Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de março 2013

2º CONCURSO ESTADUAL DE POESIAS 2013

29 de março de 2013 0

2º CONCURSO ESTADUAL DE POESIAS 2013

REGULAMENTO

O Movimento Tradicionalista Gaúcho, através de sua Vice-Presidência de Cultura, promove o 2º CONCURSO ESTADUAL DE POESIAS 2013, com o seguinte Regulamento:
Art. 1º – O Concurso tem por finalidade incentivar os poetas tradicionalistas e revelar novos talentos poéticos.
Art. 2º – Poderão participar deste concurso, qualquer tradicionalista, desde que devidamente integrado a uma entidade filiada ao Movimento Tradicionalista Gaúcho, o que deverá ser comprovado através do número do respectivo Cartão Tradicionalista.
Art. 3º – Não poderão concorrer, membros das Diretorias do MTG e da Estância da Poesia Crioula.
Art. 4º – A poesia deve conter no máximo 80 (oitenta) versos rimados ou não, na temática regionalista gaúcha.
Art. 5º – Cada concorrente só poderá participar com 1 (um) poema, não havendo limite de participação por entidade tradicionalista.
Art. 6º – O concorrente deverá remeter seu trabalho em dois arquivos da seguinte forma:
I – no primeiro arquivo, que deve ter como nome o pseudônimo e a palavra “poesia”, deve conter na seguinte ordem: título do concurso; título do poema; pseudônimo do autor e Região Tradicionalista; o poema.
II – no segundo arquivo, que deve ter como nome o pseudônimo e a palavra “identificação”, deve conter na seguinte ordem: título do concurso; título do poema; pseudônimo do autor, mais os seguintes dados:
Nome completo do autor; entidade/cidade e Região Tradicionalista a que pertence; número da Matrícula do Cartão Tradicionalista; profissão; data completa de nascimento e cidade onde nasceu; endereço completo onde reside; e-mail; telefone(s) para contato.
Art. 7º – Será publicado um livro com os 10 (dez) poemas melhores classificados, mais um poema classificado por Região Tradicionalista, independente dos 10 (dez) primeiros colocados.
Art. 8º – Receberão troféus os 5 (cinco) primeiros colocados, mais 4 exemplares do livro, cada um; Receberão Menções Honrosas os próximos 5 (cinco) classificados, mais 3 exemplares do livro, cada um. Os demais integrantes do livro receberão 2 exemplares cada um. Todos os concorrentes não constantes do livro receberão um exemplar.
Art. 9º – Os trabalhos deverão ser remetidos até o dia 28 (vinte e oito) de junho de 2013, e somente através da Internet para fragacirne@bol.com.br, coordenador do concurso, que imediatamente deverá acusar a confirmação correta da inscrição.
Art. 10 – Os trabalhos serão avaliados por uma Comissão da Estância da Poesia Crioula.
Art. 11 – A proclamação do resultado, entrega da premiação e lançamento do livro será em solenidade a ser realizada no MTG, às 19 horas do dia 27 de setembro de 2013.
Art. 12 – Poderá ser desclassificado o concorrente que desconsiderar o presente Regulamento.
Art. 13 – O tradicionalista ao concorrer, automaticamente autoriza a possível inserção de seu poema no livro a ser publicado pelo Movimento Tradicionalista Gaúcho – MTG.
Art. 14 – Os casos omissos serão resolvidos pelo Coordenador do concurso e Diretoria do MTG.

Saiu o tema para o espetaculo noturno de Porto Alegre

23 de março de 2013 0

O projeto, “O Rio Grande do Sul no imaginário social”, é definido pela busca da compreensão e organização do ser humano, de maneira que cada indivíduo encontre seu lugar e sua razão de ser no tempo e no espaço. O imaginário resulta de um vasto conjunto de imagens, símbolos e ritos, enfim, do conjunto de experiências coletivas ou individuais de uma sociedade.
Trazendo este assunto a tona, no ano de 2013, nos proporciona a possibilidade de levarmos para as escolas, CTGs, e desfiles, de todo o nosso estado, um tema de grande reflexão da importância do estudo do imaginário.
Um ponto importante está na relação do mito com o imaginário social. As narrativas míticas seriam utilizadas pelos atores políticos como uma forma de promover a coesão social. Ao analisarmos a vinculação entre religiosidade humana e o imaginário social, são perceptíveis as diversas práticas utilizadas ao longo da história humana, que visaram legitimar as hierarquizações sociais através da aplicação do sagrado.
Os ritos cívicos, dentro dessa perspectiva, emergem como um mecanismo essencial para reforçar no imaginário social o poder da ordem vigente e as diferenças existentes na sociedade. O imaginário social passou a ser utilizado pelos positivistas para explicar o progresso da civilização e pelos marxistas nas interpretações dos imaginários sociais a partir das análises das ideologias.
A ideia é trabalhar a mitologia regional gaucha nas escolas e nos ctgs promovendo o teatro, produções de curtas metragens, que estimularão os jovens a produzirem muito mais sobre a nossa identidade, como as coreografias dos grupos de danças e os desfiles da semana farroupilha.
É a oportunidade de analisarmos a origem do gaúcho por outra ótica, que não as já apresentadas nos outros anos. Pelos mitos, lendas e contos podemos ver a origem e ainda “viajar” pelas batalhas e guerras que construíram esse ser, que hoje, definimos por gaúcho.

