiu,alguns milhões dos cofres públicos.E enriqueceu algumas “FAMILIAS”,isso sem contar as outras duas que estao um caos.

  • Feliciano Antunes Marques diz: 13 de outubro de 2015

    É notório para todos os Catarinenses que sofrem os problemas de extrema falta de mobilidade urbana, e que residem na Grande Fpolis ou se dirigem a Capital que a decisão é derrubar e construir duas pontes novas com oito pistas cada, basta criar um ponte com detalhes arquitetônicos que todos ficaram felizes. Alias dinheiro público muito elevado para se pensar em qualquer outra alternativa que não seja esta. Nosso turismo não vive da ponte e sim das praias e dos belos hotéis da região, aliás com mobilidade na região, muito mais o turismo ganharia. Conheço muitos turistas que veem para as praias cada vez mais fora da ilha (Palmas, Garopaba, Balneário) e não querem nem saber de visitar a ilha na temporada em face do caos no trânsito.

  • Jorge diz: 13 de outubro de 2015

    Referente a Ponte Hercílio Luz, gostaria de apresentar a seguinte sugestão:
    Primeiro a Empresa recupera a Ponte e depois recebe na forma de pedágio.
    Não sou favorável a pedágios por entender que existem formas menos dispendiosas de arrecadar, mas no caso desta ponte, a meu ver, esta seria a melhor alternativa.
    Vinte mil veículos de passeio dia a R$ 5,00 arrecadaria em dez anos 365 milhões de reais.

  • Jorge diz: 13 de outubro de 2015

    Para a região central de Florianópolis sugiro a instalação de uma passarela para pedestres interligando o Mercado Público ao Ticen e Rita Maria.
    Se possível, dotado de esteiras automatizadas.

  • Luiz diz: 13 de outubro de 2015

    Derruba.
    Existe tecnologia avançada para uma ponte mais segura, com maior capacidade de tráfego, passarela de ciclistas e pedestres, entre outros.
    Não sou a favor de mudar o visual da ponte. Nada de ponte estaiada.
    Penso que devem sim reconstruir, preservando, nem que seja apenas no visual, sua forma ou que algo que lembre a velha ponte.

  • Prado diz: 13 de outubro de 2015

    Reconheço a importância da ponte por ser a primeira imagem que nos vem quando pensamos em Floripa, entretanto, sendo realista, não vejo importância alguma para o transporte na cidade.
    Penso que deveríamos preservá-la como cartão postal e não como ponte.
    Como? Mantendo-se apenas as torres com leves cabos de aço de sustentação para as lâmpadas que preservariam a imagem do monumento, uma linda lembrança de um passado.
    Daí por diante, uma manutenção milhares de vezes mais barata.
    Se a intenção é preservar a imagem, essa é a melhor saída.

  • Alexandre S. diz: 13 de outubro de 2015

    E preparem-se. Aquela estrutura montada para suporte da ponte vai ficar ali uns 15 anos “enfeitando” o cartão postal, ou até para sempre.

    Pois nenhum governo vai ter coragem para desmontar a ponte.

  • Armando diz: 13 de outubro de 2015

    entrega para o Paulo Mele que ele dá mais um jeitinho.

  • Hercilio diz: 13 de outubro de 2015

    Porque não fazem um plebiscito para o destino da velha ponte….?? Derruba ou reforma…???

  • Jorge Destri Jr diz: 13 de outubro de 2015

    Quem visita o forte que fica sob a ponte Hercilio Luz, na parte insular de Florianópolis, logo vê que esta ainda se mantém de pé por algum tipo de milagre, face ao visível estado de sua estrutura. Desmontar essa ponte e construir outra ponte pênsil, mais moderna e segura, me parece a solução mais adequada e economicamente viável.

  • Eduardo Bastos diz: 13 de outubro de 2015

    Existem muitos intere$$e$ excu$o$, que fazem com que a$ obra$ nunca terminem. O correto seria demolir e construir uma semelhante. Ma$ i$$o contraria intere$$e$. Portanto só nos resta pedir ao querido Vento Sul, catarinense de respeito, que nos livre deste flagelo. Caindo aí irão pensar em construir uma réplica!

