Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Governador antecipa pedidos a ministro da Fazenda

30 de julho de 2015 0
Encontro entre governador Raimundo Colombo (PSD) e ministro da Fazenda, Joaquim Lévy nesta quarta-feira (19), em Brasília. Foto: Jaqueline Noceti/ Secom

Encontro entre governador Raimundo Colombo (PSD) e ministro da Fazenda, Joaquim Lévy nesta quarta-feira (19), em Brasília. Foto: Jaqueline Noceti/ Secom

Para evitar prejuízos no caixa do Estado no futuro, Santa Catarina está se antecipando nas discussões envolvendo ajustes no ICMS. Em audiência com o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, na noite desta quarta-feira,29, em Brasília, o governador Raimundo Colombo reforçou o pedido para que o Governo Federal crie um fundo de compensação, no caso da equalização do imposto entre os estados do Brasil. Além de Santa Catarina, a medida contemplaria outros seis estados, entre eles o Rio Grande do Sul, que sofreriam perdas significativas na arrecadação. Outro pleito apresentado ao ministro Levy, foi para que o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) possa financiar municípios dos três estados do Sul. “É uma medida importante, e que ficou bem encaminhada, para que possamos dinamizar a economia e, no caso, de Santa Catarina, manter o nível de emprego”, disse Raimundo Colombo. O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, também participou da audiência.

Fonte: Secretaria de comunicação do Governo de SC.

Comentários

comments

Centro Cirúrgico do Cepon: tudo parado

30 de julho de 2015 0

As obras do Centro Cirúrgico do Hospital do Cepon, em Florianópolis, continuam totalmente paradas há meses. A empresa contratada suspendeu os serviços. O governo do Estado não repassa os recursos. Faltam 4 milhões de reais para conclusão. A polêmica sobre a propriedade do terreno foi superada, mas a transferência da verba não acontece.

Comentários

comments

Eleição de novo reitor movimenta UFSC

30 de julho de 2015 0

Eleição do novo reitor da Universidade Federal de Santa Catarina está marcada para o dia 21 de outubro. No campus há dúvidas sobre a candidatura da atual reitora Roselane Neckel. Um forte movimento de oposição, liderado por diretores de centros, lançará o nome do professor Luiz Carlos Cancelier, diretor do Centro de Ciências Jurídicas. O professor Irineu João de Souza, que participou do último pleito, também deve concorer.

Comentários

comments

Colombo veta projeto que liberava servidores para sindicatos

30 de julho de 2015 2

O governador Raimundo Colombo vetou projeto de lei aprovado pela Assembleia Legislativa que ampliava o número de sindicalistas dispensados do trabalho. O projeto é de autoria do deputado Aldo Schneider, do PMDB. Segundo a Secretaria da Administração, a lei autoriza liberação do ponto apenas dos presidentes dos sindicatos. O projeto beneficiava também os vice-presidentes.

Comentários

comments

Hospital: Tebaldi metralha gestão de Udo Döhler

30 de julho de 2015 0
Situação caótica no Hospital São José de Jonville. Foto: Rodrigo Philipps

Situação caótica no Hospital São José de Jonville. Foto: Rodrigo Philipps

Deputado federal Marco Tebaldi (PSDB) declarou-se “arrasado”com o que viu na visita ao Hospital Municipal São José de Joinville. Os servidores estão em greve há 20 dias, pacientes desesperados se agarraram ao parlamentar pedindo uma solução. Segundo Tebaldi, 87 leitos estão desativados: “Crise provocada pela decisão do prefeito Udo Döhler, que que cortar insalubridade e economizar 156 mil reais por ano.”

Comentários

comments

Ferrovia Litorânea: o projeto lunático e inviável da Funai

30 de julho de 2015 4

O projeto de implantação da Ferrovia Litorânea, ligando Imbituba a Araquari, tem custo estimado em 4 bilhões de reais. A Funai vetou os estudos técnicos do consórcio contratado pelo Dnit e exige um projeto alternativo no Morro dos Cavalos. A exigência elevaria o custo para 16 bilhões de reais. A alegação: causaria impacto na reserva indígena. A opção da Funai aumentaria o traçado em 30 km, exigiria 7 túneis, sendo que um deles com 56 km de extensão.

Funai pode inviabilizar Ferrovia Litorânea

Revelações feitas pelo Diretor de Infraestrutura Ferroviária do Dnit, Mário Dirani, durante reunião da Câmara de Transporte e Logística da Fiesc, convocada para uma avaliação sobre o andamento do projeto básico, contratado pelo Dnit com dois consórcios.

Além de enfatizar que a posição da Funai inviabiliza totalmente a Ferrovia Litorânea, Dirani informou também que há mais de dois anos o projeto encontra-se em estudos na Fundação, sem qualquer manifestação.

Os estudos do Dnit sobre a Ferrovia Litorânea foram realizados por dois grupos empresariais. O lote 1, entre Imbituba e Tijucas, está a cargo do consorcio Magna/Astep. Encontra resistência intransponível da Funai. O prazo contratual para conclusão do projeto termina em outubro de 2015. O trecho custaria 3 bilhões de reais. O lote 2, entre Tijucas e Araquari, já foi concluído e entregue ao Dnit. Prevê um túnel de 4 km e 30 obras de arte (pontes, viadutos e galerias), ao custo total de 1,8 bilhão de reais.
O prazo de execução da ferrovia, se removidas as barreiras da Funai, seria de 4 anos, a partir da entrega dos projetos executivos, que exigiriam oito meses de elaboração.

O Estudo de Viabilidae Técnica, Financeira e Ambiental foi realizado em 2001. Decorridos 14 anos e a obra não saiu do papel.

