Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de outubro 2015

Qual é o seu Uber?

29 de outubro de 2015 0

*Por Maximiliano Carlomagno

Você deve estar acompanhando a discussão sobre a regulamentação do Uber envolvendo taxistas, políticos e alguns especialistas. Isso ocorre com mais frequência do que se pensa quando lidamos com novas soluções. Os inovadores expandem os limites das formas convencionais de fazer negócios. Por vezes, a regulamentação existente não está adequada a sua atuação. Há uma tensão natural entre a inovação e o status quo. Mas o foco desse post não é sobre a legalidade ou moralidade da atual abordagem do Uber.

Nosso objetivo é usar exemplos das indústrias de mobilidade e hospitalidade para trazer à superfície um tema por vezes submerso na agenda estratégica das grandes empresas: Quem é o seu Uber? Você tem um processo sistemático de monitoramento de potenciais inovadores? Ou você foca toda atenção naqueles mesmos e velhos 3 concorrentes com quem você briga desde sempre?

uber

O Google, portais de conteúdo, blogs e redes sociais revolucionaram o negócio de mídia, jornal e revistas. Democratizaram o acesso à informação. Reduziram as barreiras de entrada. Ofereceram alternativas mais eficientes para mantermo-nos informados e para fazer marketing com precisão. As OTA’s (booking, expedia e outras) revolucionaram a venda hoteleira. O Tripadvisor adicionou uma nova dimensão com os reviews. O Airbnb atacou a indústria em outra ponta. A Southwest Airlines fez o mesmo anos atrás na aviação, e foi replicada anos depois, com sucesso, pela GOL, no Brasil.

A Tesla está atacando a indústria automotiva no coração do seu modelo. Até mesmo a ideia de ter um carro passa a ser questionada com o sucesso de modelos de carsharing como Car2go, Zipcar e RelaisRides. Os aplicativos de taxi redefiniram a forma de chamar e usar um taxi. O Uber pretende redefinir quem pode transportar.

O Grupo Abril, Folha, Globo e empresas de mídia sabem bem o impacto da digitalização e de novos modelos de negócio nos líderes. Empresas como CVC, Accor e tantas agências de viagem também sofrem os impactos de inovadores. GM, Volks, Toyota e o establishment da indústria automotiva começam a tentar responder a inovações vindas de empresas como Google, eventualmente Apple e outras formas de mobilidade. A disrupção não vai parar. Em algum lugar há um Uber pensando em como revolucionar o seu setor. O diabo é que as grandes empresas, líderes, são craques em lidar com a inovação incremental (oferecer soluções melhores aos clientes existentes por meio do modelo de negócio atual).

Na realidade elas vencem em mais de 90% dos casos nessa condição. O problema é quando lidam com inovações de ruptura que envolvem outros modelos de negócio.

Nessas circunstâncias, os inovadores aumentam em 10X sua chance de vencer os líderes. Não é pouca coisa.

Há um importante campo de conhecimento sobre como os líderes devem responder a tais ameaças. Tratemos desse tema em futuro post. Antes disso, os líderes precisam entender essa ameaça e desenvolver um processo estruturado para sondar o ambiente e compreender a intensidade e timming dessa ameaça. Convide seu time de gestão para conversar. Até lá, fica a dúvida: Quem é o seu Uber?

Até a próxima inovação

Maximiliano Selistre Carlomagno, colaborador do Mundo dos Negócios na área de inovação, dá dicas e conta o que há de novo sobre o tema nas empresas no Brasil e no exterior. Sócio fundador da Innoscience, Consultoria em Gestão da Inovação, é autor do livro Gestão da Inovação na Prática e do e-book A Prática da Inovação. É mentor Endeavor e presidente do Comitê de Inovação da Amcham.

AB InBev e a Crise Brasileira

26 de outubro de 2015 0

Por João de Lima*

A imprensa noticiou com alvoroço o acordo da AB InBev para aquisição da SabMiller, sua principal concorrente no mercado americano. A notícia reforça que Carlos Brito, seu líder e um dos quatro sócios do 3G Capital, através de seu orçamento base zero e a prática da austeridade, com a gestão focada no desempenho, pretende integrar e transformar a nova empresa, como tem feito em outras tantas aquisições.

Incomoda-me essa visão equivocada da imprensa e de alguns líderes empresariais sobre a tão invejada Cultura de Resultados da AB InBev, reduzindo-a a esta fórmula simplista: orçamento base zero + gestão de metas + meritocracia = resultados e sucesso empresarial.

Vejo a razão de seu sucesso muito além dessa simplificação condicionante. Sua Cultura de Resultados começa pela transformação da cabeça e da vida dos colaboradores. Com igual abordagem em todas as empresas, através da definição da Missão, criam o propósito na vida das pessoas, através da proposição da Visão, oferecem-lhes um sonho e, através de Valores claros, definem os comportamentos garantidores do sucesso da empresa e da realização dos indivíduos.

Transformam gestores em parceiros de negócio e colaboradores em seus , oportunizando-lhes participação na construção do orçamento, no desdobramento das metas e delegando-lhes a parte da companhia que co-sócioslhes cabe cuidar, pela qual receberão dividendos, através de meritocracia rigorosa e justa, através de remuneração variável agressiva e de oportunidades de carreira àqueles que melhor se desempenham. Tudo isso cercado por uma gestão de pessoas e uma prática de liderança alinhadas e apoiando fortemente esse modelo de gestão.

AB InBev

O que tem isso a ver com a crise brasileira? Tudo. A solução da crise brasileira não vai ser resolvida pela macroeconomia, dependente do ajuste fiscal e de outras mudanças estruturais que vão levar muito tempo. Deve começar pela microeconomia, pela busca de maior competitividade, resultante de maior qualidade, custo e produtividade, somada à criatividade dos empresários.

Momento de crise é sempre o grande momento das oportunidades. “Se você quer mudar o horizonte, há que se descobrir uma nova direção”. Tudo deve ser repensado, reconstruído, repactuado, a começar pelo próprio Modelo de Gestão. É hora dos empresários fazerem sua lição de casa.

