Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Gerir é preciso. Sair da crise é preciso

22 de julho de 2016 0

Hoje o Blog traz um artigo do diretor do curso de Administração da ESPM-SUL sobre gestão em tempos de crise.

Por Roberto Salazar*

foto_1903

Roberto Salazar – foto de Marcelo Amaral

De tempos em tempos somos assolados por alguma crise. Estas são cíclicas. Desde os tempos, talvez, da descoberta deste país. Vivemos quase como malabaristas numa corda bamba. Ora nos equilibramos de um lado, ora de outro. Temos apenas uma certeza: podemos cair a qualquer momento. E, provavelmente, lá embaixo não haverá rede para nos segurar. É em momentos como esse que saltam ideias mirabolantes, criam-se conceitos temporários. Busca-se reduzir custos. Evita-se gerar novas despesas. Reduz-se pessoal. E, por fim, atribui-se ao mercado e ao cliente, em outra medida, problemas para encerrar as atividades e fechar a empresa. Alguns empresários se recorrem a manuais (aliás, fartos, hoje em dia) de sobrevivência do seu negócio. Por vezes, gastam mais tempo e dinheiro com consultorias externas e com projetos “inovadores”, do que em analisar sua forma de gerir o seu próprio negócio. Por vezes, só lembram do apoio externo quando as coisas perderam o rumo. E é este o grande ponto que resulta em importantes questionamentos. O que tenho feito para melhorar a gestão da empresa ao longo da sua existência? Como tenho analisado as mudanças de mercado? Quais são os principais sinais da necessidade de mudanças? Tenho observado, ao logo de mais de 25 anos de experiência, circulando entre o meio acadêmico e as atividades da minha empresa de consultoria, que o grande problema das empresas de diversos portes é a ‘Gestão’. A falta de planejamento, aliada à pequena procura por acrescentar novos modelos de gestão diferenciados, tem feito vítimas e mais vítimas empresariais. O sucesso que trouxe a empresa até os dias de hoje, não garante o sucesso de amanhã. Tenho conectado com empresários que resistem (especialmente em empresas de origem familiar, base considerável na economia gaúcha), a fazer a “lição de casa”. Perdem mais tempo buscando explicações para sua falta de visão sobre as mudanças pelas quais o mundo vem passando, do que realmente pensar sobre o seu negócio. A velocidade que os jovens tem no acesso a novas tecnologias, certamente, base de seus consumidores hoje ou amanhã, pouco tem sido reconhecida. Não gostaria de listar uma receita de bolo, até porque não existe isto. Mas, faz-se necessário observar alguns elementos cruciais neste processo: – Não se dobrar a modismos temporários de gestão de curto prazo; - Buscar atualização constante, incluindo aplicar conteúdos acadêmicos e de pesquisas sérias no seu negócio; - Estar aberto a entender o comportamento do consumidor: - Analisar profundamente impactos, em nível de legislação, que possam provocar riscos futuros; - Elaborar um plano de Gestão de Pessoas robusto que atraia e mantenha talentos na empresa; - Aceitar as mudanças deste tempo em que vivemos; - Planejar, planejar e planejar. Assim, é premente, colocar a cabeça no negócio e parar de reclamar da sorte. Afinal, gerir é preciso! E sair da crise, mais ainda! * Roberto Salazar é Mestre em Administração e Negócios. Diretor do Curso de Administração da ESPM-SUL, é membro da Câmara de Ensino do CRA-RS, Representante Regional da ANGRAD (Associação do Cursos de Graduação em Administração) e Sócio- Diretor do CFT – Centro de Formação e Treinamento.

Envie seu Comentário