Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Levy: o ministro chantagista

16 de outubro de 2015 2
Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, foi contaminado pelo vírus da manipulação de alguns líderes petistas. Ao defender o aumento da carga tributária chegou a ameaçar de que a rejeição da CPMF implicará no não pagamento até do seguro-desemprego. Na frente vai ameaçar os salários dos servidores federais.

Levy não faz política. Faz chantagem!

Comentários

comments

Comentários (2)

  • Ivo diz: 16 de outubro de 2015

    Este tal de Levy é um grande terrorista! Está defendendo a ganância dos banqueiros na cobrança da CPMF; – e ele não é do Bradesco? Primeiro a CPMF era para saúde, depois para o rombo da previdência, agora pagamento do seguro-desemprego, já não tem mais como mentir!

  • Anonimo diz: 16 de outubro de 2015

    PEDALADA JUDICIAL
    O Presidente do Tribunal de Justiça, pretendente a um cargo no STJ e crítico ferrenho da Presidente Dilma Rousseff, acaba de adotar a mesma medida que esta adotou no final do ano passado, ao editar a malfadada Resolução 36 que suspendeu, entre outros, por, no mínimo, 60 dias, a concessão de novas gratificações, o pagamento de promoções, novas concessões de auxílio-creche e auxílio-saúde, convocação de candidatos aprovados em concurso público e novas concessões de abono de permanência .
    Na prática se trata de verdadeira pedalada fiscal, já que a intenção primordial da referida resolução foi a de evitar entrar no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal.
    Assim, ao sobrestar os pagamentos com o pessoal por, no mínimo, 60 dias, está jogando tais despesas para o próximo exercício, com evidente tentativa de burlar o limite de gastos com pessoal imposto pela Lei de Responsabilidade Fiscal.