A exemplo do que faz a AB InBev em suas aquisições, tudo isso vai depender dos autores dos resultados, as pessoas. É a oportunidade de transformá-las em sujeitos e não em objetos dessa transformação. Deixando de invejar a grama mais verde do vizinho, os empresários brasileiros devem seguir o exemplo da Cultura de Resultados da AB InBev, como forma concreta de ajudar encaminhar a solução da crise brasileira.
*João de Lima é consultor empresarial, autor do livro “Gestão e Cultura de Resultados”, da Editora Gente e palestrante do tema “Virando o Jogo – Como Construir a Cultura de Resultados”

2015: Um ano difícil para companhias americanas de tecnologia

24 de outubro de 2015 0

Por Fernando Naiditch*

O mundo das chamadas startups, aquelas empresas jovens que geralmente estão começando a se desenvolver e que são inicialmente financiadas e operadas por um pequeno grupo de fundadores ou um indivíduo, anda abalado ultimamente. Essas empresas geralmente oferecem um produto ou serviço que não está sendo oferecido em outras partes do mercado, ou que os fundadores acreditam que está sendo oferecido de forma inferior. Muitas delas apostaram tudo no mundo virtual – a Internet – e agora se vêem forçadas a buscar formas alternativas de sobreviver nesse concorrido universo online.

Enquanto há empresas que encontraram a fórmula de triunfar nesse universo, como a Amazon, outras ainda buscam soluções para se manterem constantemente relevantes. Um sucesso inicial nem sempre se traduz em espaço permanente na mente do consumidor. Que o digam as seis empresas listadas em matéria publicada essa semana na revista Newsweek. Segundo a reportagem, essas empresas, que já foram símbolo de inovação e criatividade, estão enfrentando sérias dificuldades. 2015 ainda nem acabou e essas empresas querem mais é esquecer este ano e já estão focando em soluções para inovar e voltar a crescerem 2016.

São elas:

1. Twitter: Jack Dorsey voltou a ocupar o cargo de CEO da empresa que co-fundou. Desde julho, ele já vinha ocupando o cargo interinamente, mas agora Dorsey volta a exercer a função oficialmente com o compromisso de inovar o Twitter. O Twitter vem sofrendo por dois motivos principais: a falta de novos usuários e a incapacidade de conseguir lucrar com os usuários que já possui. A queda se refletiu até na bolsa de valores. Em agosto deste ano, as ações estavam sendo vendidas por $21 dólares, o menor valor desde que a empresa se tornou pública no chamado IPO (initial public offering – quando uma empresa começa a vender ações para o público).

A palavra de ordem no Twitter agora é simplificar para poder conseguir atrair mais usuários. Muitas ideias têm circulado na imprensa americana. Uma das novidades que foram bem recebidas é o chamado Moments, um novo recurso que busca e organiza notícias com tweets. Algumas pessoas chegaram a sugerir que a empresa eliminasse o limite de 140 caracteres, mas essa idéia não vingou. O Twitter também deve demitir um bom número de funcionários. Especula-se que a maioria sejam engenheiros que compõem cerca de metade do quadro pessoal.

Jack Dorsey é conhecido pelo seu estilo “no-nonsense” de liderança, ou seja, ele é duro na queda e não tem medo de tomar medidas drásticas, mas necessárias para voltar a crescer e para manter o Twitter relevante. Dorsey já anunciou algumas medidas, como novas possibilidades para anúncios comerciais. Resultado: Em 2016, espere encontrar mais anúncios promovidos no Twitter.

tecnologia

Jack Dorsey, o CEO to Twitter Imagem: Kimberly White/ Getty Images Entertainment

2. Yahoo: O ano de 2015 já vinha sendo negativo para o Yahoo e ficou pior ainda no mês passado quando a empresa enfrentou um problema com o Internal Revenue Service (o Tesouro americano) sobre os 15% de participação que mantem na gigante do varejo online chinês Alibaba. O Alibaba já tinha sido considerado um adicional valioso para o Yahoo trazendo lucros a curto prazo para a empresa.

O Yahoo agora está desesperadamente buscando formas de economizar, especialmente se tiver que pagar $9 bilhões de dólares em impostos aos cofres americanos. Isso pode significar transferir as ações do Alibaba para uma nova empresa ou até mesmo transformar o propósito de existência do Yahoo. Seja como for, os investidores estão perdendo a paciência com a CEO, Marissa Mayer. Várias pessoas consideradas centrais no funcionamento do Yahoo já deixaram a empresa e até os anunciantes andam diminuindo. Mês passado, as ações do Yahoo atingiram seu menor patamar do ano. Mudanças radicais e urgentes são esperadas para 2016 se a empresa quiser sobreviver a profunda crise em que se encontra.

tecno2

Marissa Mayer, a CEO do Yahoo Imagem: Pascal Lauener/Reuters

3. Etsy: Por um tempo, comprar no Etsy era chique e “in.” O conhecido bazar de artesãos que funciona online chegou a ter suas ações negociadas a $30 dólares. Muitos interpretaram esse sucesso como uma resposta do público a empresas menores que fazem o bem. Mas a lua de mel durou pouco e as ações caíram pela metade, sendo negociadas abaixo dos $16 dólares do seu IPO.

A Etsy está tentado defender seu nicho— a venda de produtos artesanais feita diretamente por artesãos de pequeno porte — mas esta pode ser uma tarefa difícil. Na semana passada, a gigante Amazon resolveu entrar neste mesmo nicho com Handmade, um novo mercado online de produtos artesanais. A Etsy já tem planos de expandir permitindo a entrada de novos fabricantes de pequeno porte em sua comunidade online.

4. Evernote: Em 2012, o app utilizado para tomar notas era tido como um modelo no mercado, chegando a valer $1 bilhão de dólares devido ao sucesso com estudantes e maníacos em produtividade. Passados três anos, o Evernote perdeu sua relevância e acabou tendo que demitir 13% de seus funcionários e fechar três escritórios internacionais.

Para reverter esse quadro, a empresa nomeou um novo CEO, Chris O’Neill, o executivo que liderou o Google Glass. Mas isso ainda não é suficiente. Para conseguir atingir seu objetivo de se tornar uma empresa pública nos próximos anos, o Evernote terá que conseguir levantar e aumentar seu capital efetivamente e criar uma estratégia eficaz para combater os concorrentes, como o Google Drive.

