Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Servidores de Florianópolis flagrados com dinheiro e santinhos eram afilhados do presidente da Câmara Municipal

22 de setembro de 2014 0

Os santinhos de propaganda eleitoral encontrados no carro do guarda municipal de Florianópolis e Diretor de Operações do Ipuf, Júlio Pereira Machado, eram do candidato a deputado estadual Vanderlei Agostini, do PSD, segundo informações que circularam na Câmara Municipal. Machado estava em companhia de outro guarda municipal de carreira, Jian Carlos Viana Cardoso, comandante da Guarda Municipal, também preso em flagrante pela Policia Rodoviária Federal na freeway, quando se deslocavam de Porto Alegre para Florianópolis. Dentro do veículo foram encontrados 100 mil reais. Em Porto Alegre tiveram contatos com a empresa que tem contrato de radares com a Prefeitura da Capital. Os dois foram levados à Policia Federal em Porto Alegre, onde prestaram depoimento por mais de quatro horas.
O prefeito Cesar Souza Júnior está visivelmente contrariado com a ocorrência policial e determinou a demissão sumária dos dois servidores.
Ambos foram indicados para os cargos pelo vereador Cesar Farias, do PSD, presidente da Câmara Municipal de Florianópolis.
Farias trabalha pelas candidaturas de Vanderlei Agostini para a Assembleia, Cesar Souza para a Câmara Federal, ambos do PSD, mais Dário Berger ao Senado pelo PMDB e Raimundo Colombo ao governo pelo PSD.

Comments

comments

Facisc entrega reivindicações para os candidatos ao governo

22 de setembro de 2014 0

A Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc) produziu uma cartilha com mais de 600 reivindicações e irá entrega-la aos candidatos ao governo do Estado nessa quarta-feira (24.09), no Hotel Majestic em Florianópolis. O levantamento foi realizado junto às associações empresariais filiadas e que resultou na elaboração do documento Voz Única, destacando temas como segurança pública, saúde, infraestrutura, política e gestão, tributário, trabalhista, meio ambiente, agricultura e educação.

Comments

comments

“Muitos não estão procurando o Estado para resolver seus conflitos”, diz ministro do STJ

22 de setembro de 2014 0

O ministro Marco Aurélio Gastaldi Buzzi, do Supremo Tribunal de Justiça, participou nesta segunda-feira da 17ª Conferência Estadual dos Advogados, em Brusque. Fez um alerta sobre criminosos que assumem o papel do Estado na resolução de conflitos. Leia abaixo dois trechos de sua apresentação:

“Muitos não estão mais procurando o Estado para resolver seus conflitos. Estão procurando os traficantes, os marginais, para dar efetividade para aquilo que nosso sistema não dá conta. Isso aconteceu na Itália, no Paraguai, na Espanha. Exemplos não faltam. Ou oferecemos a essas pessoas alguma maneira de resolver seus conflitos, além de dar educação, saúde e segurança, ou irão bater na porta de quem possa oferecer isso, ainda que de maneira torta. Precisamos de algo elementar, que é mudar as mentalidades. Por meio da mediação e outros métodos, como negociação e a conversa, conseguimos resolver num tempo menor e a um custo muito menor, ressalvando os honorários daqueles que devem receber. Tornamos assim a justiça mais acessível aos grandes contingentes populacionais que estão sendo marginalizados”, disse.

Buzzi também lembrou que em vários países os métodos de resolução de conflitos estão ressurgindo. “Na China, até hoje, se você não consegue resolver um conflito simples, é considerado uma pessoa inábil, um cidadão incompetente. Você tem a reprovação contra si mesmo, depois contra sua comunidade e sua família, que não pode lhe dar educação para resolver conflitos simples sem a presença de um terceiro. Somos o último país entre os emergentes, e talvez um dos últimos no mundo, que ainda não tem um marco regulatório da mediação, que finalmente está prestes a ser aprovado. Com ele, teremos duas novas carreiras na área jurídica, a do mediador judicial e do mediador extrajudicial, além da mediação comunitária, que já existe”

Comments

comments

Eduardo Jorge cumprirá agenda em Tubarão

22 de setembro de 2014 0

O candidato à presidência da República pelo PV, Eduardo Jorge, virá cumprir agenda em Santa Catarina, no município de Tubarão, no Sul do Estado. A visita está marcada para os dias 26 e 27 deste mês. O presidenciável será recepcionada com uma pedalada e também irá visitar a Unisul, onde participará de debate com a comunidade universitária. No sábado, Eduardo Jorge fará visita institucional à Usina Cidade Azul.

Comments

comments

OAB-SC sabatina candidatos na quinta-feira

22 de setembro de 2014 0

A OAB-SC irá promover uma sabatina com os candidatos ao governo do Estado nessa quinta-feira. Todos os candidatos foram convidados e responderão a perguntas formuladas pelas comissões temáticas da entidade, relacionadas a temas como licitações e contratos, saúde, direitos do idoso, segurança, mobilidade urbana, infraestrutura, cidadania, dentre outros temas de interesse da sociedade. O evento ocorrerá no auditório Túlio César Gondin, a partir das 14h, e será mediado pelo jornalista Cláudio Prisco Paraíso.

