Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de julho 2015

Inovação, tecnologia e crise marcam 3a Febravar

11 de julho de 2015 0
Fotos: Fabiano Riffatti

Fotos: Fabiano Riffatti

Foram três dias de debates intensos e apresentação de produtos e serviços que estão revolucionando o setor de varejo. A terceira edição da Feira Brasileira do Varejo foi marcada pela inovação, tecnologia e estratégias para superar a crise econômica. Quase seis mil pessoas circularam entre os mais de 40 expositores em 69 estandes em uma área de dois mil metros quadrados.

Um dos principais eventos do setor varejista do país, a Febravar encerrou a edição de 2015 contabilizando 5300 participantes, entre visitantes da Feira e do Congresso. O presidente da Feira, Ronaldo Sielichow, atribui o sucesso do evento ao formato em que foi concebido, tendo as palestras do dia dividas por temas pré-definidos. No primeiro dia, tratou-se de economia e negócios; no segundo, de e-commerce e tecnologia e, no último, de gestão. “Conseguimos dar uma abrangência maior de assuntos relevantes que contribuem para o conhecimento e preparo dos lojistas.

A Smart Store, ou loja inteligente, foi um grande atrativo, colocando num só lugar, mais de 30 tecnologias já disponíveis para revolucionar a relação dos lojistas com seus clientes nas lojas físicas. Saiba mais nesse post.

Segundo os expositores, 70% realizaram agendamento de contatos. Destes, cerca de 80% já tem agendados até 15 contatos para futuros negócios.  Todos os participantes da pesquisa avaliaram positivamente o evento. Entre o público, 64% são do varejo, sendo que 88% deles são proprietários de lojas. Sobre o desempenho de suas empresas no primeiro semestre de 2015, 74% dos lojistas afirmaram que as vendas cresceram na comparação a 2014, apesar das instabilidades econômicas.

Nas visitas técnicas, programação que possibilitou aos participantes vivenciarem na prática o que é tendência no varejo, ficou evidenciado que a tecnologia, personalização, segmentação e valorização de equipes estão cada vez mais presente no setor.=

“Quando concebemos a Feira foi com o objetivo de fazer a cada ano maior e melhor. Chegamos à terceira edição atingindo esse objetivo. Pela percepção e retorno dos participantes, tanto os produtos ofertados quanto os temas das palestras contribuíram para que os lojistas atravessem esse momento difícil pelo qual estamos passando na economia. Nossa intenção é fazer um evento ainda maior nos próximos anos”, disse Paulo Kruse, presidente do Sindilojas Porto Alegre – entidade promotora da Feira.

FALANDO DE GESTÃO 

Com um auditório lotado, Pedro Janot enfatizou, durante a palestra realizada na Feira Brasileira do Varejo, a Febravar, que o cuidado com o público interno – funcionários – e o exemplo de um líder são fundamentais para a garantia de um negócio de sucesso. “O exemplo é a ferramenta mais importante da educação”, disse. Para Janot, o líder é o grande servidor. “Ele é quem ajuda a fazer a transferência da cultura da empresa. Não dá para o gerente chegar na empresa e ir direto para a sua sala. É preciso estar junto com os funcionários”.

O especialista falou também da necessidade cada vez maior das empresas usarem a tecnologia como aliada e não como foco da empresa. “Não sou contra a tecnologia, mas com ela as empresas acabam se afastando das suas origens, esquecendo das coisas mais simples. Tecnologia tem que ajudar os varejistas a vender e não tirar o foco do que é essencial, como os valores de uma empresa”, explicou.

O executivo citou o exemplo das lojas Zara, onde trabalhou por mais de uma década, e cresceu com baixo investimento em tecnologia. “A comunicação entre as pessoas é mais importante que a tecnologia. Esse é um complemento para colaborar com o contato entre os colaboradores”, enfatizou.

De acordo com o executivo, os lojistas não podem deixar de estar junto com a sua equipe, pois são eles que sabem tudo de bom e de ruim que está acontecendo no estabelecimento. “Pergunte primeiro pra eles como andam as coisas e, depois, faça um filtro com o gerente”, disse.
Janot também ressaltou que a cultura organizacional necessita ser passada e trabalhada junto aos colaboradores. “A cultura vira o alicerce para uma liderança e uma boa gestão”.