5. Groupon: O Groupon é outro exemplo de empresa que já viu seus dias de glória. Em 2011, o Groupon se tornou uma empresa pública em grande estilo, com ações chegando a valer mais que as ações do Google quando se tornaram públicas. Mas a queda parece ter sido proporcional à subida. As ações do Groupon caíram mais de 80% de seu valor inicial que foi de $28 dólares a ação. Mês passado, o Groupon chegou no fundo do poço com ações sendo negociadas a $4.20, metade do que já estava valendo no ano passado. O Groupon demitiu 1100 funcionários (o que corresponde a 10% de sua força de trabalho) e ainda estuda medidas de reverter o quadro e se tornar atrativo novamente.

tecno3

Imagem: thesearchagents.com

6. Zynga: A empresa Zynga nem deveria estar nesta lista, já que a queda tem sido constante desde 2013, mas 2015 viu mudanças importantes na empresa. Mês passado, o criador do Farmville—um dos jogos mais populares do Zynga—demitiu-se da empresa. Em maio, a Zynga já tinha demitido 364 funcionários – ou 18% de sua força de trabalho—depois de perder $46.5 milhões de dólares no primeiro trimestre de 2015. A Zynga agora busca uma reestruturação completa para voltar a ser competitiva, principalmente num mercado cheio de competidores e em que inovação é o nome do jogo.

tecno4

Farmville, o jogo mais famoso criado pela Zynga Imagem: news.filehippo.com

*Fernando Naiditch é doutor em Educação Multilingue e Multilcultural pela Universidade de Nova York (NYU). Mora em Nova York ha 16 anos e atualmente é professor na Montclair State University.

Notícias para espantar o mau-humor

23 de outubro de 2015 0

Para você que, como eu, está com dificuldade de encontrar notícias que não sejam sobre tragédias, corrupção e crise, Mundo dos Negócios preparou uma seleção de fatos recentes – ou que ainda vão acontecer – que mostram, se não uma luz no final do túnel, que o mundo não pára apesar das más notícias. E que isso, afinal, é uma boa notícia.

MRV Engenharia ergue novo bairro em Canoas

O projeto mais ambicioso da construtora mineira no Rio Grande do Sul terá investimento de R$ 10 milhões e vendas estimadas em R$ 600 milhões. Trata-se de um novo bairro a ser erguido em Canoas, na Grande Porto Alegre. Com o segundo maior PIB gaúcho, Canoas, o município mais populoso da região metropolitana vai ganhar o Alameda dos Cristais, bairro planejado pela MRV Engenharia em parceria com a incorporadora Nex Group. São 10 condomínios ao longo de cinco super quadras (uma comercial e quatro habitacionais) e expectativa de geração de mais de mil empregos diretos no pico da obra. O primeiro deles – Parque Porto Ametista – com 560 unidades, já está em fase de pré-lançamento e iniciará as vendas em novembro. A área total do loteamento é de 264.905,02 m² e terá capacidade para abrigar 13,8 mil moradores.

canoas

Divulgação MRV

O loteamento renderá melhorias para o município como abertura de ruas, aperfeiçoamento de entorno, iluminação pública e valorização de área verde. Além da duplicação da Rua Guarujá, serão entregues até dezembro deste ano três novas vias que ligam a BR116 à Av. Farroupilha, um total de 2,2 km de ampliação. Câmeras de monitoramento serão instaladas em parceria com a Secretaria Municipal de Segurança Pública. As unidades serão comercializadas com preços a partir de R$140 mil, com possibilidade de financiamento pela Caixa Econômica e facilidades do Programa Minha Casa Minha Vida do governo federal.

Rede TodoDia se posiciona como opção econômica no mercado de vizinhança

Se você prestar atenção, vai ver que um logotipo vermelho tem ganhado espaço nas ruas. A rede TodoDia de supermercados de vizinhança, pertencente ao Walmart tem 180 lojas em todo o Brasil, Aqui no estado, a rede está lançando uma nova campanha alinhada com os desejos e expectativas de suas clientes: garantir economia e a compra do que for preciso para abastecer a sua casa. “Nesse momento em que o consumidor está preocupado em fazer o salário render até o final do mês, nosso objetivo é deixar claro para a nossa cliente que o TodoDia está ao seu lado na busca de economia em compras de reposição do dia a dia e de abastecimento do mês”, explica Adriana Muratore, vice-presidente Comercial e de Marketing do Walmart Brasil.

Criada pela agência gaúcha Paim, a nova campanha tem o mote “Aqui Sim” e posiciona o TodoDia como viabilizador do consumo. “É muito mais do que um conceito, vem com o compromisso de levar a cliente a acreditar que ‘eu posso’, ‘eu consigo’, ‘cabe no meu bolso’. É uma chancela que garante acesso ao consumo,” complementa Muratore.

 

A mascote do TodoDia, Dora, mãe e defensora dos preços baixos, permanece na estratégia de comunicação endossando a campanha. Presente nas regiões Sudeste, Sul e Nordeste, o TodoDia nasceu para atender o consumidor de bairros e do mercado regional, com foco em preço baixo e sortimento local. As lojas têm um mix de produtos planejado para satisfazer as necessidades e preferências desse consumidor.

Divulgação

Divulgação

A busca por mais eficiência na operação faz parte da estratégia do TodoDia de oferecer o Preço Baixo Todo Dia, modelo de negócio por meio da qual os clientes encontram preços mais baixos no total da cesta de compras e não apenas em promoções pontuais válidas por um dia. Em caso de uma promoção pontual da concorrência, o TodoDia iguala o preço no caixa, na hora, sem burocracia, mediante a apresentação, pelo cliente, do anúncio publicado.

Fras-le está entre as 150 Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil pela 12a vez

fras-le2

Mais uma vez presente no importante ranking das “150 Melhores Empresas para Você Trabalhar”, organizado pelo Guia Você S/A e que é resultado de uma das maiores pesquisas de clima organizacional do país, a empresa do Grupo Randon foi premiada em solenidade no dia 19 de outubro, em São Paulo.

Com 61 anos de história e presença mundial, a Fras-le vem conquistando importantes destaques em Recursos Humanos nos últimos anos, que são frutos de sua política voltada às melhores práticas de gestão, focadas na valorização de sua força de trabalho. Em 2011, a empresa recebeu destaque no critério Saúde e Qualidade de Vida e, neste ano, foi eleita como melhor empresa na categoria Siderurgia e Metalurgia.

