Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Thumbnail

Atual momento impacta gestão e qualidade

Mundo dos Negócios convidou Luiz Ildebrando Pierry,  Secretário Executivo do Programa...

Thumbnail

É hora de reinventar o comércio

No Zoom Inovação no Varejo, promovido pela CDL Porto Alegre, foram compartilhadas...

Thumbnail

Sabores da cozinha internacional chegam à batata frita

Por Fernando Naiditch* Já parou pra pensar como levar o...

Thumbnail

Primavera traz boas notícias

Notícias ruins têm sido maioria nos últimos tempos, especialmente no...

Thumbnail

É hora de reinventar o comércio

No Zoom Inovação no Varejo, promovido pela CDL Porto Alegre, foram compartilhadas...

É hora de reinventar o comércio

29 de setembro de 2016 0
CDL

Zoom do Varejo – Fotos de João Alves

No Zoom Inovação no Varejo, promovido pela CDL Porto Alegre, foram compartilhadas ideias sobre novas práticas no comércio. Sempre buscando atender melhor a clientes cada vez mais conectados e com tempo escasso, os negócios do século 21 entram na era da experimentação ágil para aprender com os erros e acertos.  “Durante décadas, foi a indústria que puxou a economia no mundo, e toda inovação partia dela. No final dos anos 90, o setor de serviços tomou frente nas mudanças e agora é a vez do varejo”, diz Alcides Debus, presidente da CDL POA. Por isso, é tão importante discutir como corresponder, ou até mesmo superar, às expectativas dos consumidores.

Veja o que disse o presidente da Livraria Cultura, Sergio Herz:

Começamos a vender eletronicamente em 1994 e, no ano seguinte, lançamos o nosso site. Desde então, percebemos o quanto a loja física foi perdendo vantagem diante da virtual e buscamos fazer com que nossos clientes tenham uma ótima experiência, tanto nos nossos espaços físicos, quanto no online. Assim, procuramos sempre brincar com nossos clientes e não nos tolher nas oportunidades. Temos restaurantes, cozinhas e pretendemos criar um parque de diversões em uma de nossas unidades. Realizamos mais de 4 mil eventos no ano passado e abrimos nossas portas até para um casamento”, destacou.

cultura

Livraria Cultura – Divulgação

A Diretora de Produto da Ancar Ivanhoe, Mariana Carvalho, falou sobre a relação das pessoas com os shopping centers. Segundo ela, as ferramentas digitais ajudam muito no processo de se criar uma experiência positiva aos visitantes. “Hoje, podemos traçar um perfil individualizado do nosso consumidor e proporcionar a ele tudo que busca nos nossos espaços. Os nossos shoppings oferecem muito mais do que entretenimento e consumo, temos hotéis, academias, universidades, torres comerciais, espaços de coworking, entre outros. Queremos facilitar a vida do cliente. Além disso, criamos ações como shows em praças de alimentação e desafios de Pokémon Go. O resultado impacta nas vendas, no fluxo e na comunidade”, disse ela.

O diretor de Marketing e Vendas das Lojas Lebes, Otelmo Drebes Junior, relatou cases de ações de relacionamento com os clientes e colaboradores e falou sobre o desafio de motivar equipes e aproximar o consumidor de um modelo de negócio versátil. “Vendemos móveis, eletrônicos e roupas, dessa forma, estamos presentes na vida das pessoas de várias formas. Acreditamos que a inovação precisa atender às necessidades de alguém e é assim que buscamos facilitar a vida de todos, buscando impactar o público de alguma maneira. Temos, por exemplo, um aplicativo interno que nos permite agilizar os processos e fazer com que o cliente, ao entrar na loja, tenha suas necessidades rapidamente atendidas”.

lebes

Imagem ClicRBS

O CTO e co-criador do Luizalabs (área de Inovação do Magazine Luiza), André Fatala, contou:  “O nosso e-commerce, atualmente, representa 25% das nossas vendas. Sendo assim, temos consciência da importância dos nossos canais de venda online, sempre estendendo as novidades para as lojas físicas. Para começar, precisamos trocar toda a base tecnológica, a partir daí, tivemos carta-branca para criar. Uma das nossas principais inovações foi a ideia de utilizar o princípio da venda direta para nossos produtos. Abrimos a plataforma em 2012, e conseguimos a adesão de 10 mil lojas virtuais, em três semanas”.

Conheça algumas das dicas dos palestrantes:

1) Estar atento ao dia a dia do negócio, sempre observando o fluxo de caixa.

2) Estar aberto para perceber o que o cliente pensa da loja, vestir o sapato do cliente e circular com os olhos de quem entra ali para consumir.

3) Analisar os dados levantados sobre o consumidor, aumentar a percepção sobre o que as pessoas buscam na loja.

4) Não deixar as ideias morrerem. O Google tem uma ferramenta chamada Design Sprint que pode ajudar.

5) Aprender com os processos e não ter medo de errar.

6) Motivar a equipe proporcionando conhecimento. Ensinar a cultura da loja.

7) Criar áreas de experimentação e tirar da cabeça o impacto negativo das experiências que não deram certo.

8) Buscar a percepção das pessoas que lidam diretamente com o público do seu negócio.

9) Fazer o setor administrativo ajudar e não apenas cobrar.

10) Mostrar para as pessoas quais são os seus objetivos e deixar que elas criem. Descentralizar a criação.

11) Proporcionar um choque de cultura interna e não ter medo de causar conflitos produtivos.

12) Motivar a equipe, desafiando-a e mexendo com seus sentimentos.

13) Lembrar que boas ideias podem vir de qualquer parte.

14) Ir lá e fazer. Executar e não ficar só no planejamento.

15) Cuidar para não transformar tendência em pendência. As tendências ficam velhas.

16) Lembrar que a transformação digital começa com mais pessoas.

17) Enxergar os erros nos pontos de vendas: nas suas próprias lojas e na concorrência.

 

 

ABRH premia melhores em Gestão de Pessoas

28 de setembro de 2016 0

 

ABRH1

Os vencedores Foto de Cirineu Brauner

A Associação Brasileira de Recursos Humanos, Seccional Rio Grande do Sul (ABRH-RS) entregou os prêmios Top Ser Humano 2016 e Top Cidadania 2016 a 34 agraciados – 28 no Top Ser Humano, e seis no Top Cidadania e prestou homenagem ao diretor-presidente da Stemac, Jorge Luiz Buneder, como Personalidade Top Ser Humano.

