Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Chapecó"

Ministra Kátia Abreu confirma presença na Expoeste

29 de setembro de 2015 Comentários desativados
Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

A ministra da Agricultura Kátia Abreu confirmou presença na próxima semana em Santa Catarina. Vai participar dos eventos da Expoeste 2015, que começa no dia 8 de outubro, no Parque de Exposições Trancredo Neves, em Chapecó. Durante o evento será realizado o Fórum Catarinense do Agronegócio e o Seminário Sulbrasileiro do Leite. O ex-ministro Roberto Rodrigues também falará nos encontros.

Merísio e a extinção das Secretarias Regionais

18 de setembro de 2015 4

A extinção das Secretarias de Desenvolvimento Regional voltou a ser defendida em evento público. A última partiu do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Gelson Merísio, e registrou-se ontem (17) em Chapecó. Participando da Jornada de Debates da ADI, Merísio disse que votará a favor do projeto do governador Colombo que trata da transformação das Secretarias Regionais em Agências de Desenvolvimento, mas que tem posição pessoal pela extinção destas Secretarias. Argumentou que elas já cumpriram seu papel desde a criação no início do primeiro mandato do governo Luiz Henrique (PMDB), mas que hoje não se justifica sua permanência. A descentralização pode se dar de outras formas.
O presidente do legislativo enfatizou que a hora é de rever estruturas para buscar o equilíbrio fiscal do governo estadual. E, mesmo destacando que a situação catarinense é bem melhor e diferente de outros Estados do país, há necessidade de mudanças profundas. Uma delas seria a extinção das regionais. Outra, a reestruturação da previdência pública.

Assembleia discute três modelos para as secretarias regionais

As regionais teriam as atividades assumidas pelas prefeituras, que aplicariam recursos estaduais de acordo com suas prioridades e sem elevar os gastos públicos. Usou como comparativo o exemplo do Fundam- Fundo de Desenvolvimento dos Municípios, que canalizou 700 milhões de reais para todos os municípios catarinenses, valendo-se da estrutura existente no Estado e prefeituras, sem elevar o custeio.
A posição de Gelson Merísio é tornada pública 24 horas depois que o deputado João Amin (PP) formalizou emenda que propõe a extinção das Secretarias Regionais, citando que no ano passado, elas representaram uma despesa de 418 milhões de reais.

Leia as últimas notícias sobre as SDRs

ESMESC promove palestra sobre o novo CPC, em Chapecó

09 de setembro de 2015 Comentários desativados

A Escola Superior da Magistratura do Estado de Santa Catarina (ESMESC), em parceria com Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC), realizará, no próximo dia 10 de setembro, às 19h, em Chapecó, a palestra do Juiz de Direito de Segundo Grau Paulo Henrique Moritz Martins da Silva, que discorrerá sobre o tema “O juiz do novo CPC. Fundamentação das decisões e observância de precedentes”. O evento é destinado a Magistrados, Advogados, Professores, Estudantes e demais Operadores do Direito. A palestra ocorrerá no auditório principal da UNOESC, bloco Seminário, na Rua Nereu Ramos, n.3777-D, Bairro Seminário, em Chapecó.

Currículo do Palestrante

paulomoritzsite1

Paulo Henrique Moritz Martins da Silva é Magistrado e atua no Tribunal de Justiça de Santa Catarina, na 1ª Câmara de Direito Público. É Professor de Direito Processual Civil, tem artigos jurídicos publicados em Revistas especializadas, co-autor da obra Processo Civil em Movimento – Diretrizes para o novo CPC, e integrou a Comissão da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) para a elaboração do Novo Código de Processo Civil.

Crise: Oeste de SC tem pleno emprego

09 de setembro de 2015 2

A grave crise que atinge a economia brasileira está batendo leve no Oeste. A cidade continua vivendo em pleno emprego. Em Chapecó, só o Grupo Aurora contrata 300 ônibus, que se deslocam todos os dias para buscar trabalhadores na macrorregião. A Aurora emprega atualmente 800 haitianos e 300 indígenas. Mantém um programa especial de assistência às familias desses trabalhadores.

