Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Deschamps responde às críticas de Luciane Carminatti

23 de abril de 2014 4

A deputada estadual Luciane Carminatti (PT) fez críticas ao planejamento de obras nas escolas estaduais para 2014. A seguir, a resposta do secretário da Educação, Eduardo Deschamps (PSDB).

Em um levantamento realizado pela SED, contando com a aplicação dos recursos previstos no Pacto pela Educação até o final de 2014 e os recursos já investidos do orçamento próprio, em torno de 700 unidades escolares (mais de 60% da escolas estaduais) terão sofrido intervenções na sua infra-estrutura de 2011 até o final do Governo Colombo.
Ainda no mês de maio estão previstas as entregas de 10 obras em unidades escolares e 19 ordens de serviço para construção de escolas novas.

Eduardo Deschamps
Secretário da Educação

Comments

comments

PMDB e PT têm até terça para indicar nomes para CPI da Casa Rosa

23 de abril de 2014 7

(texto da Agência AL)

As bancadas do PMDB e do PT e o bloco formado por PPS, PCdoB, PSOL e DEM têm até a sessão ordinária da próxima terça-feira (29) para indicar os deputados que vão compor a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa que vai investigar possíveis irregularidades na compra de um terreno para a construção da nova sede do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC). Durante a sessão desta quarta-feira (23), o presidente em exercício do Parlamento, deputado Joares Ponticelli (PP), abriu o prazo de duas sessões ordinárias para que os partidos apresentem suas indicações.

Ponticelli também comunicou que nenhum líder de bancada questionou o fato determinante para a instalação da CPI, o que deveria ser feito até esta quarta. O presidente confirmou que PP, PSD e PSDB oficializaram que não participar da comissão. Com isso, as cinco vagas da CPI serão divididas entre o PMDB, o PT e o bloco PPS –PCdoB-PSOL-DEM. O deputado Sargento Amauri Soares (PSOL) anunciou, durante a sessão, que será o representante do bloco minoritário na comissão.

Conforme o parágrafo segundo do artigo 41 do Regimento Interno da Assembleia, o número de vagas a que cada partido tem direito na CPI foi definido conforme o tamanho da bancada, respeitando-se a proporcionalidade partidária. Com isso, o PMDB terá direito a duas vagas; o PT ficará com uma e o bloco PPS –PCdoB-PSOL-DEM terá uma vaga. A quinta vaga restante ficará ou com PMDB ou PT. “Em comum acordo os partidos vão decidir com quem ficará essa vaga, já que houve um empate na distribuição dessa quinta vaga”, explicou Ponticelli.

Saiba mais

O pedido para a criação da CPI do Ministério Público foi protocolado pelo deputado Jailson Lima (PT) no dia 2 de abril, com a adesão de 18 deputados. Ele acredita que compra, sem licitação, de um terreno no centro de Florianópolis para a construção da sede do órgão, por R$ 123 milhões, teria violado a Lei de Licitações. O parlamentar levou o caso da compra do terreno até o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) em Brasília, órgão responsável pela fiscalização dos MPs em todo o Brasil.

Na semana passada, quando esteve na Assembleia Legislativa para apresentar o relatório anual do MPSC, o procurador-geral de Justiça, Lio Marcos Marin, garantiu que não há irregularidades. “O processo de compra do terreno seguiu a regularidade e normas da lei de licitações. Peritos independentes e registrados avaliaram o imóvel. O preço está abaixo aos atribuídos pelos experts. Isso tudo está documentado no processo que está à disposição dos senhores”, garantiu.

Como o imóvel está ao lado da atual sede do MP, o processo estaria livre do processo de licitação. “Uma licitação dirigida feriria a lei”, afirmou. Foram pagos de entrada no negócio R$ 30 milhões de um valor global de pouco mais de R$ 123 milhões. “Os demais valores serão pagos anualmente até a conclusão da obra (ampliação da sede), prevista para meados de 2017”.