O Top Ser Humano é uma das premiações mais cobiçadas do país na área de Gestão de Pessoas. É o reconhecimento aos indivíduos e organizações que valorizam o Ser Humano como diferencial estratégico para o crescimento. Realizado desde 1993, foi criado para reconhecer as empresas e profissionais que apresentam as melhores práticas na área de gestão de pessoas. Durante estes 23 anos, já foram premiados 430 cases em todo o Estado, com a participação de organizações de diversos segmentos e 18 personalidades que se destacam por suas ações em prol da responsabilidade social e gestão de pessoas do Rio Grande do Sul.

O prêmio Top Cidadania, criado em 2001, reconhece as ações sociais realizadas pelas organizações na comunidade gaúcha, contribuindo para o incentivo dos investimentos sociais nas empresas do Estado. A distinção é dada às empresas e instituições sem fins lucrativos que desenvolvem projetos de investimento social que beneficiam a comunidade externa à empresa. Ao total, 163 cases que apresentam as ações sociais realizadas já foram vitoriosos.

Através destes reconhecimentos, a ABRH-RS quer promover um movimento contínuo e positivo no mercado, inspirando outras empresas a implementarem boas ideias na área da responsabilidade social e valorizando o trabalho de seus colaboradores.

OS VENCEDORES 2016

TOP SER HUMANO 

Personalidade

JORGE LUIZ BUNEDER – Presidente da StemaC

Mérito

AESC – Hospital Mãe de Deus
Hospital Moinhos de Vento
Indústria de Plásticos HERC

Organização

Auxiliadora Predial
Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A
Celulose Irani
Centro Clínico Gaúcho
CIGAM Software Corporativo SA
Colégio Marista Rosário
Cotrijal Cooperativa Agropecuária e Industrial
Eaton LTDA
Grendene S/A
Grupo Sabemi
Hospital de Clínicas de Porto Alegre
Hospital Ernesto Dornelles
Indústria de Plásticos HERC
Lojas Pompéia
Melnick Even Incorporação e Construção
Safe Park
SLC Agrícola
STIHL Ferramentas Motorizadas LTDA
Ticket Log
Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul
Triunfo Concepa
Unimed Erechim
Unimed Noroeste/RS
Unimed Porto Alegre
Weatherford Ind. e Com. Ltda

Conhecimento

Josiane Nunes Pinto

TOP CIDADANIA

Organização

Banco de Tecido Humano-Pele/Fundação Gaúcha dos Bancos Sociais
Eaton LTDA
Fundação Francisco Xavier Kunst
Melnick Even Incorporação e Construção
SIMERS, Sindicato Médico do Rio Grande do Sul
Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS

Para o presidente da ABRH-RS, Orian Kubaski, o Top Ser Humano e o Top Cidadania formam uma marca que consagra empresas, organizações e pessoas que sabem como fazer gestão de pessoas. “A distinção colabora para o aprimoramento da qualidade de vida das pessoas e do desempenho profissional”, afirma Kubaski.

A Personalidade Top Ser Humano 2016, o diretor-presidente da STEMAC, Jorge Luiz Buneder, recebeu a distinção por sua atuação como líder na promoção de ações voltadas para uma melhor Gestão de Pessoas e pelo constante apoio ao desenvolvimento humano dentro da organização.  “Jorge Luiz Buneder é um grande líder e a sua atuação contribuiu para o desenvolvimento e reconhecimento mundial da STEMAC. Além disto, está à frente de diversos trabalhos filantrópicos com o objetivo de dar novas chances para as pessoas. Alguém com a história de Buneder é, extremamente, merecedor do Personalidade Top Ser Humano”, justifica.

Buneder

Jorge Luiz Buneder – Divulgação

Buneder assumiu a direção da, então, importadora de peças e acessórios de automóveis, Sociedade Técnica de Máquinas e Acessórios – STEMAC, em 1964, com 18 anos. Em apenas três anos, ele assumiu a presidência e ficou até hoje, após 52 anos. Mediante o trabalho exercido, Buneder levou a STEMAC à liderança nacional do segmento de Grupos Geradores, posição que ocupam há 20 anos. Buneder acredita que o empresário, verdadeiramente, engajado e comprometido com a área de responsabilidade social, deve atuar proativamente, não como uma simples formalidade empresarial focada no marketing da empresa. Sua atuação marcante em iniciativas sociais em nosso Estado, já lhe renderam diversas distinções, entre elas como Empresário do Ano pela AGAS, e agora o Top Ser Humano, da ABRH-RS.

Sobre a ABRH-RS

Referência nacional entre as seccionais da ABRH Nacional, a Associação Brasileira de Recursos Humanos – RS acumula 43 anos de atividades no Rio Grande do Sul. Com mais de 1,7 mil associados, a entidade atua com foco na capacitação e qualificação profissional, por intermédio de cursos e eventos realizados durante todos os meses do ano. Realiza eventos técnico-científicos como o CONGREGARH, fóruns de liderança, relações trabalhistas, bem como pesquisas relacionadas à gestão de pessoas.

 

Primavera traz boas notícias

27 de setembro de 2016 0

Notícias ruins têm sido maioria nos últimos tempos, especialmente no Rio Grande do Sul. Hoje, o Mundo dos Negócios reúne algumas novidades bacanas que mostram que nem tudo está perdido. A primavera trouxe, por exemplo, sinais de melhora para o comércio. A troca de estação, na última quinta-feira (22), apontou uma mudança de perspectivas. “Ainda vivenciamos uma recessão econômica, mas há sinais de melhora. Este é um momento de projeções positivas e esperamos que o comércio comece a sair da crise a partir de agora, apesar de sabermos que este será um processo lento”, diz Alcides Debus, presidente da CDL Porto Alegre.

