Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Copa do Mundoidão #5: o jogador amputado que fez o gol do título

10 de abril de 2014 0

Héctor Castro, El Divino Manco

A Copa do Mundo de 1930 foi a primeira de todas, disputada no Uruguai. E um jogador da seleção uruguaia merece destaque: Héctor Castro. O atleta marcou o primeiro gol da celeste em mundiais, e marcou ainda o último – que cimentou o título conquistado sobre a Argentina por 4 a 2.

Héctor Castro também fez o primeiro gol da história do Estádio Centenário – o mais importante do Uruguai – e o primeiro gol uruguaio em copas (na vitória de 1 a 0 sobre o Peru). Ufa, tanta coisa já serviria para colocar o jogador na calçada da fama, certo? Mas tem mais.

Aos 13 anos, antes de iniciar na vida futebolística, Héctor Castro teve seu antebraço acidentalmente amputado por uma serra elétrica. Passou a ser chamado de El Manco (manco, em espanhol, é “maneta”, o nosso manco, para eles, é o cojo). Sua trajetória tratou de transformar o apelido em “El Divino Manco” – três vezes campeão uruguaio como jogador, cinco como treinador e ainda levou a seleção pela mão até o título de 1930.

Héctor Castro El Divino Manco

Você pode estar pensando “futebol se joga com os pés, qual a desvantagem?”. Bom vejamos algumas: em uma disputa, o maneta tem menos opções para puxar o adversário pela camisa; bola no cotoco também é mão; e, sobretudo, na hora de ficar na barreira, se um braço protege o rosto, falta o outro para cuidar dos países baixos.

Comentários

comentários

Envie seu Comentário