O CEO da Contravento citou 4 pontos importantes e que precisam ser levados em conta:

- produto

- pessoas engajadas

- boa administração dos processos da empresa

- gestão da cultura

Depois da palestra, Janot participou do painel “O papel do líder na gestão corporativa”, com o diretor da Fnac Porto Alegre, Marcos Ludovici e da diretora de Recursos Humanos da Lojas Renner, Clarice Costa que reforçou a importância da cultura empresarial. “A fortaleza de uma empresa é a cultura. Por isso, é de suma importância o papel da liderança de divulgar esses valores que, talvez nunca foram escritos”.

Já o diretor da Fnac Porto Alegre, Marcos Ludovici, fez referência sobre importância do cuidado com os colaboradores. “Temos que tratar bem nossos colaboradores, pois segundo estudos, a primeira parte atingida no cérebro, ao receber uma informação, é o sentimento”, disse.

pedrojanot

 

Lojistas se preparam para 'Era Figital'

10 de julho de 2015 0

Tive a oportunidade de experimentar uma série de novidades que começam a pipocar no varejo e que vão revolucionar a forma como compramos e vendemos na 3a Feira Brasileira do Varejo que acontece esta semana em Porto Alegre. Numa imperdível visita a Smart Store, (Loja Inteligente) montada no centro da Febravar e, após uma conversa com a idealizadora do projeto, Regiane Relva Romano, vencedora do prêmio ID People Awards 2012, fui apresentada ao que ela chama de Era Figital, uma mistura da experiência física com a digital.”As inovações que nos permitem comprar virtualmente não vão acabar com a loja física. O que vai ocorrer é que as duas coisas vão convergir e a experiência presencial vai ter cada vez mais recursos tecnológicos”, explicou a CEO da VIP Systems Tecnologia & Inovação.

Segundo ela, ter um ponto físico de relacionamento com o cliente ainda é fundamental, mas esse canal precisa ter cada vez mais interatividade, entretenimento e tecnologias que melhorem a experiência de compra.

A palestra de Regiane, ‘Novas Tecnologias Aplicadas aos Negócios’ foi uma das mais concorridas da Febravar e reuniu mais de 300 pessoas interessadas em conhecer um pouco mais sobre as ideias dessa estudiosa que desenvolveu a 1a Loja Inteligente da América Latina. A loja é a materialização da tese de doutorado de Regiane, concluida em 2012, com a montagem da ‘smart store’ da Billabong, em AlphaVille, São Paulo. Inicialmente, ela programou uma loja com 14 tecnologias diferentes. A que está montada na 3a Febravar tem 32 tecnologias aplicadas.

SMART STORE

O projeto tem como objetivo implementar todos os conceitos do Varejo 3.0 em um único ambiente, utilizando o melhor de cada solução tecnológica.

Logo na entrada da loja, um Tapete Interativo mostra um recurso que pode projetar imagens no chão ou na parede da loja, convidando o cliente a interagir com elas. No caso da unidade montada na Febravar, a imagem é de um piano que convida o visitante a ‘tocar’ no teclado virtual. O recurso pode ser usado em campanhas de marketing do próprio estabelecimento.

Fotos: Suzana Naiditch

Fotos: Suzana Naiditch

Um precificador eletrônico pode administrar os preços diretamente na gôndola, remotamente. Se o produto está com pouca saída, por exemplo, e você quer fazer uma promoção, pode mudar o preço automaticamente e a informação é repassada por radiofrequência à prateleira e modificado em todo o sistema da loja.

Febravar1
A etiqueta de radiofrequência é a alternativa às etiquetas de preço e ao código de barras usados atualmente. Além de evitar furtos, ela ajuda a controlar os estoques. Com ela, você pode fazer o inventário da loja em 40 minutos. Acaba com aquela coisa de ‘fechar para balanço’. Um aparelho ‘escaneia’ as peças que têm a etiqueta e passa um relatório para o computador.

varejo4

As informações enviadas por esse sistema permitem ao lojista saber que uma peça tem muita saída, mas que outra é muito retirada da arara para ser experimentada, mas sempre retorna. Imediatamente, ele pode agir. Se a peça é escolhida, mas não é vendida, pode ter um problema de preço ou de qualidade, ou outro qualquer. O importante é que, com informação em tempo real, o lojista pode agir rapidamente para mudar uma situação dentro da loja.

