Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de janeiro 2011

Dia do pajador

31 de janeiro de 2011 0

Como se sabe, ontem foi comemorado o Dia do Pajador, data escolhida em homenagem ao Jayme Caetano Braun. O amigo e também pajador, Paulo Mendonça, separou uma de suas obras para postar aqui no blog. Confira.

Os Pajadores

               Paulo de Freitas Mendonça


São dois palanques plantados,

dois esteios de porteira

para a tropa guitarreira,

dois versos improvisados.

Dois olhares concentrados

numa paisagem distinta.

Um pinta, outro repinta

seu perfume sobre a tela

com a fragrância mais bela

do encanto que alma sinta.


São dois lados de um assunto

como quem a tropa encerra

voz no céu e pés na terra

num precioso contrapunto,

num confronto adjunto

pra formar seu universo.

São o verso e o reverso

de tão sublimes visões.

São frutos de inspirações.

São filhos do próprio verso.


São tauras de alma bravia

dois gaúchos na estampa

São dois pedaços do pampa

no perfil e na poesia.

São rimas, filosofia,

improvisos e patriadas.

São guitarras afinadas,

verseadores em repecho.

São o enlace e o desfecho

de tão magistrais das pajadas.


Janus, um símbolo para o tradicionalismo

31 de janeiro de 2011 0

(Coluna de Antonio Augusto Fagundes, publicada em Zero Hora) Janus, um deus romano que dá nome ao primeiro mês do ano, é também um abridor e fechador de portas. Ele tem duas faces: uma olha para trás e outra olha para frente.

Não vejo símbolo melhor para o tradicionalismo gaúcho que a imagem de Janus, porque nós, os homens de bota e de bombacha, somos bem assim. Jamais deixamos de olhar o passado e aprender com os feitos de nossos grandes. E jamais deixamos de olhar para o futuro, a fim de evitar erros cometidos no passado. Vejo nessa vocação “janística” do tradicionalismo algo muito importante e que nos permite fácil defesa contra a acusação que seguidamente nos fazem de retrógrados, de viver num mundo que só existe no passado, como se fôssemos nefelibatas ou esquizofrênicos vivendo num mundo irreal, num mundo que existiu mas não existe mais – uma espécie de loucos pacíficos, inofensivos. Não é nada disso. Se querem um símbolo para nós, peguem Janus, uma divindade tão importante em Roma que teve templos em sua honra.

Dentro dessa visão janística, é muito importante salientar que, no folclore e na literatura, a tradição gaúcha já aparecia com força quando o gaúcho ainda não era aceito e respeitado – o que só vai acontecer a partir da Guerra dos Farrapos. Haja visto que bem na metade do século 19 surge o trabalho de Pereira Coruja sobre vocábulos e frases usados na então Província do Rio Grande do Sul. Era importante frisar, deixar provado que aqui no extremo sul no mapa do Brasil vivia um tipo humano com características próprias: expressões próprias do linguajar, formas de vestir, de trabalhar, de comer, de se divertir…

Viajantes que vieram para cá, que se transformaram em cronistas de costumes muitas vezes sem falar o português que falamos, todos se impressionaram com o nosso jeito de ser, com a nossa característica maior de olhar para trás e para frente ao mesmo tempo.

Talvez por isso seja uma característica imutável nos vetustos casarões das estâncias tradicionais os retratos dos avós, conforme o belíssimo poema Herança, de Apparício Silva Rillo, que o charrua João Rodrigues declama de maneira impecável: “Naqueles tempos, sim, naqueles tempos”. Na realidade não é um poema, mas uma aula de sociologia. É Janus olhando para trás enquanto a face do século 19 olha para frente: “Por isso um berro de boi nos toca tanto / e tão profundamente. / Por isso somos guardiões de casas velhas, / almas de sesmarias e de estâncias, / paredes que suportam seus retratos.”

Rodeio Nacional no Jornal do Almoço

28 de janeiro de 2011 0

O Jornal do Almoço de hoje (28/01) traz uma entrevista com o Presidente da CBTG, Dorvílio Calderan, e com a 1ª Prenda da CBTG, Sugley Lemos da Silva e com o 1º Peão, Marcelo Hentges. Os três contam um pouco sobre como é vivenciar as tradições gaúchas, mesmo tendo nascido em outros Estados, como é o caso da 1ª Prenda, que está no Rio Grande do Sul, pela primeira vez, para participar do 15º Rodeio Crioulo Nacional de Campeões. Clique aqui para acessar o site do JA.