Um dos indicadores observados comprova que a intenção de compra cresceu 4,1% em setembro, na comparação com agosto. O dado é medido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). “Acreditamos que, com a retomada gradual da estabilidade econômica, haverá também a retomada do consumo. Já percebemos que os clientes estão mais receptivos e começam a responder às ações promovidas pelo varejo para ampliar as vendas”, afirma Debus. Alguns lojistas da Capital gaúcha já informaram um crescimento acima de dois dígitos nas vendas da primeira quinzena de setembro. Entre os segmentos que mais cresceram estão vestuário e ótica.

play

As vendas para o Dia das Crianças também devem ajudar. Elas devem movimentar mais de R$ 62 milhões em Porto Alegre. Em 2015, a data injetou R$ 59 milhões no comércio da Capital. Conforme pesquisa do Sindilojas Porto Alegre, o ticket médio será de R$ 82,93, enquanto que em 2015 o valor gasto pelos consumidores foi, em média, R$ 78,03.

Em novembro, o Grupo DiPaolo inaugura uma nova unidade do seu restaurante no Bourbon Shopping Wallig. O novo espaço, com capacidade para 150 pessoas, irá atender no primeiro andar do shopping. Tendo como tradição o rodízio, o cardápio do Casa DiPaolo conta com o típico galeto al primo canto, que há 11 anos consecutivos é eleito como o melhor galeto do Brasil segundo o Guia Quatro Rodas.Esta será a segunda operação Casa DiPaolo em Porto Alegre. A marca passa agora a contar com dez restaurantes no Rio Grande do Sul e um em Santa Catarina.

DiPaolo

O Centro de Tecnologia e Inovação (CTI) da Braskem em Triunfo, um dos mais modernos núcleos de pesquisa em Polímeros da América Latina, serviu de referência e inspiração para a construção do Centro Tecnológico del Plástico (CTPlas), que servirá para capacitação técnica no Uruguai – semelhante ao que é o SENAI no Brasil. Recentemente, três representantes da Câmara das Indústrias do Uruguai (CIU), da Associação Uruguaia das Indústrias do Plástico (AUIP) e da faculdade de engenharia da Universidade da República estiveram no CTI para conhecer de perto a estrutura e o sistema de gestão do local.

braskem

O modelo utilizado pela Braskem servirá de inspiração para implementação do centro de capacitação especializado em plásticos no país vizinho. “O desenvolvimento de um centro no Uruguai permitirá a qualificação técnica operacional, o desenvolvimento e o crescimento da cadeia de transformação local”, afirma Hugo Yep, responsável Comercial da Braskem pela região PUB (Paraguai, Uruguai e Bolívia).

A Braskem é a líder no fornecimento de resinas de polietileno (PE) e polipropileno (PP) para a cadeia de transformação plástica do Uruguai. A próxima inciativa de apoio será o seminário técnico sobre plástico, que será ministrado pela Braskem em novembro deste ano para o público local, em Montevidéu.

Pepsi - Divulgação

Pepsi – Divulgação

Em 2016, a Pepsi está celebrando a Semana Farroupilha em grande estilo. A marca lançou uma série inédita de latas comemorativas, que serão comercializadas apenas no Rio Grande do Sul. O projeto, chamado #PepsiTchê, é uma homenagem da marca ao estado que representa a porta de entrada da marca no Brasil e, além das latas, contempla também um hotsite feito para contar a história da bebida no Rio Grande do Sul e a importância que o povo gaúcho tem para a chegada do refrigerante no Brasil.

“Nossas histórias se confundem, afinal de contas, por muitos anos, acreditou-se que a Pepsi havia sido criada no Rio Grande do Sul”, diz Guilherme Marangon, gerente de marketing da marca no Brasil e idealizador do projeto. Curiosidades como o empreendedorismo do português Heitor Pires, o “Mr. Pepsi”, responsável pela primeira fábrica do refrigerante no Brasil, a expansão da marca por todo o Estado, a ligação com a cultura gaúcha e até mesmo os novos “frutos” desse relacionamento, como o Pepsi On Stage – casa de shows proprietária da marca no país – e o Pepsi Twist Land™ – evento de verão que já tem segunda edição confirmada para 2017 –, são retratados nas latas de maneira divertida e irreverente.

Além de reunir os 13 desenhos exclusivos que estampam as latas comemorativas, o hotsite www.pepsi.com.br/tche conta com uma música especialmente composta para a homenagem e que tem tudo para virar um sucesso. “Buscamos artistas gaúchos para a composição e queríamos que a música fosse facilmente memorizada e reconhecível pelo público gaúcho. A voz marcante do Carlinhos Carneiro, vocalista da banda Bidê ou Balde, cumpre esse papel perfeitamente. A letra é de autoria de Edu Santos e a música é assinada por Bibiana Petek”,  diz Guilherme.

Além da música, o hotsite disponibilizará um aplicativo para quem deseja aprimorar o gauchês. “Trata-se de uma ferramenta que troca termos presentes em sites por outros tradicionalmente gaúchos”, explica o gerente de marketing.

Zoom do Varejo apresenta casos inéditos de inovação 

Focada em inovação, a próxima edição do Zoom do Varejo, promovido pela CDL Porto Alegre, traz para a capital gaúcha cases nacionais. O evento será realizado na quinta-feira, 29, das 8h30min às 12h, no Teatro CIEE (Rua Dom Pedro II, 861), na Capital.

Palestras:

Mariana Carvalho, diretora de Produto da Ancar – ‘Inovação em shopping centers: para onde o segmento está se encaminhando’.

Otelmo Drebes Jr., diretor de Marketing e Vendas das Lojas Lebes – “O que uma das maiores redes de varejo do Brasil, segundo levantamento recente feito pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo, faz de inovador em seu negócio”.

Sergio Herz, presidente da Rede de Livrarias Cultura – “Como a Livraria Cultura está revolucionando o sistema de precificação baseado no relacionamento de seus consumidores com a marca e produtos vendidos”.

André Fatala, CTO e co-criador do Luizalabs (área de Inovação do Magazine Luiza) -”Como transformar acontecimentos inesperados em ganhos para a marca”.