Rogério Bastos
Professor e comunicador
Contribuição: professora Neusa Secchi

Para os Desfiles

“Contos, mitos e lendas do Rio Grande do Sul”

CARRO 1 – O imaginário – João Simoes Lopes Neto
Utilizar João Simões Lopes Neto, escritor e empresário, como representante literário do imaginário social do nosso estado. Neto nasceu em Pelotas em 1865 e seus contos e lendas vieram a fazer sucesso depois de sua morte. Depois de vários experimentos empresariais (cigarros marca Diabo, fabrica de vidros, moagem de café, destilaria, etc…) encontrou-se profissionalmente como escritor. Recolheu lendas, contos, criou personagens lendários como Blau Nunes, o veterano vaqueano (baqueano – aquele que aponta o caminho, guia) com estampa gaúcha, que é o guia dos caminhos pela pampa e pelos contos de Simões Lopes.

CARRO 2 – LENDAS
A lenda do M Boitatá – a cobra de fogo
Conta-se, entre a gauchada das estâncias, que nos passeios e viagens à noite aparece um fogo valente e às vezes em forma de cobra que, voa na frente dos cavaleiros, impedindo que siga. Há crença entre a gente do campo de que, o Boitatá, se deixa atrair pelo ferro. O meio para livrar-se do ataque consiste em desatar o laço e arrastá-lo pela presilha. O Boitatá atraído pelo ferro da argola do laço deixa o andante e segue atrás até amanhecer o dia. Na versão de Simões Lopes Neto, a cobra de fogo identifica-se com a cobra-grande que se alimenta dos olhos dos bichos.

CARRO 3 – LENDAS
A lenda do Negrinho do Pastoreio
A lenda nasceu das lembranças dos campeiros, marcado pelo terror e crueldade, misturada com o desejo de compensação e de desforço que devia vazar-se em forma religiosa. Para seu transplante lendário concorreram vários fatores, desde baixas formas de crendices, ainda visível nos dias de hoje, até a profunda vibração de solidariedade humana que transformou símbolo de uma raça.
Simões Lopes a estilizou, introduzindo no cenário, Nossa Senhora, a ser madrinha do negrinho, madrinha dos que não tem, deu-lhe uma graça perfeita, mais luz. A lenda do Negrinho do Pastoreio é genuinamente rio-grandense, nascido da escravidão e refletindo o meio pastoril, o poder, e a religiosidade que é associada aos outros tantos casos de escravos considerados mártires.

CARRO 4 – LENDAS
A Salamanca do Jarau
O palco da lenda é o Cerro do Jarau, formado por uma cadeia de morros, que se destacam na paisagem do pampa gaúcho, no município de Quaraí. Simões Lopes Neto desenvolveu o tema com elementos que decorriam das superstições locais. Temos o sacristão dado às artes mágicas, envolvido pela tentação. Aliados a este tema, a ocupação moura na Península Ibérica, a princesa encantada, os tesouros escondidos apresentados na forma de serpente, lagartixa, o carbúnculo ou teiniaguá dos guaranis, elemento originário do novo mundo.

CARRO 5 – CONTOS
O Mate do João Cardoso
Os contos de João Simões Lopes Neto, sua linguagem, representam a sensibilidade e um regionalismo espontâneo como exímio contador de histórias. O Mate do “João Cardoso”, um dos mais populares contos de Simões, destaca a tradição herdada dos indígenas, a hospitalidade do mate na roda do chimarrão, bebida típica do gaúcho, o convívio, solidariedade e a fraternidade do homem rural. Vai além, mostra um período da história que os meios de comunicação eram escassos e as novidades vinham pelos viajantes que passavam pelas terras, já tão pobre, mas sem perder a hospitalidade tão típica do gaúcho. O convite era pra um mate, mas que nunca chegava.

CARRO 6 – CONTOS – Trezentas onças
Trezentas onças
Era verão, Blau Nunes viajava para comprar uma tropa de gado a mando do patrão da estância. Muito quente, ele resolveu se banhar num arroio. Depois de banhado, descansado, seguiu viagem.Quando chegou na estância, onde passaria a noite, percebeu que havia esquecido a guaiaca próximo ao arroio. Deu meia volta e voltou para buscar a guaiaca. No caminho cruzou por uma comitiva que ia em direção à estância, mas não parou, estava com pressa. Ao chegar no local ela não estava lá. O vivente pensou até em dar fim à vida, mas resolveu assumir para o patrão que perdera o dinheiro. Voltou para a estância. Ao entrar, viu sobre a mesa a sua guaiaca com as 300 onças; havia sido encontrada pela comitiva com quem cruzara pelo caminho, como se tratava de gente “boa”, a guaiaca foi devolvida ao dono. Lembra-nos de honestidade, “fio de bigode”, confiança, elementos presentes nos valores do gaúcho.

CARRO 7 – MITOS – LOBISOMEM E BRUXA
O mito lobisomem é a crença que determinados homens podem se transformar em monstro, meio-lobo, meio-homem. O mito no RS leva o fado do sétimo filho homem de uma família que será fatalmente lobisomem, a menos que seja batizado pelo irmão mais velho. O mito da bruxa no RS veio da Europa, mas nada tem haver com a bruxa de nariz comprido, com chapéu montada na vassoura. É uma mulher bonita e má, sua grande arma é o “olho grande”. Será bruxa a sétima filha do casal, quando não for interrompida por varão e batizada pela primogênita, perde o fado. Crianças embruxadas ficam amareladas, cruzam os braços e pernas. Quando aparece borboleta feia e preta nas casas, de dia, acredita-se que é a bruxa e se previne com uma figa, arruda e chifre.