Entre as cinco maiores fabricantes mundiais de materiais de fricção, a Fras-le completou seis décadas com uma marca reconhecida globalmente. Com fábricas no Brasil, Estados Unidos e China e centros de distribuição na Argentina, Alemanha e Emirados Árabes, além de Operações Comerciais no Chile, México e África do Sul, a empresa conta com um portfólio com mais de 10.000 referências das marcas Fras-le e Lonaflex. A Fras-le fabrica pastilhas e lonas para freios, revestimento de embreagens, produtos industriais e especiais para aplicação em caminhões, semirreboques, ônibus, automóveis, motocicletas, tratores, metrôs, trens, elevadores, aviões, máquinas industriais, sondas petrolíferas, entre outros, estando presente em todas as atividades que exigem materiais de fricção da mais alta qualidade. Além de comercializar seus produtos no Brasil, a empresa exporta para mais de 100 países.

Consórcio Nacional Randon comemora alta de 16% em créditos comercializados

Apesar do atual cenário econômico desfavorável, outra empresa do grupo Randon, a Consórcio Nacional Randon comemora os bons resultados da venda de novas cotas, de janeiro a setembro deste ano, somando, aproximadamente, R$ 400 milhões em créditos comercializados, alta de 16% em relação ao mesmo período do ano passado. Dados da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (ABAC) mostram que em oito meses o setor registrou uma alta de 9,4% no segmento de Pesados. “O consumidor, nesse momento de crise em vários setores da economia, tem optado pelo consórcio por este ser um sistema de compra planejada, com custos mais baixos e por possibilitar um planejamento financeiro maior, frente a outras modalidades de investimento. Isso é o que dá confiança para o brasileiro realizar o sonho de consumo tão aguardado”, destaca o gerente comercial da Randon Consórcios, Claudio Bassani.

Clauderson Marquesin, de Jundiaí (SP), é um desses sonhadores que não deixou as incertezas econômicas comprometerem ou adiarem seus objetivos.“Filho de pai caminhoneiro, o desejo de ser carreteiro fazia parte dos meus planos. Cursei Engenharia Mecânica e meu pai pagou como presente uma cota de semirreboque do Consórcio Nacional Randon. Tendo uma carreta semirreboque paga e outra cota em andamento fomos à luta para a conquista do meu primeiro caminhão. Em março de 2013, abri uma microempresa e comprei um caminhão que foi agregado a uma bicaçamba Randon. No final de 2014, assumi mais duas cotas do Consórcio Randon, pois acredito num futuro promissor”, evidencia.

O Consórcio Nacional Randon foi criado em 1987. Administrado pela Randon Consórcios, uma empresa do grupo Randon, nasceu de uma parceria com a Randon Implementos e Participações, a fim de oferecer mais uma alternativa de comercialização dos produtos da marca. A Randon Consórcios é líder no mercado de consórcios de bens pesados e atua sob os alicerces relacionamento, flexibilidade e credibilidade, o que garante aos consorciados confiabilidade e transparência na administração dos seus investimentos. Por meio da rede de distribuidores da fabricante, o Consórcio Nacional Randon está presente em todo o território nacional, aliando a economia, o planejamento e as demais vantagens do consórcio à aquisição dos melhores implementos rodoviários do mercado.

RANDON

Grendene bate recordes apesar da crise

O lucro líquido da empresa gaúcha cresceu 21% nos nove primeiros meses de 2015. Com isso, a Grendene se destaca no setor calçadista, apesar do cenário econômico desfavorável que o Brasil enfrenta. Nos primeiros tres trimestres, a Companhia alcançou lucro líquido de R$ 357,1 milhões. No mesmo período, a receita líquida apresentou aumento de 2,4%, que corresponde a R$ 1,5 bilhão, ante a base de 2014.

 

divulgação

divulgação

Nos nove primeiros meses do ano, a Grendene produziu 125,5 milhões de pares, o que representou um recuo de 9,3% ante 2014. No mercado interno, a queda foi de 7,6%, totalizando 94,3 milhões de pares. Já a exportação caiu 14,2% (31,2 milhões contra 36,3 milhões de pares no mesmo período de 2014). A Grendene manteve a liderança das exportações de calçados brasileiros, com 36% do total do volume exportado neste período.

De acordo com Francisco Schmitt, diretor Financeiro e de Relações com Investidores da Grendene, os resultados refletiram o ambiente desafiador da economia brasileira e a competitividade da empresa. “Os resultados dos primeiros nove meses do ano foram bons. O crescimento de 21,1% no lucro líquido neste período evidenciou mais uma vez a grande resiliência do nosso modelo de negócios, que se adapta rapidamente às atuais condições do consumidor pela flexibilidade que temos para adequar o portfólio e custos à situação da economia”, declara. “Nesta hora, ter R$ 1,2 bilhão no caixa nos dá tranquilidade para trabalhar e focar no mercado”, acrescenta o executivo.

O consumo no Brasil deve continuar fraco com aumento do desemprego e queda na renda do consumidor neste final de ano e provavelmente no ano que vem. Diante disso, o desafio da Companhia será atender este consumidor, mantendo ou elevando suas margens e buscando ganhar market share para compensar a queda de demanda no mercado interno.

Semana da Comunicação será na Casa Destemperados e vai discutir criatividade

A Associação Riograndense de Propaganda (ARP) anunciou esta semana que a Semana ARP da Comunicação 2015 acontecerá na Casa Destemperados (Rua Marquês do Herval, 82 – Moinhos de Vento), de 16 a 20 de novembro. “Em vez de fazermos uma Semana que se espalha pelo bairro, vamos fazer um evento totalmente integrado”, conta o presidente da ARP, Fábio Bernardi. O tema deste ano é “CRIATIVE – SE”. “Pensamos nesta temática para sugerir criatividade e inovação em meio à crise”, explica Bernardi.

Além disso, o Prêmio de Criatividade ARP (Criarp), que até então era realizado no primeiro semestre, fará parte da Semana da Comunicação. A competição de peças publicitárias terá continuidade, com o julgamento dos trabalhos inscritos neste ano. Segundo Bernardi, a decisão de integrar o prêmio ao evento atende a um pedido manifestado pelo mercado em encontro realizado em maio. Por último, Bernardi anunciou mudanças no processo eleitoral para o biênio 2016/17, que será antecipado para novembro, durante o Jantar da Propaganda. A ideia é que a nova diretoria possa exercer seu mandato desde o início do ano. “Essa mudança permite que os novos diretores consigam trabalhar um ano cheio, uma vez que o cenário para 2016 será tão desafiador quanto o de 2015”, resume. A eleição será no dia 12 de novembro.