Amaranto Pereira no Chile

27 de janeiro de 2011 0

O grupo de danças do CTG Amaranto Pereira embarcou no último dia 23 (domingo passado) para a cidade de Antofagasta, no Chile, onde representará o Brasil no 21º Festival Internacional de Folclore, que acontece até o próximo dia 31, segunda-feira.  O evento terá a participação de representantes da Argentina, Peru, México, Bolívia, Uruguai, Paraguai e Venezuela, além, claro, do próprio Chile. O convite foi feito pela Federação Brasileira de Arte Popular (Febrarp).

Rodi Borghetti assume IGTF

26 de janeiro de 2011 0

São mais de 20 anos de atuação apenas em presidências e diretorias de entidades diretamente relacionadas ao tradicionalismo. Agora, serão mais quatro anos à frente do Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore (IGTF). Assim, não poderia ser mais apropriada a escolha de Rodi Pedro Borghetti para suceder ao conselheiro do MTG, Manoelito Carlos Savaris, que deixou oi cargo no final de 2010. O Blog do MTG conversou com o tradicionalista na manhã de terça-feira (25) sobre os planos e metas para sua gestão.

Blog – Quais os seus principais projetos para os próximos quatro anos?

Rodi – O Instituto possui um leque de atuação extremamente diversificado. Se olharmos o seu estatuto, ele contempla desde a pesquisa a divulgação da cultura gauchesca, especialmente ao que concerne à tradição e ao folclore, artes, civismo, sociologia, até a promoção de simpósios e festivais. Ou seja, é um escopo consideravelmente grande, porém, já uma das metas já estabelecida é dar mais atenção ao Dia Internacional do Folclore, comemorado no dia 22 de agosto, bem como prestar continuidade as iniciativas já em desenvolvimento pela gestão anterior, como por exemplo, a Semana Farroupilha.

Blog – Fale, por favor, sobre as ideias para a Semana Farroupilha 2011.

Rodi – Como definido por lei, cabe ao IGTF reunir à Comissão Organizadora dos Festejos para dar início aos trabalhos. Nossa intenção é agendar a primeira reunião já para o próximo dia 15 de fevereiro. Essa antecedência se faz necessária no momento em que os festejos farroupilhas tornaram-se hoje, sem dúvida alguma, uma das mais importantes comemorações estaduais e a sua organização requer muito tempo e dedicação.

Blog – O IGTF é vinculado à Secretaria Estadual de Cultura. Como o senhor analisa esta situação?

Rodi – Já tive a oportunidade de conversar duas vezes com o Secretário de Cultura e vejo que ele tem em grande estima a existência do Instituto e percebe a sua importância para a cultura e tradição gaúchas. Na semana passada, foi realizada uma reunião para apresentação de um organograma sobre a estrutura e funcionamento de cada órgão vinculado e da própria secretaria de Cultura, em que pude perceber como é possível e fundamental que todas estas partes trabalhem juntas.

Blog – O senhor teria algum exemplo?

Rodi – Claro. Já no próximo dia 31, em atuação integrada com a Casa de Cultura Mario Quintana, faremos um dia inteiro de shows beneficentes em solidariedade as vitimas das enchentes no Rio de Janeiro.

Blog – Quais as principais dificuldades do IGTF hoje?

Rodi – Uma de nossas metas é recuperar o quadro de funcionários. Hoje estamos apenas com seis colaboradores, funcionando praticamente com estagiários e cargos de confiança, pois muitos já se aposentaram ou estão prestes a se aposentar. Precisamos contratar museólogos, bibliotecários, historiadores. É um processo muito burocrático, demorado.

Blog – O senhor foi diretor do IGTF por duas ocasiões. Quem são seus diretores hoje?

Rodi – Tenho a honra de contar com dois profissionais excelentes, que são o Luís Cláudio Knierin, na Direção Técnica e Valter Carneiro, na Direção Administrativa. São pessoas habilitadas e interessadas e que certamente irão nos ajudar a conduzir o Instituto a alcançar as finalidades e a importância cultural para a qual ele se destina.