 

 

 

Ambev faz campanha por consumo responsável

26 de setembro de 2016 0

atransito

Durante todo este mês, a Ambev está desenvolvendo diversas ações com o objetivo de conscientizar seus parceiros e consumidores sobre a proibição da venda de bebidas alcoólicas para menores de 18 anos e de não consumir em excesso ou associado à direção. A ideia é colaborar para uma cultura de consumo inteligente de bebidas alcoólicas no país. A Ambev está desenvolvendo diversas ações para colaborar para um trânsito melhor. A cervejaria faz a campanha anualmente e esta é a sétima edição.  A principal ação ocorreu no dia 16 de setembro, com o Dia da Responsa: “O nosso grande desafio é fortalecer no país a cultura da moderação. Na Ambev, temos um mantra que sempre repetimos e que vale reforçar novamente: não nos interessa o lucro proveniente do consumo indevido de nossos produtos”, afirma Bernardo Paiva, presidente da Ambev.

DIA

O Dia de Responsa, criado pela companhia no Brasil para promover o consumo inteligente de bebidas alcoólicas, também foi adotado pela Anheuser-Busch InBev (ABI), grupo do qual a Ambev faz parte, e é comemorado em outros 24 países onde a empresa atua. Em todo o país, a cervejaria mobilizou mais de 32 mil funcionários. Em todas as operações da ABI, mais de 155 mil pessoas estiveram envolvidas.

Somente no Rio de Grande do Sul, 1.982 colaboradores percorreram 42,5 mil pontos de venda como bares, restaurantes e supermercados para reforçar a importância de cumprir a lei que proíbe a venda de bebidas alcoólicas para menores de 18 anos, de não consumir em excesso ou associado à direção.

ambev

Dia da Responsa- Porto Alegre – Divulgação

 

Em Porto Alegre, a mobilização teve início no auditório da Maltaria Navegantes, com a presença do prefeito José Fortunati, o secretário municipal de Esportes Paulo Ricardo Virgínio; secretário municipal de Direitos Humanos Wilson Pastorini e Joana Braga, representando a Secretaria de Turismo de Porto Alegre, além do gerente comercial de Porto Alegre e Grande Porto Alegre, Carlos Augusto Vargas e o representante de Relações Corporativas Felipe Taufik Daud. O grupo percorreu pontos de venda localizados no Centro Histórico de Porto Alegre, reforçando o compromisso da cervejaria com o consumo responsável de álcool entre público e comerciantes.

Na Região Metropolitana da capital, a Caravana Na Responsa, realizada em parceria com a Assistência Social Santa Isabel (ASSI), ofereceu uma tarde cultural e interativa com 300 jovens em Viamão, próximo à unidade fabril de Águas Claras do Sul. O projeto é realizado desde 2012 em parceria com colaboradores da fábrica e consiste em promover atividades preventivas para crianças e adolescentes entre seis e 17 anos de escolas públicas da cidade, evitando o consumo indevido de bebidas alcoólicas. A estimativa da ASSI é de que mais de 2 mil pessoas sejam impactadas indiretamente pela ação.

 

Dia da Responsa - Divulgação

Dia da Responsa – Divulgação

Para a campanha nacional a cervejaria contou com o apoio dos “MCs de Responsa”, do projeto da ONG Gerando Falcões. O rapper Lê Maestro e a MC Tuxa compuseram a música “Jovens de Responsa” para alertar sobre os perigos do consumo de álcool em excesso, por menores de 18 anos, e associado à direção.

A letra foca, principalmente, na importância do jovem agir com responsabilidade em todas as etapas da sua vida. Os versos reforçam, por exemplo, que valores como a “consciência, atitude, coragem”, aliados a uma atitude de “responsa”, são combustíveis para o sucesso.

O rapper de 26 anos, nascido no extremo leste de São Paulo, ressalta a importância do consumo da bebida com inteligência. “A bebida pode causar problemas quando consumida do jeito errado. E, às vezes, o jovem, ou a população, não tem noção disso”. Lê Maestro está na Gerando Falcões desde sua fundação, em 2011. De lá para cá, a ONG já alcançou mais de 300 mil alunos de escolas de favelas e periferias de todo o país para falar sobre a importância da educação.

Na opinião da MC Tuxa, as empresas precisam ter um papel claro para garantir que produtos, como a bebida alcoólica, sejam consumidos de maneira consciente. “É bacana quando uma empresa como a Ambev assume uma posição assim. Ajuda muita gente a ver que a causa é séria e a questão do consumo inteligente é realmente importante”.

Além da parceria com a Gerando Falcões, a Ambev mobilizou uma extensa rede de parceiros – entre artistas, personalidades da web, associações e atletas – para comemorar o “Dia de Responsa”. O programa de consumo inteligente da cervejaria já realizou parcerias com universidades, centros de pesquisas, redes de supermercados, bares, restaurantes, sindicatos, governos, órgãos de trânsito, aplicativos de táxi, sociólogos, psicólogos, especialistas em saúde, artistas, jogadores de futebol, influenciadores digitais e ONGs.

ambev1

PROGRAMA AMBEV DE CONSUMO RESPONSÁVEL

 

Desde o lançamento do Programa Ambev de Consumo Responsável, em 2013, a empresa já desenvolveu uma série de iniciativas para evitar que menores de 18 anos consumam bebidas alcoólicas, que as pessoas bebam e dirijam ou que consumam em excesso. A companhia está alinhada com a Organização Mundial de Saúde, que definiu essas três prioridades para nortear as ações de combate ao uso indevido de bebidas.

Um importante exemplo da eficiência do esforço conjunto pela prevenção do consumo por menores de 18 anos é o Cidade Responsável, projeto pioneiro da Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil), da qual a Ambev faz parte. Em prática há dois anos em São Bernardo do Campo (SP), o programa tem como base seis pilares: educação, saúde, comunidade, compra e consumo, parcerias e comunicação. Com o apoio da prefeitura, secretarias municipais, redes de ensino, hospitais, e dos sindicatos regionais de bares, restaurantes, supermercados, hotéis e lojas de conveniências, o projeto é um verdadeiro trabalho em rede em prol do consumo inteligente em todo o município.