Chapecó reeditou o melhor encontro da Imprensa

08 de setembro de 2015 Comentários desativados

Com uma organização primorosa, sem retoques e participação de 400 pessoas, entre profissionais de imprensa, lideranças, autoridades e convidados especiais aconteceu no fim de semana em Chapecó o 8º Encontro da Imprensa Catarinense. O evento realizado num clima de muita confraternização, foi marcado pelo culto à imprensa livre e comprometida com os ideais de justiça e liberdade. Valorização dos pioneiros como reconhecimento ao papel da comunicação social para uma sociedade fundada nos valores humanos. Homenagem a todas as profissões ligadas à comunicação.
As atividades iniciaram ao meio dia e incluíram homenagens, pronunciamentos, almoço patrocinado, shows musicais e sorteio de brindes. A iniciativa foi da Associação Catarinense de Imprensa (ACI) e MB Comunicação. Entre jornalistas, radialistas, radiodifusores, publicitários, relações públicas, mídias, docentes e proprietários de veículos de comunicação de massa participaram da festa cerca de 500 pessoas.
Participaram profissionais e empresários de todas as regiões do Estado, diretores e gerentes de jornalismo de redes de comunicação e profissionais de jornais, revistas, emissoras de rádio e de televisão, portais e agencias de notícias, além de docentes dos cursos de comunicação.
O destaque do evento foi a homenagem a nomes da comunicação barriga-verde pelo critério de distinção aos profissionais com 50 anos de atividade. Nessa categoria foram homenageados o jornalista Laudelino José Sardá de Florianópolis, o radialista Servilho Ferreira de Lages e o radiodifusor Nereu Lopes de Lima, de Treze Tílias. Também foram prestadas duas homenagens institucionais: uma para a historiadora chapecoense Eli Maria Bellani e outra para o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Santa Catarina que completa 60 anos de fundação, representado pelo presidente Aderbal João da Rosa Filho.
Ao final da solenidade foi lançada a Expoeste 2015 programada para outubro, em Chapecó. Duas bandas de Chapecó animaram o encontro: a banda Sid Folk’s Trio e a Banda Finco.

Chapecó realiza hoje maior evento da Imprensa de SC

05 de setembro de 2015 Comentários desativados

Proclamado como o maior evento da mídia barriga-verde em 2015, o 8º Encontro da Imprensa de Santa Catarinense em Chapecó ocorre neste sábado, na sede social do Country Clube Chapecó, no horário das 11 às 18 horas. A iniciativa é da Associação Catarinense de Imprensa (ACI) e MB Comunicação.
A coordenação do evento é dos jornalistas Marcos A. Bedin e Ademir Arnon, respectivamente, diretor do oeste e presidente da ACI. A programação inclui homenagens, almoço de confraternização, bandas musicais e sorteio de brindes, entre eles, televisores, smartphones, jogos de churrasco, malas de viagens etc.
Profissionais que atuam na vasta área da comunicação social – jornalistas, radialistas, radiodifusores, publicitários, relações públicas, docentes, mídias etc. – participarão da festa que reunirá 500 profissionais de todas as regiões do Estado.
O destaque do evento será a homenagem a nomes da comunicação barriga-verde pelo critério de distinção aos profissionais com 50 anos de atividade. Nessa categoria serão homenageados o jornalista Laudelino José Sardá de Florianópolis, o radialista Servilho Ferreira de Lages e o radiodifusor Nereu Lopes de Lima, de Treze Tílias.
Também serão prestadas duas homenagens institucionais: uma para a historiadora chapecoense Eli Maria Bellani e outra para o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Santa Catarina que completa 60 anos de fundação.
Apoio integral
O Encontro da Imprensa tem o apoio de todas as entidades de organização e representação da comunicação catarinense: Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (ACAERT), a Associação dos Jornais do Interior do Estado de SC (ADJORI), a Associação dos Jornais Diários de SC (ADI), o Sindicato das Empresas Proprietárias de Jornais e Revistas do Estado de Santa Catarina (SINDEJOR), o Sindicato das Agências de Propaganda de SC (SINAPRO/SC) e Sindicato dos Jornalistas Profissionais de SC.
O evento tem o patrocínio da Aurora, Fiesc, Sindicarne, Acav, Icasa e Sebrae. Conta, também, com apoio da Faesc, Unoesc, T12, Hotel Lang Palace, Sicredi, Apti Alimentos, Sinduscon, Unimed, Arcus, CooperAlfa, Ipiranga, Vale do Sol eventos, Badalotti, Inviolável, Lupa, Fecoagro, Coopervil, Acic, Sicom, Sindicont, Havan e Finco Alimentos, CDL Chapecó e Brahma.
Jornalista Laudelino Sardá
O jornalista florianopolitano Laudelino José Sarda, editor do jornal que circulou por mais tempo em Santa Catarina – O ESTADO, é um dos homenageados pelo critério de 50 anos de exercício profissional: Sardá, nascido em Florianópolis, é jornalista e professor. Atuou durante 35 anos em jornais, na televisão e rádio, entre os quais o Jornal do Brasil, Correio Braziliense; foi por mais de 10 anos redator-chefe do jornal O Estado. Coordenou a Comunicação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul). Atualmente é diretor da Editora Unisul. Graduado em Letras e Comunicação pela UFSC, onde também fez mestrado e doutorado em gestão da comunicação na organização. Especializou-se também em jornalismo científico pela Academia de Ciências de São Paulo. Tem livros publicados, entre os quais Comunicação, o desafio dos executivos. Desenvolve pesquisa sobre o futuro dos jornais impressos.

