Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Juro que é verdade

22 de abril de 2008 5

Se tivesse chegado no dia primeiro de abril, eu não publicaria porque é trote, certo – reparem no sobrenome do dono da empresa. Mas como é de hoje e veio pelo serviço de notícias da BBC, pode ser sério – tem até foto no site da BBC Brasil, confiram aqui. Reparem com especial carinho nas frases destacadas:

O velho hábito de ler no banheiro ganhou um componente moderno: o papel higiênico literário. A empresa espanhola Empreendedores está lançando rolos de papel especial onde aparecem impressos clássicos da literatura mundial para que o usuário vá lendo enquanto permanecer no banheiro. O produto, vendido só através da internet, inclui trechos de literatura clássica, teatro, poesia e até textos sagrados da Bíblia e do Budismo.
Hemingway dizia que clássico é aquele livro que todo mundo respeita, mas ninguém lê. O que estamos fazendo é levar os livros aos banheiros, aproximando a literatura do homem – disse o dono da empresa, Raúl Camarero – E surge aí um conflito interessante: limpar o traseiro com uma bela obra e o dilema moral que isso representa – disse.
Da
Bíblia foram escolhidos trechos do Apocalipse, do Cantar dos Cantares e dos Provérbios. Os textos sagrados budistas são O Sutra do Loto e o Livro Tibetano dos Mortos. A intenção dos sócios da companhia era incluir também trechos do Alcorão, mas tiveram medo da possível reação dos islâmicos.
– Tivemos medo, sim, de provocar ira e vingança. Alguns até ameaçaram sair do projeto, se insistíssemos%22, explicou o empresário.

Peça de teatro

A idéia surgiu a partir de um espetáculo teatral. Camarero, que dirige uma companhia de teatro, escreveu uma peça intitulada Empreendedores, onde uma empresa imprimia clássicos literários em papel higiênico. A peça ganhou um prêmio no Festival de Teatro de Sevilha e a companhia decidiu então transformar ficção em realidade. Os trechos escolhidos para a impressão são clássicos de domínio público, pelos quais não é preciso pagar direitos autorais. Mas a empresa avisa que está aberta a propostas de novos escritores.
Os rolos custam 3,70 euros (cerca de R$ 9,80) cada, e o %22leitor%22 tem a opção de escolher os textos e a cor do papel higiênico. Eles estão disponíveis nas cores branco, laranja e rosa, feitos de uma celulose mais resistente.
A maioria dos pedidos tem sido de trechos de livros de Federico García Lorca.
– Usamos letras grandes com espaço entre as palavras para que seja uma leitura fácil e relaxante. Às vezes você não tem muito tempo no banheiro e tem a tentação de usar o papel e não ler. Mas se pensar que esse material vai ser desperdiçado para sempre…–, comentou Camarero.

Postado por Carlos André Moreira

Comentários (5)

  • Marcelo Xavier diz: 23 de abril de 2008

    O Livro Tibetano dos Mortos! Hahahah!

  • Vinhal diz: 23 de abril de 2008

    Enfim um uso (pós-)moderno para a leitura.

  • Rafael Pimentel Müller diz: 23 de abril de 2008

    Idéia inusitada. O problema é o impulso que a novidade gera para que os papéis higiênicos não sejam utilizados para seus fins de origem.

    Abraçosssssss

  • Luciana Castilhos diz: 26 de abril de 2008

    Também postei a tal notícia no meu blog (com uns dias de atraso). Li na Folha OnLine e achei ilário…
    Bom, virei uma visitante assídua daqui, mesmo fazendo parte da concorrência :)

  • Carlos André Moreira diz: 28 de abril de 2008

    Oi, Luciana, eu não conhecia teu blog, fui lá ver e achei muito legal, gostei particularmente de teu texto “Caio”. Vou voltar lá mais vezes.
    E seja sempre bem-vinda, concorrência ou não – e esteja à vontade para comentar sempre. Abraço.

Envie seu Comentário