Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Martha Medeiros (e o Verissimo) com uma fila de atravessar a Praça

05 de novembro de 2011 3

Fila de Martha Medeiros começava na Praça dos Autógrafos e serpeava pela praça...

No momento em que escrevo este post, expirou a hora regulamentar de Martha Medeiros na Praça dos Autógrafos, mas sua sessão de assinaturas da coletânea de crônicas Feliz por Nada (L&PM), está longe de terminar, como você pode ver nas fotos que ilustram esta entrada. A fila para recolher os autógrafos da escritora, que começou a se aglomerar na Praça de Autógrafos meia hora  antes do horário marcado (que era, a propósito, 16h30min), contorna o pavilhão, atravessa metade do eixo central e se infiltra pela lateral do Margs até praticamente a Siqueira Campos. Em um dia quente e de muita gente na praça, a fila é ela própria um foco de curiosidade – “será que tem algum artista aí?”, “O que será essa fila toda?”, “Será o Paulo Coelho?”, foram frases ouvidas por este repórter dos passantes que deparavam com a serpente humana em plena Praça. Martha deve ficar mais uma hora em atividade.

...seguindo pela lateral do MARGS até a Siqueira Campos. Fotos: Carlos André Moreira

ATUALIZAÇÃO: São 19h e a sessão de autógrafos da Martha ainda não terminou, embora a fila já não esteja tão grande.  E nem por isso a Praça de Autógrafos está menos lotada, porque exatamente às 18h30min começou a sessão de autógrafos de outro campeão das multidões: Luis Fernando Verissimo – a propósito, a reportagem especial de Zero Hora hoje era uma reunião de ambos na Praça. Já leu?

No fim da tarde, Verissimo também se pôs em ação para dar conta de uma fila que começava no Pavilhão...

Verissimo, com seu retraimento já característico, ocupou sua mesa e foi atendendo os leitores no outro extremo da Praça de Autógrafos (não por antipatia: a organização da Feira resolveu dispor os dois campeões de fila distantes um do outro para não haver atrolho ou confusão). Seus fãs leais foram se enfileirando também em direção à Siqueira Campos, e se enovelaram na mesma  direção do Margs (talvez isso no futuro merecesse um estudo: comportamento geográfico de filas de autógrafos, ou algo assim). Como já é comum em sessões de autógrafos do cronista, os leitores se apresentavam com o livro mais recente, Em Algum Lugar do Paraíso (Objetiva) e com algum outro livro mais antigo do autor – como Orgias, As Mentiras que os Homens Contam ou Histórias para Ler na História, todas coletâneas lançadas nos últimos anos pela Objetiva, a editora do autor. A lógica deve ser: já que o Verissimo é celebremente tímido e não faz lá tantas sessões de autógrafos, o pessoal aproveita para fazer a fila render.

...e se estendia também em direção ao Margs, já liberado da fila de Martha. Fotos de Carlos André Moreira

Comentários (3)

  • Willians dos Santos diz: 6 de novembro de 2011

    Para quem está tão longe dos Pampas, é um imenso orgulho perceber que os gaúchos valorizam alguém que como Martha Medeiros é ícone de saber da Terra Charrua. Nós aqui fora fazemos das crônicas dela nossas lições cotidianas.
    Parabéns Martha. Você merece…
    Willians

  • jussara diz: 6 de novembro de 2011

    Há gosto para tudo mesmo, até para ler a porta voz dos temas clichês “mulherzinha”, credo!

  • Mundo Livro » Arquivo » O Verissimo que não estará lá diz: 27 de outubro de 2012

    [...] Verissimo é um autor muito popular, que sempre junta uma fila de respeito na Praça da Alfândega (veja aqui, por exemplo, como foi o lançamento de Algum Lugar do Paraíso, na Feira do ano passado), este blog partilha a informação com vocês e adverte: avisem quem vocês conhecem, compartilhem [...]

Envie seu Comentário