Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts na categoria "Blogosfera"

Vozes do Fantástico

23 de maio de 2011 2

Tiago (à esquerda) e Rafael Casanova. Imagem: Arquivo pessoal

No Segundo Caderno de Zero Hora de hoje, vocês puderam ler uma matéria sobre a atual cena de literatura fantástica e ficção científica que ainda luta por se consolidar no Estado. Entrevistamos escritores, editores e blogueiros responsáveis por fazer e divulgar a ficção fantástica no Rio Grande do Sul e, como é comum nessas matérias com pretensão de abarcar um tema por demais amplo, o texto final no jornal impresso é uma depuração concentrada da boa quantidade de material bruto que amealhei. Por isso, decidi compartilhar neste e nos próximos posts algumas coisas interessantes pesquisadas para o texto, e uma delas é estra entrevistas com os jovens Tiago e Rafael Casanova, 23 anos, moradores da cidade de Encantado e que mantêm um dos blogs de crítica literária especializada na literatura de gênero, o Sobre Livros. A página tem  uma média de 4.493 visitas e 11.594 visualizações por dia e conta com um grupo de colaboradores de vários pontos do Brasil, responsáveis por resenhas e artigos sobre a ficção fantástica contemporânea. Gentilmente, eles toparam responder a umas perguntas sobre o site — que agora eu publico aqui na íntegra. A entrevista foi concedida por e-mail, as respostas de ambos foram redigidas em conjunto, a não ser no caso da segunda pergunta:

Zero Hora — Como surgiu a ideia do Sobre Livros?
Rafael e Tiago Casanova —
 A ideia inicial para a criação do Sobre Livros surgiu no fim de 2009, quando planejávamos criar uma rede social literária. Começamos pesquisando possíveis parceiros e constatamos que não havia muitos sites voltados apenas para literatura de gênero no país. Depois nos perguntamos que tipo de notícias e informações gostaríamos de ler, e como nenhum dos poucos sites encontrados preenchia os requisitos pensados por nós, decidimos criar o Sobre Livros, para tentar conseguir e propagar essas informações. Hoje o site alimenta não só os gaúchos, mas a todos brasileiros com notícias e conteúdo literário diferenciado diariamente.

ZH – Vocês conseguem lembrar o momento em que tiveram despertado o gosto pela literatura de gênero?
Rafael —
Meu gosto pela leitura em si surgiu no início do 2º grau com Arthur Conan Doyle e seu famoso personagem Sherlock Holmes, um dos meus favoritos. Porém foi com Harry Potter que a literatura de gênero deu aquele estalo, aliás, Harry Potter e O Senhor dos Anéis são os responsáveis pela iniciação de pelo menos 98% das pessoas de minha faixa etária nesse tipo de literatura.
Tiago -  Despertei o interesse pela leitura, como a maioria dos leitores da minha época, com a febre por Harry Potter, isso foi mais ou menos no ínicio do ensino médio.

ZH — Como é o processo de edição do blog? Vocês realizam algo como uma “pauta” ou vai muito do gosto e da disponibilidade do que estiverem lendo no momento?
Rafael e Tiago —
A equipe do Sobre Livros é ampla, temos vários resenhistas, colunistas, tradutores e legendadores de diversos estados, o que gera muito conteúdo de qualidade. Resenhas são programadas e colunas possuem dias fixos para serem postadas durante a semana, já as notícias e informações são colocadas no ar conforme vão surgindo. Eu posso não gostar de algo, mas pode ter algum leitor que goste. Temos conteúdos especiais como jogos, tirinhas e entrevistas, todos voltados para a área literária, esses sim vão surgindo conforme a disponibilidade da equipe. Em um desses especiais surgiu o Libris, um personagem fictício com uma personalidade diferenciada criado por nós, ele é um dos xodós dos visitantes e já apresentou a primeira premiação do site, o Sobre Livros Awards, dividindo o palco com várias personalidades literárias como Marvin, Galdalf, Emilía e até mesmo a Morte.

ZH — Os blogs são hoje uma ferramenta poderosa para a divulgação de obras que não entram no radar das grandes editoras, mas que podem criar seu público e cativar leitores. A internet hoje é a ferramenta do boca-a-boca literário que pode fazer uma obra se transformar em sucesso de venda, como os livros de André Vianco ou os de Eduardo Spohr?
Rafael e Tiago —
Concordamos que a internet ajude bastante a divulgar trabalhos, inclusive até para conseguir contratos com editoras, como é o caso do Eduardo Spohr e seu A Batalha do Apocalipse, e até mesmo do escritor gaúcho Fábio Henckel e seu Binno Oxz, esses são excessões. Para se tornar um sucesso de vendas grandioso como André Vianco há vários fatores determinantes como um enredo instigante, escrita de qualidade e muita divulgação focada em leitores assíduos, como por exemplo nos próprios sites literários, é uma tríade que deve ser mantida. O boca-a-boca literário serve mais como uma “apresentação” do escritor para uma faixa de leitores, se o seu livro tiver qualidade, as vendas virão naturalmente, cedo ou tarde.
 
ZH — É grande atualmente a força da literatura fantástica no interior – vários autores contemporâneos de fantasia no Estado – muitos deles citados na própria lista de vocês dos “brazucas”. Vocês mesmos moram no Interior do Estado. Que palpite vocês arriscariam para essa força do fantástico junto a autores de fora de Porto Alegre?
Rafael e Tiago — 
Na nossa opinião é algo praticamente confirmado: autores do interior, muitos até auto-publicados, não teriam qualquer força de divulgação fora de seu âmbito regional se não tivessem acesso a uma principal ferramenta, a internet, e em consequência a colaboração e ajuda dos sites literários. Posso dar um exemplo recente que ocorreu esse mês: como eu saberia do lançamento do livro Morgan: O Único, do escritor gaúcho Douglas Eralldo, que mora em Pantano Grande se não fosse através da internet? Não teria como saber. O livro nunca chegaria aqui e eu não tomaria conhecimento do mesmo, então a internet possibilita que esses autores possam se divulgar mais facilmente. O principal desafio agora é quebrar o preconceito que os leitores tem com autores nacionais: já estou há bastante tempo com o site para saber que nossos escritores são tão bons como os de fora, basta dar uma chance.