CARRO 8 – CRENDICES E SUPERSTIÇÕES
Em todas as épocas o homem sempre acreditou no sobrenatural, sempre atribuiu a forças ocultas os fatos que fugiam ao seu conhecimento científico, teve medo e procurou conhecer e dominar as forças.
As sobrevivências que fazem parte do nosso acervo cultural, herdado de nossos antepassados, está o mundo mágico, povoado de crenças, misticismo, rezas fortes, simpatias, promessas e como não poderia deixar de ser, da vontade de manipular estas forças invisíveis. As origens das crendices e superstições são tão antigas quanto o próprio homem. Crendice é aquilo que se acredita e não teme, é sentimento de fé, convicção, simpatias, benzeduras.
A superstição é um sentimento baseado no temor e na ignorância. Estão incluídos os ditos “não presta” (não presta fazer isso… por que…). As superstições variam de pessoa para pessoa e lugar, por exemplo: Uma das superstições mais conhecidas e difundidas que se conhece, está relacionado ao número 13, Passar sob uma escada, jogar um punhado de terra na cova do morto, gato preto dá azar, coruja piando próxima casa ou a sobrevoando dá azar.

CARRO 9 – CONTOS – Chasque do Imperador
Blau Nunes narra os fatos de um ponto de vista muito próximo do soberano Dom Pedro II, daquele que se tornou seu ajudante, seu estafeta (Chasque). A narrativa predomina no espaço da pampa gaúcha, em que a tropa comandada pelo Imperador se desloca, ora acampando, ora sendo recebida por estancieiros da região. Ao ser oferecido, Blau não se julga apto a servir o imperador.
Nesse universos vemos as classes distintas: a vida árdua, dotada de poucas informações e de pouco preparo social, que emerge na campanha sulina, e o homem da corte, pouco afeito à vida campeira. Em determinado momento da narrativa, o comandante de uma das tropas (Barão), junto ao imperador, termina fazendo a apologia das qualidades gaúchas, sob o ponto de vista do narrador-personagem, a rusticidade, a coragem e a virilidade do homem pampa gaúcho. Mais tarde o imperador encontra uma mulher, que após perambular pelo acampamento, oferece ao soberano um preparo de requeijão, que dava gosto de se ver e com um cheiro inigualável”. Na passagem, salienta-se, o papel da mulher sul-rio-grandense nos confrontos bélicos que marcaram a Rio Grande. Enquanto os homens seguiam para os campos de batalha, cabia-lhes esperar e tocar a economia local.
A dualidade, que se forma neste universo da guerra, parece, também, adquirir relevância, posto que a incumbência da luta caberá aos peões, homens rudes, afeito às lides bélicas, enquanto o Imperador se manterá protegido, distante do confronto, servindo apenas como um reforço ao moral das tropas em combate. Faz-se importante retomar os costumes, os hábitos gaúchos que a narrativa traz à cena: os cuidados com os cavalos, o chimarrão, aspectos que, de certa forma, fazem eco ao propósito narrativo de valorizar a vida campeira.

Nota de Falecimento

19 de março de 2013 0

Resultado oficial da FECARS 2013

18 de março de 2013 0

25ª FECARS – CAMPO BOM – 2013
RESULTADO FINAL DAS PROVAS

LAÇO EQUIPE
1º Lugar: 27ª RT
2º Lugar: 25ª RT
3º Lugar: 30ª RT

LAÇO INDIVIDUAL EQUIPE
1º Lugar: OLIVERIO DE CAMARGO NETO – CTG RINCÃO DOS MENDES – SÃO JOSÉ DO OURO – 29ª RT
2º Lugar: THAIAN RODRIGUES – PL SINUELO DO CERRITO – SÃO FRANCISCO DE PAULA – 27ª RT
3º Lugar: LUCAS VANAZ – PL RODEIO TEATINO – CAXIAS DO SUL – 25ª RT

LAÇO VETERANO
1º Lugar: RIOGRANDINO LOPES – PL SINUELO DO CERRITO – SÃO FRANCISCO DE PAULA – 27ª RT
2º Lugar: ANTONIO CARLOS GARCIA – DTG LENÇO COLORADO – PORTO ALEGRE – 1ª RT
3º Lugar: LAURO DA SILVA LOPES – PL TRÊS ESTÂNCIAS – ROLANTE – 22ª RT

LAÇO VAQUEANO
1º Lugar: JOVINO DA ROSA – PL ESTÂNCIA DA CAPOROROCA – SÃO LEOPOLDO – 12ª RT
2º Lugar: ELIZEU ALMEIDA DE JESUS – GT SINUELO DO PAMPA – UNISTALDA – 10ª RT
3º Lugar: WILMAR SILVA FERREIRA – PL PRESILHA DA AMIZADE – OSÓRIO – 23ª RT

LAÇO PATRÃO
1º Lugar: RODRIGO ELIAS ROCHA MORETTO – PL PORTEIRA DA COXILHA – COXILHA – 7ª RT
2º Lugar: ANTONIO CARLOS MENDES DE ARAÚJO – CTG RINCÃO DOS MENDES – SÃO JOSÉ DOOURO – 29ª RT
3º Lugar: JOSÉ ONOFRE FARIAS DA SILVA – PQT TRÊS PALMEIRAS – PALMEIRA DAS MISSÕES – 17ª RT

LAÇO CAPATAZ
1º Lugar: LEANDRO DA ROSA KRUGER – DTG LENÇO COLORADO – PORTO ALEGRE – 1ª RT
2º Lugar: MARCOS ORSO – DC LAÇO DE OURO – BENTO GONÇALVES – 11ª RT
3º Lugar: OLIVÉRIO B. DE CAMARGO NETO – PL RINCÃO DOS MENDES – SÃO JOSÉ DO OURO – 29ª RT