Outra importante ação em rede é o Na Responsa!. Por meio da cultura, do esporte e do lazer, o projeto forma uma juventude mais saudável e consciente. O programa da Ambev atua em parceria com ONGs no Brasil para conscientizar famílias e jovens menores de 18 anos em comunidades de baixa renda. Desde 2010, o Na Responsa! já impactou mais de 22 mil jovens, capacitou 7 mil líderes comunitários e educadores, e reuniu mais de 158 mil pessoas em eventos e programas de conscientização. Todas as ONGs desenvolvem atividades com os jovens de suas comunidades, além de mobilizar comerciantes locais. Os projetos são acompanhados de perto pela Ambev, que ajuda no desenvolvimento, dando suporte e organizando workshops para que as instituições compartilhem experiências e melhores práticas.

Para citar mais um exemplo, a Ambev também promove o Bar de Responsa, uma ampla plataforma de treinamento sobre consumo inteligente para profissionais que servem e vendem bebidas alcoólicas em bares, restaurantes e eventos. O objetivo é que essas pessoas transformem a venda responsável de bebidas em um compromisso pessoal e que repliquem esse conhecimento, tornando-se embaixadoras dessa causa. O material didático foi criado e adaptado pela Ambev, com colaboração de professores do Centro Paula Souza, do Governo do Estado de São Paulo. Atualmente, mais 350 mil pessoas em todo o país já passaram pelo treinamento.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Franquia espanhola iniciada no RS anuncia expansão

14 de setembro de 2016 0
TEA

Tea Shop Brasil Divulgação

A Tea Shop Brasil, marca espanhola de chás gourmet,  inaugurou sua primeira operação no Brasil em 2013, em Porto Alegre. Trazida pelo Tea Sommelier Michel Bitecourt, a primeira loja funcionou como incubadora de um novo modelo de negócio. Depois de três lojas inauguradas em Porto Alegre – Shopping Praia de Belas, Shopping Iguatemi e Pátio Ivo Rizzo –, chegou a vez de duas outras capitais brasileiras receberem as primeiras lojas da franquia.

Em agosto, abriu em Salvador o primeiro quiosque Tea Shop, no Salvador Shopping. Este mês, inaugura a franquia em São Paulo, localizada no Shopping Morumbi.

Os espaços nas duas cidades contarão com mais de 80 blends da marca espanhola de chás gourmet, além de acessórios exclusivos. Servidas quentes e frias, as bebidas são funcionais. Há chás relaxantes, digestivos, energizantes, detox, isotônicos, emagrecedores, antioxidantes, entre outros que compõem a lista de produtos das lojas Tea Shop.

Os quiosques são uma operação inédita, mas têm como destaque as mesmas latas douradas exclusivas da marca, fabricadas na Itália, onde os chás gourmets são oferecidos totalmente frescos. A expectativa, segundo Michel Bitencourt, é chegar a seis unidades franqueadas até o final de 2016.

Além da inauguração de novas operações em outros estados, a loja do Shopping Iguatemi, em Porto Alegre, passou por uma renovação e agora está situada em local mais atrativo, em frente à praça de alimentação do shopping.

Tea2

Tea Shop Divulgação

Sobre a Tea Shop

Fundada em 1990 em Barcelona, e com mais de 60 lojas espalhadas por dois continentes, a Tea Shop lança o programa de franquias no país em plena crise. A marca possui um completíssimo portfólio de produtos renovado por coleções, com mais de 100 tipos de chás e acessórios exclusivos. Naturais e com diversas funcionalidades, os produtos da Tea Shop prometem saúde e bem estar, além da experiência de compra diferenciada no ponto de venda. As lojas seguem o padrão internacional da marca, com a mesma ambientação e atendimento.

Missão gaúcha a Macau deve gerar muitos negócios

07 de setembro de 2016 0
1macau

Macau – China

Entre 17 e 27 de outubro, a Associação Comercial de Porto Alegre (ACPA) comandará uma missão de empresários a MACAU, CHINA, para participar da 21ª Feira Internacional de Macau, que acontece de 20 a 22 de outubro no Centro de Convenções e Exposições do Venetian Macao Resort Hotel, e assinar instrumento de parceria com o Instituto do Comércio e do Investimento de Macau. Representantes da entidade estiveram na Associação, em Porto Alegre, no mês de maio, com grupo de 22 empresários de diversas áreas (setor financeiro, comércio, imobiliário, varejo de carnes, produtos minerais e material de construção).

Naquela ocasião, o presidente da ACPA, Paulo Afonso Pereira, acertou a formatação de protocolos de cooperação entre as duas cidades para assinatura durante a Feira Internacional. “Queremos ser facilitadores de possíveis negócios entre os empresários de Macau e de Porto Alegre e centralizar os contatos na Associação Comercial. A ACPA quer ser a casa de negócios com Macau”, explicou Pereira.

Quando esteve na capital gaúcha, o presidente do Ipim, Jackson Chang, que também esteve em São Paulo, falou do interesse em promover a cooperação econômica e comercial entre a China e os países de língua portuguesa.

Em 1999, o território deixou de ser colônia portuguesa depois de mais de 400 anos e foi entregue à China, mas tem uma certa autonomia administrativa. Macau é uma Região Administrativa Especial da República Popular da China (RAEM), assin como Hong Kong. A língua portuguesa continua sendo falada em Macau, além do cantonês.

17-mif

Conforme Chang, os empresários de Macau possuem um bom conhecimento dos mercados da China e dos Países de Língua Portuguesa. “Estas vantagens contribuem para o aprofundamento do papel de Macau como a plataforma de serviço entre a China e os países de língua portuguesa.”

Para aperfeiçoar a base das infraestruturas financeiras, o Banco Central da China autorizou Macau como plataforma de liquidação do RMB (Renminbi, moeda chinesa) nas transações entre a China e os países de língua portuguesa. O representante do Banco da China, um dos quatro maiores bancos comerciais chineses, Zhao Hao, revelou que em 2015 o montante de liquidação de RMB cresceu em 22,81% em relação ao ano anterior. No Brasil o Banco da China tem sucursais em São Paulo e Rio de Janeiro.

Negócios

Para os empresários gaúchos que ainda têm dúvida de que a missão à Macau pode gerar bons negócios, os representantes de empresas que estiveram em Porto Alegre em maio, não deixam dúvida. O presidente da empresa Nam Kwong, Cheng Ying Jun, por exemplo,busca fornecedores de carnes e considera que produtos alimentares representam um grande mercado para gaúchos na China.