Comentários

comments

Arcebispo lança "Caminhada do Bem"

30 de julho de 2015 1

Arcebispo de Florianópolis, Dom Wilson Tadeu Jönk, preside hoje, as 10 horas, na Cúria Metropolitana, o lançamento da “Caminhada do Bem 2015”, que acontecerá em tres etapas, a partir do dia 13 de setembro, em Florianópolis. O resultado financeiro da Caminhada, que é promovida pelo Sesi, será totalmente revertido em projetos sociais da Arquidiocese.

Comentários

comments

O fracasso do PT no governo

29 de julho de 2015 3

Do colunista da Zero Hora, David Coimbra, em inteligente artigo intitulado “Por que o PT fracassou”. Vale a leitura:

“O pior do governo do PT não é a corrupção. É a legitimação de uma espécie de guerra de classes no Brasil. Porque é assim que o governo se justifica. Este seria um governo “dos pobres”, um governo “de esquerda”, o que, por si, seria bom. Finalmente, os pobres estariam representados pela esquerda com consciência social. Os interesses dos ricos teriam sido contrariados para que os pobres, enfim, ascendessem socialmente.
Só que isso não é verdade.
Esqueça a corrupção. Esqueça o autoritarismo inato do PT. Esqueça as sabotagens à democracia representativa. Concentre-se apenas no que os governistas apresentam como pretexto para os seus defeitos: a suposta defesa dos pobres, o mérito intrínseco de ser “de esquerda”.
É um pretexto falso. É uma crença mentirosa.
Por quê?
Nenhuma classe social, nenhuma categoria, nenhum país pode ser bem atendido se for só por programas e obras materiais. O Bolsa Família, de longe a melhor ação do governo do PT, é, por natureza, emergencial. Em tese, você resolve aquela questão premente e depois passa para a administração de fato dos problemas da nação.
Muita gente me critica dizendo que, há alguns anos, escrevi colunas favoráveis ao governo do PT e que agora mudei. Não mudei. E nem o governo mudou. Quando o governo começou, pensei: Lula está tratando do que é urgente, em seguida passará às questões estruturais.
Nunca passou.
Lula e os governistas se acomodaram com a facilidade dos programas, com o populismo e com as obras de aço e concreto, fonte borbulhante de corrupção. Isso já foi feito pelo governo militar. Minha mãe conseguiu comprar nosso apartamento graças ao BNH, um programa habitacional. Paguei minha faculdade graças ao crédito educativo, um programa educacional. O Mobral era um bem-intencionado programa de inclusão social por meio da alfabetização. Da mesma forma, a ponte Rio-Niterói, a freeway, a refinaria Alberto Pasqualini, a Usina de Itaipu e outras tantas obras de infraestrutura eram uma espécie de PAC dos militares.
Mas onde ficaram as reformas estruturais depois de 21 anos de governo dos generais? Onde estão agora as reformas estruturais, depois de quase uma década e meia de governo petista?
Em lugar algum, porque não foram feitas.
Os pobres, e por consequência o Brasil todo, só serão realmente atendidos quando o país fizer reformas por dentro, quando for reestruturada a educação básica e fundamental, quando for instituído um federalismo de fato, quando houver uma reforma tributária, quando houver reforma na segurança pública, com mudanças no Código Penal, nas polícias e no sistema prisional, quando o sistema de saúde deixar de ser bom só na teoria.
É assim que os pobres serão ajudados de verdade no Brasil. Só assim. Por que o PT não fez essas mudanças quando tinha chance de fazê-las?
Por má intenção?
Não.
Simplesmente porque não sabe fazê-las.
O PT jamais teve um projeto de administração do Brasil. Sempre teve um projeto de poder. A ideia era chegar lá e depois ver como “ajudar os pobres”. Empossado, Lula foi tentando, palmeando no escuro. Lançou o Fome Zero. Não deu certo. Adotou o velho programa do Bolsa Família. Deu certo. Lula viu que esse era o caminho da popularidade. Seguiu por ele. E esqueceu-se do resto. Esqueceu-se de que o Brasil precisa de um trabalho duro, difícil, profundo e, muitas vezes, impopular para se tornar uma nação verdadeiramente justa.
Não festejo o fracasso do PT. Ao contrário: lamento. Perdemos tempo. E pior: acirrou-se uma disputa ideológica rançosa, de teor clubístico, que só nos empurra para discussões vazias. O PT não fracassou por ser supostamente de esquerda, não fracassou porque supostamente quer ajudar pobres. Fracassou porque não sabe governar.”

Comentários

comments

Noite de filiações no PR em Balneário Camboriú

29 de julho de 2015 0
29_07_2015_15_23_45

Autoridades, lideranças políticas, empresários e simpatizantes no encontro que aconteceu na sede do PR, em Balneário Camboriú. Foto: Divulgação

O Partido da República (PR) de Balneário Camboriú se reuniu na última segunda-feira, 27, para receber novos filiados. Autoridades, lideranças políticas, empresários e simpatizantes participaram do encontro que aconteceu na sede do partido. Ao todo, foram feitas 50 novas filiações e apresentados dez novos pré-candidatos a vereadores.

Comentários

comments

Grilagem em imóveis da Prefeitura da Capital

29 de julho de 2015 2

O ex-prefeito Dário Berger (PMDB) considerou “absurdo” o mandado de busca na casa do irmão, Dilmo Berger, na Operação Trojan, realizada pela Polícia Civil nessa segunda-feira (27).  Dilmo está de férias e fora da cidade e o irmão, Dário, estranhou que a polícia nada tenha levado da inspeção. E revelou que as fraudes investigadas pela Polícia Civil envolvem até grilagem de várias áreas públicas, transferidas para particulares.

Comentários

comments