Regulamento Concurso de Poesia

25 de janeiro de 2011 0

CONCURSO DE POESIA GUILHERME SCHULTZ FILHO

             O Movimento Tradicionalista Gaúcho, através de sua Vice-Presidência de Cultura, promove o CONCURSO DE POESIA GUILHERME SCHULTZ FILHO, com o seguinte Regulamento:

 Art. 1º – O Concurso de Poesia tem por finalidade comemorar o centenário de nascimento do poeta e tradicionalista Guilherme Schultz Filho.

 Art. 2º – O Concurso de Poesia Guilherme Schultz Filho tem por objetivo: I – comemorar junto ao nosso grande público, o centenário de nascimento do ilustre poeta e tradicionalista Guilherme Schultz Filho, bem como lembrar os 35 anos de seu falecimento; II – revelar novos poetas no tradicionalismo gaúcho.

 Art. 3º – Guilherme Schultz Filho nasceu na cidade de Carazinho, a 2 de abril de 1911 e faleceu em Porto Alegre, a 29 de abril de 1976.

 Art. 4º – Guilherme Schultz Filho foi Presidente do MTG por duas Gestões – 1973 e 1974 e Presidente da Estância da Poesia Crioula, igualmente por duas Gestões – 1961/1962 e 1970/1972.

 Art. 5º Guilherme Schultz Filho é o nome da Biblioteca do MTG, conforme aprovação na 17ª Convenção Tradicionalista Ordinária, realizada em julho de 1980, na cidade de Tramandaí.

 Art. 6º – Poderão participar deste concurso, qualquer tradicionalista, desde que devidamente integrado em uma entidade filiada ao Movimento Tradicionalista Gaúcho, o que deverá ser comprovado pelo respectivo Cartão Tradicionalista.

 Art. 7º – Não poderão concorrer, membros da Diretoria do MTG.

 Art. 8º – A poesia deve conter no máximo 80 (oitenta) versos rimados ou não, na temática regionalista gaúcha.

 Art. 9º – Cada concorrente só poderá participar com 1 (um) poema.

 Art. 10 – O trabalho deve estar na seguinte ordem: CONCURSO DE POESIA GUILHERME SCHULTZ FILHO; TÍTULO DO POEMA; PSEUDÔNIMO DO AUTOR; POEMA (máximo oitenta versos rimados ou não); CURRÍCULO DO AUTOR.

 Art. 11 – No final do poema, um breve currículo com até 8 (oito) linhas contendo: Nome completo; entidade tradicionalista e número da Matrícula (Cartão Tradicionalista); cidade onde reside; data de nascimento; atividades artísticas, poéticas e tradicionalistas; endereço eletrônico ou de correio postal.

 Art. 12 – Os trabalhos deverão ser remetidos até o dia 31 (trinta e um) de março de 2011, para o seguinte e-mail: fragacirne@bol.com.br. Se for pelo correio, deve ser remetido em CD ou Disquete ao Movimento Tradicionalista Gaúcho – Rua Guilherme Schell nº 60 – Bairro Santo Antônio – 90640-040 – PORTO ALEGRE-RS.

 Art. 13 – Os trabalhos serão avaliados por uma Comissão da Estância da Poesia Crioula.

 Art. 14 – Receberão troféus os 3 (três) primeiros colocados e será publicada uma plaqueta com os 10 (dez) primeiros poemas classificados.

 Art. 15 – A premiação será entregue em solenidade a ser realizada na Biblioteca do MTG, às 19 horas do dia 29 de abril de 2011. 

Odila Paese Savaris

Vice Presidente de Cultura

PAULO ROBERTO DE FRAGA CIRNE

Diretor de Apoio em Acervo Bibliográfico e de Imagens Físicas e Virtuais

MTG promove Concurso de Poesia

25 de janeiro de 2011 0

O Movimento Tradicionalista Gaúcho abre inscrições para o concurso de Poesia Guilherme Schultz Filho. Até 31 de março de 2011, tradicionalistas poderão enviar suas obras com até 80 versos, rimados ou não, seguindo a temática regionalista gaúcha. Os trabalhos deverão ser remetidos por o e-mail fragacirne@bol.com.br ou pelo correio para o endereço Rua Guilherme Schell, 60 – Bairro Santo Antônio – Porto Alegre – CEP: 90640-040, com a poesia gravada em um CD. O regulamento completo pode ser conferido no blog do MTG.