Existe também interesse em instalar uma montadora de motos. O projeto seria vender as motos no Brasil e demais países da América Latina. Os chineses querem também abrir lojas de conservas no Brasil, principalmente de peixe. A proposta é adquirir produtos prontos.

O vice-presidente da ACPA, Raul Cohen, também presente ao encontro, chamou a atenção dos empresários de Macau sobre o potencial da Região Metropolitana de Porto Alegre como uma plataforma de produção de semicondutores (chips) em parceria com as universidades.

macau-placa

Macau – português e chinês

Comércio BRASIL e CHINA

Em 2015, o Brasil exportou para a China um total de US$ 35,6 bilhões e importou daquele país US$ 30,7 bilhões (contra US$ 40,6 bilhões e US$ 37,3 bilhões em 2014, respectivamente), obtendo, como resultado, superávit no comércio bilateral de US$ 4,9 bilhões. Desde 2009, o Brasil acumula um superávit com a China de quase US$ 46 bilhões.

A Feira Internacional de Macau

Com o tema “Cooperação – Chave para Oportunidade de Negócios”, esta edição tem por objetivo proporcionar aos visitantes a oportunidade de fomentar investimentos e negócios com o país, além de promover as regiões do Pan-Delta, Rio das Pérolas e regiões Central e Oeste da Província de Guangdong.

Na ocasião serão organizados B2B’s, através de uma plataforma de serviços on-line chamada de Bolsa de Contatos, além de outras ações, no intuito de apoiar os expositores, empresários e investidores provenientes de diversas partes do mundo na dinamização do intercâmbio e cooperação com o interior da China.

Na edição anterior, participaram 350 delegações econômicas e comerciais de mais de 60 países e regiões, tendo sido realizados 1.502 contatos.

Atual momento impacta gestão e qualidade

05 de setembro de 2016 0

Mundo dos Negócios convidou Luiz Ildebrando Pierry,  Secretário Executivo do Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade , o PGQP, para escrever aqui no blog sobre o novo momento que se apresenta para as lideranças e os novos desafios do Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade.

PGQP

Luiz Ildebrando Pierry Crédito Foto: Mathias Cramer

Por Luiz Ildebrando Pierry

Vivemos um momento de mudanças aceleradas com impactos na área da gestão e da qualidade. Com a agilidade da comunicação e a importância indiscutível da transparência e de bom relacionamento com todos os stakeholders das organizações, fortalecer suas redes de lideranças e reputação  se torna fator chave para a manutenção no mercado.

Ao mesmo tempo que imprescindível, manter a reputação das empresas frente aos clientes internos e externos nunca foi tão difícil. Em tempos de redes sociais e toda a avalanche de informações que elas provocam, uma experiência ruim com uma marca pode estar em poucos minutos na rede e atingir bilhões de usuários em todo o mundo.

Na economia da reputação, um erro local pode se tornar um dano global. A perda, em uma crise, é muito maior do que a falha, pela velocidade das interações em que uma informação é multiplicada. Hoje, o que vale é a qualidade da exposição, e não a quantidade. Não basta apenas conhecimento técnico, pesquisa e desenvolvimento, a organização precisa ser reconhecida de forma genuína pelo mercado.

É nesse cenário que o Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade se reinventa a cada dia, buscando maior interação com seus públicos, identificando demandas, criando novos programas, produtos, serviços e valorizando as práticas de excelência por meio de reconhecimentos, buscando incentivar uma cultura empreendedora, através da inovação para a sustentabilidade.

Vivemos um cenário político e econômico que exige lideranças sensíveis, e é fundamental compreender que passamos por uma transição dos líderes de ontem para os jovens de hoje. Com 25 anos de internet no Brasil, temos no mercado a primeira geração de nativos digitais, que apresentam iniciativas modernas e com a versatilidade que o mercado e o cliente exigem. Unir as experiências e o conhecimento de gerações distintas e buscar o equilíbrio pode contribuir para a identificação das melhores soluções e para pensar em novas formas de aplicação do conhecimento e dos recursos, para atender às necessidades que se multiplicam.

Na área da pesquisa, o PGQP estruturou novas alianças e parcerias estratégicas, em um momento em que as organizações precisam se reinventar e buscar alternativas para tornar a crise uma oportunidade de desafio para evolução. Com o objetivo de orientar as organizações de forma personalizada, o Programa fortalece sua atuação com a Academia. Para isso, a secretaria executiva do movimento busca instalar postos avançados em parcerias com as universidades, como fez com a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), executando projetos de grande interesse do setor produtivo. A mudança visa desenvolver estudos, projetos e programas que reúnam os diversos interessados, lideranças e suas equipes, com otimização de recursos, processos sustentáveis e de acordo com as necessidades e demandas de cada cliente.

A união entre as gerações de lideranças, assim como o intercâmbio entre empresas e as áreas de pesquisa das universidades, pode contribuir para uma mudança gradativa em busca de maior competitividade e diferenciação no mercado, além de mais qualidade de vida em nosso Estado.

 

Panfácil investe em pães e lanches congelados

01 de setembro de 2016 0

Uma boa notícia para a tão combalida economia gaúcha: a Panfácil Alimentos, empresa do Grupo Estrela, acaba de abrir uma nova fábrica em Canoas, na Grande Porto Alegre. A empresa investiu 45 milhões de reais nos últimos quatro anos, ampliando suas unidades produtivas, mas a fábrica recém inaugurada é uma das mais modernas da América Latina e tem capacidade para produzir até 3,6 mil toneladas de produtos, seis vezes mais que a anterior. Somente nessa linha de produção da Panfácil foram aplicados 28 milhões de reais em área construída, equipamentos, máquinas com tecnologia de ponta, pesquisa e desenvolvimento.

E mais: a nova fábrica apresenta ao mercado um novo modelo de produção de pães e lanches congelados para grandes redes de varejo, mercados e padarias. Com ela, a marca torna-se potencial parceira nacional desses segmentos. A ideia é que grandes redes passem a  adquirir pães congelados, deixando de produzi-los 100% em suas lojas.