LAÇO COORDENADOR
1º Lugar: JOSÉ NICANOR CASTILHOS DE OLIVEIRA – DC GINETES DA TRADIÇÃO – CAXIAS DO SUL – 25ª
2º Lugar: PAULO ROBERTO DUTRA BERGAMO – CTG RINCÃO DOS BERGAMOS – BARRACÃO – 29ª RT
3º Lugar: VANDERLEI EUFRASIO DA ROSA – CTG CABANHA LIBERDADE – ROLANTE – 22ª RT

LAÇO DIRETOR CAMPEIRO DE RT
1º Lugar: RUI BECHER –CTG RODEIO DE ENCRUZILHADA – ENCRUZILHADA DO SUL – 5ª RT
2º Lugar: JOAQUIM LAUDAR BRASIL MALCORRA – CTG ADAGA VELHA – ROSARIO DO SUL – 18ª RT
3º Lugar: CARLOS HUMBERTO V. DA CONCEIÇÃO – CENTRO FARROUOILHA DE TRAD. GAUCHAS – ALEGRETE – 4ª RT

LAÇO BRAÇO DE OURO
1º Lugar: LEANDRO DA ROSA KRUGER – DTG LENÇO COLORADO – PORTO ALEGRE – 1ª RT
2º Lugar: ALAN SOARES – PL SINUELO DO CERRITO – SÃO FRANCISCO DE PAULA – 27ª RT
3º Lugar: GILBERTO SOARES – CTG SINUELO DO CERRITO – SÃO FRANCISCO DE PAULA – 27ª RT

BRAÇO DE DIAMANTE – LAÇO
1º Lugar: RODRIGO ELIAS ROCHA MORETO – PL PORTEIRA DA COXILHA – COXILHA – 7ª RT
2º Lugar: ALAN SOARES – PL SINUELO DO CERRITO – SÃO FRANCISCO DE PAULA – 27ª RT
3º Lugar: JOÃO ARAMIS COUTO JUNIOR – CTG CAMPO VERDE – CAMPO BOM – 30ª RT

LAÇO PAI E FILHO
1º Lugar: GILBERTO SOARES – PL SINUELO DO CERRITO – SÃO FRANCISCO DE PAULA – 27ª RT
ALAN SOARES – PL SINUELO DO CERRITO – SÃO FRANCISCO DE PAULA – 27ª RT
2º Lugar: RENATO REINALDO VOESEL – CTG CAMPO VERDE – CAMPO BOM – 30ª RT
FELIPE ISMAEL VOESEL – CTG CAMPO VERDE – CAMPO BOM – 30ª RT
3º Lugar: PEDRO ROGÉRIO RODRIGUES – CTG CARRETEIROS DA SAUDADE – GRAVATAI – 1ª RT
BRUNO DE VARGAS RODRIGUES – CTG TROPEIRO DOS PAMPAS – GRAVATAI – 1ª RT

LAÇO DUPLA DE IRMÃOS
1º Lugar: LUIS ROBERTO DE PAULA – CTG ESTÂNCIA DO PAREDÃO – BOM PRINCÍPIO – 15ª RT
ALECSANDRO DE PAULA – CTG ESTÂNCIA DO PAREDÃO – BOM PRINCÍPIO – 15ª RT
2º Lugar: MARCIO ORSO – DC LAÇO DE OURO – BENTO GONÇALVES – 11ª RT
MARCOS ORSO – DC LAÇO DE OURO – BENTO GONÇALVES – 11ª RT
3º Lugar: ADÃO CAMARGO DE CAMARGO – PL RINCÃO DOS MENDES – SÃO JOSÉ DO OURO – 29ª RT
OLIVÉRIO DE CAMARGO NETO – PL RINCÃO DOS MENDES – SÃO JOSÉ DO OURO – 29ª RT

LAÇO PIÁ/MENINA – DUPLA
1º Lugar: VINICIUS GABANA – CTG SOPRO DO MINUANO – MONTE BELO DO SUL – 11ª RT
GABRIEL KUNRATH – CTG SENTINELA DA SERRA – GARIBALDI – 11ª RT
2º Lugar: MATHEUS ZANETTI DA SILVEIRA – CTG QUERENCIA PAMPEANA – NOVA SANTA RITA – 12ª RT
LUCAS DE SOUZA SENHORIO – CTG CHEIRO DA TERRA – CANOAS – 12ª RT
3º Lugar: ANDRÉ P. DE MELLO – CF PORTEIRA DA TRADIÇÃO – NOVA PALMA – 13ª RT
JOÃO SILVA – PL OS GAUDÉRIOS – SANTA MARIA – 13ª RT

LAÇO PIÁ/MENINA – INDIVIDUAL
1º Lugar: MATHEUS ZANETTI DA SILVEIRA – CTG QUERENCIA PAMPEANA – NOVA SANTA RITA – 12ª RT
2º Lugar: KAUÃ MARTINS BUENO – PL PRESILHA CRUZALTENSE – CRUZ ALTA – 9ª RT
3º Lugar: JOÃO SILVA – PL OS GAUDÉRIOS – SANTA MARIA – 13ª RT

LAÇO GURI/GURIA – DUPLA
1º Lugar: FERNANDO BITTENCOURT – CTN SINOS DE SÃO MIGUEL – SÃO MIGUEL DAS MISSÕES – 3ª RT
LUCAS AMADEU MARQUES DOS SANTOS – CTG PORTEIRA DAS MISSÕES – STO.ANT. DAS MISSÕES – 3ª RT
2º Lugar: JOÃO EDUARDO DE O. ANDRADE – DEP. LAGO VERDE – CANELA – 27ª RT
ROMULO TRINDADE DA SILVA – CTG BAIO RUANO – CAMBARÁ DO SUL – 27ª RT
3º Lugar: ANGELITO CUSTODIO HERNANDEZ – CTG TAPERA VELHA – TUPANCIRETÃ – 9ª RT
MARIANO MORAES CAMPOS – CTG ESTÂNCIA DO UMBU – FORTALEZA DOS VALOS – 9ª RT