Comments

comments

CPI do MP-SC vai sair; novos 410 comissionados da instituição, também

23 de abril de 2014 2

(texto da Agência AL)

Após o deputado Joares Ponticelli (PP), presidente em exercício da Casa, informar que nenhum parlamentar questionou o fato determinado que motivou o pedido de CPI do MP e estipular prazo de duas sessões para que PMDB, PT, PSOL, DEM, PCdoB e PPS indiquem representantes, uma vez que PSD, PSDB e PP não indicarão membros, o plenário da Casa aprovou nesta quarta-feira (23), por 28 votos a 4, o Projeto de Lei Complementar nº 30/13, do Procurador-Geral de Justiça, criando 410 cargos de provimento em comissão, sendo 354 assistentes de promotoria, 50 assistentes de procuradoria, cinco assessores jurídicos e um assessor de comunicação no Ministério Público barriga verde.
Luciane Carminatti (PT) anunciou voto contrário ao projeto e pediu aos catarinenses que distinguissem a CPI do MP deste projeto de lei criando cargos. “Questionamos a forma de acesso aos cargos”, explicou a deputada, aludindo à possibilidade de criar 410 cargos efetivos ao invés de livre nomeação. “Que não se diga que a gente é contra o MP, é nivelar por baixo, quero o MP forte e atuante”, justificou.
Gelson Merisio (PSD) discordou da parlamentar e argumentou que aprovação do PLC 30/13 é coerente com as normas da própria Assembleia, que estipulam 20 cargos comissionados por gabinete parlamentar, totalizando cerca de 800 cargos de livre nomeação no Legislativo. Padre Pedro Baldissera (PT) concordou com Merisio. “É uma questão de coerência com nossa prática dentro do Parlamento, não tenho dificuldade em votar a favor”, declarou.
Darci de Matos (PSD) ponderou que a aprovação do PLC indicava o “prestígio do MP” e Maurício Eskudlark (PSD) observou que não se trata propriamente de criar novos cargos, mas sim de transformá-los, uma vez que esses assessores já atuavam como terceirizados. “O promotor precisa trabalhar com pessoa de confiança, o concursado vai engessar os trabalhos”, previu Eskudlark.
Dirceu Dresch (PT), por outro lado, criticou a iniciativa e asseverou que a melhor alternativa para o Ministério Público seria transformar os cargos comissionados em efetivos, pois com a aprovação do PLC 30/13 o MP terá cerca de 860 cargos comissionados contra apenas 488 efetivos. Além disso, o representante de Saudades ressaltou a alta rotatividade desses servidores, dado que entre janeiro de 2013 e abril de 2014 mais de 90% dos comissionados que atuam no MP foram substituídos. “Essa rotatividade prejudica a sociedade”, garantiu Dresch.

Comments

comments

Artigo de Mauro Mariani em defesa da candidatura própria do PMDB

23 de abril de 2014 4

Por Mauro Mariani

Uma aula de democracia! Viva os 48 anos de PMDB!

Mais que uma mera disputa interna no PMDB, a pré-convenção que movimenta as alas defensoras de posicionamentos antagônicos, é uma verdadeira aula de democracia, até mesmo para quem integra cada uma das fileiras do maior partido político de Santa Catarina e do Brasil. O tempero das entrevistas de ambos os lados mantém a discussão das ideias num patamar elevado de consciência social e política. Ainda mais hoje, quando o PMDB de Santa Catarina comemora seus 48 anos de fundação.

Neste dia, é de extrema importância uma reflexão sobre os caminhos que o PMDB está trilhando e trilhará de hoje em diante. Em 2010 perdemos a oportunidade de apresentar um candidato próprio ao governo, por conta de uma mudança repentina de posicionamento político. Mesmo assim erguemos nossas bandeiras para defender a aliança que ora se questiona.