Destemperados

Cãolloween terá desfile temático no I Fashion Outlet Novo Hamburgo

O I Fashion Outlet Novo Hamburgo vai entrar no clima do Halloween! A tradicional comemoração do dia 31 de outubro será antecipada com a segunda edição do Cãolloween, evento com temática do Dia das Bruxas que vai reunir pets e seus donos nos jardins do outlet. No sábado, dia 24 de outubro, às 16h, o Cãolloween vai promover desfile temático de fantasias, no qual os cães poderão mostrar toda a sua graça, enquanto os donos entram na disputa pelo quesito criatividade.

Os Cãocorrentes serão avaliados por cinco jurados de diversos setores e serão premiados os classificados em 1°, 2° e 3° lugares de três categorias, conforme os portes P/PP, M e G/GG. Além dessas distinções, serão agraciados Cãodidatos que se destacarem nos quesitos ‘Simpatia’, ‘Mais parecido com o dono’ e ‘Originalidade’. Junto à arena do evento haverá, ainda, um PetBuffet com alimentos naturais desenvolvidos especialmente para cães pela PetPapá, além de aluguel de fantasias (mediante disponibilidade de tamanhos e modelos), serviço oferecido pela Patas e Brilhos.

As inscrições para o Cãolloween acontecem no mesmo dia do desfile, entre 14h e 15h30, mediante a doação de um pacote de ração. O desfile temático para animais de qualquer porte acontece a partir das 16h e as doações serão revertidas para o projeto Peludinhos do Vale, parceiro do I Fashion Outlet Novo Hamburgo nesta iniciativa. As atividades do Cãolloween acontecem das 13h às 18h. Em caso de chuva, o evento será transferido.

Paquetá Esportes aposta no marketing de experiência…

Incentivar a prática esportiva por meio de ações que estimulem novas experiências com a atividade física. É a aposta da Paquetá Esportes para chegar mais perto de seu público. Uma destas iniciativas é a “Invasão Paquetá Esportes”que, em parceria com grandes academias de Porto Alegre, tem causado sensação entre os alunos. A ação consiste em desafiar duplas, trios ou quartetos a correrem durante uma hora na esteira. A equipe que percorre mais quilômetros ganha kits com produtos esportivos e vouchers de descontos para compra nas lojas da marca. São 15 dias de desafio que acontecem até o próximo dia 31 de outubro.

O diretor da Paquetá Esportes, Rodrigo Bacher, destaca que o objetivo é gerar experiência e provocar as pessoas a saírem da zona de conforto. “Também é uma forma de estimular a superação de desafios pelo esporte”, completa. Nos próximos dois sábados (23 e 31 de outubro) será a vez das “Estações Paquetá Esportes”, ação que envolve seis equipes de corrida convidadas e também o público que estiver se exercitando no Parque Marinha ou no Gasômetro.

Nestes locais haverá estações de hidratação da marca, onde os grupos convidados e o público poderão fazer uma pausa para tomar água, experimentar suplementos ou comer frutas. Uma van da Paquetá Esportes também levará as pessoas até as lojas do Shopping Praia de Belas e do Barra Shopping, onde será servido um café da manhã natural, além de oferecidos testes de produtos, consultoria esportiva e dicas sobre atividade física.

Divulgação

Divulgação

… e veste as vitrines em apoio ao Outubro Rosa

Com o objetivo de conscientizar o público sobre a prevenção do câncer de mama, as vitrines de todos os pontos de venda da Paquetá no Rio Grande do Sul ganharam um colorido diferente. Desde o início do mês, os produtos cor-de-rosa ganharam destaque nas vitrines. Além disso, os manequins vestem os bottons em apoio à iniciativa. A campanha vai até o dia 31 de outubro.

Divulgação

Divulgação

 

“Tudo que pede brinde pede Aurora”

A vida é para ser comemorada todos os dias e não apenas em datas especiais. Quem disse que um happy hour com os amigos ou um feriadão na praia não merece um brinde com espumante? Para reproduzir a ideia de que simples momentos devem ser celebrados como grandes eventos, a Paim Comunicação criou para a Vinícola Aurora a campanha “Tudo que pede brinde pede Aurora”. A proposta é mostrar que tudo pode ser motivo para um brinde: o fim do expediente, a reprise do filme favorito na TV, um encontro de domingo com a família…

As peças destacam que, quando o brinde é feito com Aurora, qualquer ocasião pode se tornar especial. Com versões que agradam a todos os paladares – Brut, Moscatel (rótulos premiados no mundo inteiro), Prosecco, Demi-sec ou Rosé, os espumantes são bem-vindos nos momentos mais inusitados.

Numa linguagem leve e descontraída, a campanha inclui comerciais para TV fechada, mídia externa nas regiões de Porto Alegre, Serra Gaúcha, Litoral e Florianópolis, anúncios em revistas especializadas e ativações no digital. Na página da marca no Facebook, será explorada a hashtag #PedeAurora, apresentando de forma divertida vários motivos para os consumidores brindarem com espumante, além de dicas de harmonização e de receitas para receber bem os amigos. A agência ainda criou necktags e cartazes com a cara da campanha para tornar os produtos ainda mais atrativos no Ponto de Venda.

Divulgação

Divulgação

Praia de Belas completa 24 anos com promoções para os clientes

Durante todo o mês de outubro, o shopping está presenteando clientes que utilizam o seu aplicativo com diversos brindes e benefícios, como chocolates, temakis e ingressos para o GNC Cinemas. Para participar basta baixar o aplicativo disponível para os sistemas Android e iOS e ficar de olho nas notificações recebidas.

Inaugurado em 29 de outubro de 1991, o Praia de Belas é um empreendimento da Iguatemi Empresa de Shopping Centers e passou por um grande processo de reinvenção ao longo dos anos. A mais recente foi a expansão, que aumentou a área útil para 43.700 metros quadrados em 3 pisos.

São 235 lojas de todos os segmentos, entre âncoras, megalojas e lojas satélites. O mix de gastronomia possui cinco restaurantes conceituados: Galeto Mamma Mia, Dado Garden Grill, Bistrô Variettá, Devassa e Tokyo Sushi Lounge, além das operações da praça de alimentação. O complexo de entretenimento conta com seis salas de última geração do GNC Cinemas. O Praia de Belas dispõe ainda de 2.500 vagas de estacionamento, distribuídas entre o subsolo do shopping e os 10 andares do novo edifício-garagem.