LAÇO GURI/GURIA – INDIVIDUAL
1º Lugar: ANGELITO CUSTODIO HERNANDEZ – CTG TAPERA VELHA – TUPANCIRETÃ – 9ª RT
2º Lugar: CARLOS ALBERTO M. S. FILHO – CTG CEL. CHICO BORGES – SANTO ANTONIO DA PATRULHA – 23ª RT
3º Lugar: LUCAS AMADEU MARQUES DOS SANTOS – CTG PORTEIRA DAS MISSÕES – STO.ANTONIO DAS MISSÕES – 3ª RT

LAÇO RAPAZ/PRENDA – DUPLA
1º Lugar: RUDY ZANATTA – PL RINCÃO DAS HORTÊNCIAS – CANELA – 27ª RT
BRUNO CHIAPINOTTO – PL PONCHO SERRANO – CANELA – 27ª RT
2º Lugar: CLAUDIO DA SILVA – CTG GRITO DE LIBERDADE – TUPANCI DO SUL – 29ª RT
CLAYTON DA SILVA – CTG GRITO DE LIBERDADE – TUPANCI DO SUL – 29ª RT
3º Lugar: RODOLFO SALVAGNI BALDASSO – CTG ESTÂNCIA ALEGRIA – CAXIAS DO SUL – 25ª RT
LEONARDO GOBBI TRINDADE – CTG VELHO MATEUS – CAXIAS DO SUL – 25ª RT

LAÇO RAPAZ/PRENDA – INDIVIDUAL
1º Lugar: BRUNO CHIAPINOTTO – PL PONCHO SERRANO – CANELA – 27ª RT
2º Lugar: PEDRO LAMBERTI GOERCH – CTG OSVALDO ARANHA – ALEGRETE – 4ª RT
3º Lugar: CLAUDIO DA SILVA – CTG GRITO DE LIBERDADE – TUPANCI DO SUL – 29ª RT

LAÇO PRENDA – DUPLA
1º Lugar: LUCIANA PILLA – CTG POMPILIO SILVA – SANTO AUGUSTO – 20ª RT
RAFAELA KARINA FACCIN – CTG TROPEIROS DA TRADIÇÃO – TRÊS PASSOS – 20ª RT
2º Lugar: ARIANE SILVA SOARES – PL SINUELO DO CERRITO – SÃO FRANCISCO DE PAULA – 27ª RT
BRUNA TEIXEIRA DOS REIS – PL LAJEADO BONITO – SÃO FRANCISCO DE PAULA – 27ª RT
3º Lugar: LARISSA MACHADO BRUM – PL GENERAL OSÓRIO – OSÓRIO – 23ª RT
MARIANA DOS SANTOS RAMOS – CTG CEL. CHICO BORGES – SANTO ANTONIO DA PATRULHA – 23ª RT

LAÇO PRENDA – INDIVIDUAL
1º Lugar: LUCIANA PILLA – CTG POMPILIO SILVA – SANTO AUGUSTO – 20ª RT
2º Lugar: CARLA GRASSMANN – CTG GUAPOS DA CABANHA LIBERDADE – ROLANTE – 22ª RT
3º Lugar: MARIANA DOS SANTOS RAMOS – CTG CEL. CHICO BORGES – SANTO ANTONIO DA PATRULHA – 23ª RT

VACA PARADA DUPLA DE PIAZINHO
1º Lugar: MATEUS TOCHI STUERMEER – CTG DOM LUIZ FELIPE DE NADAL – PASSO FUNDO – 7ª RT
ARTHUR DE PIERRI – CTG RECANTO DOS TROPEIROS – PONTÃO – 7ª RT
2º Lugar: GUILHERME COSTA GARDIM – PL OS GAUDÉRIOS – ESPUMOSO – 14ª RT
ROMULO DE OLIVEIRA PEREIRA – CTG GALPÃO HOSPITALEIRO – CAMPOS BORGES – 14ª RT
3º Lugar: LEONARDO PEREIRA CAMELO – CTG ESTANCIEIROS DO LAÇO – CAXIAS DO SUL – 25ª RT
MURILO RIBEIRO ECKER – CTG TIO DANILO – CAXIAS DO SUL – 25ª RT

VACA PARADA INDIVIDUAL PIAZINHO
1º Lugar: DAVI MUHLBEIER OLIVEIRA – PL PRESILHA CRUZALTENSE – CRUZ ALTA – 9ª RT
2º Lugar: GUILHERME COSTA GARDIM – PL OS GAUDERIOS DE SÃO DOMINGOS – ESPUMOSO – 14ª RT
3º Lugar: KAUAN DE ARAÚJO VASQUES – PL RINCÃO DAS HORTÊNCIAS – CANELA – 27ª RT

VACA PARADA DUPLA DE PIAZITO
1º Lugar: KAUÃ MARTINS BUENO – PL PRESILHA CRUZALTENSE – CRUZ ALTA – 9ª RT
MATHIAS PAGNUSSAT BARCELLOS – CTG TAPERA VELHA – TUPANCIRETÃ – 9ª RT
2º Lugar: WESLEI MOISÉS KIRSCH – CTG PEDRO SERRANO – SAPIRANGA – 30ª RT
FELIPE TROES – CTG TERRA NATIVA – NOVO HAMBURGO – 30ª RT
3º Lugar: LUCAS PEREIRA – CTG MANECO RODRIGUES – SANTA MARIA – 13ª RT
JOÃO VILMAR ANTONELA DA SILVA – PL OS GAUDERIOS – SANTA MARIA- 13ª RT