Respeitamos, como sempre, a opinião diversa de nossos companheiros. Mas é grande o temor de que ficando mais quatro anos sem apresentar um candidato ao governo do Estado, o PMDB sofra um enfraquecimento maior do que já vem sofrendo. De 114 prefeitos em 2010 já somos 105. Perdemos nove prefeituras, exatamente o mesmo número de municípios que comemoram aniversário no dia 26 de abril, dia de nossa convenção.
Nos últimos três anos, percebendo que esta aliança não surtiu o efeito desejado, temos percorrido nossa querida Santa Catarina de ponta a ponta, defendendo a necessidade do PMDB apresentar, sim, um candidato a governador nas próximas eleições. Qual o problema em apresentar um candidato, se o PMDB sempre enfrentou as batalhas de cabeça erguida??? Qual é o problema, se o maior adversário do PMDB é o próprio PMDB???
Quando o PMDB levanta, se agiganta. E contra a força do 15 não há quem possa. Nesta convenção, convoco a todos os peemedebistas que votaram por candidatura própria do PMDB em 2010, que repitam o seu voto. Mas desta vez com a certeza que seu voto será honrado e respeitado, até o fim, como sempre respeitamos esta linda história de democracia, desde que dela fazemos parte.

Um grande abraço a todos! Saudações democráticas e vamos que vamos, na defesa de nosso velho MDB, de nosso querido Manda Brasa! 15 na Cabeça!

Comments

comments

Artigo em defesa da aliança do PMDB com Colombo

23 de abril de 2014 16

Por Dorvalino Furtado Filho

A história registra que, entre outros tratados deste mundo, por aqui perto, o Tratado de uma Tríplice Aliança, foi uma união em maio de 1865, entre Brasil, Argentina e Uruguai e contra as forças paraguaias de Solano Lopes.

Por analogia e guardadas as devidas proporções, e com respeito as soberanias e territórios, os soldados da TRIPLICE ALIANÇA de SC, com seus Generais, pecisam manter um aliança de ideiais pelo bem estar das familias fortalecendo as defesas contra os inimigos.

Raimundo Colombo, Luiz Henrique da Silveira e Jorge Bornhausen com ideologias e partidos diferentes, e até então concorrentes, criaram esta Aliança tornando palatável e possível, uma amizade até então impossível e que jogou na lata do lixo moral, a “mediocracia”.

A administração estadual procura se diferenciar mais amiúde num governo de todos que está sendo adaptado, gradativamente, as novas prioridades de um grande projeto chamado PACTO POR SC.

O governo, assim, nestas condições, precisa de tempo, e no ínterim as criticas se proliferam, por isto é preciso comunicação pública plena.

Alguns partidos ou politicos, ainda não compreendem que esta união histórica é que poderá viabilizar todos os projetos por SC, e quem no governo valoriza isto, está pensando SC evitando reunir mágoas, ódio ou egoísmo politico nascidos em regiões partidárias sem Alianças.

Se o altruísmo ou humildade fosse um vírus, alguns Partidos e politicos já estariam“infectados” em prol do estado e somente dele.

Então, hoje, é hora de se UNIR com PMDB E O GOVERNO PRÓSPERO DO LAGEANO RAIMUNDO COLOMBO, sem delongas, sem demagogias ou preservação de feudos politicos improdutivos e triviais, para que deixemos de assistir, sentir e ver, aquelas chatices da moral, as mesmas que neutralizam a dignidade, tornando qualquer pessoa um adulador ou servil, surgindo os hipócritas ideais.

Comments

comments

Colombo reúne secretários para falar sobre o Pacto

23 de abril de 2014 11

O governador Raimundo Colombo e o vice Eduardo Pinho Moreira receberam na manhã de hoje, na Casa d’Agronômica, em Florianópolis, secretários de Estado para uma reunião de avaliação das obras do programa Pacto por SC, pacote que reúne R$ 10 bilhões em investimentos.