Regiane contou que estuda a tecnologia de radiofrequência, usada desde a Segunda Guerra Mundial, há mais de duas décadas, buscando novos usos para ela. Quando a pela primeira vez, o custo de cada etiqueta era de 150 dólares. Hoje, ela custa 40 centavos de real. Ou seja, as tecnologias estão cada vez mais acessíveis.

varejo5

Na loja inteligente, as câmeras de segurança têm outras utilidades. Elas apontam, por exemplo, as zonas frias e quentes do estabelecimento, ou seja, mostram quais áreas da loja atraem mais os clientes e quais ficam mais vazias. Com essa informação em mãos, você pode retirar uma peça da zona fria e colocá-la na zona quente para alavancar suas vendas.

Há outras novidades incríveis. Imagine um Provador Inteligente que, automaticamente, identifica e exibe em um monitor touchscreen as peças que estão com o cliente e ainda permite que ele solicite outros tamanhos e cores. Basta aproximar a peça num dispositivo e especificar o que você quer no monitor que irá disparar um SMS para o celular do atendente e para o estoquista. Quer ficar com aquela peça? Não precisa chamar o vendedor. Apenas reserve a peça no seu carrinho de compras virtual. E você também pode pagar por ela no ‘self check out’.

varejo3

Talvez você não quira ir ao provador experimentar a roupa. Não tem problema. O Provador Virtual Interativo oferece outra opção. Ele detecta o usuário, captura a imagem possibilitando a seleção de roupas ou acessórios virtuais que se ajustam ao corpo, virtualmente, sem a necessidade de experimentar as peças fisicamente.

smartstore

 

Mas não é só isso. Um expositor inteligente exibe vídeos relacionados ao produto que você quer comprar. Basta aproximá-lo de uma antena de radiofrquência.

varejo7

 

Na Smart Store você também pode distrair seus filhos enquanto faz as compras, com jogos interativos espalhados pela loja.

varejo1

 

Todas essas tecnologias, e muitas outras, já estão disponíveis. Não há uma loja que utilize todas elas, mas muitas já estão trabalhando com algumas e o número deve crescer muito nos próximos anos. Se você quer ver de perto todas juntas, aproveite e vá até a 3ª Febravar, Feira Brasileira do Varejo, realizada de 8 a 10 de julho, no Centro de Eventos do BarraShoppingSul (Av. Diário de Notícias, 300), em Porto Alegre. O projeto, montado pela primeira vez no Rio Grande do Sul, contempla todos os conceitos do Varejo 3.0, tudo reunido em um único ambiente, buscando o melhor custo x benefício, viável também para os pequenos e médios varejistas. A Loja com 60 m² utiliza o melhor de cada solução tecnológica para proporcionar a melhoria da gestão para a operação com uma experiência de compra diferenciada.

Além dessas tecnologias poderão ser conferidos: PDV Inteligente, Desativador Inteligente, Prevenção de Perdas Inteligente, Jogos Interativos, Inventário Inteligente, Expositor Inteligente, Gôndola Inteligente, Gestão de Loja e de Franquias, Retaguarda e Etiqueta Eletrônica de Preços.

São dois mil metros quadrados de feira com mais de 40 expositores em 69 estandes com expectativa de obter um aumento de 72% na geração de negócios em relação ao ano anterior. São esperados 6 mil visitantes durante os três dias do evento.

Febravar começa em Porto Alegre discutindo crise

09 de julho de 2015 0
febravar

Foto: Fabiano Riffatti

No primeiro dia da 3a Feira Brasileira do Varejo, o jornalista, economista e âncora do programa Conta Corrente da Globo News, Dony De Nuccio, mostrou para lojistas de todo país como é possível sair fortalecido diante de um cenário desfavorável, na palestra “Conjuntura econômica: onde estamos e para onde vamos”.“Se mudou o cenário econômico, é necessário o lojista mudar a estratégia para crescer em tempos de crise”, disse De Nuccio.

Além de trazer dicas para os lojistas alavancarem os negócios em meio à crise, o jornalista enfatizou que os empreendedores não podem ficar parados, pois crise é oportunidade. “O desemprego gerado na crise oferece mão de obra qualificada com menor valor”, exemplificou.

