Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Guerra de Gigantes do varejo americano acontece nesta quarta

15 de julho de 2015 0

 

Imagem: money.cnn.com

Imagem: money.cnn.com

Por Fernando Naiditch*

O mês de julho costuma ser fraco em vendas para as grandes lojas nos Estados Unidos. O verão americano e as férias escolares afastam o consumidor das lojas. Para garantir um fluxo de caixa, os grandes varejistas estão apostando agora no que já está sendo chamado pela imprensa americana de “Christmas in July” (Natal em julho).

Para comemorar seu aniversário de 20 anos, a gigante Amazon promote aquecer o jogo nesta quarta-feira, dia 15 de julho, com Prime Day, um dia inteiro dedicado a vendas online com preços que, segundo a rede, serão melhores que os da Black Friday.

Imagem: techradar.com

Imagem: techradar.com

O serviço Prime da Amazon funciona como uma espécie de clube. Consumidores pagam 99 dólares ao ano para garantir produtos e serviços exclusivos da empresa, como frete mais rápido (a entrega chega em até dois dias), livre acesso a milhares de filmes e séries americanas, e agora também serviço de música que compete com o iTunes. Estudantes pagam somente 49 dólares pelo serviço.

Para esta quarta-feira, a Amazon promete ofertas imbatíveis para o consumidor, como os famosos fones de ouvido da marca Bose a preços nunca antes oferecidos, e laptops Chromebook por 199 dólares. Outras ofertas já divulgadas pela Amazon para esta quarta-feira incluem 60 dólares de desconto no Kindle Fire HD 7 (30 dólares de desconto no Kindle tradicional) e mais de 50% de desconto em dois modelos da máquina de fotografia Nikon COOLPIX.

As vendas de televisões também devem esquentar com pacotes como TV4K de 50 polegadas por menos de mil dólares e uma Smart TV de 32 polegadas de uma marca conhecida que a Amazon só divulga amanhã por menos de 200 dólares.

A ideia é oferecer preços promocionais em todos os departamentos, o que inclui desde eletrônicos, brinquedos, video games, DVDs, roupas, artigos para casa e jardim, esportes e até alimentos.

Imagem: blackfriday.fm

Imagem: blackfriday.fm

Outra gigante americana, o Walmart, não deixou por menos e para competir com a Amazon anunciou seu “Special Atomic Deals” (ofertas especiais atômicas) para o mesmo dia, prometendo mais de 2000 produtos em ofertas. A imprensa americana já apelidou o dia de Cyber Smackdown, uma espécie de competição cibernética entre as empresas rivais, já que todas as ofertas somente serão válidas para compras online (a Amazon só funciona online e o Walmart já anunciou que suas ofertas só serão válidas online e não nas lojas físicas).

A ideia é atrair consumidores o dia inteiro com ofertas relâmpago e a promessa de novos itens sendo oferecidos ao longo do dia. A expectativa dos varejistas é grande e eles esperam atrair a atenção e o dinheiro dos consumidores que andam um pouco tímidos nas compras de verão.

No mês de junho, inclusive, as vendas no varejo americano cairam 0.3%, de acordo com o Departamento Americano de Comércio. Este foi o resultado mais fraco desde fevereiro deste ano e o resultado de fevereiro foi atribuído a um inverno rigoroso com tanta neve que afastou os consumidores das ruas e das lojas. No mês de maio, as vendas cresceram 1%, mas a partir de junho já começaram a cair novamente, o que reflete que o consumidor americano está cauteloso apesar do crescimento no nível de emprego projetado pelo Departamento do Trabalho. Os dois itens mais cortados pelo consumidor americano, segundo a Associated Press, foram compras em lojas e idas a restaurantes, já que comer fora de casa também não está barato por aqui.

A competição entre o Walmart e a Amazon chegou a fechar o tempo quando o Walmart criticou o serviço pago Prime da Amazon ao postar em sua website que a ideia de pedir ao consumidor que pague mais para poder usufruir de descontos promocionais não faz sentido.

Imagem: hip2save.com

Imagem: hip2save.com

A Amazon não deixou barato e respondeu a altura dizendo que cobrar mais dos consumidores nas lojas do que online para os mesmos produtos também não faz sentido.

Esta guerra entre as duas gigantes está animando o consumidor, que promete ficar ligado online durante todo o dia, esteja onde estiver, para não perder nenhuma promoção. Segundo os economistas, esta guerra de gigantes reflete a prática e a tendência cada vez mais comum entre os americanos de fazer suas compras online e não nas lojas fisicas.

Outra gigante, a Best Buy, está de olho nos resultados das vendas da Amazon a do Walmart amanhã e já planeja um esquema de vendas parecido para a semana que vem.

 

 

Envie seu Comentário