— O nosso objetivo é não deixar que questões operacionais e burocráticas criem obstáculos que comprometam o andamento das obras. Por isso, temos essas reuniões periódicas para ouvir todas as áreas — explicou o governador Colombo.

— Nós atingimos a marca de cerca de 50% dos editais previstos em todo o Pacto por SC já lançados e quase isso de ordens de serviço emitidas. A previsão é de neste ano, entre abril e dezembro, aplicarmos R$ 1,5 bilhão em obras. Em 2014, o programa tomou uma velocidade grande e estamos andando rapidamente. A expectativa é fechar o ano com cerca de 70% de todo o Pacto em andamento. E muitas obras ainda iniciarão em 2015, com conclusão em 2016 — destacou o secretário de Planejamento, Murilo Flores.

O secretário da Educação, Eduardo Deschamps, destacou o cronograma previsto para este ano, que aponta a inauguração de nove escolas até maio e o lançamento, ainda em 2014, da ordem de serviço para a construção de outras 19.

— Ao longo do governo, devemos ter intervenções em 700 escolas, com investimentos entre R$ 50 mil e R$ 8 milhões. É um número expressivo, considerando que temos 1.100 escolas. Ou seja, de cada três unidades, duas terão algum tipo de intervenção na infraestrutura — ressaltou. Entre as unidades a serem inauguras nas próximas semanas, estão a Escola Jovem e a Escola Júlio da Costa Neves, ambas em Florianópolis, na região do Sul da Ilha.

O secretário-adjunto de Estado da Saúde, Acélio Casagrande, destacou o bom andamento das obras de ampliação no Hospital Regional do Oeste (Chapecó), no Hospital Marieta Konder Bornhausen (Itajaí) e no Hospital Maternidade Tereza Ramos (Lages). E acrescentou que, nos próximos dias, será lançada a ordem de serviço para a construção do novo centro cirúrgico e da UTI do Centro de Pesquisas Oncológicas (Cepon) de Florianópolis.

Também participaram da reunião, entre outros representantes do governo, os secretários da Casa Civil, Nelson Serpa; da Fazenda, Antonio Gavazzoni; da Infraestrutura, João Carlos Ecker; da Administração, Derly Massaud de Anunciação; da Comunicação, Nelson Santiago; o presidente do Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), Paulo Meller; e o procurador procurador-geral do Estado, João dos Passos Martins Neto.

Comments

comments

Prefeito da Capital em reunião com ministra do Planejamento

23 de abril de 2014 0

O prefeito Cesar Souza Júnior está em Brasília para participar de reunião com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior. Em pauta, a segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-2). Durante a reunião, que começaria às 14h30 no salão nobre do ministério, serão apresentados os critérios de seleção para obras de infraestrutura e mobilidade urbana.

Cesar Júnior adiantou que vai apresentar, entre outros, os projetos de ampliação da faixa preferencial para ônibus para o Norte e o Sul da Ilha, a ligação da Beira-mar Continental com a BR-101, a implantação de ciclovias e a recuperação da pavimentação em vários bairros.

— São projetos elaborados desde o início da nossa gestão, mas que a Prefeitura não dispõe de recursos para implantar; por isso, é indispensável a parceria com o governo federal — resumiu o prefeito.

Para embasar seu pedido, o prefeito vai entregar à ministra uma relação com 61 obras necessárias à melhoria da mobilidade urbana no município, com custos avaliados em R$ 753 milhões. Praticamente a metade desse valor estaria comprometida com obras na Beira-mar Continental: criação de vias de tráfego compartilhado (pedestres, bicicletas, ônibus e demais veículos), incluindo a construção e o acesso a trapiche, além da extensão da avenida até a BR-101.