A Panfácil está localizada no município de Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre (RS), em um espaço de 15 mil metros quadrados junto à área do Moinho, que tem 30 mil metros quadrados. No total, são 45 mil metros quadrados no complexo industrial. A inauguração da nova fábrica representa um avanço no conceito de negócio do pão francês, o carro-chefe da linha de produção. “A Panfácil recebe diretamente do Moinho Estrela sua principal matéria-prima: a farinha de trigo. As mesclas de alto padrão desse ingrediente foram estrategicamente pensadas para atender às necessidades da linha de produção e de seus mais de 70 itens”, diz Bernardo Pretto, diretor comercial da operação de pães congelados da Panfácil.

fábrica

Imagem: Fillipo Jr.

Todos os equipamentos foram estudados e adaptados para produzir um pão francês ao gosto do brasileiro. “A aquisição da tecnologia francesa foi uma decisão que envolveu inúmeras variáveis, entre elas, uma montagem praticamente inédita no que diz respeito à receita e às normas de segurança alimentar, além, claro, de sabor e da qualidade superiores para os pães, justamente, por conta da qualificação do Moinho”, explica o executivo. Com a nova fábrica, a produção em grande escala e automatizada reforça atributos da marca, como confiabilidade, padronização e rigoroso cumprimento técnico/normativo sobre os produtos.

Ao longo dos últimos quatro anos de planejamento até a inauguração da unidade de congelados, os executivos e os sócios do Grupo Estrela, que vai completar 50 anos em 2017, confirmaram tendências que já eram percebidas por eles no Brasil e no exterior. “Produzir alimentos com eficiência nos processos e sem elevar custos é um desafio enorme. No caso dos pães, o modelo de negócio baseado nos congelados (que chegam ao varejo prontos para descongelar, assar e vender) significa atender a um mercado em expansão”, observa Jaime Pretto, diretor do Grupo Estrela. Segundo ele, o varejo de pães passa por um momento econômico complexo, pois, além da exigência de uma mão de obra especializada e escassa, há estruturas e equipamentos que requerem um investimento planejado e difícil, mesmo para grandes empresas.

A tendência apontada pelos diretores da Panfácil se reafirma também na análise da Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (ABIP). Há uma indicação de que, nos próximos 10 anos, o processo de congelamento de pães irá auxiliar na qualidade final dos produtos. “O estoque de pães congelados dentro da padaria deverá permitir ao empresário gerenciar esse volume e assim diminuir perdas e servir pães quentes em sintonia com a demanda”, sublinha a ABIP em seu plano estratégico.

Paes1

Divulgação

Dados do Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria e de Massas Alimentícias e Biscoitos do Rio Grande do Sul (Sindipan-RS) apontam o aumento de consumo de pães em 10% no período de 15 anos no Estado (2000-2015), devido ao advento das indústrias de pães congelados. Esses fabricantes abastecem um maior número de pontos de vendas, como os minimercados, que antes não serviam pães assados na hora, ampliando a oferta e o acesso a esse tipo de alimento. O Sindipan-RS também registrou a ampliação no número de empregos diretos envolvidos no negócio, já que o comércio de alimentos contrata mão de obra dedicada para assar e servir. O consumo per capita de pão francês no Rio Grande do Sul é de 43 kg a 45 kg ao ano, bem acima da média nacional, de cerca de 33,5 kg anuais, segundo a ABIP.

Da fábrica ao forno 

A marca de pães congelados Panfácil completará 18 anos de atividade em 2017. Desde 1999, é responsável pelo abastecimento para redes de supermercados e padarias da região Sul. “A visão e a perspectiva de que o mercado de pães congelados no Brasil ainda vai crescer muito se confirma diante do alto índice de vendas que temos, apesar do cenário de recessão”, analisa Bernardo. “Antes mesmo de inaugurar a nova fábrica já tínhamos 100% da unidade antiga produzindo. Durante a construção dessa nova linha, já previmos espaços e infraestrutura suficientes para duplicá-la quando necessário. Nossa estimativa é de que isso ocorra em cinco anos”, confirma a diretora industrial, Ivete Pretto. A antiga Panfácil, localizada no centro do município de Canoas, foi desativada e seus 115 funcionários foram transferidos. Ao todo, o Grupo Estrela soma 650 empregos diretos e 100 indiretos.

A partir da inauguração, a Panfácil poderá produzir exclusividades para grandes redes de supermercados, que demandam volumes em altas escalas. “De acordo com as possibilidades que surgirem, temos condições para desenvolver novos produtos que atendam os diferentes desejos do consumidor brasileiro. Linhas com ingredientes variados até já temos, como, por exemplo, o pão de queijo multigrãos”, diz o diretor comercial Bernardo Pretto.

Bernanrdo

No caso do pão francês, no Brasil, a receita da Panfácil utiliza tecnologia fracesa, porém com adaptações culturais locais. A área de nutrição, pesquisa e desenvolvimento esclarece a necessidade da diferenciação em relação ao pão feito na França, não somente no visual, mas no formato e até mesmo na questão de umidificação da massa. O resultado é a crocância da casca e o miolo fofo, características das exigências locais. “O controle de padrão e de qualidade é essencial. Não por acaso, apesar de nossas vendas serem de pães congelados crus, a sala de testes está em constante atividade com fornos e outros equipamentos necessários para controle. A dosagem de ingredientes é 100% automatizada e o contato humano é mínimo, mais voltado à degustação”, diz a diretora industrial.

Sobre o Grupo Estrela:

O Grupo Estrela  faturou de 270 milhões de reais em 2015 e projeta crescimento de 10% em 2016. Hoje, 650 colaboradores diretos e 100 indiretos atendem às quatro empresas da Holding Mesapart e suas unidades nas cidades de Canoas e Cachoeirinha: Moinho Estrela (indústria de moagem de trigo com atuação nacional nos segmentos industrial, panificação e varejo), Panfácil (pães e lanches congelados), Mesasul (fornecimento de cestas básicas, produtos de alimentação e higiene para órgãos públicos e privados) e Presete (empresa do segmento imobiliário). Em 2017, o Grupo Estrela completará 50 anos.