Segundo pesquisas citadas pelo jornalista, o Brasil é o terceiro país mais pessimista do mundo, de 33 países em que o empresariado foi questionado. Ele lembrou ainda que o país está na lista dos 30 países com maior carga tributária do mundo e que recebe o menor percentual de retorno para a população.

De acordo com o jornalista, os empreendedores não podem ficar parados, pois não se pode utilizar de uma mesma estratégia de negócio em um cenário econômico diferente. Ele ressaltou que o brasileiro é o povo que mais tem apetite empreendedor, que gosta de ser patrão. “Temos mais empreendedores que nos EUA. 76% preferem criar seu próprio negócio, 74% enxergam no empreendedorismo a base da riqueza e 76% dos que querem investir não tem capital para tal”, explicou.

Dony lembrou que mesmo nos mercados mais saturados, como o da cerveja, o empreendedor brasileiro consegue criar novidades e fazer o setor crescer ainda mais. “Inventa-se a cerveja gourmet, e é um estouro! Em dois anos e meio o ramo cresceu 36% e 120 novas marcas foram criadas nesse período”.

O mundo digital também não deixou de ser citado na palestra. “Em 2017 a proporção é de que cheguemos a um computador por pessoa e, esse impacto alcançará também nos smartphones, que em 2014 chegaram ao número de 55 milhões de aparelhos. 31% dos brasileiros que tem smartphones acessam a internet diariamente. Não dá para ficar de fora do mundo virtual”, afirmou.

Para finalizar, o jornalista deu algumas dicas para os lojistas aplicarem em tempos de crise como ser eficiente, inovar, criar, fazer networking, surpreender, encantar e seduzir o cliente. “É preciso criar uma experiência incrível para o consumidor na hora da compra. Superar a expectativa dele tanto na hora da venda quanto no pós-venda. O preço não pode ser o único ingrediente de atração. O mais importante é a fidelização do cliente”, enfatizou Dony.

Sobre a Febravar

Aproximar lojistas e fornecedores de todo País, oportunizar networking, apontar tendências e expor inovações do setor varejista são alguns dos objetivos da Feira Brasileira do Varejo, promovida pelo Sindilojas Porto Alegre. Paralelo à Feira, acontece o Congresso Brasileiro do Varejo, que reúne especialistas renomados de diferentes áreas para debater as tendências do setor. O evento anual teve sua primeira edição em julho de 2013. Todas as edições tiveram como sede a capital gaúcha. A Febravar acontece até sexta-feira, 10/07, das 10h às 20h, no centro de eventos do BarraShoppingSul de Porto Alegre.

Porto Alegre recebe curso da sueca Hyper Island, referência mundial em Inovação e Pensamento Criativo

08 de julho de 2015 0

A Amcham Porto Alegre traz à capital gaúcha o curso dos sonhos de empresários e profissionais focados nas novas oportunidades proporcionadas pelo mundo digital. Durante três dias — 19, 20 e 21 de agosto –, os participantes poderão explorar o crescente e relevante impacto da internet no mundo dos negócios a partir da expertise da escola sueca conhecida como a “Harvard digital”.  

Uma equipe da Hyper Island estará na cidade para ministrar a Master Class “Digital Acceleration”. A famosa escola traz uma nova maneira de pensar, explorando o crescente impacto do digital no mundo dos negócios e como as novas tecnologias podem influenciar o comportamento da sociedade e suas interações com as empresas. A intenção do curso é ensinar ferramentas e instigar os participantes a pensarem e atuarem de forma diferenciada, levando em conta todas as possiblidades que o universo digital pode proporcionar.

Segundo executivos que já participaram dos cursos da Hyper Island, a escola definitivamente criou algo novo. Uma mistura de palestra com prática, com imersão motivacional, com ciência, com tecnologia, com choque de realidade. Tudo isso, usando  metodologia e didática diferentes do que eles tinham encontrado no Brasil anteriormente. Você aprende fazendo, o que eles chamam de ‘learning by doing’.