Outras obras destacadas são a criação de vias de tráfego compartilhado também na região central da Ilha, margeando a avenida Gustavo Richard até a rua Silva Jardim (junto à orla da Baía Sul, por trás do CentroSul) e a instalação dos corredores exclusivos de ônibus para o Norte da Ilha – envolvendo os terminais de integração do Centro, da Trindade, de Santo Antônio de Lisboa e de Canasvieiras – e para o Sul da Ilha, envolvendo, além dos terminais do Centro e do Rio Tavares, a duplicação da rua Deputado Antônio Edu Vieira, no Pantanal.

Comments

comments

Artigo: O pensamento que o brasileiro espera

23 de abril de 2014 5

O pré-candidato à presidência da República pelo PSC, Pastos Everaldo, esteve ontem em Santa Catarina, no evento em que foi formalizado o apoio de seu partido à reeleição do governador Raimundo Colombo (PSD). Hoje, ele encaminhou artigo para publicação. Conheça as ideias do presidenciável.

O pensamento que o brasileiro espera

Chegou a hora de dizer não ao aparelhamento do Estado e à tentativa de construir uma hegemonia que enfraquece a democracia

Everaldo Pereira

O PSC (Partido Social Cristão) vem surpreendendo a sociedade brasileira nos últimos anos. Em 2011, anunciou que teria candidatura própria à Presidência da República. Em 2013, o partido assumiu a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados tornando-a um instrumento de debate sobre questões controversas.

No último dia 8 de abril, reafirmou o compromisso assumido em 2011 com o lançamento oficial da nossa pré-candidatura à Presidência da República e com a apresentação da nossa Carta de Princípios e Diretrizes para o Brasil.

A nossa essência política é o conservadorismo. Muitas vezes mal compreendida, é uma das filosofias mais abrangentes e a que melhor traduz os sentimentos naturais do ser humano, pois ser conservador é trabalhar em busca do bem comum e da dignidade humana. Ser conservador é respeitar os valores humanos e a tradição, inovando-a, e defender a liberdade individual como direito inegociável.

Foram duas pessoas íntegras e exemplares, Vitor Nósseis e padre Aleixo, que fortaleceram o PSC no cenário político nacional.

Em 2003, ingressei no partido desenvolvendo um trabalho de expansão partidária que o levou a pular de um deputado federal naquele ano para 17 em 2010. É um claro sinal de que a nossa doutrina cristã representa os interesses de muitos brasileiros e tem legitimidade para oferecer um pensamento inovador.

O nosso partido tem um posicionamento firme, claro e objetivo em respeito à família e aos cidadãos brasileiros. A nossa Carta de Princípios e Diretrizes para o Brasil aponta na direção de um Estado cidadão, com um novo modelo de gestão, mais eficiente e verdadeiramente participativo.

Seus dez princípios são o da vida e dignidade da pessoa humana, o da ordem moral tradicional, o do respeito aos costumes sociais, o da democracia, o da prudência, o da estabilidade e inovação como processos complementares, o da desconcentração e descentralização do poder, o da liberdade individual, o da isonomia perante a lei e o da independência civil e propriedade privada.

Esses são os eixos centrais que fundamentam o nosso pensamento e que promovem as diretrizes que tornam objetiva a visão que temos sobre o Brasil e sobre o papel que o Estado deve assumir a partir de 1º de janeiro de 2015.

O PSC trabalha para tornar realidade uma nova opção para a eleição de 2014, reafirmando sempre o nosso compromisso com o Estado democrático de Direito e com o fortalecimento das instituições. Chegou a hora de dizer não ao aparelhamento do Estado e à tentativa de construir uma hegemonia que enfraquece o regime democrático.

Se a sociedade brasileira está desanimada com os rumos da política nacional e das pré-candidaturas que ora se apresentam como mudança, terá a partir de agora uma opção legítima para reacender o debate político e tornar as eleições de 2014 o momento adequado para se discutir o futuro do Brasil.

Nós, do PSC, estamos prontos para o desafio de apresentar à sociedade um novo projeto de país.

