Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Empresas se destacam no RS apesar da crise

26 de fevereiro de 2016 0

Nem só de más notícias vive a nossa sofrida economia.’Mundo dos Negócios’ procurou, e encontrou, boas novas de empresas que atuam no Rio Grande do Sul. A Vinícola Salton, por exemplo, ampliou sua participação no mercado brasileiro. Líder no segmento de espumantes há 10 anos, a empresa foi reconhecida nesta edição do Prêmio Líderes de Vendas 2016, concedido pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), pelo empenho e avanço em diferentes regiões brasileiras, especialmente com seus rótulos de espumantes.

Além disso, no segmento de vinhos, a empresa comemora o avanço na colocação em cinco regiões classificadas no ranking da Abras (levantamento realizado pela AC Nielsen). “ Continuaremos em busca da conquista de liderança em novas áreas e também desejamos manter a excelência nas regiões que já conquistamos”, diz o diretor nacional de Vendas da Salton, Cleber Slaifer.

Primeira vinícola centenária do país (tem 105 anos), a empresa familiar firmou-se como líder no mercado de espumantes nacionais e expressiva produtora de vinhos. Em seu portfólio, apresenta linhas premium, de série limitada e garrafas numeradas. A unidade no distrito de Tuiuty, em Bento Gonçalves/RS, é referência na elaboração de espumantes e frisantes no mercado brasileiro e responsável por alguns dos vinhos mais premiados do País. Além da sede na serra gaúcha, possui outras duas unidades: uma localizada em Jarinu (SP), na qual funciona uma planta piloto para desenvolvimento de produtos e aplicação de novas tecnologias – projeto que contempla a elaboração de produtos na categoria hard e soft drinks. E outra em Santana do Livramento (RS), onde se produz uvas Pinot Noir e Chardonnay.

Foto fachada - Site da empresa

Foto Fabiano Mazzotti

A Suspensys, empresa do Grupo Randon, de Caxias do Sul, reconhecida como uma das maiores fabricantes mundiais de suspensões e componentes para veículos comerciais acaba de ser distinguida pela Volvo com o Prêmio Internacional Supplier Awards 2016, mérito conferido pela empresa aos seus melhores fornecedores mundiais. A cerimônia de entrega dos certificados ocorreu esta semana, na Suécia, sede da Volvo. A  Suspensys,   fornecedora de suspensões, eixos, cubos e tambores para a Volvo, é a única empresa da América do Sul indicada à premiação. As demais fazem parte dos continentes Europeu e Asiático. “Nossa missão é evoluir constantemente, entregando produtos e serviços de excelência. Fornecemos soluções inovadoras e queremos avançar ainda mais no desenvolvimento de novas tecnologias e processos que nos mantenham no ranking das empresas de classe mundial”, diz Esdânio Pereira, diretor da empresa.

Suspensys

Da esquerda para a direita, Jair Storckmann (Sourcing Buyer da Volvo), Patrik Lunblad, (Vice President of Purchasing da Volvo Group) e Esdânio Pereira, diretor da Divisão Suspensões das Empresas Randon Crédito: Volvo Group

A Randon S.A. Implementos e Participações também recebeu um prêmio, o Top of Mind do Transporte, na categoria Implemento Rodoviário, outorgado pela Revista TranspoData, espcializada no segmento. A premiação tem por objetivo reconhecer publicamente as marcas preferidas pelos caminhoneiros do Brasil, em 15 categorias, a partir de mais de duas mil entrevistas realizadas ao longo do mês de dezembro de 2015, em diversas regiões do país. O levantamento foi realizado em parceria com o TruckPad, aplicativo para busca de frete em operação no território nacional, e os resultados foram apurados pela IPSOS, empresa de pesquisa e estudos de mercado do Brasil.

Maior fabricante de reboques e semirreboques da América Latina e entre os maiores do mundo, a Randon S.A., desde 1949, fabrica diferentes tipos de equipamentos entre semirreboques, reboques e carrocerias e vagões.

 

A Unidade de Petroquímicos Básicos da Braskem ,em Triunfo, comemorou recorde de produção em 2015. A produção somada de eteno, propeno, butadieno, gasolina e MTBE foi de 3.437.624 toneladas no ano, superando em 220 mil toneladas o recorde anterior.
O eteno, principal matéria-prima para a indústria do plástico, teve produção de 1.242.814 toneladas, superando a maior marca até então alcançada em 2006, de 1.209.903. A confiabilidade das plantas foi um dos fatores determinantes para a máxima performance. Em 2015, a taxa de ocupação das plantas na produção de eteno foi de 97,60%.