VACA PARADA INDIVIDUAL PIAZITO
1º Lugar: VITOR SOARES MACIEL – CTG GALPÃO HOSPITALEIRO – CAMPOS BORGES – 14ª RT
2º Lugar: BERNARDO ROSSI COLOMBO – CTG TRES COQUEIROS – SOLEDADE – 14ª RT
3º Lugar: JOÃO VILMAR ANTONELA DA SILVA – PL OS GAUDERIOS – SANTA MARIA- 13ª RT

VACA PARADA DUPLA PRENDINHA
1º Lugar: EMILLY FAGUNDES ZAHNER – GAG PIAZITOS DO SUL – CANOAS – 12ª RT
EMILY DOS SANTOS SIQUEIRA – PIQ. LAÇADORES DA AMIZADE – NOVA STA. RITA – 12ª RT
2º Lugar: ANDRIELI DE OLIVEIRA POT – CTG OSORIO PORTO – PASSO FUNDO – 7ª RT
LARISSA DE OLIVEIRA DOS SANTOS – CTG OSÓRIO PORTO – PASSO FUNDO – 7ª RT
3º Lugar: EDUARDA GUNTHNER – CTG LAURO RODRIGUES – SÃO SEBASTIÃO DO CAI – 15ª RT
NICOLE CHAPUIS BAPTISTA – PL LAÇO DA AMIZADE – MONTENEGRO – 15ª RT

VACA PARADA INDIVIDUAL PRENDINHA
1º Lugar: EDUARDA GUNTHNER – CTG LAURO RODRIGUES – SÃO SEBASTIÃO DO CAI – 15ª RT
2º Lugar: MILENA MARTINS DA SILVA – PIQ TRES PALMEIRAS – PALMEIRA DAS MISSÕES – 17ª RT
3º Lugar: ALLANA ISADORA DE SOUZA SIMIONI – GCT CAVALEIROS DO MERCOSUL – PASSO FUNDO – 7ª RT

VACA PARADA DUPLA BONEQUINHA
1º Lugar: EMILY NUNES DE SOUZA KAISER – EN TAQUAREMBÓ – TUPANCIRETÃ – 9ª RT
RAFAELA QUEVEDO SILVEIRA – EN TAQUAREMBÓ – TUPANCIRETÃ – 9ª RT
2º Lugar: VITORIA SAMANTA DE OLIVEIRA – QL MATE AMARGO – GENTIL – 7ª RT
AMANDA RIBEIRO LAGO – GTC ESTANCIA DO LAGO – PASSO FUNDO – 7ª RT
3º Lugar: MARIA LUIZA KIPPER BILLIG – CTG ESTRELA DO PAGO – ESTRELA VELHA – 14ª RT

VACA PARADA INDIVIDUAL BONEQUINHA
1º Lugar: VITORIA SAMANTA DE OLIVEIRA – QL MATE AMARGO – GENTIL – 7ª RT
2º Lugar: RAFAELA QUEVEDO SILVEIRA – EN TAQUAREMBÓ – TUPANCIRETÃ – 9ª RT
3º Lugar: EMILY NUNES DE SOUZA KAISER – EN TAQUAREMBÓ – TUPANCIRETÃ – 9ª RT

RÉDEA PIÁ
1º Lugar: FELIPE FONSECA SOARES – CTG PATRULHA DO OESTE – URUGUAIANA – 4ª RT
2º Lugar: JOÃO VITOR BENDER – CTG ESTÂNCIA DO IMIGRANTE – SÃO PEDRO DA SERRA – 15ª RT
3º Lugar: JAIRO BULEGON – CTG CENTELHA DO IMIGRANTE – IVORÁ – 13ª RT

RÉDEA GURI
1º Lugar: PATRICK TROES – CTG TERRA NATIVA – NOVO HAMBURGO – 30ª RT
2º Lugar: ERICO COLLING MACHADO – CTG VAQUEANOS DA TRADIÇÃO – CAPELA DE SANTANA – 15ª RT
3º Lugar: MAURICIO RAVADELLI TRINDADE – CTG VELHO MATEUS – CAXIAS DO SUL – 25ª RT

RÉDEA PEÃO
1º Lugar: PAULO FELIX SANTOS JUNIOR – CTG AMARANTO PEREIRA – ALVORADA – 1ª RT
2º Lugar: JOSUÉ S. MOREIRA – PL SANGUE FARRAPO – TRAMANDAI – 23ª RT
3º Lugar: JOCEMAR PEGORARO – CF PORTEIRA DA TRADIÇÃO – NOVA PALMA – 13ª RT

RÉDEA VETERANO
1º Lugar: LUIZ CARLOS SOARES ARAÚJO – CTG QUERÊNCIA PAMPEANA – NOVA SANTA RITA – 12ª RT
2º Lugar: FLAVIO BOENO FERREIRA – CTG QUERÊNCIA DA SERRA – CAXIAS DO SUL – 25ª RT
3º Lugar: RUBEN PEGORARO – CF PORTEIRA DA TRADIÇÃO – NOVA PALMA – 13ª RT

RÉDEA MENINA
1º Lugar: TAYS KAYLANE SALES MACIEL – CTG PORTEIRA DA RESTINGA – PORTO ALEGRE – 1ª RT
2º Lugar: VITORIA BOFF – PL VETERANOS – CAXIAS DO SUL – 25ª RT
3º Lugar: GABRIELE MACHADO SOARES – CTG QUERENCIA PAMPEANA – NOVA SANTA RITA – 12ª RT