EVERALDO PEREIRA, 58, formado em ciências atuariais pela Faculdade de Economia e Finanças do Estado do Rio de Janeiro, pastor da igreja Assembleia de Deus, é pré-candidato à Presidência da República pelo PSC

Comments

comments

Acaba hoje o prazo para questionamentos à criação da CPI da Casa Rosa

23 de abril de 2014 6

Após ler o requerimento constitutivo da CPI do Ministério Público na sessão ordinária da tarde de ontem, o presidente em exercício do Poder Legislativo, Joares Ponticelli (PP), comunicou que os parlamentares terão prazo até a sessão de hoje, para questionar o fato determinado que ensejou o pedido de investigação.

— Não havendo questionamento, iniciará o prazo de cinco sessões para que as bancadas façam as indicações dos parlamentares que integração a CPI — informou o presidente.

Em seguida, o deputado Gelson Merisio (PSD) anunciou que o PSD, PP e PSDB não indicarão membros para compor a comissão e sugeriu ao presidente da Casa que determinasse à assessoria do Plenário refazer o cálculo para que as bancadas dos partidos que indicarão representantes conheçam de antemão o número de indicados.

Jailson Lima (PT), autor do pedido da CPI, ponderou que todos os partidos deveriam indicar representantes.

— São as discordâncias que consolidam a pauta democrática deste país — argumentou o petista.

Merisio rebateu.

— A Constituição prevê a autonomia dos partidos e dos parlamentares, ninguém vai nos impor participar, não há nenhum dispositivo constitucional que obrigue alguém participar de CPI — explicou, acrescentando que cabe aos partidos que subscreveram o requerimento “indicar os membros e fazer a CPI”.

Kennedy Nunes (PSD) lembrou que o resultado da CPI, isto é, o seu relatório final, deverá ser enviado ao Ministério Público para que tome as providências judiciais cabíveis.

— Vamos fazer uma CPI para depois mandar para o MP — ironizou.

Jailson contra-argumentou.

— Nesta lógica não precisa ter investigação em lugar nenhum.

Já o deputado Edison Andrino (PMDB), que assinou o pedido, destacou que a CPI não é contra o Ministério Público.

— Ninguém está isento de fiscalização — observou, completando que a compra de um prédio a ser construído na rua Bocaiúva está mal explicada e que a CPI é uma oportunidade do MP convencer a população que os procedimentos adotados foram corretos.

(texto da Agência AL, editado)

Comments

comments

Sociedades científicas assinam moção contra ações violentas no campus da UFSC

23 de abril de 2014 13

MOÇÃO DE REPÚDIO ÀS AÇÕES VIOLENTAS CONTRA A COMUNIDADE ACADÊMICA DA UFSC

As Sociedades Científicas abaixo assinadas vêm a público repudiar as ações violentas da Polícia Federal e da Polícia Militar no Campus da UFSC, que agrediram estudantes, professores e servidores e, sobretudo, feriram a autonomia universitária e os valores educacionais que regem a formação de nosso alunato, pautados no respeito, no diálogo, na ética e na cidadania.

Causa indignação e também estranheza a ocorrência de tais ações na UFSC, uma instituição que tem se destacado como uma das melhores universidades do país e do exterior. De acordo com o Ranking Mundial promovido pelo Conselho Superior de Investigações Científicas, ela ocupa um honroso terceiro lugar em produção científica, sendo antecedida apenas pela USP e pela UFRGS. Segundo o Ranking Web of Universities, a UFSC ocupa a quarta posição entre as universidades da América Latina. Fundada em 1960, esta instituição, considerada por várias instâncias avaliadoras a melhor do Estado de Santa Catarina, tem se expandido incansavelmente, abrigando hoje um contingente formado por cerca de 43.000 alunos matriculados em 105 cursos de graduação e 156 de pós-graduação. Os/as docentes que atuam nesses cursos são em sua maioria doutores/as e trabalham em regime de dedicação exclusiva, liderando núcleos e grupos de pesquisa. Em 2013, dos 56 programas de Pós-Graduação da UFSC avaliados pela Capes, 17 alcançaram as notas mais altas (6 e 7) concedidas pela agência, referendando os cursos como de excelência internacional. Dois desses programas de pós-graduação estão no CFH. No último quadriênio, a UFSC diplomou 14.588 profissionais graduados e 10.824 pós-graduados, atingindo a marca recorde de 25.412 diplomados. A isso se soma a colaboração de 3.075 técnicos-administrativos.