A iniciativa é uma homenagem ao centenário de nascimento do poeta e tradicionalista Guilherme Schultz Filho, além de buscar revelar novos talentos do tradicionalismo gaúcho. Schultz nasceu em Carazinho, em 02 de abril de 1911 e faleceu em Porto Alegre, a 29 de abril de 1976, tendo sido presidente do MTG por duas gestões e presidente da Estância da Poesia Crioula.

O resultado será divulgado no dia 29 de abril, na Biblioteca do MTG, que leva o nome do poeta. Serão premiadas com troféus as três melhores poesias e uma plaqueta a ser exposta na própria biblioteca destacará os 10 primeiros classificados. Cada candidato poderá concorrer com um trabalho.

Cristiano Quevedo abre shows no Rodeio de Lagoa

25 de janeiro de 2011 0

Cristiano Quevedo e Shana Muller são as duas atrações no show de abertura do Rodeio Internacional e Festa Nacional do Churrasco, em Lagoa Vermelha, amanhã, a partir das 22h30. Também estão confirmadas a presença do grupo argentino Él Anden e dos músicos gaúchos Pedro Ortaça, Mano Lima, Luiz Marenco, além da dupla César Oliveira e Rogério Mello. O evento, que acontece até dia 30, conta ainda com bailes animados pelos conjuntos Ricco Basquera e Grupo Tarumã, Gaúcho Pachola , Sinuelo Pampeano e Gauderiaço.

Ex-primeira Prenda Juvenil assume Departamento Jovem

24 de janeiro de 2011 0

Juliana assume Dpto Jovem em 2011

A jovem Juliana dos Santos de Oliveira, de 19 anos, é nova Diretora do Departamento Jovem do MTG. Acadêmica do curso de farmácia da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), é associada ao CTG Rodeio da Saudade, de Cruz Alta. Iniciou sua atividade tradicionalista em 1995, dançando na Invernada Cirandinha do Grupo de Folclore Chaleira Preta, de Ijuí, onde também foi Prenda Dente-de-leite. Também já foi 1ª Prenda Mirim-Mirim, 1ª Prenda Mirim e 3ª Prenda Mirim da 9ª RT. Em 2008, realizou um de seus grandes sonhos ao se tornar 1ª Prenda Juvenil do Rio Grande do Sul.

Quanto ao Departamento, sua proposta é o de uni-lo ainda mais aos demais departamentos do MTG, além de mobilizar os jovens para a pesquisa e sua conseqüente divulgação e incentivar o jovem a participar ativamente de Convenções, Congressos e Encontros Regionais. Para Juliana, o primeiro passo é estabelecer, em conjunto com o Departamento Cultural do MTG, os objetivos e ações para 2011. Entre os temas a serem debatidos, está o Tchêncontro e o dia do Jovem Tradicionalista. Uma das idéias de tema para o Tchêncontro é o resgate na área das Músicas e Festivais Nativistas de nossas regiões.

Para Juliana, o tradicionalismo é importante na formação do jovem, uma vez que ensina valores de respeito, amizade e preservação. Além de prepará-lo como um líder para a sociedade, sempre afastando os jovens de alguns problemas apresentados na sociedade atual. A jovem acredita que é possível atrair mais jovens para o tradicionalismo ao mostrar que este é uma forma de vivenciar a cultura, complementando o aprendizado, sendo um espaço de lazer, amizade e companheirismo e não apenas local para dança, canto e concursos. O Departamento jovem é formado pelo Núcleo Jovem Central, Núcleos Jovens Interregionais, Núcleos Jovens

Nairoli Calegaro assume 1a RT

21 de janeiro de 2011 0

Na noite de quarta-feira, 19, Nairoli Calegaro assumiu oficialmente a coordenadoria da 1ª RT, em cerimônia realizada no CTG Chimangos, em Porto Alegre. Paralelamente, aconteceu o 1º Encontro de Patrões, no qual foi realizada a apresentação do relatório e prestação de contas da gestão anterior. O presidente do MTG, Erival Bertolini, esteve presente, acompanhado do vice-presidente administrativo, Paulo Souza, entre outras autoridades tradicionalistas.