Com mais de meio século de profissão, o radialista Servilho Ferreira, da Rádio Clube de Lages, é outro homenageado do Encontro da Imprensa Catarinense:
Luiz Alves Ferreira (Servilho Ferreira) nasceu dia 20 de janeiro do ano de 1940 na cidade de Orlândia estado de São Paulo. É casado com Maria Lourena Ferreira pai de seis filhos. Concluiu segundo grau em Araçatuba SP. Iniciou a vida profissional como jogador profissional de futebol no período de 1955 a 1966 passando pelas equipes Juvenil do XV de Piracicaba, Araçatuba Sport Clube, Aparecida do Oeste FC, Guarani da Bahia, Juventus de Rio do Sul, Operário de Ponta Grossa, culminando em Lages no Internacional, sendo participante do único titulo estadual do nosso querido leão da serra.
Em Lages atuou pela rádio Difusora como repórter de campo ao lado de Eugenio Teixeira, em furo de reportagem da vinda de Áureo Maliverne para disputar algumas partidas pelo colorado lageano, fato que chamou a atenção do comandante da equipe de esporte da Rádio Clube de Lages, Camargo Filho que imediatamente contratou o homenageado para reforçar aquela já renomada equipe de comunicação esportiva, utilizando o slogan “Deixa que eu Chuto”.
Mesmo oriundo do esporte nunca se furtou de atuar em outras frentes como na reportagem policial por mais de quinze anos, sempre irrequieto em 1985 criou o programa radialístico Onde Canta o Sabiá, sendo líder em audiência em seu horário, transmitindo notícias e boa música, nunca se omitindo de noticiar os assuntos sejam eles os mais polêmicos, até os dias atuais.
O terceiro e último homenageado é o radialista e radiodifusor Nereu Lopes de Lima: Natural de São José do Ouro, hoje, município de Lagoa Vermelha (RS), Nereu nasceu no dia 3 de Janeiro de 1946. Filho de família humilde. Pai agricultor e mãe costureira. Tem quatro irmãs e um irmão
Em 1960, Nereu com os pais e irmãos, saíram de Machadinho (RS) com destino a cidade catarinense de Xaxim. Em 1966, quando cursava o Colégio, apresentava um programa da UNE (União Nacional dos Estudantes) foi convidado a ingressar na Rádio Cultura de Xaxim. Passou por todos os setores radiofônicos da Rádio Cultura. Em 1967 teve rápida passagem pelo banco Nacional do Comércio, de Chapecó. Em 1.968, ingressou já como locutor apresentador na rádio Colméia de São Miguel do Oeste, hoje Rádio Peperi. Fez grande sucesso na comunicação jovem da época. Ditou moda, usos e costumes, realizou programas de auditório e festivais. Permaneceu 12 anos em São Miguel, onde fez parte das diretorias da Câmara Junior, do esporte clube Guarani, APP entre outras. Casou-se com Odete Ana Dambrós, com quem teve filhos: Fábio, Fernando e Odete. Em 1980 foi para São José do Cedro, assumindo o departamento comercial da recém inaugurada Rádio Integração. Mais tarde, o empresário criou pessoa jurídica com o nome de TROPICAL FM LTDA e venceu concorrência para instalar rádio FM de Treze Tílias. Nereu e família venderam suas cotas da Rádio Integração e se transferiram em definitivo para Treze Tílias. Em janeiro de 2005 a emissora estava pronta para entrar no ar. Dia 9 de junho de 2005, enfim, já funcionando em definitivo, a Rádio Tropical FM 99,1 foi oficialmente inaugurada.