Fundada na Suécia em 1996 e com campus e escritórios no Reino Unido, Estados Unidos e Cingapura, a Hyper chegou ao Brasil em 2014,  oferecendo ferramentas de trabalho e de liderança poderosas para fazer essa transição [para o digital] de uma forma mais eficiente.
As estatísticas de satisfação da Hyper Island são altíssimas. A proposta principal da escola digital é de fazer o aluno ‘aprender a aprender’.

O curso será realizado no Amcham Business Center (Rua Dom Pedro II, 861/ 8º andar), em Porto Alegre. As inscrições podem ser feitas pelo site da Amcham, no www.amcham.com.br/porto-alegre.

Mais detalhes sobre a master class podem ser obtidos pelos telefones (51) 2118-3736 e (51) 2118-3720 e pelos e-mails gabriel.aguiar@amchambrasil.com.br e julia.nascimento@amchambrasil.com.br

Como gerir o clima em tempos bicudos?

07 de julho de 2015 0

Por João de Lima*

Ventos e trovoadas pela frente, risco iminente de tempestade. O tempo está sempre mudando e o clima parece não se firmar. Como administrá-lo nestas situações?

clima

Há certa tendência de se entender gestão do clima como algo apenas associado à Pesquisa do Clima e às ações dela decorrentes. É uma armadilha, verdadeira falácia.

Gerir o clima é uma tarefa diária do líder. Ele é o principal agente responsável pela obtenção de um ambiente organizacional estimulador que oportunize desafios e possibilite a realização das pessoas. É sua missão conseguir desempenho diferenciado e superar as metas, mesmo, e principalmente, sob o mau tempo. .

Gerir o clima através de ações corretivas, em cima dos resultados da pesquisa, por vezes, é a parte mais fácil da história. Difícil é manter o moral da tropa no auge da batalha, nos momentos de tempestade, quando começa a faltar força, quando é mais necessário um esforço adicional para superar os desafios.

É um trabalho cuidadoso, de sensibilidade, através de seus ouvidos e de seu olhar atento, de sua capacidade de análise e decisão rápida, observando a reação e os sentimentos dos indivíduos e das equipes diante das dificuldades, para não “deixar a peteca cair”.

Essa é a função do líder. Ele está ali no comando para esses momentos. Em céu de brigadeiro, o avião voa sozinho, em piloto automático. Ele deve usar seus sentidos, continuamente, para captar os sinais do tempo, interpretá-los e tomar decisões para ajustar o clima. É uma tarefa diuturna.

Em todas as situações, o líder deve transformar os contatos individuais, o diálogo, a proximidade entre líderes e equipe, assim como as reuniões de trabalho, em excelentes oportunidades para a identificação de sentimentos e de possíveis problemas, para a correção e o alinhamento das percepções e para a promoção da qualidade do clima.

Cuidar do clima é cuidar da “tropa” e de cada “soldado”. É reconhecer a existência de cada indivíduo da equipe e preocupar-se com seu estado de espírito, sua satisfação e realização. O líder administra as intempéries muito além da Pesquisa de Clima. Ele é o senhor do tempo.

*João Aparecido de Lima é sócio-fundador da Fractal – Resultados, Consultoria especializada em Gestão, Pessoas e Liderança. Tem mais de 40 anos de experiência em Gestão de Pessoas e Desenvolvimento Organizacional , em empresas como Gerdau e GP Investments. fractalresultados@gmail.com

 

3ª Febravar traz novidades do varejo a Porto Alegre

06 de julho de 2015 0

Entre quarta e sexta-feira próximos, a capital gaúcha será palco da única feira do varejo no Brasil, a Febravar. Promovida pelo Sindilojas Porto Alegre, o evento, em sua terceira edição, mostrará produtos e serviços e terá  especialistas renomados que abordarão temas como economia, mercado, redes sociais, e-commerce e gestão.

feiravarejo

A Febravar terá mais de 40 expositores em 69 estandes em uma área de dois mil metros quadrados e vai apresentar as principais novidades, tendências e tecnologias para o setor. A expectativa deste ano é receber 6 mil pessoas, com projeção de obter um aumento de 72% na geração de negócios em relação ao ano anterior. Paralelamente à feira, acontece o Congresso Brasileiro de Varejo que reunirá especialistas renomados para falar sobre o cenário atual do varejo.