Divulgação

Divulgação

 

Iguatemi inaugura 100 novas lojas em 14 de abril de 2016

21 de outubro de 2015 5

A inauguração da expansão do Shopping Iguatemi Porto Alegre, com a abertura de mais 100 novas lojas, já tem dia marcado: 14 de abril de 2016, data em que o shopping completa 33 anos. Será praticamente um novo Iguatemi, já que sua área quase dobrará de tamanho, passando de de 39.300m² para 64.606 m². O empreendimento terá um total de 373 lojas, sete restaurantes e seis salas de cinema. Serão duas praças de alimentação, com capacidade para 1.600 pessoas, além de 4.300 vagas de estacionamento. A previsão é receber, em média, 2 milhões de pessoas por mês.

Iguatemi

O Iguatemi está sendo redesenhado para se tornar, também, um centro de negócios conectado às novas tecnologias, com “escritórios boutique” e uma torre comercial de 14 andares, com acesso direto ao shopping.

A arquitetura e o paisagismo do novo empreendimento são baseados no conceito de sustentabilidade, com foco na preservação do meio ambiente. Um exemplo disso é a manutenção da figueira que está no estacionamento do Iguatemi desde a sua construção e foi mantida durante as obras. A construção valorizará, ainda, a iluminação natural. As obras de expansão, que tiveram início em 2013, contam com o trabalho de mais de 800 pessoas.

O que vem por ai

Muitas marcas inéditas no Rio Grande do Sul estarão no Iguatemi Porto Alegre:

Zara Home, forte marca europeia, braço de design e decoração da marca Zara

Sephora, maior rede de produtos de beleza do mundo

The North Face, marca internacional, líder em produtos para esportes ao ar livre

New Balance, reconhecida pela tecnologia de seus produtos, presente em mais de 120 países

Lego, a dinamarquesa que possui uma legião de fãs com as suas experiências de uso do produto

Cobasi, pioneira em oferecer produtos para pets e atividade agropecuária

Souq, inspirada em mercados árabes, com peças de decoração, roupas e acessórios garimpados pelo mundo.

Além destas, somam-se à lista: Rosa Chá e Farm, ambas voltadas para mulheres jovens e descoladas, e a famosa marca de jeans, Diesel.

Na área de gastronomia, Coco Bambu, refinada casa de culinária nordestina focada em frutos do mar, com mais de 10 filiais espalhadas pelo Brasil e previsão de abertura de mais 10 novas lojas em 2016, incluindo uma em Miami (EUA) – e Madero Burguer & Grill, que iniciou sua expansão internacional em 2015, com restaurantes em Miami e Sidney.  A expansão oferecerá oportunidades aos lojistas, com geração de mais de 7.500 empregos diretos e indiretos.

Desde sua inauguração, em 1983, o shopping Iguatemi passou por duas mudanças: uma revitalização, em 1993, com 60 novas lojas, e uma expansão em 1997, com mais 75 lojas. A trajetória e o bom desempenho do primeiro shopping de Porto Alegre fazem parte da história de urbanização e do crescimento da cidade. O Iguatemi também é Top of Mind – Categoria Shopping Center – há mais de 15 anos.

 

A Global foi a agência de publicidade escolhida pelo Shopping Iguatemi Porto Alegre para essa nova fase. Com larga experiência no varejo e mais de 20 clientes em seu portfólio, a Global está agora à frente da produção criativa do shopping. A agência é a nova parceira estratégica neste período desafiador que é a expansão do empreendimento. “Estamos orgulhosos em fazer parte deste novo ciclo de expansão”, declara Daniel Skowronsky, sócio-diretor da Global.

Global

Equipe da Global – Divulgação

McDonald's lança pão prateado na China

19 de outubro de 2015 2

Por Fernando Naiditch*

pao prata

Imagem: McDonald’s China

Primeiro foi o Burger King com pães pretos e vermelhos (veja matéria no blog) vendidos no Japão. No Halloween deste ano, o Burger King  oferecerá a novidade para o mercado americano. Agora é a vez do McDonald’s tentar inovar e seduzir o consumidor com o pão prateado.

Já que hamburger é sempre a mesma coisa, a moda agora é inovar no pão utilizado. Hamburgers coloridos são a última moda em fast food e tem loja vendendo até um pão rosa para celebrar o mês de outubro, que é o mês da conscientização sobre o câncer de mama. O pão prateado do McDonald’s é, na verdade, um pão cinza. Bem ao estilo chinês, o pão é cozido no vapor. A idéia foi unir o tradicional com uma inspiração futurista. O mercado teste escolhido foi a China e o hambúrger leva o nome de “Moderno Hamburger Chinês.”

A única diferença do sanduiche tradicional é que, ao invéz de carne de boi, o hamburger é feito com carne de porco. Ele ainda leva bacon, alface, e um molho que lembra o Thousand Island e que é uma mistura de ketchup com uma pimenta produzida na província de Sichuan.

Os editores da revista Time Out Beijing disseram que inicialmente se sentiram enojados ao ver o novo sanduiche, mas acabaram se rendendo a novidade depois de provarem o pão e recomendaram o novo hamburger na revista.

A criação, no entanto, não agradou a todos. Vários consumidores têm usado as redes sociais para compartilharem fotos e reacões ao novo hamburger. Títulos como “hamburger ou pedra” têm sido usado para descrever o novo sanduiche.
Se o McDonald’s queria causar sensação, conseguiu, especialmente quando várias redes estão investindo em colorir seus pães. O novo hamburger fica no cardápio das lojas chinesas até o dia 3 de novembro, quando o McDonald’s deve fazer um balanço para decidir se mantém ou não o novo pão em suas lojas.

pao prata3

Imagem: McDonald’s China

 

*Fernando Naiditch é doutor em Educação Multilingue e Multilcultural pela Universidade de Nova York (NYU). Mora em Nova York ha 16 anos e atualmente é professor na Montclair State University.

 

Que tal uma nova forma de beber cerveja?

19 de outubro de 2015 0

Porto Alegre é uma das primeiras cidades do país a receber a linha Draft da Skol, que promete uma nova experiência no consumo da cerveja. Voltada para o público jovem e ousado, a versão Skol Draft usa uma tecnologia avançada, elaborada exclusivamente para deixar a cerveja ainda mais cremosa e na temperatura certa. O equipamento que garante essa experiência possui um design arredondado, em metal prata e toques do amarelo oficial da marca, além de uma torneira personalizada para saída do líquido.