Esses números refletem claramente o compromisso desta instituição com uma política de expansão e de qualidade do ensino público superior, favorecendo a inclusão e a permanência dos estudantes através da garantia de bolsas de estudo, da definição clara de Programas de Ações Afirmativas, bem como do funcionamento da Biblioteca Universitária, do RU e do HU. Além desses números favoráveis, a existência de 317 acordos da UFSC com universidades e instituições de pesquisa de diferentes países, sinaliza o lugar de destaque que ela ocupa também no cenário internacional. Essa trajetória exemplar, marcada por sólido e sistemático empenho em busca de um ensino de excelência, nos orgulha e estimula em nossas atividades de ensino, pesquisa e extensão universitária.

Também manifestamos nossa estranheza diante do modo como a imagem da UFSC e os episódios desencadeados pela intransigente e violenta ação da Polícia Federal, com o apoio da Polícia Militar, têm sido insidiosamente distorcidos pelos órgãos de imprensa locais. Esses parecem desconhecer não apenas a qualidade do trabalho acadêmico, mas também o impacto educacional, social e econômico altamente positivo da UFSC, que deveria ser tratada com o devido respeito, como um patrimônio do Estado de Santa Catarina.

Reconhecemos que, assim como qualquer outro local do país, os vários campi da UFSC estão sujeitos aos conflitos e tensões típicos do crescimento urbano e dos espaços democráticos nos quais a diversidade de opiniões e os movimentos sociais se expressam e convivem num clima de liberdade. No entanto, entendemos que as intervenções policiais devem passar pela apreciação e anuência da Reitoria. Consideramos fundamental o respeito à autonomia universitária e à legitimidade de suas instâncias de decisão.

Atualmente, a UFSC é liderada por duas professoras/pesquisadoras que foram eleitas democraticamente pela comunidade acadêmica, cujas trajetórias refletem o comprometimento com a seriedade e a qualidade dessa instituição. Externamos confiança em nossas colegas e repudiamos as infâmias veiculadas na imprensa, muitas das quais colocam em dúvida suas competências por serem mulheres.

Assim, as Sociedades Científicas abaixo assinadas abaixo assinadas manifestam seu repúdio à violência empreendida pela Polícia Federal e Polícia Militar no Campus da UFSC, entendendo que esta se coaduna com reiteradas ações de criminalização dos movimentos sociais, e reforçam sua solidariedade aos/às professores/as por ela atingidos/as, especialmente Paulo Pinheiro Machado e Sônia Weidner Maluf, Diretor e Vice-Diretora do Centro de Filosofia e Ciências Humanas, aos estudantes que foram presos, aos servidores que buscaram uma solução negociada, aos feridos e à sua administração central, que legitimamente representa a comunidade universitária. É inaceitável qualquer forma de violência, ainda mais em um espaço público e vocacionado para a educação como é um Campus Universitário.

Associação Brasileira de Antropologia
Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação
Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo
Sociedade Botânica do Brasil
Antonio José da Silva Oliveira – Conselho da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência
Ingrid Dragan Taricano – Sociedade Brasileira da Ciência em Animais de Laboratório
Sociedade Brasileira de Biologia Celular
Sociedade Brasileira de Engenharia Biomédica
Sociedade Brasileira de Bioquímica e Biologia Molecular
Sociedade Brasileira de Farmacognosia
Sociedade Brasileira de Química
Associação Brasileira de Enfermagem
Sociedade Brasileira de História da Educação
Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte

Comments

comments