A Associação Catarinense de Imprensa (ACI) prestará homenagem institucional a historiadora chapecoense Eli Maria Bellani: Nasceu com Concórdia (SC), filha de Pierina Marafon Bellani e Gentil Bellani. Foi residir ainda criança com seus pais em Chapecó, no início da década de 1950. Recebeu o título de Cidadã Horária de Chapecó pela Câmara de Vereadores em 2012.
Possui graduação em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (1968) e mestrado em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (1991). Tem experiência na área de História, com ênfase em História Regional do Brasil. É professora da Universidade Comunitária da Região de Chapecó , desde 1974. Publicou os seguintes trabalhos: O Futebol e a ocupação do espaço social em Chapecó – 2007; Vereador: sujeito histórico no Poder Legislativo de Chapecó – SC: Considerações para a Historiografia Catarinense – 2003; Uma cidade, um espaço: a mulher empresária” – 1999; Unoesc – Campus de Chapecó um sonho concretizado (1970/1995) – 1997; Santos Marinho e Passos Maia: a política no Velho Chapecó – 1990; Município de Chapecó: Legislação e Evidências – 1989; Balsas e Balseiros no Rio Uruguai: O processo de colonização do Velho Município de Chapecó – 1917/1950 – 1996. Atualmente, dedica-se a pesquisar a documentação e a trajetória da Associação Chapecoense de Futebol com o objetivo de implantar o Memorial dessa agremiação, em convênio com a Unochapecó.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Santa Catarina completa 60 anos de fundação e será o homenageado especial do 8o Encontro da Imprensa Catarinense em Chapecó. No dia 13 de maio de 1955, quando o Rio de Janeiro ainda era a capital do Brasil, o “Ministério dos Negócios do Trabalho, Indústria e Comércio” expediu a Carta Sindical que transformou a Associação dos Jornalistas Profissionais de Santa Catarina, fundada dois anos antes, em entidade sindical. Também fundador da Associação Catarinense de Imprensa, Martinho José Calado Júnior, influente personalidade do meio intelectual, político e jornalístico da época, foi o primeiro presidente do Sindicato dos Jornalistas de SC.
Nestas seis décadas de existência, a entidade representativa dos jornalistas em Santa Catarina, para além da defesa dos interesses específicos de sua categoria, vivenciou os momentos marcantes de seu tempo, como o combate à ditadura e a luta pela redemocratização do país, a defesa das liberdades de expressão e de imprensa, a regulamentação da profissão, a criação do primeiro Curso de Jornalismo em SC – o da UFSC -, as Diretas Já, a reorganização do movimento sindical, a Constituinte e a luta pela democratização da comunicação, entre tantas outras. Por isso neste ano de 2015, quando se comemora os 60 anos de fundação do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Santa Catarina, a homenagem da Associação Catarinense de Imprensa é aos profissionais que cotidianamente buscam assegurar à sociedade seu direito à informação de qualidade.

Campanha provoca retaliações do PT e do PCdoB em Chapecó

26 de agosto de 2015 3

Segmentos sociais, econômicos e políticos de Chapecó declararam-se chocados com reação de alguns vereadores do PT e do PcdoB na Câmara Municipal com a campanha pela redução do número de cadeiras. Ao invés de debaterem o mérito da proposta partiram para represálias, reabrindo a discussão de matérias que prejudicariam a atividade empresarial na cidade, como a questão do horário comercial, conquistada há 22 anos.

Chapecó faz campanha pela redução do número de vereadores

14 de agosto de 2015 3
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Espalham-se por municípios de Santa Catarina campanhas contra o aumento do número de vereadores e pela redução das Câmaras. A última manifestação aconteceu em Chapecó. Idealizada pela ACIC, CDL e SICOM e endossada por mais de 20 instituições, até o momento, a Campanha “Chega de Faz de Conta – Redução de 21 para 15 vereadores“. A intenção é promover essa redução através de uma Emenda de iniciativa popular à Lei Orgânica do Município de Chapecó (LOM).