O desempenho ajudou a Braskem a registrar também um recorde na movimentação de petroquímicos básicos – como eteno, butadieno, solventes – e matérias-primas entre o Terminal Santa Clara, localizado próximo ao polo petroquímico de Triunfo, e o Porto de Rio Grande, tendo a Lagoa dos Patos como rota principal. No total, foram transportadas pela lagoa cerca de 750 mil toneladas de carga, o equivalente a mais de 20 mil caminhões fora da estrada. O último recorde, registrado em 2014, foi de 720 mil toneladas.

O transporte foi realizado por barcaças e navios de bandeira estrangeira que fazem operações exclusivas para a Braskem. O terminal da empresa em Rio Grande recebeu em 2015 mais de 450 atracações, outro recorde registrado neste ano. “Esse resultado se deve ao incremento das exportações, especialmente de eteno – 60 mil toneladas –, que registrou um aumento de cinco vezes ao normalmente exportado”, afirma João Batista Dias, responsável pela área de Logística da área de Petroquímicos Básicos da Braskem no RS.

A movimentação no volume de resinas plásticas também foi expressiva no período. Em 2015, 1,344 milhão de toneladas foram enviadas para todo o Brasil e outras 550,5 mil toneladas para o mercado internacional. Nesse caso, os modais utilizados foram o rodoviário, cabotagem e marítimo.

Planta Triunfo - Site da empresa

Planta Triunfo – Site da empresa

O caso da Grendene – uma das maiores fabricantes mundiais de calçados – que mesmo com queda de 1,4% na receita líquida registrou lucro operacional (EBIT) ajustado de R$ 454,7 milhões, crescimento de 13,7% versus o ano anterior, mostra que, com alguns ajustes, é possível manter um bom resultado mesmo em momentos de crise. Em ano desafiador para a economia, a companhia apresentou melhoras em todas as margens. “Continuamos batendo recordes de produtividade e controlando os custos e despesas de forma a nos tornarmos cada dia mais eficientes”, declara Francisco Schmitt, diretor Financeiro e de Relações com Investidores da Grendene.

De acordo com o executivo, estes resultados devem ser analisados tendo em mente que a empresa estima que o consumo de calçados no Brasil teve queda entre 8% e 10% e a Grendene apresentou uma queda no volume de pares vendidos de 12% – em grande parte compensada pelo aumento nos preços unitários de 9,9%, o que resultou em queda na receita líquida de 1,4%.Nos últimos seis anos, o consumo aparente de calçados no Brasil caiu 1,6% ao ano, mas  a Grendene cresceu suas vendas em número de pares em 3,2% a.a., superando o mercado e apresentando importantes ganhos no market share em todas as linhas que atua.

O mercado externo segue contribuindo para os bons resultados e a Grendene se manteve na liderança das exportações do setor pelo 13º ano consecutivo, com 37% do volume total de pares de calçados brasileiros exportados (45,9 milhões de pares). Favorecida por taxas de câmbio melhores e com a estratégia de fugir da exportação de “commodities”, a empresa se deu bem.

O executivo avalia que em 2016 o aumento de margens terá que vir mais uma vez do aumento na produtividade e racionalização de custos uma vez que do aumento de volumes será difícil. O desafio será continuar a atender às expectativas dos consumidores com produtos que caibam em seu orçamento.

 

Ipanema, da Grendene - Site da empresa

Ipanema, da Grendene – Site da empresa

O último exemplo diz respeito ao comportamento do consumidor gaúcho, o que mais economiza sacolas plásticas no Sul do país. Pelo menos é o que apurou um levantamento dos supermercados Big e Nacional realizado nos últimos seis anos. Os gaúchos reduziram em quase 39 milhões o número de sacolas plásticas utilizadas em seus pontos de venda no Rio Grande do Sul. Com a ação, que oferece desconto de R$ 0,03 para cada sacola não utilizada, a rede concedeu, no Estado, um total de R$ 1.168.401,24 em descontos aos clientes.

Segundo o levantamento da rede, o Rio Grande do Sul foi o campeão na economia de sacolas plásticas na Região, à frente do Paraná e de Santa Catarina. Em nível nacional, o programa “Cliente Consciente Merece Desconto” concedeu R$ 6 milhões em descontos, o que representa um total de 211milhões de sacolas plásticas fora de circulação.

Envie seu Comentário