RÉDEA GURIA
1º Lugar: LEANDRA BORGES DOS SANTOS – CTG PONCHO SERRANO – CAXIAS DO SUL – 25ª RT
2º Lugar: ANA CLARA AZEVEDO – CTG PORTEIRA DA RESTINGA – PORTO ALEGRE – 1ª RT
3º Lugar: JULIA WINCKEL AVILA – CTG TROPEIRO VELHO – PANAMBI – 9ª RT

RÉDEA PRENDA
1º Lugar: LETICIA FLORES – CTG VAQUEANOS DA TRADIÇÃO – CAPELA DE SANTANA – 15ª RT
2º Lugar: MONIQUE TEVELIN TASCHETTO – CTG DESGARRADOS DA QUERENCIA – SAPIRANGA – 30ª RT
3º Lugar: LAINE ARAÚJO – CTG QUERÊNCIA PAMPEANA – NOVA SANTA RITA – 12ª RT

CHASQUE
1º Lugar: 1ª RT
2º Lugar: 27ª RT
3º Lugar: 16ª RT

GINETEADA
1º Lugar: SCHAIMON GULART DA TRINDADE – CTG GAUDERIOS DA QUERÊNCIA – CHARQUEADAS – 2ª RT
2º Lugar: LUCAS CUNHA PARIZOTTO – CTG PORTEIRA DO RIO GRANDE – VACARIA – 8ª RT
3º Lugar: RODRIGO MAURICIO SILVA – CTG ESTRELA SERRANA – CANELA – 27ª R

LAÇO NARRADOR
1º Lugar: FABIO GONÇALVES – CTG TAPERA VELHA – CAMPOS BORGES – 14ª RT
2º Lugar: LUIZ FERNANDO VIEIRA ALVES – PL MATHIAS VELHO PACHECO – OSORIO – 23ª RT
3º Lugar: FELIPE FREITAS – CTG PORTEIRA DA AMIZADE – LAGOÃO – 14ª RT

LAÇO AUTORIDADE
1º Lugar: ALCEU BARBOSA VELHO – PREFEITO MUNICIPAL DE CAXIAS DO SUL – 25ª RT
2º Lugar: JAIR MENDES DA SILVA – PREFEITO MUNICIPAL DE SANTO EXPEDITO DO SUL – 29ª RT
3º Lugar: RICARDO ANDRE DE AZEVEDO – PREFEITO MUNICIPAL DE VALE VERDE – 2ª RT

LAÇO CONSELHEIRO
1º Lugar: MARCIANO PAIZ – SANANDUVA – 29ª RT
2º Lugar: FRONTELMO MACHADO – PORTO ALEGRE – 1ª RT
3º Lugar: ARCIVAL VIEIRA DE MELLO – PASSO FUNDO – 7ª RT

JOGO TAVA EQUIPE
1º Lugar: 12ª RT
2º Lugar: 1ª RT
3º Lugar: 25ª RT

JOGO TAVA INDIVIDUAL
1º Lugar: 12ª RT
2º Lugar: 12ª RT
3º Lugar: 12ª RT

JOGO DE TRUCO CEGO EQUIPE
1º Lugar: 12ª RT
2º Lugar: 1ª RT
3º Lugar: 25ª RT

JOGO DE TRUCO DE AMOSTRA EQUIPE
1º Lugar: 1ª RT
2º Lugar: 16ª RT
3º Lugar: 18ª RT

JOGO DA BOCHA CAMPEIRA EQUIPE
1º Lugar: 24ª RT
2º Lugar: 14ª RT
3º Lugar: 7ª RT

JOGO DO SOLO INDIVIDUAL
1º Lugar: 10ª RT
2º Lugar: 12ª RT
3º Lugar: 12ª RT

JOGO TETARFE EQUIPE
1º Lugar: 1ª RT
2º Lugar: 25ª RT
3º Lugar: 9ª RT

JOGO DO TETARFE INDIVIDUAL
1º Lugar: 7ª RT
2º Lugar: 23ª RT
3º Lugar: 7ª RT

TROFÉU CYRO DUTRA FERREIRA: 27ª REGIÃO TRADICIONALISTA

Como uma fênix, a 2ª RT vem com tudo em 2013

17 de março de 2013 0

Inter-regional do ENART e acendimento da Chama, agora bicampeão de gineteada na FECARS.

A 2ª região tradicionalista, do coordenador Ivan Botelho, deu um salto de qualidade nos dois últimos anos e, em 2013, está levando para suas cidades o acendimento da Chama Crioula do estado, em agosto, e uma inter-regional do ENART.
Mas Botelho ainda tem mais pelo que se vangloriar. Em um título raríssimo, conquistou pelo segundo ano consecutivo o troféus de 1º lugar na gineteada da FECARS. Foi com seu ginete Schaimon Goulart, 26 anos, de Charqueadas. Goulart, que lida com cavalos desde muito criança, pertence aos Gaudérios da Querencia e trabalha em uma hotelaria. Goulart conta que seu falecido avô, seu Zeferino Carvalho da Trindade, trabalhava com um tambo de leite, onde ele aprendeu as primeiras lides campeiras.
Schaimon não conseguiu estudar muitos, pois desde muito cedo teve que trabalhar. Ele conta que chegou somente até a 6ª série e que treina com cavalos diariamente. Além de treinar ele presta serviços como ferreiro.