Comments

comments

Marcelo Ferreira: "Me sinto um otário"

22 de setembro de 2014 0

Do advogado e ex-juiz do TRE de Santa Catarina, Marcelo Peregrino Ferreira, sobre a coluna desta segunda no Diário Catarinense e no Jornal de Santa Catarina:

“O tarimbado Moacir Pereira, com sua lucidez e experiência, lança luzes sobre a política hoje. Por mais que os advogados eleitoralistas tentem impedir a demonização da política, os atores não permitem um juízo favorável à maioria da classe política. Ver Angela Albino, Thiago, Cesar Souza abraçados com o Dário me faz sentir um otário. Rimou sem querer!”

Comments

comments

Hospitais param dia 25: veja as reivindicações

22 de setembro de 2014 0

Nota da Associação e da Federação dos Hospitais de Santa Catarina informa que “os filantrópicos vivem sob constante ameaça: com a falta de recursos, várias unidades correm o risco de fechar as portas. Como os recursos repassados são insuficientes para gerir os hospitais, cresce o endividamento das instituições, sem perspectivas a curto prazo para reverter este quadro.”
– O problema é ainda mais grave em Santa Catarina, já que a rede filantrópica é responsável por 81% dos atendimentos do SUS – prossegue Uma das principais causas da crise financeira pode ser entendida pela defasagem da Tabela do SUS, congelada há mais de 20 anos. Para cada R$ 100,00 gastos com procedimentos, o governo repassa em média apenas R$ 65,00. A defasagem é absorvida pela instituições que não tem mais como carregar este fardo. Pelo menos 83% dos 600 hospitais filantrópicos brasileiros operam no vermelho. A dívida ultrapassa os R$ 17 bilhões de reais. Para o presidente da Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos de SC (FEHOSC), Hilário Dalmann, ” o momento serve para chamar atenção dos governos, parlamentares e da populacao em geral, sobre a crise que ameaça a sobrevivência destes hospitais que muitas vezes são a única porta aberta nos municípios, principalmente de pequeno e médio porte.” Além da FEHOSC, a paralisação no estado, conta com apoio da Associação e Federação dos Hospitais de SC. As instituições unidas, lançam uma pauta com oito reinvindicações, com a esperança de reverter a dramática realidade do setor.

E relaciona as reivindicações:

1. 100% de reajuste da Tabela de Procedimentos do Sistema Único de Saúde – SUS, pois, há 20 (vinte) anos o segmento hospitalar privado filantrópico vem sofrendo, de maneira continuada, um brutal déficit nas relações contratuais estabelecidas com o Sistema Único de Saúde – SUS.
2. Anistia das dívidas relacionadas a tributos e/ou contribuições, a partir de lei específica, bem como a possibilidade de reestruturação do endividamento bancário, com a transferência das dívidas com bancos privados para bancos públicos, e a edição de linhas de créditos de longo prazo e juros subsidiados, “JURO ZERO” sem exigências de certidões negativas a partir de garantias consignadas;
3. Revisão e atualização dos valores repassados pela Portaria SES nº 543, de 22 de agosto de 2008: que aprova as diretrizes operacionais do Incentivo Hospitalar, sendo proposto o pagamento de um incentivo as Unidades Hospitalares que aderirem ao processo de Contratualização;
4. Criação de Política de Incentivo no âmbito estadual, objetivando complementar o custeio de ações de média complexidade na assistência hospitalar, com vistas a garantir o equilíbrio econômico-financeiro na prestação de serviços ao Sistema Único de Saúde – SUS;
5. Criação de programa específico para a sustentabilidade dos hospitais de pequeno porte, considerando a continuidade e a importância para o atendimento da população em localidades com menos de 30 mil habitantes, sendo necessário redefinir o papel dessas entidades para que, integrados à rede assistencial, possam prestar melhores serviços à população e servirem de retaguarda aos hospitais de maior porte;
6. Compromisso da aprovação da Emenda Popular “Saúde + 10” que define a aplicação dos recursos estaduais da saúde (12% da receita liquida) de acordo com o preconizado pela Lei Complementar nº 141/2013: que Regulamenta o § 3o do art. 198 da Constituição Federal para dispor sobre os valores mínimos a serem aplicados anualmente pela União, Estados e Municípios em ações e serviços públicos de saúde;
7. Apoio na aprovação do projeto protocolado junto a CELESC, que autoriza a isenção do pagamento da tarifa de energia elétrica para os estabelecimentos de saúde que atendam os usuários do Sistema Único de Saúde – SUS;
8. Igualdade na distribuição dos recursos ou seja, do orçamento da saúde no estado os hospitais públicos que representam 20% da rede ficam com 50% dos recursos, ou mais. Já os hospitais privados e filantrópicos que representam 80% da rede de assistência recebem também os mesmos 50%, conta injusta e desigual.