O evento ocorre no Centro de Eventos do BarraShoppingSul (Av. Diário de Notícias, 300), e terá nomes como Dony De Nuccio, jornalista, economista e âncora do programa Conta Corrente da Globo News; Marcelo Portugal, professor da UFRGS e consultor econômico da Fecomércio-RS; Ricardo Lemos, especialista em marketing e vendas, autor do best-seller “O Vendedor Inteligente”; Dado Schneider, doutor em comunicação; Fred Alecrim, especialista em Marketing e Gestão Empresarial e autor dos livros ” UAUgoMais” e “Movimentação: como afastar a mesmice e melhorar os resultados”; Eduardo Tevah, empresário e especialista em varejo, e Pedro Janot, CEO da Contravento.

É um momento de reunir, em um só lugar, lojistas e fornecedores do varejo de todo País para conhecerem as tendências e discutirem as necessidades do setor. Aqui, trocamos experiências, ficamos informados das novidades e fomentamos negócios“, diz o presidente da Febravar, Ronaldo Sielichow.

 

Mesas-redondas

A programação do Congresso conta com três mesas-redondas. A primeira, no dia 08 de julho, vai abordar o tema “O poder do varejo na economia“, com a participação de Alexandre Englert Barbosa, economista-chefe do Sicredi; Fabio Branco, secretário Estadual do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia; César Saut, vice-presidente corporativo da Icatu Seguros, e mediação da economista-chefe da Fecomércio-RS, Patrícia Palermo.

No dia 09, a segunda mesa-redonda será sobre “Redes Sociais: o que muda nos próximos anos?” terá participação de Marcelo Abdala Leite, Diretor de Marketing e Produtos dos Jornais do Grupo RBS; Maurice Mello, gestor de varejo do Google for Work; Augusto Rocha, Sales Partner Pmweb Marketing Cloud Services, e mediação de Susana Kakuta, diretora-presidente do Badesul.

O presidente da Abrasce, Glauco Humai, já confirmou presença, no dia 10, na última mesa-redonda, que contará com a presença também de Silvio Sibemberg, fundador das lojas Saco & Cuecão e Gang; Dr. Mário Cerveira Filho, especialista em Direito Empresarial, redes varejistas e redes de franquias; Marco Antonio Belotto, membro do Conselho Nacional de Lojistas em Shoppings Centers e Entidades – CONECS, e mediação do jornalista Diego Casagrande. Os participantes vão debater a relação do shopping center com o lojista.

Painéis

Dois novos painéis farão parte da programação.

No dia 09 “O consumidor está em todos os lugares. E a sua loja?”, conta com a participação do diretor de Expansão da Trópico, Gustavo Schifino; do diretor de Criação da Agência Global, Rafael Bohrer, do especialista em estratégia de marcas, Arthur Bender, e da cofundadora da Tectra Tecnologia, Gabriele Bellini; como mediador o comunicador da rádio Gaúcha e criador do Bairrista, Junior Maicá.

E no dia 10, “O papel do líder na gestão corporativa” – com a participação do diretor da Fnac Porto Alegre, Marcos Ludovici; da diretora de Recursos Humanos da Lojas Renner, Clarice Costa, e do empresário e especialista em varejo, Pedro Janot; como mediador o diretor comercial do Jornal Correio do Povo, João Müller.

Visitas técnicas

Nos dias 09 e 10 de julho, a programação do evento inicia com visita técnica às lojas que são referência em ponto de venda (PDV) na Capital. A atividade será guiada pelo empresário José Resende. Após a visita haverá o workshop Varejos Inspiradores com os participantes para discussão sobre o que foi visto nas lojas. Interessados devem realizar inscrição pelo e-mail febravar@febravar.com.br. O ingresso para a atividade é de R$ 120,00.

feiravarejo3

 

 

Expositores

Nos estandes da 3ª Febravar, os visitantes poderão conhecer novidades em tecnologia, e-commerce, automação, PDV, comunicação, entre outras áreas. O horário da visitação é das 10h às 20h30 com exceção do primeiro dia, em que inicia às 14h e encerra às 21h. A novidade desse ano é a Loja Inteligente que será montada pela primeira vez no Rio Grande do Sul. O objetivo é implementar todos os conceitos do Varejo 3.0 em um único ambiente, utilizando o melhor de cada solução tecnológica para proporcionar a melhoria da gestão para a operação de uma loja com uma experiência de compra diferenciada.