Divulgação

Divulgação 

Para Fernando Campos, Gerente Comercial Regional da Ambev, a novidade certamente será um sucesso na cidade. “Porto Alegre, é uma capital onde o público é antenado, moderno, descolado e ousado. Quando criamos a Skol Draft decidimos festejar essa tecnologia junto com este público, que adora novidades e sabe aproveitar o melhor da vida, de forma intensa”, diz Campos. O lançamento estará disponível ao consumidor, com o preço sugerido de R$ 3,50 com um copo personalizado DRAFT nos principais bares da cidade.

 

Conheça 4 programas de TV imperdíveis para inovadores

16 de outubro de 2015 0

Por Maximiliano Carlomagno*

Aproveitando a onda do Masterchef e do Chefe Espião, este último apresentado como um quadro do programa Fantástico, resolvi analisar e reunir os principais reality shows que podem ser utilizados por empreendedores e inovadores corporativos como inspiração. Saiba quais são eles, como funcionam e o que você pode aprender.

Undercover Boss – design thinking na prática

Como funciona?
O Undercover Boss é um programa televisionado em vários países, inclusive no Brasil. O formato do Undercover envolve um executivo sênior (CEO, Diretor ou Gerente Geral) que, por período determinado, trabalha disfarçado entre colegas de diferentes partes da empresa, para investigar oportunidades de melhoria do negócio e identificar talentos. Cada episódio envolve uma empresa e um chefe que passa entre 1 a 2 semanas no campo sem ser notado. Ao final de cada episódio, o chefe se apresenta sem disfarce para as pessoas com quem trabalhou, fazendo um balanço de sua experiência e reconhecendo cada um de acordo com as necessidades e ambições que identificou enquanto estiveram juntos.

Para quê serve?
O Undercover Boss permite perceber a relevância de viver o chão de fábrica, a linha de frente da empresa e como se colocar imerso na realidade dos funcionários é extremamente útil para ter insights sobre novas oportunidades. Também fica evidente como esse tipo de vivência faz com que profissionais da alta gestão possam identificar novos talentos por vezes escondidos na burocracia e política das grandes empresas.

Boss

 

Shark Tank – startups, pitchs e investidores

Como funciona?

O Shark Tank é uma série de game show norte-americano, que mostra empreendedores fazendo o pitch de suas ideias de negócio a potenciais investidores. Em cada episódio, um grupo de empreendedores apresenta a sua ideia de negócio a um painel de cinco investidores, chamados “tubarões”. No final de cada pitch, os tubarões expõem o seu veredito e colocam as questões que considerem relevantes para a tomada de decisão de investir ou não investir naquela ideia. Em seguida, os investidores decidem se retiram-se do projeto ou se entram com uma oferta de investimento ao empreendedor, geralmente em troca de uma percentagem do negócio e/ou royalties sobre as vendas futuras.

Para quê serve?
O Shark Tank é muito útil para compreender a dinâmica de um pitch para investidores experientes, evidenciando que tipo de questionamentos e análise é feita sobre um potencial negócio. Também oferece ótimos aprendizados sobre como se portar numa negociação.

shark

Kitchen’s Nightmare – gestão de crises e turnaround

Como funciona?
O Kitchen’s Nightmare é um dos programas do superchef Gordon Ramsey. No Kitchens, o Chef é chamado a um restaurante em dificuldades para fazer o turnaround do negócio e coloca-lo novamente no caminho do sucesso. A cada episódio, um novo restaurante é transformado. O chef Ramsey inicia fazendo uma experimentação do cardápio e do serviço para, em seguida, proceder uma conversa com os sócios e conhecer a operação. O programa apresenta situações inusitadas como ratos escondidos junto aos estoques ou mesmo alimentos congelados por meses que são utilizados e vendidos como produtos frescos. Depois de identificar os problemas, Gordon faz uma remodelação na estrutura e arquitetura do restaurante e uma mudança no cardápio. Ao final do episódio, os sócios fazem um balanço e, normalmente, agradecem a Gordon pelas mudanças.

Para quê serve?
A abordagem direta de Ramsey e o desafio de lidar tanto com questões mercadológicas (posicionamento, estrutura e cardápio do Restaurante) bem como organizacionais (relacionamento entre sócios e com equipe) é muito interessante. O reality permite entender como funciona uma intervenção intensa, rápida e profunda para transformar um negócio.

kitchens

Masterchef

Como funciona?

O Masterchef é uma competição entre potenciais chefes de cozinha que disputam um grande prêmio em dinheiro. A cada episódio, um novo desafio, uma nova receita e um trabalho em grupo ou individual que define o vencedor da prova e um eliminado. No Brasil, televisionado pela BAND com a participação de 3 chefs de cozinha reconhecidos como jurados, o Masterchef fez enorme sucesso e trouxe interessantes ensinamentos.

Para quê serve?

Apresenta de forma bem objetiva os desafios de captura de um briefing de um novo projeto (receita definida para o episódio) e a gestão desse projeto no tempo, qualidade e especificações apresentadas. É comum os participantes super sofisticarem seus pratos e serem eliminados por não conseguirem concluir suas receitas ou mesmo entregarem alto distinto do que foi demandado. Além disso, traz ótimos ensinamentos sobre liderança e trabalho em equipe.

Compreender um briefing, gerir crises, trabalhar em equipe, vender e negociar uma nova ideia ou mesmo capturar insights no campo são competências fundamentais para empreendedores e inovadores corporativos. Convide sua equipe e colegas para assistir um capítulo, escolhe seu preferido e converse sobre o tema. Tenho certeza que será muito interessante e útil para o desenvolvimento destas habilidades.

 

Até a próxima inovação

Maximiliano Selistre Carlomagno, colaborador do Mundo dos Negócios na área de inovação, dá dicas e conta o que há de novo sobre o tema nas empresas no Brasil e no exterior. Sócio fundador da Innoscience, Consultoria em Gestão da Inovação, é autor do livro Gestão da Inovação na Prática e do e-book A Prática da Inovação. É mentor Endeavor e presidente do Comitê de Inovação da Amcham.