Pan

 

 

Moinho

Triciclo econômico e funcional chega ao estado

30 de agosto de 2016 0
Moto

Divulgação

 

Novidade apresentada na 39a Expointer, em Esteio(RS), o triciclo produzido pela Motocar tem motor de motocicleta, estrutura de caminhão de pequeno porte e é economico (faz de 25 a 30 quilômetros/litro) e versátil. Ideal para pequenos e médios empreendedores, pela mobilidade maior nos grandes centros, é seguro, desenvolve velocidade máxima de 60 km/h, tem cinto de segurança e kit de manutenção (com extintor, chave de roda e macaco). Os condutores precisam ter habilitação A, a mesma exigida para motocicletas comuns. O triciclo Motocar é o único homologado e licenciado pelo DENATRAN e IBAMA.

moto2

Divulgação

 

Em tempos de recessão econômica, o triciclo é uma alternativa aos empreendedores de diversos setores. Os três modelos desenvolvidos pela montadora brasileira (dois de carga e um de transporte de passageiros) têm uma estrutura leve e preço médio para venda que varia de R$ 16 mil, para o modelo que transporta até três pessoas, a R$ 19 mil, para as variações com capacidade para cargas de no máximo 350 Kg. O veículo é produzido na Zona Franca de Manaus, onde são fabricadas 800 unidades mensais.

O triciclo já está  presente em vários centros urbanos brasileiros como Goiânia, Brasília e Rio de Janeiro, onde é utilizado também para o turismo. O modelo MTX 150, para passageiros – que lembra os Tuc Tuc  indianos – acomoda duas pessoas sentadas, além do motorista, e ainda tem espaço para pequenas bagagens. Já os modelos MCF 200 e o MCA 200, com motor de 200cc, foram desenvolvidos para o transporte de cargas.

moto3

Divulgação

 

O veículo tem um ano de garantia, oficinas especializadas, mecânicos treinados pela fábrica, peças genuínas a pronta entrega, e já no próximo mês, haverá uma concessionária e revendas no Rio Grande do Sul.

 

Sabores da cozinha internacional chegam à batata frita

26 de agosto de 2016 0

Por Fernando Naiditch*

Nando1

Imagem: masslive.com

Já parou pra pensar como levar o sabor da cozinha internacional para uma batata frita? Pois é. Essa é a nova proposta de uma linha de batatas fritas lançada recentemente pela Frito-Lay americana (do grupo PepsiCo).

Lançada inicialmente em quatro sabores, a edição limitada chamada de Passport to Flavor Collection (Coleção Passaporte para o Sabor) já chegou aos supermercados americanos e tem feito sucesso por aqui.

A ideia do produto e da campanha publicitária que acompanha o lançamento é de traduzir os sabores da cozinha internacional num dos símbolos da cozinha americana, a batata frita. A promoção também pegou carona no sucesso das Olimpíadas no Brasil.

Os países inicialmente destacados na campanha foram o Brasil, a China, a Grécia e a Índia, com sabores que ressaltam aspectos da culinária de cada país A campanha da Frito-Lay também inclui sorteios de viagens aos consumidores para os países representados, além de destinos nacionais e outros prêmios. Em cada embalagem, o consumidor encontra códigos para serem transformados em milhas num passaporte virtual no site da empresa.

O sabor escolhido para representar o Brasil foi o da picanha. Alguns consumidores, porém, comentaram o fato do sabor picanha ter uma infusão do molho chimichurri, que é mais associado ao Uruguai e à Argentina, onde o molho acompanha grelhados. Teve consumidor até sugerindo que a Frito-Lay desenvolvesse um sabor que incluísse a farofa ao invés do chimichurri.

Os outros sabores são Tikka Masala (Índia), o molho Tzatziki (Grécia) e o Frango Szechuan (China). Esta não é a primeira vez que a Frito-Lay inventa sabores para combinar com a batata frita. Já estão no mercado os sabores ketchup, sal e vinagre, molho de barbecue, molho de mostarda com mel, limão, nata com cebola, molho ranch, e queijo cheddar, por exemplo.

Além disso, uma campanha anual da Frito-Lay conhecida como Do Us a Flavor (Faça-nos um sabor) convida os consumidores a desenvolverem novos sabores para a batata frita. Os vencedores têm seus sabores lançados no mercado, além de uma recompensa financeira que chega até um milhão de dólares para o sabor vencedor.

Nando2

Imagem: extratv.com

Através dessa promoção, a batata da marca Lay’s já lançou batata frita com sabor de sriracha (um molho bem apimentado de origem asiática, provavelmente da Tailândia), frango com waffles (uma combinação típica do sul dos Estados Unidos), pão com alho e queijo, mac & cheese com bacon, gengibre e wasabi (outro molho apimentado feito a partir da raiz da planta no Japão) e até mesmo sabor cappuccino.

Nando3

Imagem: latimes.com

Com a presença de tantas culturas nos Estados Unidos, os sabores refletem de certa forma essa diversidade e, todo ano, os consumidores participam da promoção com sugestões inusitadas. Alguns dos escolhidos ficam por tempo limitado nas prateleiras. Outros entram na linha oficial da batata Lay’s, como o pão com alho e queijo, que fez sucesso entre os consumidores.

Nando4

Imagem: amazon.com

Os sabores que não pegaram incluem, por exemplo, molho de broccoli com queijo, Kentucky bourbon (uma idéia que mistura batata frita com bebida alcólica), peanut butter and jelly (outro sabor americano que mistura pasta de amendoim com geléia), peixes diversos com atum e bacalhau, gazpacho (uma sopa de tomate servida gelada) e bacon coberto com chocolate. Teve até consumidor sugerindo o sabor marijuana!

A mistura de doce com salgado é outra tendência da culinária internacional que também já chegou à batata frita. A Frito-Lay lançou uma versão de batata frita coberta com chocolate. A inovação, lançada já pensando nas festas de final de ano, traduz outra proposta da Frito-Lay de elevar a batata frita a novos patamares, desenvolvendo sabores gourmets e transformando esse que é um dos aperitivos ou salgadinhos favoritos dos americanos em sobremesa.

Nando5

Imagem foxnews.com

*Fernando Naiditch é doutor em Educação Multilingue e Multilcultural pela Universidade de Nova York (NYU). Mora em Nova York ha 16 anos e atualmente é professor na Montclair State University.