Inscrições

Para visitar a 3ª Febravar é necessário efetuar inscrição prévia na página www.febravar.com.br/inscricoes-para-visitantes. A inscrição na feira é gratuita e dá direito a participar do Congresso Brasileiro do Varejo, com exceção das palestras de Dony De Nuccio, “Conjuntura econômica: onde estamos e para onde vamos”; Marcelo Portugal, “Para onde caminha a economia”; Dado Schneider, “Digiriatria: seremos todos velhos digitais?”; Dra. Regiane Relva Romano, “Novas tecnologias aplicadas aos negócios”, Eduardo Tevah, “Gestão de empresas em tempos de mudança”; Pedro Janot, “O papel do líder na gestão corporativa”, e Fred Alecrim, “MovimentAÇÃO: como afastar a mesmice e melhorar os resultados”. Para essas atividades o valor para associado efetivo e colaborador do Sindilojas Porto Alegre é de R$ 50,00 e para o público geral R$ 100,00. Inscrições pelo e-mail febravar@febravar.com.br

Mais informações podem ser obtidas com o Sindilojas Porto Alegre pelo telefone (51) 3025.8300 ou no site www.febravar.com.br.

Sobre o Sindilojas Porto Alegre

Fundado em 1937, o Sindilojas Porto Alegre é o representante legal dos comerciantes de Porto Alegre e Alvorada e reúne aproximadamente 18 mil estabelecimentos nas duas cidades. Além de atuar na representação e defesa da categoria, desenvolve ações que promovem o fortalecimento das empresas. O Sindicato realiza pesquisas no setor, qualificação profissional e oferece uma série de serviços voltados aos lojistas.

Sobre a Febravar

Aproximar lojistas e fornecedores de todo País, oportunizar networking, apontar tendências e expor inovações do setor varejista são alguns dos objetivos da Feira Brasileira do Varejo, promovida pelo Sindilojas Porto Alegre. Paralelo à Feira, acontece o Congresso Brasileiro do Varejo, que reúne especialistas renomados de diferentes áreas para debater as tendências do setor. O evento anual teve sua primeira edição em julho de 2013. Todas as edições tiveram como sede a capital gaúcha.

feiravarejo2

 

No Japão, a moda agora é comer Hamburger colorido

03 de julho de 2015 0

Por Fernando Naiditch*

Um encontro entre a moda dos Samurais e a mania americana dos hamburgers, que os japoneses adotaram e adoram, está sendo promovido pela rede de fast food Burger King no Japão.

A partir de julho, os japoneses poderão consumir um hamburger todo vermelho.

hamburger cor 1

Imagens: Burger King Japão

Chamado de “Aka Burger” (aka significa vermelho em japonês), esse novo sanduiche do Burger King será vendido em dois tipos: o Aka Samurai Beef e o Aka Samurai Chicken.

hamburger cor 2

Os consumidores podem escolher entre o bife e o frango, mas ambos serão servidos em paes vermelhos com tomate e queijo, também vermelho. Os hamburgers recebem ainda um molho especial feito de pimentas do tipo chili. O Burger King já até apelidou o molho de “angry sauce” (molho brabo) devido ao teor apimentado.
Para atingir o tom vermelho, tanto no pão como no queijo, o Burger King ultilizou um pó de tomate no processo de fabricação.
Se repetir a dose do ano passado, esse novo hamburger do Burger King promote virar mania entre os consumidores japoneses. Em 2014, a rede promoveu o lançamento de um outro hamburger, todo preto, o “Kuro Burger.”

hamburger cor 3

No caso do Kuro Burger, os paes e o queijo, também pretos, foram feitos com carvão de bambu. O molho com sabor de cebola e alho recebeu uma dose de tinta de lula para também atingir a cor preta. Até a própria carne recebeu um tratamento com pimenta preta para escurecer.