Revista Playboy dá adeus às mulheres peladas

14 de outubro de 2015 0

Por Fernando Naiditch*

Os tempos realmente estão mudando – pelo menos na redação da famosa Playboy. A partir de 2016, a revista não irá mais trazer aquilo que a consagrou como uma publicação inovadora e que fez do nome Playboy uma marca internacionalmente conhecida: as fotos de mulheres peladas. A decisão foi tomada pelos editores da revista com seu chefe, o playboy em pessoa, Mr. Hugh Hefner.

Playboy

Imagem: chefbenford.com

De acordo com a direção da empresa, agora que a Playboy já atingiu seu objetivo de normalizar o corpo feminino, ao introduzir mulheres em suas páginas na forma em que elas vieram ao mundo, a revista considera sua missão cumprida. Para entender a decisão da Playboy, é importante ressaltar que, quando a revista foi lançada, nos anos 1950, a nudez feminina era ainda um taboo e a Playboy rompeu com barreiras, tradições, e ultrapassou limites morais da época.

A primeira edição da Playboy chegou às bancas de revista em 1953. Hugh Hefner se tornou um campeão na luta pela liberdade sexual numa época em que a América era extremamente conservadora e nudez jamais aparecia em televisão, anúncios ou qualquer outro veículo de comunicação. Para Hefner, a Playboy foi responsável, em parte, por iniciar e desenvolver a conversa a respeito de sexo, liberdade e nudez na sociedade americana.

De lá para cá, nesses últimos 62 anos, muita coisa mudou. A conversa evoluiu e a sociedade acompanhou. A Playboy hoje é muito mais uma marca conhecida pelas famosas orelhas de suas coelhinhas do que pela revista, e acabou criando uma outra indústria de produtos associados à marca que geram muito mais lucro para o grupo Playboy. A revista foi o começo de tudo, mas acabou perdendo sua relevância.

Playboy2

Capa da Playboy de Fevereiro de 2014 Imagem: huffingtonpost.com

Uma iniciativa lançada pelos editores da revista no site playboy.com acabou surpreendendo a todos na redação e, de certa forma, apressou a decisão da Playboy. Dali, os editores retiraram todas as fotos e referências à nudez e investiram pesado em textos e artigos de interesse geral desde sexo e cultura até estilo, moda, humor, vida noturna e entretenimento, além de entrevistas (que sempre foram um dos pontos fortes da Playboy) e vídeos variados. Resultado: a mistura de jornalismo e ficção acabou agradando tanto que os leitores visitaram o site da revista em números jamais vistos. A intenção agora é repetir a dose na edição impressa da revista para atrair um maior número de leitores.

Playboy3

Hugh Hefner, o fundador da Playboy, cercado de duas coelhinhas. Imagem: telegraph.co.uk/Getty Images

Outra motivação da Playboy para retirar a nudez feminina de suas páginas se encontra no efeito do mundo virtual na sociedade moderna. De acordo com o CEO do grupo Playboy, Scott Flanders, a batalha travada pela revista “foi vencida,” especialmente agora que “você está a um clique de qualquer ato sexual imaginável de graça.”

Flanders se refere ao fato da Internet ter transformado aquela sensação que muitos jovens rapazes tinham  –  ler Playboy escondidos de seus pais —  numa coisa do passado. Mais que a Playboy, foi a Internet que acabou banalizando a nudez e a sexualidade. Flanders afirmou ainda que, em função desses novos tempos, a nudez não é mais uma comodidade para a Playboy.

A evidência para sua afirmação também está nos números oficiais de circulação e vendas de revista. De acordo com a Alliance for Audited Media, empresa que divulga circulação de periódicos nos EUA, a Playboy que chegou a vender 5.6 milhões de cópias em 1975, hoje vende uma média de 800 mil.

O novo formato da revista, que chega às bancas americanas em fevereiro de 2016, é considerado um risco, mas como os próprios editores da Playboy explicam, “esta é uma companhia que tem risco no seu DNA. O grupo Playboy foi construído em torno de uma revista que ninguém acreditava que iria dar certo. Agora, é impossível imaginar o mundo sem a Playboy. Nosso jornalismo, arte, fotografia e ficção desafiara normas e expectativas e estabeleceram um novo tom por décadas.”

 

Playboy4

Capa da Playboy de Outubro de 1974 Imagem: pinterest.com

Leia mais matérias interessantes no Blog Mundo dos Negócios- categoria internacional

*Fernando Naiditch é doutor em Educação Multilingue e Multilcultural pela Universidade de Nova York (NYU). Mora em Nova York ha 16 anos e atualmente é professor na Montclair State University.

 

O que as crianças querem?

08 de outubro de 2015 0

Vem aí o Dia da Criança e o Mundo dos Negócios não poderia ficar de fora. Com base em estudos elaborados por Sindilojas e CDL de Porto Alegre, já se pode fazer algumas previsões e dar algumas dicas aos pais, titios e padrinhos que ainda não compraram presentes para os pequenos e que fazem parte dos 41% dos consumidores gaúchos pretendem presentear os menores com idade entre 1 e 4 anos no dia 12 de outubro. Mas vale também para os 29% dos entrevistados que vão presentear as crianças de 5 a 8 anos e outros 18%  que pretendem compram um presentinho para os que têm entre 9 e 12 anos, quase chegando na adolescência. Inclusive, a tradição de presentear jovens de mais de 13 anos será mantida, conforme a intenção de 7% dos consumidores.

Os menorzinhos são os mais presenteados

Os menorzinhos são os mais presenteados

Adivinhe?

Mais uma vez, os brinquedos são o produto mais procurado para presentear as crianças. No ranking apurado pela pesquisa de intenção de compras do Sindilojas e da CDL, o produto representa 48% da preferência dos consumidores. Na segunda posição estão os itens de vestuário, com 19%. E em terceiro lugar aparecem os eletrônicos, com 7%.

brinquedos

E se você é daqueles que deixam tudo para a última hora ou realmente não teve tempo para comprar o presente do Dia das Crianças, relaxe. Na próxima segunda-feira, 12 de outubro, dia em que se comemora também o feriado de Nossa Senhora Aparecida, as lojas de rua e de shopping da Capital poderão atender com empregados.

No entanto, para abrir seu estabelecimento, o lojista deve ter assinado a declaração de opção pelo trabalho em feriados e possuir a certidão de regularidade sindical emitida pelo Sindilojas e pelo Sindicato dos Empregados no Comércio de Porto Alegre – SINDEC. Esta indicação vale para todos os feriados deste ano, exceto para o dia 25 de dezembro, Natal, conforme acordado na Convenção Coletiva de Trabalho.