Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

O que você está lendo, Antônio Xerxenesky?

11 de julho de 2012 0

O escritor Antônio Xerxenesky. Foto: Jean Schwarcz, ZH

Vamos então a mais uma dica da nossa série O Que Você Está Lendo?, desta vez interrogando Antônio Xerxenesky. Porto-alegrense, é autor do romance Areia nos Dentes, publicado em 2008 pela Não Editora e reeditado pela Rocco em 2010 (leia textos sobre o livro aqui e aqui). Seu livro mais recente é a coletânea de contos A Página Assombrada por Fantasmas, também pela Rocco em 2011.  (leia entrevista aqui). É um dos editores da Não Editora, para a qual organiza a revista online de crítica e literatura Cadernos de Não Ficção.  E trabalha atualmente como redator do site do Instituto Moreira Salles, onde pode ser lido no blog da instituição. Foi um dos 20 autores selecionados para a edição dos 20 melhores jovens escritores brasileiros da revista Granta (leia o post abaixo).

O que você está lendo, Antônio Xerxenesky?

Estou longe de ser um grande leitor de poesia ou de entender do assunto a ponto de poder falar sobre o gênero com um mínimo de propriedade. Não obstante, me apaixonei pelo livro Poemas, da polonesa Wislawa Szymborska, vencedora do Prêmio Nobel. Seus poemas são simples, no sentido de que parecem imediatamente acessíveis, ao invés de serem cifrados ou herméticos. O que não quer dizer, é óbvio, que sejam banais. Há uma sofisticação nos versos de Szymborska que produz resultados impressionantes até quando o tema é batido – é o caso do amor em Amor à Primeira Vista. A ironia também surge com elegância em outros poemas – basta observar Primeira foto de Hitler, onde ela descreve o lindo bebê Adolfinho. Já compararam a poesia de Szymborska com a de Drummond – acho que a comparação procede, pelos motivos expostos. Além do mais, faz bastante sentido, pois também sou entusiasta de Drummond. Por fim, gostei muito dos poemas da polonesa porque ela não se vale do verso mínimo, brevíssimo, uma tendência contemporânea que sempre me incomodou.

Envie seu Comentário