Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Guerra e Paz – o primeiro contato

13 de janeiro de 2012 6


Prólogo

Como foi avisado ontem no Facebook do Mundo Livro, o blog estava com problemas na caixa de comentários. Sinto muito se você foi um dos que tentou comentar e não conseguiu. Agora parece que as coisas estão resolvidas, então, ao fim do post, todos comentando, né?

Nariz de cera

Decidimos, Carlos André e eu em uma conversa de corredor, que o dia de posts da maratona seria sexta-feira, e cá estamos. A boa notícia é que sim, comecei a leitura, mas antes de contar a quantas andamos, vou me desculpando.

É que escolhi certamente a pior semana do ano para reparar o parquê do meu apê, depois de uma infiltração do vizinho de cima. Hoje estou voltando pra casa de mala, cuia e gata – a Panda – para casa. Como gatos não curtem muito sair de casa, vocês podem imaginar que a leitura não foi a das mais privilegiadas nos últimos dias. Ainda assim, comemoro a chegada a página 65, o que significa que li fenomenais 4 capítulos. Mas, adivinha, não falarei sobre isso ainda.

OK, o post

Vou dar uma palhinha do que é a tradução do Rubens Figueiredo. Já na apresentação ele comenta que, em muitos trechos, o Guerra e Paz é escrito parte em russo e parte em francês, forma de “mostrar com que Rússia já era um país invadido antes mesmo da chegada das tropas de Napoleão.” Também na apresentação, o tradutor explica que o propósito foi preservar, o máximo possível, os traços linguísticos relevantes para o autor, entre repetições de palavras, expressões e estruturas sintáticas.

O que mais fica evidente no começo do livro é a mistura que Tolstói faz de francês e russo na mesma frase. Como o francês nessa edição fica no original (seguindo inclusive a pontuação original), o desafio do começo da leitura é por onde começar: eu, que não entendo nada de francês, fico hipnotizada por tentar entender antes da tradução, e depois salto lá para o rodapé para, de fato, ler, o que muda bastante o ritmo da coisa. Me parece, inclusive, que são duas leituras diferentes, mas ainda não sei como vou seguir.

Devo comprar um dicionário de francês?

Comentários (6)

  • Lorenzo diz: 17 de janeiro de 2012

    Nesta terça-feira finalmente devo receber meu “Guerra e Paz” da Cosac Naify, encomendado há vários dias. Assim que colocar as mãos nele começo a leitura.
    Seguirei acompanhando a Maratona pelo blog!

  • luiz fernando De Lellis diz: 17 de janeiro de 2012

    Boa tarde. Vou aguardar os primeiros comentarios e ai então, me manifesto. Mas digo de antemão sei que o livro é grandioso. Abraços fernando

  • Matheus diz: 18 de janeiro de 2012

    Passando para conhecer o blog, muito bom e com ótimo conteúdo!!

  • Matheus diz: 18 de janeiro de 2012

    Parabéns pelo trabalho!!

  • Carlos André Moreira diz: 18 de janeiro de 2012

    Valeu, Matheus, muito obrigado pela visita e volte sempre.

  • Elson diz: 30 de janeiro de 2015

    Estou muito interessado em ler `Guerra e Paz ´,mas,como tem partes em francês,será que não vai ser uma leitura chata,por ter que ficar toda hora lendo no rodapé a tradução.Antes vou ler primeiro `Os Últimos Dias de Tolstói ´.

Envie seu Comentário