A proposta foi apresentada aos profissionais da imprensa pelo diretor executivo do SICOM, Eduardo Perone, acompanhado pelos presidentes Bento Zanoni, da ACIC, José Carlos Benini, da CDL Chapecó, e do Sicom, Marcos Barbieiri. Os líderes empresariais justificam que o Estado brasileiro atravessa um importante momento de reafirmação institucional, política e econômica, no qual a sociedade civil organizada deve manter o seu papel de relevância neste cenário, contribuindo de forma democrática e republicana com as ações legítimas e legalmente constitucionais emanadas pelos cidadãos brasileiros.

Segundo os presidentes, as entidades empresariais vem reiteradamente, de forma discreta, há mais de quatro anos pleiteando junto às representações políticas municipais, a redução do número de vereadores do município e, consequentemente, redução de custos com o legislativo municipal, entre outras. Chapecó possui aproximadamente 200 mil habitantes e, desde 2010, aumentou o número de vereadores para o máximo permitido pela Constituição Federal, ou seja, 21.

Em tempos de economia recessiva e uma relação de custo x benefício inversamente proporcional aos cofres públicos e no ônus ao contribuinte, esse aumento corresponde a mais de R$ 3,2 milhões de acréscimo ao ano no orçamento do legislativo municipal.

A campanha consistirá na coleta de assinaturas para, por meio de iniciativa popular apresentar a Emenda à Lei Orgânica do Município. Considerando o número de eleitores do município, serão necessárias 6.874 assinaturas. O prazo para apresentação do projeto é junho de 2016.

DNIT promete restaurar estradas federais deterioradas no oeste

10 de agosto de 2015 1
BR 282 é uma das rodovias em piores condições em Santa Catarina Foto: Sirli Freitas / Especial

BR-282 é uma das rodovias em piores condições em Santa Catarina
Foto: Sirli Freitas / Especial

O estado deplorável em que se encontram as rodovias federais no Oeste catarinense foi objeto de audiência pública em Chapecó. Presidida pelo deputado Valdir Colatto (PMDB), a reunião não teve nenhuma autoridade do Ministério dos Transportes ou do DNIT de Brasília. Apenas o superintendente de Santa Catarina. O DNIT informou que a ‘Operação Tapa Buraco”, criticada por vários deputados, vai continuar. E prometeu começar depois a restauração.

Desarmamento tem audiência pública em Chapecó

07 de agosto de 2015 2
Deputado Federal Jair Bolsonaro (PP), deputado federal João Rodrigues (PSD) e deputado federal Rogério Peninha (PMDB). Foto: Rafael Penzeti

Deputado Federal Jair Bolsonaro (PP), deputado federal João Rodrigues (PSD) e deputado federal Rogério Peninha (PMDB). Foto: Rafael Penzeti

Esquema especial de segurança foi montado no aeroporto de Chapecó no desembarque dos sete deputados federais que hoje participam, às 19h, da audiência pública sobre o projeto que trata do desarmamento. As autoridades souberam que a comunidade de gays e lésbicas iria fazer um protesto na chegada do deputado Jair Bolsonaro, que integra a comitiva parlamentar federal. A audiência foi proposta pelo deputado João Rodrigues (PSD).

Pelas armas, Peninha leva Bolsonaro a Chapecó

Sete deputados federais estarão em Chapecó. O debate vai tratar do Projeto de Lei 3722/12, que revoga o Estatuto do Desarmamento e estabelece novas normas para a compra, posse e porte de armas e munições no Brasil. Rogério Peninha Mendonça (PMDB), João Rodrigues (PSD), Major Olimpio (PDT/SP), Alberto Fraga (DEM/DF), Valdir Colatto (PMDB/SC), Eduardo Bolsonaro (PSC/SP) e Jair Bolsonaro (PP/RJ) confirmaram presença.
A proposta, de autoria do deputado Peninha, modifica substancialmente a Lei 10.826 de 2003, conhecida como Estatuto do Desarmamento, mas, segundo o autor, a principal alteração é o fim da discricionariedade. “Hoje você apresenta as certidões negativas de antecedentes criminais, faz o curso de manuseio de armas e tiro, passa por avaliação psicológica, paga taxas altíssimas e, depois disso tudo, ainda precisa comprovar a efetiva necessidade para o delegado da Polícia Federal. Meu projeto estipula critérios técnicos, exigentes e objetivos, para que o cidadão possa defender sua vida, sua família e seu patrimônio com uma arma. Se ele passar pelo crivo da legislação, passa a ter direito ao registro”, explica o parlamentar.