  • emir diz: 13 de outubro de 2015

    Derruba já,E mais,devolvam o dinheiro gasto aos cofres público.Faltou pra segurança,educação e saúde.Tenho minhas dúvidas se recursos também não foram utilizados nas últimas campanhas eleitorais,até de políticos já falecidos.Muito já foi gasto na reforma,vários anos,com a justificativa de preservação,temos museus suficientes,chega.

  • Cidnei diz: 13 de outubro de 2015

    Tudo tem seu inicio,meio e fim!! .Chega de roubo!!!

  • Jairo Pessoa Guimarães diz: 13 de outubro de 2015

    Moacir!

    Esta pesquisa remete para uma boa reflexão que merece ser bastante ponderada. É preciso avaliar que os custos não se resumem à sua restauração, mas também a sua posterior manutenção. Sabe-se não somente da fragilidade da obra, mas que, após restaurada, se assim se vislumbrar, não permitirá um fluxo maior de veículos, limitado pelo porte da estrutura e da pista.

    Considerando toda a situação da nossa economia, de fato é para se pensar entre a sua restauração duvidosa ou a construção de uma outra com as mesmas características, porém muito mais moderna e com baixo custo de manutenção.

    Penso que nesta altura do campeonato, decidir por sua demolição seria um ato de bravura, diante de tudo que já foi gasto com a sua sustentação.

    No entanto, a longo prazo, persistir no erro será muito pior do que hoje, decidir com racionalidade e, enfrentar a opinião pública reconhecendo com humildade a decisão do seu desmonte para em seu lugar construir uma outra. É com pesar, que a razão aponta para isto.

  • fabio diz: 13 de outubro de 2015

    “…vem gerando uma ampla reflexão na população sobre o que fazer com a Ponte Hercílio Luz.”
    Se tu chamas de ampla reflexão duas capas do DC e algumas colunas dos funcionários do DC, tudo bem… Mas, por outro lado, pela pluralidade de postos de vista abarcados por esse teu comentário a gente já vê o que chamas de ampla reflexão.
    Depois, ” informações que se propagam com velocidade nas redes sociais de que parte do que foi gasto alimentou o caixa 2 de partidos, candidatos e campanhas políticas”? Quem diz? Que partido? Com base em quê? O PT não está no meio? Então não importa quem foi? Ah… mas a culpa é da ponte. O médico é ruim, então, para resolver o problema da doença, matemos o paciente! Genial!

  • Lucas diz: 13 de outubro de 2015

    Moacir, qual das construtoras que anunciam no “grupo” vai fazer a nova ponte?

  • Manezinho diz: 13 de outubro de 2015

    Pode derrubar!

  • Armando José Müller diz: 13 de outubro de 2015

    Entendo, por analogia, correta a afirmação do citado engenheiro Anibal Borin que o aço empregado, mesmo sendo o melhor da época, tem excesso de carbono, o que enfraquece sua resistência. Este foi um dos motivos da tragédia do Titanic, segundo especialistas, cujo casco não ofereceu a resistência necessária a suportar a colisão com o iceberg. Seria importante que as autoridades do Poder Executivo do nosso Estado promovessem um debate com a sociedade catarinense sobre o que fazer, pois é de todo conveniente ouvir os cidadãos, afinal somos nós os contribuintes que em qualquer definição suportaremos o ônus financeiro.

  • naldo diz: 13 de outubro de 2015

    Quem quer a recuperação da ponte são os políticos e seus cupinchas de bando que estão mamando a mais de TRÊS DÉCADAS nestas obras, e NUNCA vão concluir, porque ai seca a fonte de recursos para as campanhas politicas e suas quadrilhas!

  • Vinicius diz: 13 de outubro de 2015

    Derruba logo, por favor. Investe isso em ferrovia.

