Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Pra quem ficou curioso

20 de julho de 2006 1

Camilo Mortágua em nova edição/divulgação
Vale completar dizendo que, para lembrar os 20 anos da morte de Josué Guimarães, gaúcho que além de escritor foi jornalista e político, a sua editora, a L&PM, está republicando o romance em nova edição (436 páginas, R$ 45).

Vai abaixo um trechinho de Camilo Mortágua:

Seu Camilo sentia uma estranha vontade de caminhar; apesar do joelho que ainda estava dolorido, passava agora pelo calçadão de areia da Redenção, pela avenida João Pessoa, o parque ensolarado, os pássaros voando em bando, carros a passarem em alta velocidade, crianças que iam para o colégio, grandes nuvens que desenhavam formas estranhas no céu azul translúcido. Caminhava mais para dentro do calçadão. Temia que algum velho conhecido o identificasse, não queria que ninguém o visse assim, naquelas roupas surradas. Passou pela Faculdade de Direito, onde passara bons anos de sua vida, as recordações se atropelavam, estugou o passo, precisava vencer o passado que não lhe interessava mais. Passou pela frente do velho casarão da Santa Casa de Misericórdia, pelas casas iguais do quarteirão, pela Igreja da Conceição, os velhos portões de ferro trabalhado, os gradis cheios de arabescos, cruzou a Rua Santo Antônio e foi quando diminuiu o passo para espreitar de longe, sem perigo, o seu velho casarão senhorial, a casa do velho e austero Quirino Borba Mortágua, onde haviam nascido todos os seus irmãos e seus filhos.%22

Postado por Priscilla Ferreira

Comentários (1)

  • Cássia diz: 20 de julho de 2006

    Bela lembrança, Priscilla. Camilo Mortágua é um dos melhores livros que li na vida.

Envie seu Comentário