Resultados do 1º dia da FECARS

14 de março de 2013 0

Resultados de hoje:
LAÇO NARRADOR
1º Lugar: FABIO GONÇALVES – CTG TAPERA VELHA – CAMPOS BORGES – 14ª RT
2º Lugar: LUIZ FERNANDO VIEIRA ALVES – PL MATHIAS VELHO PACHECO – OSORIO – 23ª RT
3º Lugar: FELIPE FREITAS – CTG PORTEIRA DA AMIZADE – LAGOÃO – 14ª RT

LAÇO AUTORIDADE
1º Lugar: ALCEU BARBOSA VELHO – PREFEITO MUNICIPAL DE CAXIAS DO SUL – 25ª RT
2º Lugar: JAIR MENDES DA SILVA – PREFEITO MUNICIPAL DE SANTO EXPEDITO DO SUL – 29ª RT
3º Lugar: RICARDO ANDRE DE AZEVEDO – PREFEITO MUNICIPAL DE VALE VERDE – 2ª RT

LAÇO CONSELHEIRO
1º Lugar: MARCIANO PAIZ – SANANDUVA – 29ª RT
2º Lugar: FRONTELMO MACHADO – PORTO ALEGRE – 1ª RT
3º Lugar: ARCIVAL VIEIRA DE MELLO – PASSO FUNDO – 7ª RT

FECARS começa nesta Quinta-feira

14 de março de 2013 0

Na tarde desta quinta-feira, 14 de março de 2013, a FECARS inicia com laço executivo municipal, conselheiro e narrador.
Amanhã, sexta-feira, 15 de março, abertura oficial e as demais modalidades.
Sabado, além das modalidades campeiras, iniciam as modalidades esportivas como Tava (jogo do osso), truco cego, truco de amostra, solo, tetarfe (tejo, tava, argola e ferradura) e bocha campeira.

Serão mais de 1900 competidores, sendo que no esporte são 750 inscritos.

Sábado tem o seminário de prendas e peões abordando a literatura com Sergius Gonzaga, ex-secretario de cultura de Porto Alegre, especialista em Erico Veríssimo. Sessão comentada do filme: Contos gauchescos de João Simoes Lopes Neto, com a presença do Diretor do filme, Henrique de Freitas Lima.

Recuerdos – há 10 anos o eco da Tradição publicava

01 de março de 2013 0

… Tradicionalistas se preparavam para a 15ª Festa Campeira. Ela reunia centenas de participantes em Palmeira das Missões, de 20 a 23 de março de 2003.
… Comunidade literária comemorava o centenário de Manoelito de Ornellas.
… O MTG promovia o 1º Cfor e o 1º SAT(04 de maio) da história.
… Era promovido o 12º Tchencontro da Juventude em Montenegro. Priscila Fernande era a 1ª Prenda Juvenil do RS.
… Vitor Hugo de Medeiros Junior, o trovador maratonista se sagrava tricampeão popular de Cacequi.
… CTG destaque do mês, o Pagos da Saudade da empresa VARIG, contava uma linda história de muitas viagens pelo mundo. Com a morte de Rubem Berta, em 1966, o CTG perdeu forças até ser desativado, voltando em 1972, nas mãos de Julio Vargas, na vila VARIG.
… o MTG discutia a lei que regulamentava os rodeios. O secretario da agricultura era Odacir Klein.
… O secretario de Turismo do RS, Luis Augusto Lara, chamou o MTG para discutir a formação de um grupo de trabalho para transformar a semana farroupilha em atrativo turístico.

A paz de Ponche Verde

01 de março de 2013 0

A semana da paz comemorada pelo Rio Grande do Sul (e em especial Dom Pedrito fez grande festividade em torno do obelisco e muitas atividades culturais) é um momento de reflexão para os gaúchos. No dia 28 de fevereiro de 1845 os farroupilhas assinavam um tratado para dar fim a sangrenta guerra que se estendia por quase dez anos.

Do outro lado, os imperiais, representados pelo barão de Caxias, assinava o tratado de paz no dia 1º de março do mesmo ano, na região de Ponche Verde, hoje, a cidade de Dom Pedrito. O momento é de reflexão.

Ítens do tratado de paz:
Art. 1° – Fica nomeado Presidente da Província o indivíduo que for indicado pelos republicanos.
Art. 2° – Pleno e inteiro esquecimento de todos os atos praticados pelos republicanos durante a luta, sem ser, em nenhum caso, permitida a instauração de processos contra eles, nem mesmo para reivindicação de interesses privados.
Art. 3° – Dar-se-á pronta liberdade a todos os prisioneiros e serão estes, às custas do Governo Imperial, transportados ao seio de suas famílias, inclusive os que estejam como praça no Exército ou na Armada.
Art. 4° – Fica garantida a Dívida Pública, segundo o quadro que dela se apresente, em um prazo preventório.
Art. 5° – Serão revalidados os atos civis das autoridades republicanas, sempre que nestes se observem as leis vigentes.
Art. 6° – Serão revalidados os atos do Vigário Apostólico.
Art. 7° – Está garantida pelo Governo Imperial a liberdade dos escravos que tenham servido nas fileiras republicanas, ou nelas existam.
Art. 8° – Os oficiais republicanos não serão constrangidos a serviço militar algum; e quando, espontaneamente, queiram servir, serão admitidos em seus postos.
Art. 9° – Os soldados republicanos ficam dispensados do recrutamento.
Art. 10° – Só os Generais deixam de ser admitidos em seus postos, porém, em tudo mais, gozarão da imunidade concedida aos oficiais.
Art. 11° – O direito de propriedade é garantido em toda plenitude.
Art. 12° – Ficam perdoados os desertores do Exército Imperial.

Gravadas no obelisco, á quase 40km da cidade de Dom Pedrito, em granito, a beira da estrada de chão batido, lêem-se estas palavras:
“Nestes campos de Ponche Verde, em 1º de março de 1845, os defensores do imperio e o republicanos de Piratini asseguraram a unidade nacional, com a pacificação do Rio Grande do Sul.”