  • walter sailva diz: 13 de outubro de 2015

    Pergunta difícil de responder, porem temos que usar mais a razão do que a emoção, eu penso que poderia ser derrubada e no lugar dela poderia-se construir uma bela ponte estaiada, com características a de alguma forma lembraste a velha ponte, digo isto com muita dor

  • giovan nardelli diz: 13 de outubro de 2015

    Derruba. e Faz outra no lugar.

  • Rodrigo diz: 13 de outubro de 2015

    Desmonta, vende para o Ferro velho, e faz uma ponte moderna de quatro pistas, nova e resistente ao tempos modernos…

  • Alex diz: 14 de outubro de 2015

    Já devia estar no chão a anos. E chega de fazer ponte naquela área. Deviam fazer mais duas pontes. Uma ligando a região da palhoça a beira mar sul ou aeroporto e outra Biguaçu a beira mar norte ou outro lugar.
    Mas nunca que irão fazer isso. Uma ilha que mal tem estradas, não tem túneis pra cortar, não tem túnel pra ir até a lagoa. Vergonha. Isso vai ficar por anos assim. Enquanto isso as favelas vão tomando conta dos morros e deixando a ilha cada vez mais feia e parecida com o rio.

  • Ilhoa diz: 14 de outubro de 2015

    Todos só falam em ponte no centro…. onde o maior problema não são as pontes e sim os acessos que não conseguem escoar o trânsito. A melhor discussão seria uma ponte no norte da ilha, partindo de Canasvieiras até Biguaçu na BR e outra do Carianos (que terá uma ligação duplicada ao Sul da Ilha à Palhoça. Pq muitos que são obrigados a transitar pela via expressa e centro de florianópolis, não necessariamente gostariam de passar por ali por não ser o seu destino.

  • Kréu Nas Pregas diz: 14 de outubro de 2015

    POR FAVOR, GOVERNADOR RAIMUNDO COLOMBO DESMONTE LOGO ESTA PORCARIA ANTES QUE ELA CAIA NA CABEÇA DE CENTENAS DE PESSOAS E AS MATEM.
    PEÇO QUE NA HORA DO DESMONTE A POLICIA MILITAR PERMANEÇA NO LOCAL, SENÃO, AS QUADRILHAS DE GRAVATA VÃO ROUBAR TAMBÉM O FERRO E A MADEIRA RETIRADA.
    SABE COMO É, NA CRISE…..

  • Engenheiro Nuno Lopes da Costa diz: 14 de outubro de 2015

    Prezado Moacir,
    O alerta que faço reinteradamente é quanto aos riscos de quem passa sob a estrutura diariamente na beira-mar insular e continental, quando a ponte finalmente desmoronar, a causa mais provavel será a falência definitiva de uma das barras de olhal conforme foi apresentado, ainda na decada de 80, pelo professor Berent. As torres auxiliares estão bastante comprometidas com vários elementos de fixação (rebites) faltando. São práticamente 5000 toneladas de aço que foram utilizadas na sua construção e a Hercilio Luz está em um ambiente marinho e em um canal de vento que incide na transversal, portanto na direção que a ponte tem menos rigidez, é impossivel prever a extensão do desastre, mas, o DNIT deve demonstrar que a estrutura sobre a beira-mar não vai cair na pista. Este alerta, fiz em diversas ocasiões. A reforma ou desmonte deve em primeiro lugar considerar a segurança dos milhares que ali transitam diáriamente! Muito obrigado.

  • Aurélio diz: 14 de outubro de 2015

    Derruba, e faz uma nova no lugar, moderna, de quatro ou seis pistas, ligando a Beira Mar Norte à Beira Mar Continental.

    Por favor, Moacir, seja um dos “cabeças” para formar opinião de que é o mais racional a fazer. Vamos parar de gastar centenas de milhões de reais em algo inútil e ultrapassado. Sem contar que as outras duas pontes já estão em estado precário e precisam de verbas para restauração. Todos nós amamos a velha ponte, mas já passou a vida útil dela.

  • Curió diz: 16 de outubro de 2015

    Resumo da ópera: acabou o mito do… ESTRUPÍCIO.