Lançado em setembro do ano passado, o Kuro Burger também era vendido em duas versões: o Kuro Pearl (pérola) e o Kuro Diamond (diamante).
O consumidor gostou tanto que este ano o Burger King promote trazer o Kuro Burger de volta ao seu cardápio nas lojas japoneses. Além do Aka Burger, a nova versão do Kuro Burger chamada de “Kuro Shogun” será servida com os mesmos paes, molho e queijo pretos e ainda fatias de beringela fritas.

hamburger cor 4

As novidades chegam às lojas do Burger King no Japão no dia 3 de julho a 540 yen (ou $4.36 dólares) para a versão com frango, e 690 yen (ou $5.57 dólares) a versão com carne.

cardapio

*Fernando Naiditch é doutor em Educação Multilingue e Multilcultural pela Universidade de Nova York (NYU). Mora em Nova York ha 16 anos e atualmente é professor na Montclair State University.

 

Tome cuidado com o mantra da diferenciação

01 de julho de 2015 0

Por Maximiliano Carlomagno*

A yoga é uma filosofia fantástica. Tive o prazer de pratica-la por alguns anos. Confesso que sinto falta dos exercícios de respiração e vocalização. Mas mesmo sem praticar yoga tenho escutado quase que diariamente um mantra. Esse mantra tem sido proferido por empreendedores, investidores e executivos. O mantra é “O meu negócio é diferente”.

max

Vivemos numa economia com excesso de oferta. Com se diz “não há o que não haja” não é verdade? Mentira. Há muito por ser criado, melhorado, ajustado. Não fosse verdade, não estaríamos também vivendo a Era da inovação.

O problema é quando há um excesso nessa busca de diferenciação e ela causa duas disfunções:

a) fica no rótulo e não tem conteúdo

b) dificulta o entendimento do cliente, parceiros e investidores sobre o que você oferta e como funciona seu negócio

Não adianta repetir seguidamente uma mensagem interessante se ela não é verdadeira. As vezes, quando estamos imersos no nosso negócio tendemos a acreditar em falsas verdades. De que nosso produto é muito diferente do concorrente, quando não é. De que somos muito mais criativos do que nossos concorrentes, quando, na verdade, não somos.

A diferenciação precisa ser percebida pelo cliente. Ou é conversa fiada. Para isso, a coisa tem que ser diferente mesmo. Mas acima de tudo essa diferenciação tem que ser útil para o cliente se predispor a pagar mais e trocar a solução atual pela nova. E isso só ocorre quando além de conceitualmente útil a diferenciação realmente funciona.

Um exemplo disso é o segmento de marketing services. Tive a oportunidade de assessorar grupos de comunicação a lidarem com os desafios da inovação em empresas de mídia, agências, veículos e demais players desse segmento. Todos se auto-intitulam diferentes. Alguns até tem um discurso legal. Mas o problema está na entrega. O posicionamento só se converte em estratégia quando ele é executado diariamente em todos os Jobs e não apenas em alguns deles. Será que nesse caso, por incrível que pareça, a inovação não seja uma entrega excelente? Afinal de contas, nada pior do que gerar uma grande expectativa e ela se converter num fracasso.

O segundo aprendizado tem relação com a necessidade do cliente entender o que você faz. Me caiu a ficha disso numa recente reunião. Ao conversar com um empreendedor, eu e um grupo de pessoas, ficamos com a sensação de que ou nós não entendemos o que ele fazia ou nem ele mesmo sabia.

A empresa investia mas eles não eram investidores. Dava orientação, suporte e relacionamentos para startups mas não era uma aceleradora. Disponibilizava espaço para empreendedores trabalharem mas não era um co-working. Realizava projetos de consultoria mas não era uma consultoria. Ora, chega uma hora que é bem mais fácil você dizer que é uma geladeira do que tentar explicar seu negócio/produto como um mecanismo alternativo de redução de temperatura de cerveja em pequeno espaço de tempo por meio de um dispositivo eletrônico conectado a uma tomada.

Você e seu negócio só precisam ser diferente dos demais na medida em que isso seja útil, real e compreensível. Do contrário o mantra se volta contra o yogin.

Até a próxima inovação

Maximiliano Selistre Carlomagno, colaborador do Mundo dos Negócios na área de inovação, dá dicas e conta o que há de novo sobre o tema nas empresas no Brasil e no exterior. Sócio fundador da Innoscience, Consultoria em Gestão da Inovação, é autor do livro Gestão da Inovação na Prática e do e-book A Prática da Inovação. É mentor Endeavor e presidente do Comitê de Inovação da Amcham.