Comments

comments

As livrarias e os autores catarinenses

22 de setembro de 2014 0

Uma boa noticia para os autores e editoras de Santa Catarina. A Livraria Catarinense, agora com novo e amplo espaço no térreo do Beira Mar Shopping montou uma estante especial só de autores catarinenses. Anuncia uma programação de lançamento de obras locais e abriu parceria com instituições culturais para melhorar a divulgação. Já é um começo!

Comments

comments

O jornalismo e as coberturas inesquecíveis

22 de setembro de 2014 0

Programado para o inicio de 2015 o lançamento do livro “Reportagens e coberturas inesquecíveis- o jornalismo atuante de Santa Catarina”, que está sendo organizado por Ricardo Medeiros e Marcelo Passamai. Já enviaram relatos 14 dos jornalistas convidados. A publicação terá o selo da Editora Insular.

Comments

comments

As denúncias do ex-diretor da Petrobrás e o ritmo da campanha

22 de setembro de 2014 0

Do jornalista Ricardo Noblat, em seu blog, sobre a crise do Petrolão e as não respostas da presidente Dilma sobre a delegação premiada do ex-diretor da Petrobrás, Paulo Roberto Costa:

“Quem disse: “A Petrobras nunca foi, não é e nunca será uma empresa bandida”. Ou: “Pode-se fazer auditoria por 50 anos que não se vai achar nada de ilegal na Petrobras”.

Ou ainda: “A compra da refinaria de Pasadena foi um bom negócio”. E por fim: “Não existe homem-bomba”.

Quem disse foi Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, preso como uma das cabeças da roubalheira na empresa.

Sim, senhor, foi ele mesmo, nomeado por Lula em 2006 para a diretoria da Petrobras a pedido do Partido Popular (PP).

Dez anos antes, quando ainda se chamava Partido Liberal, o PP cobrou R$ 6 milhões do PT para indicar o vice na chapa de Lula – o empresário mineiro José Alencar.

Lula e Alencar testemunharam o fechamento do negócio em um apartamento de Brasília.

Sabe o que levou Paulo Roberto a se transformar em um homem-bomba, delatando quem roubou ou ajudou a roubar a Petrobras? O medo de ver suas filhas e genros presos como “testas de ferro”.

Um agente da Polícia Federal informou certo dia a Paulo Roberto que fora assinada uma ordem de prisão contra uma de suas filhas. Ele então desandou a falar. Não parou mais.

Há 15 dias, na sabatina do jornal O Globo com a presidente Dilma Rousseff no Palácio da Alvorada, ela repetiu várias vezes que era a principal interessada na apuração de denúncias de corrupção dentro ou fora da Petrobras.

Quanto a Paulo Roberto, garantiu que ele jamais fora homem de sua confiança. Não tinha com ele, sequer, a mais remota afinidade. Tanto que o demitiu em 2012.

Àquela altura da sabatina, eu ainda não sabia que o homem sem afinidade com Dilma havia sido um dos 400 convidados por ela para o casamento de sua filha em Porto Alegre, no final de 2008.

Na ocasião, Dilma recepcionou Lula, 10 ministros de Estado e 11 governadores. Trajava um vestido azul-petróleo. Lula confraternizou com Paulo Roberto, a quem chamava de “Paulinho”.

Quer ver uma fotografia de Paulo Roberto no casamento? Quer mesmo? Esqueça. Os vestígios da passagem dele por lá foram apagados.

Aproveitei a sabatina para perguntar a Dilma: “Se a senhora tanto se empenha em investigar a corrupção por que não deu ordens expressas ao seu pessoal da CPI da Petrobras para proceder assim?”

Dilma deu uma larga volta para ao fim e ao cabo não responder minha pergunta. Insisti: “A CPI só fez enrolar até agora. Nada investigou. E os aliados da senhora são maioria na CPI. O que me diz a respeito?”

Dilma deu outra larga volta para não responder. “Desculpe, mas a senhora não respondeu”, teimei. Ela aproveitou a pergunta de outro colega e mudou de assunto.

No dia 19 de agosto passado, seis dias depois do desastre aéreo que matou Eduardo Campos, candidato do PSB a presidente da República, Dilma foi cercada por um grupo de jornalistas durante viagem a Rondônia.

Um deles perguntou sobre Marina Silva, a vice de Eduardo e substituta dele como candidata a presidente. Dilma franziu o cenho. E respondeu com má vontade.

- Meu querido, eu quero dizer para você: vou fazer a minha campanha. Tenho muito que mostrar. Não posso ficar preocupada com qualquer pessoa.

Na véspera, pesquisa Datafolha conferira a Dilma 36% de intenções de voto contra 21% de Marina. No dia 29 daquele mês, as duas apareceram empatadas no Datafolha com 34% a 34%.

Desde então, Dilma se ocupa em fabricar mentiras diárias contra Marina. Precisa que a rejeição dela aumente para que possa tentar derrotá-la no segundo turno.”

Comments

comments